Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Hoje giro eu - Fim de semana sem VAR

Terá sido coincidência, mas - em semana de Taça de Portugal - o Sporting foi prejudicado em 2 lances, o Porto foi beneficiado pela não expulsão de Alex Telles (primeira parte) e o Benfica viu ser perdoada uma grande penalidade na sua área (com o resultado em 1-0), havendo um lance de possível penalty a seu favor (difícil interpretação) pretensamente cometido sobre Krovinovic.

Conclusão: nós queremos o VAR!!!

 

https://www.ojogo.pt/futebol/1a-liga/vitoria-setubal/noticias/interior/jose-couceiro-e-o-lance-na-area-do-benfica-ja-estamos-habituados-8927777.html

 

https://www.ojogo.pt/futebol/1a-liga/portimonense/noticias/interior/vitor-oliveira-alex-telles-devia-ter-sido-punido-com-vermelho-8926199.html

 

 

Hoje giro eu - Quando o mau Bruno põe em xeque o bom Bruno

Bruno de Carvalho insiste em recorrer ao Facebook, agora para destratar o comentador da SIC Notícias, Rui Santos. Já não há contenção, nem boa vontade, fervor e sentimento sportinguista, que cale a minha indignação perante aquilo que considero ser um verdadeiro "hara-kiri" que o presidente leonino vem praticando, retirando ele próprio da cena e agenda mediática o essencial, a divulgação dos emails que envolvem o Benfica e o juízo que sobre eles diariamente é feito na opinião pública (para além do que resultar da investigação do Ministério Público/Polícia Judiciária).

A recente cruzada contra Rui Santos é gratuita e desprovida de qualquer conteúdo estratégico. Para além disso, é machista, misógina e vulgar. Falar de "gajas, cabelos, gengivas (!!!) e piquinho a azedo" é algo absolutamente desprovido de bom-senso, meros insultos sem uma intenção programática, apenas um desejo pessoal revelado no final: promover um empate técnico (!?).

Aceito que Rui Santos seja vaidoso, pretensioso até, que às vezes vá demasiadamente longe na defesa de uma convicção (com Paulo Bento pareceu incorrer numa cruzada pessoal), mas o que ninguém pode dizer deste comentador é que ele não é independente - o próprio presidente não o classifica como encartilhado -, livre e directo, afrontando há anos diversos poderes, sem nunca se submeter a ser um prosélito do regime, podendo até ser considerado um arauto de mudanças no sentido da Verdade Desportiva. 

Bruno propõe um empate xadrezístico a Rui Santos, mas a profusão dos seus comentários sugere que o mau-Bruno está a fazer um "xeque-ao-rei" ao bom-Bruno, ameaçando o "mate". O mau-Bruno vai abrindo sucessivos campos de batalha - agora ofendeu as nossas leoas - e, no reino do leão, ameaça devorar o bom-Bruno, aquele já quase personagem mítico a quem devemos a sustentabilidade, a devolução da alma e fervor clubisticos, o temor e respeito dos adversários. 

Tenho imensa pena de ver este estado de coisas e deixo uma questão: como é possível que o nosso director de comunicação permita que isto esteja a acontecer? Ou é uma mera caixa de ressonância ou, na analogia encontrada pelo presidente para atacar RS, um espelho mágico (trágico?) - "espelho meu, espelho meu" - a quem o mau-Bruno se dirige e aí, na minha modesta opinião, está a mais no clube ou, se não concorda, faça algo no sentido de evitar esta exposição despropositada do presidente e, caso não o consiga, obviamente demita-se.

Bruno de Carvalho refere inúmeras vezes a votação massiva que teve nas últimas eleições. Fala muito disso, mas parece não o interiorizar. O resultado expressivo que teve constitui para si um motivo de orgulho, mas é também uma enorme responsabilidade. Os moderados são a sua base de apoio, mas são um "swinging vote", gente crítica. A deriva que vem protagonizando pode retirar-lhe esta protecção e deixá-lo exposto a dois tipos de radicais: os que, com agenda própria, vão, desde o início dos seus mandatos, diáriamente desgastando-o, com isso procurando abrir brechas para substituí-lo rápidamente e aqueles que lhe darão apoio incondicional, a sua guarda pretoriana, mas que, em contrapartida, exigirão a vitória a qualquer preço. 

bruno carvalho.jpg

Hoje giro eu - Ranking GAP

Após 20 jogos realizados - 11 para o Campeonato Nacional, 6 para a Champions, 2 para a Taça de Portugal e 1 para a Taça da Liga - o Sporting regista 12 vitórias (60%), 6 empates (30%) e duas derrotas (10%), com 40 golos marcados (2 golos/jogo) e 16 golos sofridos (0,8 golos/jogo).

