Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Ser ou não ser o melhor

20150616_-_Portugal_-_Italie_-_Genève_-_Fernando_

 

Fernando Santos levou a selecção nacional a sagrar-se campeã da Europa - conquista que poucos técnicos podem gabar-se de ter no currículo, equiparando-o a Berti Vogts, Vicente del Bosque, Michel Hidalgo, Rinus Michels ou Jupp Derwall - e conduziu-a ao apuramento directo para o Mundial de 2018, com nove vitórias consecutivas.

Será ele o melhor treinador do momento em Portugal?

A voz do leitor

«Não estaremos a pagar demais por um treinador que, alegadamente, só fez o que fez no Benfica com algumas ajudas externas, e que dificilmente terá algo mais para aprender? É que das duas, uma: ou o mérito das conquistas é do mestre JJ, e aí ainda bem que o temos, ou o Benfica tem vindo a ser sistematicamente beneficiado, e aí talvez estejamos a sobrevalorizar o nosso treinador.»

 

Sam, neste meu texto

A voz do leitor

«Sem ter propriamente a ver com as cartilhas, mas tendo a ver com a "sem vergonhice" da comunicação social (com minúsculas), neste caso a RTP (serviço público !!!) e o seu serviço de teletexto.
Exemplos:
Quando o SCP venceu a Supertaça de futsal masculina, sobre o Benfica, e o Benfica venceu a Supertaça feminina de futsal, no mesmo dia e no mesmo pavilhão, apenas a vitória feminina foi noticiada.
No dia 30 de Setembro, após a conclusão da 4ª jornada da Liga de Futsal, ao fim do dia a página dedicada ao futsal (pg. 467) foi logo actualizada (goleada do Benfica sobre o Belenenses e 1º lugar na classificação geral em igualdade de pontos com o Sporting).
Na 5ª jornada (7 e 8 de Outubro) houve o Sporting-Benfica (5-2): actualização da página? Nicles!!
Ontem [anteontem] já se jogaram alguns jogos da 6ª jornada (O Azeméis ultrapassa o Benfica na classificação, embora com mais um jogo), actualização da página? Bola!
Hoje [ontem], às 11 horas, ainda tudo na mesma (classificação: Benfica (3º), em primeiro, e indicação de que a próxima jornada será a 7 de Outubro. Só para rir.»

 

Leão do Fundão, neste meu postal

Hossanas do cartilheiro (4)

19981613_zGt3S[1].jpg

 

 

«Reafirmo, cada vez com mais convicção a cada dia que passa, que, de todos os e-mails [do Benfica] que vieram para a praça pública, o conteúdo não tem nada de grave nem de ilícito.»

 

«Isso está tudo muito empolado e é preciso coragem para dizer que este caso dos e-mails é um não-caso.»

 

«O Benfica vem de um período de quatro anos em que teve provavelmente os dois melhores guarda-redes actualmente do mundo: Oblak e Ederson.»

 

«Para o Benfica substituir o Ederson teria de contratar guarda-redes impossíveis de contratar: De Gea, Courtois, Neuer...»

 

«Hoje o Ederson e o Oblak são os melhores guarda-redes do mundo.»

 

«O Benfica tem um plano desportivo e não abdica desse plano desportivo.»

 

Carlos Janela, 12 de Outubro, em tempo de antena na CMTV

Os prognósticos passaram ao lado

Andam pouco imaginativos, os nossos leitores: desafiados por mim a vaticinarem o resultado do Oleiros-Sporting, para a Taça de Portugal, deixaram por cá  vários palpites - mas nenhum coincidente com o desfecho do marcador.

Fechado este breve parêntesis da Taça de Portugal, retomaremos em breve os prognósticos para aquilo que verdadeiramente interessa: o campeonato. Esperando eu, desde já, que a vossa pontaria se torne mais certeira.

A voz do leitor

«Ao contrário do que a estrutura do SCP afirmou, que havia dois jogadores para cada lugar, faço votos que não existam lesões graves, pois existem muitas carências neste plantel e não vejo ninguém que possa colmatar alguma ausência, pois a qualidade é muito duvidosa.»

 

Fernando Albuquerque, neste meu texto

Rescaldo do jogo de hoje

Gostei

 

De seguir em frente na Taça de Portugal.  Eliminámos o modesto Oleiros, do Campeonato de Portugal, cumprindo a nossa missão num jogo agradável em que a equipa da casa deu boa réplica. Seguimos para a quarta ronda do segundo mais prestigiado troféu do futebol português. Queremos conquistar a nossa 17.ª Taça.

 

De romper um ciclo de quatro jogos sem ganhar. A vitória foi natural e merecida, além de reconfortante. Era tempo de mudar as coisas.

