Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Rescaldo do jogo de hoje

Gostei

 

Da vitória em Guimarães. Foi o quarto triunfo da nossa equipa fora de casa neste campeonato. Depois das vitórias contra a Académica, Olhanense e Braga. Uma prova evidente da sua força anímica.

 

Do nosso segundo lugar. Estamos apenas a um ponto do FC Porto, em igualdade pontual com o Benfica, quando se completou um terço das jornadas desta Liga 2013/2014. Um lugar que permite manter a esperança bem acesa.

 

De confirmar a eficácia de Slimani. Cumpriu-se o que já sucedeu com o ponta-de-lança argelino: entrou, marcou. Resolvendo o jogo a nosso favor no último minuto do tempo regulamentar. É para isso que servem os pontas-de-lança. Quem criticou Slimani nas bancadas de Alvalade a esta hora já estará arrependido.

 

Da alteração táctica decidida por Leonardo Jardim. Uma vez mais, verificou-se o que já tinha sucedido em jogos anteriores: a equipa melhorou quando começou a jogar em 4-4-2. Uma vez mais, acertou em cheio nas substituições, que talvez devessem ter ocorrido mais cedo.

 

De Eric Dier. O treinador apostou nele como defesa central e o jovem inglês formado na nossa academia cumpriu a missão que lhe foi destinada com a sua melhor exibição desta temporada na equipa principal. Foi um dos mais inconformados com o empate a zero que permanecia à beira do fim, como ficou bem evidente naquele seu remate de cabeça, na sequência de um canto, que viria a ser completado da melhor forma por Slimani. Leão é mesmo assim: nunca desiste.

 

De Cédric. Outro inconformado. Ajudou a empurrar a equipa para a frente, sobretudo no segundo tempo, e centrou duas vezes com muito perigo, imprimindo maior velocidade a um jogo que pecava por excesso de lentidão.

 

De Rui Patrício. Seguro, atento e com reflexos rápidos sempre que foi preciso.

 

 

Não gostei

 

Da nossa exibição na primeira parte. A equipa esteve demasiado apática e presa de movimentos.

 

Dos nossos extremos. Carrillo e Capel pareceram quase sempre dominados pela defesa adversária, reagindo pouco e mal às marcações vimaranenses. Faltou-lhes um suplemento de ousadia. Foram bem substituidos.

 

De ver Carrillo sair a passo. O Sporting precisava de ganhar o jogo: cada minuto contava. Foi incompreensível ver o peruano a queimar tempo.

 

Da ausência de centrais no banco. A quase-lesão de Maurício fez recear o pior. Correu-se um risco porventura desnecessário.

 

Das intermitências de Abdoulaye. O defesa emprestado pelo FC Porto ao Guimarães, vindo de uma lesão providencial que o impediu de defrontar o seu clube de origem, pareceu totalmente recuperado neste jogo. Há coincidências tramadas. Mas devemos agradecer-lhe a involuntária "assistência" para o golo de Slimani.

16 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D