 

Ranking GAP:

 

1) O melhor marcador é Bas Dost (11 golos), seguido por Bruno Fernandes (7) e Gelson (5);

2) O jogador com mais assistências é Bruno Fernandes (7), seguido por Acuña (5) e Podence(4);

3) O jogador mais influente é Bruno Fernandes, tendo contribuído até agora para 19 golos (47,5% golos da equipa), seguido por Bas Dost (15) e Gelson (11);

 

Aqui fica a tabela actualizada do Ranking GAP, que inclui golos (G), assistências (A) e participação decisiva em lance de golo (P):

 

  G A P
Bas Dost 11 1 3
Bruno Fernandes 7 7 5
Gelson Martins 5 3 3
Marcus Acuña 3 5 1
Sebastian Coates 2 1 1
Doumbia 2 1 0
João Palhinha 2 0 0
Rodrigo Battaglia 1 1 2
Bruno César 1 0 1
Jeremy Mathieu 1 0 1
Mattheus Oliveira 1 0 0
Rafael Leão 1 0 0
Adrien Silva 1 0 0
Daniel Podence 0 4 0
Cristiano Piccini 0 1 3
Fábio Coentrão 0 1 2
Iuri Medeiros 0 1 1
William Carvalho 0 0 2
Alan Ruiz 0 0 1
autogolos 2 0 0

Tudo ao molho e Fé em Deus - Bruno estava no banco

Afinal, Bruno foi para o banco, seguiu o conselho de Jesus e quando entrou desfez a disciplina da defesa famalicence, castigando-a com dois passes açucarados para golo, suspendendo assim as aspirações de uma equipa que não deu o Dito por não dito e nunca desistiu de procurar o golo. 

No calor da noite, Malheiro fez voz, perdão, vista grossa a um penálti sobre Bas Dost e a uma falta sobre Battaglia (para além de um fora-de-jogo não assinalado pelo auxiliar), em lance de onde resultaria uma grande penalidade contra o Sporting, a qual viria a ser marcada por um jogador que na época passada actuava no VARzim. Acontece, errar é humano, mas é por isso que também na Taça daria jeito haver vídeo-árbitro.

O que têm em comum os minutos 1, 34, 57, 67, 72, 83 e 89? São Patrício!!! Com nome de ciclista (e dos bons), o promissor Rui Costa passou-se dos carretos e ainda deve ter a cabeça a andar à roda, dada a forma como o guardião leonino lhe negou o golo - mas também ao Faria, que não fez, e ao Feliz, que não o foi - por diversas vezes. Destaque-se aqui a defesa do penálti após consultoria prestada por Bruno, sempre ele, o Fernandes (quem pensaram que era?). 

Palavras de apreço também para Coates, o nosso Ministro da Defesa, que liderou a invasão às redes adversárias, e para o inevitável Bas, que voltou a "dostar".

Podence, a espaços, Coentrão nos 90 minutos - quebrou-se um mito (espera-se que nada mais...) - e a lesão de Jonathan (mais uma) foram outras notas da noite de Alvalade.

Uma curiosidade final: o Mattheus, mal entrou, deixou a sua marca no jogo ao fazer uma falta com assinatura, um "penaltthy". Á atenção do merchandising do clube, pois assim já ficamos a perceber a utilidade da sua contratação...

famalicao.jpg

 

 

Hoje giro eu - Eu show Battaglia

Battaglia sobre o Sporting:

  • "Quando soube do Sporting disse ao meu empresário para esquecer todos os outros clubes"
  • "Jogar em Alvalade era um sonho"
  • "Vim para o Sporting pelo projecto do clube e pelo meu próprio projecto de carreira"
  • "Jogar no Sporting, na Champions, ouvir o hino (arrepios)..."