 

Do comportamento da nossa equipa. Os nossos jogadores entraram em campo com atitude profissional e responsável, sem arrogância nem deslumbramento. Houve concentração e respeito pela equipa adversária, o que é de louvar.

 

Dos quatro golos marcados. Dois de Palhinha, um de Mattheus Oliveira, outro do estreante Rafael Leão. É sempre bom saber que não estamos dependentes do ausente Bas Dost para levar a bola ao fundo da baliza.

 

De Palhinha. Grande exibição do nosso médio defensivo, que se adiantou várias vezes no terreno, em benefício da equipa, sem perder o sentido posicional. Abriu o marcador aos 23', com um remate forte à boca da área, e bisou aos 62', com um espectacular pontapé de moinho, à ponta-de-lança. E cumpriu com rigor a missão defensiva: grande corte aos 50' frente à grande área. O melhor em campo.

 

De Podence. Recuperou da lesão prolongada, regressando em boa forma. Baralhou a defesa contrária com as suas incursões velozes pela ala direita, a partir do flanco. Boa exibição coroada com três assistências para golos, estatística que confirma a sua influência neste jogo.

 

Da aposta de Jorge Jesus numa equipa alternativa. Estes desafios servem para rodar jogadores pouco ou nada utilizados no campeonato, poupando os titulares para outros confrontos. Neste caso o treinador optou por mudar a equipa toda: não alinhou nenhum dos habituais titulares, excepto Jonathan Silva, que tem alternado com Fábio Coentrão. Aposta ganha em termos gerais, com destaque para a entrada de Gelson Dala como titular e para a estreia absoluta dos três suplentes utilizados - Rafael Leão, Jovane Cabal e Demiral - em jogos oficiais pela equipa principal.

 

De Rafael Leão. Entrou aos 71' e daí a um quarto de hora estava a marcar um golo - o seu primeiro pela equipa principal do Sporting e quarto da temporada, pois leva já três golos pela equipa B. Boa estreia do jovem internacional sub-17, que tem apenas 18 anos e um futuro promissor.

 

Da ausência de lesões. Apesar de jogarmos num piso sintético, o que traz riscos acrescidos, os nossos jogadores terminaram a partida ilesos. Ainda bem.

 

Do altruísmo leonino. A parte da receita do jogo que coube ao Sporting foi doada aos Bombeiros Voluntários de Oleiros. Louvável decisão do presidente Bruno de Carvalho.

 

 

Não gostei

 

 

Dos dois golos sofridos. É verdade que levámos a Oleiros um onze alternativo. Mas encaixar dois golos de uma equipa do terceiro escalão do futebol português é algo a roçar o inaceitável.

 

De Iuri Medeiros. Jesus apostou nele como atacante por um dos flancos, dando-lhe relativa liberdade de movimentos. Mas Iuri passou ao lado do jogo. Já ao cair do pano, isolado, permitiu a intervenção do guarda-redes, faltando-lhe o toque de classe para solucionar o lance. Uma vez mais, não soube agarrar a oportunidade.

 

De Bruno César. O brasileiro está irreconhecível nesta época. Para muito pior. Trapalhão, faltoso, complicativo - hoje quase nada lhe saiu bem.

 

De Petrovic. Central improvisado, esteve sempre como peixe fora de água. Levou um cartão amarelo muito cedo, logo aos 15'. Lento, preso de movimentos, falhou a intercepção aos 80' no lance do primeiro golo do Oleiros. Sem espaço neste Sporting 2017/2018.

 

De André Pinto. Irregular, intranquilo, entregou a bola a um adversário quando pretendia conduzi-la pela ala, num lance que poderia ter terminado num golo contra nós. Teve responsabilidade directa no segundo golo da equipa da casa, a escassos momentos do apito final. Decepcionante.

 

Que Gelson Dala ficasse em branco. O jovem angolano que se tem evidenciado na equipa B foi titular, tentou bastante mas não conseguiu marcar. Valeu pelo esforço. Oxalá tenha novas oportunidades em breve para ganhar mais disciplina táctica e sentido posicional. Talento não parece faltar-lhe.

Os melhores: Rui Patrício, Mathieu, Bruno

Conforme prometido, divulgo hoje o resultado o inquérito promovido aqui há três dias, junto dos nossos leitores e dos meus colegas de blogue, sobre os melhores jogadores do Sporting nesta época 2017/2018, quando vai decorrido cerca de um quarto do campeonato.

Houve muitas respostas, como previ. Correspondendo ao meu pedido para a indicação de três nomes por ordem decrescente.

Decidi atribuir três pontos ao jogador mencionado em primeiro lugar, dois ao que figurava em segundo e apenas um ao que ficou em terceiro.

