Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Há 70 anos.

 

1944 ou 45. Nessa altura não havia televisão para ver jogos - mas ouviam-se relatos na "rádio telefonia". E lia-se o jornal Stadium que trazia reportagens fotográficas das "entusiasmantes partidas".

E o entusiasmo era tanto que mesmo a 300Km de distância, havia sócios dos clubes. Sócios correspondentes.

E neste caso, pai de peixe sabe nadar.

pai scp.jpg

 

Os melhores golos do Sporting (14)

Golo de LIEDSON

Benfica-Sporting

28 de Janeiro de 2006, Estádio da Luz

 

Correio Verde

Sábado, 28 de Janeiro de 2006, o Sporting visita o Benfica no Estádio da Luz, para a 20ª jornada da Liga.

O Sporting alinha de inicio com Ricardo. Polga, Caneira, Tonel e Abel. Carlos Martins, Custódio, João Moutinho e Sá Pinto. Deivid e Liedson. Paulo Bento treinava.

Logo na primeira parte adiantaram-se os vermelhos, com um penalty. Não sei se foi um penalty verdadeiro ou um penalty à Benfica, mas também não é relevante porque o Sporting dominou todo o jogo e na segunda parte deu a volta ao resultado com grande facilidade. Primeiro Sá Pinto de grande penalidade, a castigar uma patada nas partes baixas de Liedson e depois o próprio Liedson, à Liedson.

Estava o resultado em 1-2, a favor dos leões, quando aconteceu o momento do jogo. Num rápido contra-ataque Liedson apareceu isolado em frente a Moretto, contorna-o e faz o 3-1 final.

Há jogadas de combinação magníficas, remates imparáveis, toques de génio, jogadas individuais que nunca se esquecem. Há golos que resolvem desafios, golos que nos fazem avançar em eliminatórias, golos que esvaziam a ansiedade e a adrenalina acumulada. Este golo de Liedson não tem nada disso. É apenas um bom golo, mas o que o faz especial passa-se atrás da baliza.

Nos painéis luminosos que circundam o rectângulo de jogo há publicidade dinâmica. Os CTT publicitam um novo produto. No momento em que Liedson contorna Moretto pode ler-se nos painéis "É só enviar". Liedson envia. E assim que a bola entra na baliza, no preciso momento em que cruza a linha de golo, o texto nos painéis muda para "Correio Verde". Melhor, só por encomenda.

 

Correio Verde - É só enviar 2.jpg

 

No video, a entrega de Liedson começa aos 3:05. 

 

 

 No dia seguinte havia unanimidade nos jornais. Banho de Bola. Nem mais.

 

Banho de bola.jpg

 

Media Training

O mundo sabe que estes não são tempos nada fáceis para o Sporting. O sistema atira-se com todo o peso para cima de nós.

 

A arbitragem de Cosme Machado, ontem, foi apenas um pouco mais longe que outras a que temos assistido. Cosme Machado, não teve nenhuma vergonha nem qualquer problema na tentativa de contribuir para que o Sporting perdesse pontos. Cosme foi o MVP da Académica. Um jogo que terminaria normalmente em 4 ou 5-1 foi ganho à custa de muito esforço, dedicação e devoção da nossa equipa.

 

Cosme apitou desta forma porque está careca de saber que são este tipo de procedimentos que farão bem à sua carreira. Os observadores lá estarão, para lhe concederem uma benigna avaliação pela performance. O homem da arbitragem continuará a nomeá-lo para jogos decisivos. Ontem Cosme passou no teste, e só não terá nota máxima porque, apesar de tanto esforço, falhou o seu grande objectivo.

 

Ao mesmo tempo que se tentam surripiar pontos dentro de campo, pressiona-se o clube fora de linhas. Disparam em todas as direções. À ameaça de suspensão de Slimani, às incessantes expulsões de dirigentes e técnicos e ao condicionamento da arbitragem através de nomeações e classificações, juntam-se as patéticas ameaças do Benfica de processos por tudo e por nada.

 

É com isto que vamos ter que contar até ao fim do campeonato. Ninguém melhor que Jesus pode entender a desigualdade entre ter todo o peso do sistema do seu lado ou contra ele. A diferença do ano passado nunca estava no campo. Esteve sempre no colinho. E esse continua bem confortável e a tentar replicar os sucessos que obteve noutras épocas.

 

Infelizmente, a direção do Sporting ainda não encontrou o tom certo para lidar com estes casos. Enviar Octávio Machado para dar a cara é um tremendo erro.

 

Estão todos a precisar de umas sessões de Media Training.

Jasus...

É um martírio ouvir as Conferências de Imprensa de Jesus. Note-se que ele não mudou nada, é o mesmo Jesus de sempre. Talvez dê menos calinadas, diz-se que teve uma professora na Luz.