 

Battaglia, filósofo existencialista:

  • "Quantos pessoas pensam diáriamente num homem normal? 20? Em Messi e Ronaldo pensam uns 10 milhões.    Não deve ser fácil ser Messi ou Ronaldo"
  • "Valorizo muito o sacrifício das pessoas normais porque eu sei que sendo também normal, não vivo uma vida normal"
  • "Às vezes tenho vergonha de ser quem sou. Os ordenados no futebol são uma loucura"
  • "Por ser jogador de futebol não sou mais do que ninguém. Quando morrermos, seremos todos iguais"
  • "A vida não é dinheiro. Os jogadores não vivem uma vida real"

 

Battaglia sobre Jorge Jesus:

  • "Quando vemos os adversários reparamos que têm movimentos que são uma clara cópia das ideias de JJ"
  • "Jesus é um treinador muito exigente no aspecto físico, táctico e técnico"
  • "Sou muito mais jogador desde que aqui cheguei"

 

Battaglia sobre Bruno de Carvalho:

  • "Bruno de Carvalho foi o maior responsável por o clube ter atingido este nível de exigência"
  • "O presidente no banco é mais um a torcer por nós, não nos aumenta a pressão e dá-nos força e incentivo"

 

Battaglia sobre o grupo de trabalho:

  • "Estamos todos juntos: argentinos, brasileiros, portugueses..."
  • "Formamos um grupo unido"
  • "Todos remam para o mesmo lado"

 

Ora, digam lá se não é um privilégio ter entre nós, além do jogador, o homem Rodrigo Battaglia? O pacote completo!

 

battaglia.jpg

 

Hoje giro eu - Aggiornamento SPORTING

Não se levanta um tema importante no futebol (e desporto) português como o do "doping" no rescaldo de um jogo que não se ganhou. Isso será sempre visto como ressabiamento, mau perder (no caso, mau empatar) e, como tal, retira oportunidade, seriedade, serenidade e objectividade a uma discussão que, inevitávelmente, um dia terá de ser feita, sobre mais um aspecto que condiciona a verdade desportiva e que desperta dúvidas sobre a forma como está a ser combatido (atente-se nas palavras do canoísta Emanuel Silva).

Por outro lado, estando em cima da mesa o caso dos emails, os vouchers (ambos sob investigação do Ministério Público) e a consolidação do VAR, o qual tem vindo a ser atacado despudoradamente, parece-me que uma comunicação eficaz deveria deixar a Justiça cumprir o seu papel, por um lado, e dar prioridade a debater o mérito para a verdade desportiva da importante reforma que constituiu a utilização do vídeo-árbitro, por outro, sem desenfoque, em vez de ela própria contribuir - pela profusão de temas trazidos à praça pública - para a sua diluição. Isto, em termos de condicionante externa, porque a verdadeira missão de uma Direcção de Comunicação, em conjugação com o Marketing, deveria ser promover o que de bom se faz internamente, nomeadamente a excelência dos nossos atletas e dos seus resultados, o importantíssimo contributo em termos de responsabilidade social e de integração dado pela criação da secção de desporto adaptado, o gabinete olímpico e melhoria das condições de alto rendimento/performance, o crescimento do número de sócios, a promoção do nosso know-how desportivo, social, educativo e organizativo expresso na Academia de Alcochete, a divulgação de verdadeiros Dias do Sporting, com horários dos jogos no Pavilhão João Rocha conjugados com os do futebol profissional no estádio de Alvalade, permitindo maiores afluências de adeptos, de familias, às amadoras e um reforço do espírito #Feito de Sporting, a homenagem sentida e com lugar de destaque a todos os antigos atletas - a cada mês do calendário poderia corresponder o nome de um antigo atleta (nascido nesse mês, Março poderia ser o mês de Peyroteo, por exemplo), englobando um conjunto vasto de iniciativas que permitisse aos sócios e adeptos conhecer melhor a história do clube, o seu ecletismo, com a participação da Sporting TV e do nosso jornal, com eventos no estádio, pavilhão e academia que visássem a adesão dos jovens, mas também de adultos - que com o seu esforço, a sua dedicação e a sua devoção contribuiram para a GLÓRIA desta incontornável instituição chamada Sporting Clube de Portugal.