 

ruip2[1].jpg

 

A classificação ficou assim estabelecida:

 

 

Rui Patrício:             44 pontos

Mathieu:                   35 pontos

Bruno Fernandes:  28 pontos

William Carvalho:  28 pontos

Battaglia:                   9 pontos

Gelson Martins:        4 pontos

Gelson Dala:                1 ponto

Acuña                            1 ponto

 

Breves comentários:

  • Não deixa de ser curioso que o elemento mais votado, a larga distância dos restantes, tenha sido igualmente aquele que figura há mais tempo no plantel leonino.
  • William e Bruno Fernandes recolheram o mesmo número de votos. Para efeitos de pódio, apliquei o seguinte critério de desempate: o do número de leitores/autores que votaram em cada um. Bruno ultrapassou o colega pois foi mencionado por 17 pessoas, enquanto William só foi referido por 13.
  • Fiquei surpreendido com a baixíssima votação de Gelson Martins, que considero injusta.
  • Surpreendem também as exclusões de Bas Dost e Coates.
  • A menção a Gelson Dala só pode ser entendida como brincadeira.
  • Metade dos nomes referidos são reforços desta época, confirmando-se assim a satisfação dos adeptos pelas contratações efectuadas durante o defeso.

Fica aberta a partir de agora a discussão sobre estas escolhas nesta caixa de comentários.

 

A voz do leitor

«Assobiar o hino da Champions é cuspir no prato da sopa. Simplesmente descabido, coisa que a Juveleo patrocina e muita gente vai atrás. Nem todos, felizmente. Nas minhas bandas da central ninguém assobiou [no Sporting-Barcelona]. Dos três grandes quem não for regularmente à Champions pode deixar de ser grande e passar a ser mais um Braga. É tão simples como isso.»

 

SportingSempre, neste meu texto

Na Rússia, com William

OPHFF1N7.jpg

 

Nunca duvidei um só momento que estaríamos no Campeonato do Mundo de Futebol na Rússia, onde seremos cabeça-de-série.

Desta vez nem precisávamos de fazer contas: era só uma questão de tempo até vermos o passaporte carimbado. E assim foi, ontem à noite, no triunfo por 2-0 frente à Suíça que nos reconduziu ao primeiro lugar do grupo, coroando uma série de nove jogos da equipa das quinas sempre a vencer.

 

Desta vez nem foi preciso Cristiano Ronaldo fazer o gosto ao pé, tendo protagonizado até um dos momentos mais caricatos do desafio, mesmo ao cair do pano, quando João Mário o isolou e ele foi incapaz de superar a isolada oposição do guarda-redes suíço - em contraste com Messi, que marcou três na deslocação da Argentina ao Equador, virando o resultado do jogo, após os anfitriões se terem adiantado no marcador, e qualificando in extremis a sua selecção para o Mundial.

Pior sorte tiveram a Holanda e o Chile, que ficaram de fora.

 

Este Portugal-Suíça não foi um jogo épico, longe disso. E só um autogolo dos nossos adversários, aos 42', abriu caminho para a vitória. Mas dele retive, sobretudo, algo que não esquecerei: o estádio da Luz em peso a aplaudir o nosso William, aos 49' e aos 56', sublinhando com toda a justiça dois lances de virtuosismo técnico do nosso capitão que fascinou e empolgou quem lá se encontrava.

Aplausos merecidos. E de excelente augúrio para o Mundial da Rússia.

A voz do leitor

«Não consigo gostar do Alan Ruiz. Para mim jogador do Sporting tem de deixar tudo em campo e não vejo isso nele embora lhe reconheça algum talento. Já o outro Ruiz (Bryan), apesar de alguns dissabores, penso que teria lugar no plantel. Para mim foi um dos jogadores de maior classe que vi no Sporting nos últimos tempos.

 

Sam, neste meu postal

Quem são os três melhores?

Decorridas oito jornadas do campeonato, e estando portanto já quase superado um quarto da prova, creio ter chegado a altura de questionar os nossos leitores sobre quem consideram ser os três melhores jogadores do plantel leonino. Por ordem decrescente e mencionando apenas três, se não se importam.

Estou curioso por saber as vossas opiniões. E desde já prometo que voltarei a fazer um teste semelhante quando estiver cumprida metade da Liga 2017/2018. Para irmos comparando umas apreciações com outras: julgo que valerá a pena.

Jesus derrota Vieira

Luís Filipe Vieira não tem registado só derrotas em campo: está a ser derrotado também nos tribunais. Lembram-se da maior indemnização de sempre exigida na justiça portuguesa tendo por alegado queixoso o Benfica e por alvo o actual treinador do Sporting? Pois: 14 milhões de euros que se preparam para voar ainda para mais longe do que a presença encarnada nesta Liga dos Campeões.

Soma e segue. A justiça tarda mas não falha.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D