A diferença é que antes ouvia-se para poder mangar com os amigos lampiões. Hoje é melhor não ouvir. Aquelas provocações não têm defesa possível.

Mas que a equipa ontem esteve maravilhosa, lá isso esteve.

Confesso-me Desolado

A expectativa era imensa. Já imaginava aqueles duelos de estrada em que um atleta do Sporting W52 se batia galhardamente contra a estrela bielorussa do Moreira Congelados e no fim surpreendia sem apelo nem agravo o croata da LA Alumínios sobre a linha da meta. Recuperava a memória dos grandes finais de etapas em que os sprinters búlgaros do Efapel ou da Ribeiros Bike Shop esbaforidos, não conseguiam ultrapassar o estónio dos leões na sua pedalada para a vitória. Ah, e aquelas vitórias nos contra-relógios que deixavam milhões de adeptos dos nossos rivais do Bom Petisco com cabeça de atum?

Confesso-me desolado por não podermos vingar-nos da Pecol ou da Sicasal no próximo Troféu Alpendre.

Valha-nos que o QI dos atletas do Porto vai baixar. Em média. E o macaco líder já está a esfregar as mãos de contente com a expectativa de crescimento do negócio.

Vitórias Ecuménicas

ng2A1C3735-800x500_c[1].jpg

 

Mais um jogo, mais uma vitória ecuménica, dessa aliança de religiões entre Jesus e o Islam. A equipa da nossa fé entrou com o traje eclesiástico verde, branco e negro, como mandam as escrituras. Alinhou de início, com Peyroteo à baliza. Peyroteo substitui Naldo, castigado e acompanhou Peyroteo, Peyroteo e Peyroteo na linha defensiva. O meio campo esperado, com Peyroteo, Peyroteo, Peyroteo e Peyroteo e no ataque Peyroteo e Peyroteo.

Antes do jogo, durante o minuto de silêncio, ouviram-se os gritos das almas danadas que vinham do fundo do inferno. 

Na primeira parte os infiéis equilibraram. A proteção do Demo ajudou-os a evitar que Peyroteo marcasse logo nos primeiros minutos e logo a seguir Belzebu, com um contra-ataque irado, conseguiu infligir dano aos bons. As armadilhas diabólicas funcionaram durante alguns minutos, mas a meio da primeira parte Jesus reuniu os Peyroteos e, num sermão inspirado, leu-lhes o salmo da redenção e iluminou-os na forma deífica de combater as tácticas danadas dos ateus do inferno.

A equipa divina tomou conta da missa e a salvação chegou ainda antes das novenas, com um golo de Peyroteo.

Na segunda parte a equipa foi bailando, bailando, mas os diabos chifrudos aguentaram a homilia e conseguiram arrastar a esperança no pecado até ao purgatório.

Antes da cerimónia final já tinham ocorrido três substituições na equipa da nossa fé: Peyroteo substituiu Peyroteo, Peyroteo entrou por Peyroteo e também Peyroteo trocou de lugar com Peyroteo. A equipa da aliança ecuménica acabou com 7 Peyroteos nascidos e criados no seminário de Alcochete.

Já no fim da eucaristia o ecumenismo expandiu-se, com algumas bonitas judiarias do jovem Peyroteo. Foi emotiva a homenagem que este fez à França, dando um espectáculo gratuito em frente ao Eliseu.

Foi na parte final da liturgia que chegou esse momento de penitência para 14 milhões de amantes do Satã Encarnado. O islamita Peyroteo, bem posicionado por Jesus às portas do Céu, entregou a hóstia a Lúcifer e fez desabar no mundo as lamúrias incontidas dos diabos vermelhos.

A equipa divina ganhou em golos, posse de bola, passes, remates e cantos. Os Satanazes ganharam em faltas e cartões. No fim do jogo um jovem diabrete disse que os lampiões sulfurosos é que mereciam a vitória. Chamava-se Gonçalol. Rui queixou-se dos homens de negro. Algo está a falhar na ligação automática entre o mergulho do lampião e o apito estridente.

Luisão com um problema no cúbito, Gaitan que perdeu o sentido ao jogo, Gonçalo com dor de cotovelo e Eliseu com os olhos trocados e um rim partido tiveram que se deslocar ao hospital.

O melhor da aliança ecuménica foi Peyroteo. O melhor dos demos foi Taarabt.

Foi isto. 3 foi a conta que Deus fez. A Santíssima Trindade é a Super-taça, o Campeonato e a Taça. Diz que não se rezavam 3 orações seguidas há 666 anos.

Jesus é o Caminho, Allah é Grande.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D