Por todos os motivos, temos de ser melhores naquilo que depende de nós. Lutar pela equidade, sempre! Mas, sem nos esquecermos do nosso próprio caminho, das nossas referências, da nossa identidade. Ter um discurso positivo, estimulante, inclusivo. Estratégico, não táctico. Visando o longo prazo, não o dia seguinte. Fomentemos a vida leonina entre os adeptos, adaptando-a às necessidades dos tempos correntes, promovamos tudo o que possa conduzir à nossa união, fortaleçamos tudo o que possa contribuir para maior adesão aos estádios, pavilhões e ao seio da nossa familia: o "aggiornamento". VIVÓ SPORTING !!!  

 

Olheiro de Bancada - XI

Sei que estou ligeiramente atrasado neste rubrica. Todavia ontem à noite estava longe de Lisboa, vi o jogo pela televisão mas sem qualquer acesso à Interb«neet. Desde já as minhas desculpas aos leitores.

Mas pronto... após este empate, que para mim soube a derrota, se bem que o ano passado tívessemos perdido em casa com esta mesma equipa, venho mui humildemente perguntar a todos os sportinguistas qual foi o melhor jogador leonino na partida de ontem à noite?

Aguardo com expectativa as vossas respostas.

Saímos vivos (mais ou menos)

Lá terminou o ciclo terrível iniciado no fim de Setembro (incluindo um jogo com o Barcelona, dois com a Juventus, um com o Porto e outro com o Braga) e terminou como começou: com um empate merdoso.

Mas não foi tudo mau: fizemos a tal "gracinha" frente à Juventus, "despachámos" o Rio Ave e o Chaves (quer dizer, no caso do Rio Ave não foi bem despachar) e aguentámo-nos sem perder com o Porto, quatro dias depois de jogar com o Barcelona. As coisas melhoraram, mas o padrão do Jorge Jesus não se alterou: "bater o pé" aos grandes da Europa, mostrar dificuldades com os pequenos, chegar para os grandes de cá e mostrar dificuldades com os semi-grandes de cá.

No final, saímos vivos das três competições que interessam: campeonato, Liga dos Campeões/Liga Europa e Taça de Portugal. Vivos, mais ou menos: dos titulares, qualquer dia só sobra o Rui Patrício sem lesões musculares. Felizmente, a coisa pára agora duas semanas. Esperemos que chegue para limpar o estaleiro.

Olheiro de Bancada - X

Ai, ui, safa, bolas, xiiii, gooooooolo e finalmente ufa.

Estas interjeições foram hoje sobejamente utilizadas, segundo sei e imagino.

Estou longe e sem possibilidade de ver o jogo mesmo na televisão. Mas tudo isso não impede de regressar aqui e perguntar aos sportinguistas, repito aos sportinguistas, qual foi o nosso melhor jogador nesta dificílima vitória em Vila do Conde?

Calculo uma enorme confluência de ideias e atletas. Mas vou aguardar pelas respostas dos meus amigos.

 

 

Silêncio ensurdecedor!

Vou a Alvalade há muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuitos anos.

De quando em vez lá temos que fazer um minuto de silêncio. Que eu sempre respeito.

Normalmente as claques não. Erradamente, afirmo eu!

Mas ontem o estádio ficou em silêncio durante 1 minuto. Todos. Sem excepção.

Acreditem que até me arrepiei ao escutar o silêncio de mais de 42 mil vozes.

Obrigado Sportinguistas!

Desta vez é diferente?

Os dois anos e tal que já leva o Sporting de Jorge Jesus deixam-me sempre um pouco desconfortável: joga suficientemente bem para "bater o pé" aos grandes da Europa (Real, Borussia, Barcelona) mas perdeu sempre; revela com demasiada frequência dificuldades incríveis com os pequenos da nossa liga e às vezes fraqueja com os semi-grandes (Braga, Guimarães...); o único nível em que parece à vontade é contra os grandes da nossa liga: em todos os jogos contra Benfica e Porto, só no último contra o Porto pareceu inferior. Acresce uma aparente dificuldade em equilibrar o esforço entre competições europeias e nacionais. Não é um padrão que descanse.

Será que é hoje que tudo vai começar a mudar? Ganhar à Juventus (ou pelo menos empatar), depois limpar o Chaves e o Rio Ave, pronto para voltar a fazer uma graça à Juventus e acabar a ganhar ao Braga?

Acarditemos

Tudo ao molho e FÉ em Deus - Respirar por um(a) Palhinha foi suficiente para pôr Ordem na Malta

Podence e muito Palhinha foram suficientes para bater a briosa equipa da antiga vila pertencente à Ordem de Malta. Destaque ainda para um Leão (Rafael) que marcou na estreia.

Do outro lado, o treinador oleirense, Natan (do hebraico, Nathan) Costa, aproveitou o "presente de Deus" que foi o mediatismo provocado pela visita do Sporting para suscitar importantes temas como a desertificação do interior do país, de uma forma simples e sintéctica.

Agora, ponham-se "a pau": quarta-feira há jogo de Champions, em Turim, contra a "velha senhora". Eu estou confiante. Afinal, o lema "FIAT na virgem e não corras" não pode ser aplicado a uma tão provecta anciã...

 

oleiros.jpg

 

 

 

Marcar o ponto

Pasmaceira, estes quinze dias.

Houve uma assembleia geral do Sporting no sábado que foi notícia por ter sido mais uma vez pacífica e os sócios terem respeitado a integridade do mobiliário, que custa dinheiro e já sabemos como o dinheiro é bem controlado no Sporting, portanto os sócios tratam de respeitar o património do Clube.

Um sócio, consta, teve um ataque de flatulência e o presidente acorreu a ligar a ventoinha, esquecendo-se que podia o Paulinho fazer esse trabalho.

As nossas claques continuam legalizadas e dentro do possível a portar-se dentro da legalidade.

Não há notícia de possíveis castigos a quaisquer dos nossos jogadores.

Jorge Jesus estará calado neste tempo todo e com tempo para pensar na táctica e "Dála" aos seus avançados.

Decorrem as renovações dos contratos de Podence e Palhinha, a bom ritmo.

A selecção vai fazer dois jogos que espero que vença, claro está, e não se passará nada de mais relevante.

Tudo calmo deste lado da rua, portanto.

Entusiasmos

Acho que tenho de discordar do grande entusiasmo da nação sportinguista com a exibição frente ao Barcelona. Não que não tenha sido uma bela exibição, mas esse é o problema dos jogos contra o Barcelona ou o Real Madrid ou outra equipa do género: a exibição das nossas vidas quase nunca basta diante delas; elas têm recursos que nós não temos e, quase invariavelmente, conseguem arranjar maneira de ganhar (se não é pelos jogadores, que são melhores, é pelo complexo de inferioridade, que aparece sempre num ou noutro momento, ou então é pelos árbitros, que gostam de lhes estender o tapete). O jogo do Barcelona está dentro de um ciclo, que começou de maneira horrorosa contra o Moreirense e só termina no domingo, contra o Porto. Ora, por ter "batido o pé" ao Barcelona, por ter jogado "olhos nos olhos", a equipa vai chegar a domingo mais cansada (porque o jogo do Porto com o Mónaco não foi tão cansativo) e com menos um dia de descanso. Esse jogo é que era para tentar ganhar com todas as nossas forças, e não as vamos ter. Assim como era para ganhar mesmo contra o Moreirense. Até agora, isto está muito parecido com o ano passado, quando"batemos o pé" ao Real, jogámos "olhos nos olhos", e depois fomos perder escandalosamente com o Rio Ave por 3-1. A redenção deste ciclo está, portanto, no jogo com o Porto. Lembro-me bem quando, há três anos, "batemos o pé" ao Wolfsburgo (então uma das melhores equipas da Europa) e, no jogo imediatamente a seguir, fomos perder 3-0 às Antas, visivelmente por exaustão da equipa. Só espero que desta vez sobrem as forças. Felizmente para o meu coração, não vou poder ir ao estádio, por ter sido convocado para uma mesa de voto: durante o tempo em que decorre o jogo, devo estar a contar votos. Acho que vou ter uma boa surpresa no fim.

Confronto de escolas

O embate de hoje à noite colocará frente a frente duas das melhores escolas de futebol do mundo. Ideal seria ter também o Ajax no grupo para se ver o que melhor se faz em termos de formação, na Europa. De um lado, a Academia de Alcochete (irmã mais nova e vistosa das escolas de formação do Sporting) e de outro, a mítica La Masia. Nos onzes previsíveis, entrarão em campo, pelo Sporting, três homens – Patrício, William e Gelson – formados na Academia e seis – Piqué, Alba, Busquets, Iniesta, Messi e Deulofeu- formados em Barcelona. No plantel do Sporting moram um total de oito futebolistas formadas nas escolas do clube. Igual número de meninos da La Masia integra o plantel do Barça.

Claro que ao longo da história dos dois clubes há diferenças gigantescas. A partir dos anos 90, o Sporting tornou-se incapaz de segurar os seus craques, à falta de capacidade económica e sobretudo de não jogar numa das ligas de topo do futebol europeu. Seria impensável manter nos quadros homens como Ronaldo, Figo, Nani, Moutinho, Simão ou Quaresma, mesmo que alguns tenham acabado por fazer carreira em Portugal, pelos rivais. Já o Barcelona não tem grandes problemas em manter Messi, Iniesta e outros craques, vendendo apenas quem quer (salvo raras exceções). Esta situação confortável permite que os miúdos formados na academia local cresçam com os ensinamentos do bom futebol e que o possam aplicar de imediato, assim que chegam à equipa principal.

Mas, se pensarmos no panorama do futebol nas últimas duas décadas, o Sporting formou os bolas de ouro Ronaldo e Figo, para além de monstros como Futre e outros já citados. O Barcelona acabou de formar Messi e deu ao mundo a fabulosa dupla Xavi-Iniesta. Não me parece que percamos com a comparação.

No que toca a negócios entre os dois clubes, o Sporting foi vendendo, nos últimos anos jogadores ao Barcelona. Simão Sabrosa e Ricardo Quaresma saíram para Camp Nou. Percurso inverso fizeram homens como Rochemback, Jeffren e já este ano, Mathieu.

Devido ao seu belo trabalho nas camadas jovens, ambas as equipas municiam as suas seleções. Piqué, Xavi e Iniesta foram chave das conquistas espanholas em 2010 e 2012, como Patrício, Fonte, William, Ronaldo ou Nani o foram no Euro 2016.

Há algumas semelhanças entre os dois gigantes mas bem sabemos que o poderio económico do Barcelona e a inclusão numa das mais poderosas ligas do mundo fazem a balança pender para o Barça. O que não nos impede de sonhar com um bom resultado e com golos que podem ter sido aprendidos em qualquer escola do mundo.

Olhar para a frente

O Sporting empatou e está a dois pontos do líder. Preferia, claro, uma vitória em Moreira de Cónegos mas parece-me que estamos longe de estar em crise. Temos seis vitórias e um empate na liga portuguesa. E não deixemos que comecem a crucificar jogadores nossos. Alan Ruiz é o mesmo do ano passado: muita técnica mas pouca velocidade. Dará jeito nuns jogos mas com Fernandes e Doumbia em forma, dificilmente será titular. O que não quer dizer que não venha a ser útil. Concentremo-nos agora na série que temos pela frente: Barcelona, FC Porto e Juventus. Bem sabemos que nos tentarão derrotar mesmo antes de entrar em campo (curiosa entrevista de um ex-jogador de um rival hoje). Bem sabemos que será difícil somar três vitórias nestes jogos. Mas temos a obrigação de nos concentrar e tentar o melhor resultado possível. Já não somos aquela equipa frágil que foi goleada pelo Bayern. Faremos esta semana um bom jogo e entraremos em campo com garra. Não prometo uma vitória ou sequer um empate. Poucas são as equipas que não perdem com o Barcelona e não há tática que resista a Messi mas temos que dar uma boa réplica. Dias depois temos que tentar tudo para vencer o FC Porto e chegar ao primeiro lugar. Pelo cinismo, é a Juventus a equipa que mais “medo” me mete. Mas acredito que também nesse jogo tudo faremos para vencer.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D