20 Fev 17

Os meus colegas de blogue e os nossos leitores revelaram excesso de optimismo nos prognósticos feitos para o Sporting-Rio Ave. Vários deles previram uma goleada, mas isso voltou a não andar nem lá perto.

Esperemos que na próxima jornada haja melhor pontaria. Não só aqui, entre nós, mas sobretudo no campo.


comentar ver comentários (5)
19 Fev 17
Jesus vs.Jesus
Luciano Amaral

Ainda bem que ontem Jorge Jesus enfrentou o Jorge Jesus do Norte. Assim, para desenjoar, ganhámos à Tondela ou à Benfica, em vez de perdermos à Sporting, que é sempre muito bonito mas ainda mais deprimente.


comentar ver comentários (4)

2017-02-18 22.40.51.jpg

 

Gostei

 

Dos três pontos. Vitória arrancada a ferros frente a um Rio Ave que nos tinha vencido na primeira volta e que não mereceu perder em Alvalade. Vitória apertada e tangencial, por um tímido 1-0. Foi o melhor que se arranjou, com bastante sorte, em noite de desempenho medíocre da turma leonina.

 

De Rui Patrício. Foi o melhor jogador em campo e o herói da sofrida vitória do Sporting nesta partida em que vestiu pela 400.ª vez a camisola verde e branca enquanto profissional, num percurso iniciado há dez anos. Fez defesas soberbas, sobretudo nos primeiros 25 minutos, impedindo pelo menos quatro vezes o Rio Ave de marcar. No final foi alvo de uma expressiva homenagem dos adeptos presentes em Alvalade. Homenagem mais que merecida.

 

De Alan Ruiz. Voltou a marcar, num golo de ressalto após uma soberba jogada de Gelson Martins. Iam decorridos apenas 20', totalmente contra a corrente do jogo, quando o Rio Ave dominava. O golo abriu expectativas que não se concretizaram. Mas o argentino voltou a ter uma exibição positiva, abrindo linhas de passe para os colegas e revelando uma dinâmica muito superior à das suas semanas iniciais em Alvalade.

 

Que não tivéssemos sofrido golos. Desde o desafio no estádio do Restelo, em que vencemos o Belenenses por 1-0, não chegávamos ao fim dos 90 minutos sem sofrer golos. Voltou a acontecer quase dois meses depois (a nossa visita a Belém ocorreu a 22 de Dezembro).

 

 

Não gostei

 

Da exibição leonina. Prestação medíocre do Sporting, ressalvando-se o caso de Rui Patrício. O onze de Jorge Jesus mostrou-se abúlico, triste, sem dinâmica nem chama. Parece uma equipa em pré-temporada, com escasso fio de jogo e deficientes ligações entre vários dos seus membros. Foi talvez o pior jogo do SCP em casa nesta época oficial, como de resto as bancadas iam sublinhando com assobios e vaias. Mau espectáculo, mau desempenho, más perspectivas para o resto da temporada.

 

Dos primeiros 25 minutos. O Rio Ave esteve imparável no período inicial da partida, em que podia ter-se adiantado com larga vantagem no marcador. Valeu-nos Rui Patrício para travar o ímpeto ofensivo da equipa de Vila do Conde.

 

De Jefferson. Não têm conta os passes falhados, as bolas transviadas, as jogadas sem pés nem cabeça congeminadas pelo lateral brasileiro, que fez perder definitivamente a paciência aos adeptos leoninos. Este Jefferson 2016/17 nem na equipa B tem lugar.

 

De Schelotto. Ataca razoavelmente, centra com relativa precisão mas é um susto a defender. Desposicionado, sem capacidade de recuo, sem conseguir desequilíbrios, força pelo menos um dos centrais a estar sempre de sentinela para atenuar os estragos. Voltou a acontecer nesta partida.

 

Da entrada tardia de Podence. Depois de se ter revelado um dos melhores elementos em campo na jornada anterior, desta vez só entrou aos 65'. Devia ter jogado mais tempo, até porque voltou a mexer com o jogo, ao contrário do que sucedeu com o primeiro suplente utilizado, Bryan Ruiz, que não adiantou nem atrasou - como de resto já estamos habituados.

 

Da lesão de Adrien. Tocado com gravidade duas vezes, à segunda o nosso capitão viu-se forçado a abandonar o campo. Não disputará a próxima partida, no Estoril - da qual já estava aliás afastado por acumulação de cartões amarelos.

 

Das contas erradas. É um absurdo os altifalantes do estádio anunciarem em parangonas bem sonoras a presença de 40.053 pessoas nas bancadas, como desta vez aconteceu, quando qualquer espectador presente em Alvalade percebia que este número estava longe de bater certo.

 

Fotografia minha, tirada esta noite em Alvalade


comentar ver comentários (64)
16 Fev 17

O Sporting recebe o Rio Ave este sábado, a partir das 20.30, esperando nós que possa redimir-se da derrota sofrida no estádio dos Arcos na primeira volta, quando iniciámos um inesperado percurso descendente. Como se os jogadores estivessem fartos de mostrar bom rendimento em campo após o malogrado brilharete frente ao Real Madrid.

Bruno Esteves será o árbitro desta partida, em que teremos pelo menos dois jogadores à queima com amarelos: Adrien e Bruno César.

Quais são os vossos prognósticos?


comentar ver comentários (56)
10 Nov 16
Capucho despedido
Pedro Correia

Foi má ideia teres ganho ao Sporting, Nuno. A partir do dia 18 de Setembro foi sempre a descer.


comentar ver comentários (48)
20 Set 16

Vaticínios não faltaram. E não faltou sequer quem antevisse uma goleada do Sporting em Vila do Conde. Infelizmente a realidade foi bem diversa: ninguém acertou no resultado deste desafio, em que registámos a primeira derrota na Liga 2016/17.

Primeiro palpite em branco, portanto. Vai seguir-se outro, não tarda nada.


comentar ver comentários (5)

"Neste momento o Sporting Clube de Portugal é um “corpo” coeso, único, sólido, que caminha num só sentido, que luta pelos mesmos ideais e que tem um só projecto: ser sempre o Grande Sporting Clube de Portugal! Sabemos honrar o nosso passado, construir o presente e juntos iremos conquistar o futuro. Nós, os mais de 3,5 milhões de sportinguistas que, mesmo por vezes feridos, nunca deixaremos de ser o Rei da selva. E que selva ainda é o desporto português."

"Depois de fazer tremer o Santiago Bernabéu, um jogo menos conseguido onde uma primeira parte com 15 minutos de desconcentração colectiva ditou uma inesperada derrota. O Rio Ave, pela eficácia nesses 15 minutos, mereceu vencer. Também tenho de deixar um registo positivo para a equipa de arbitragem que fez um bom trabalho."

"Sexta-feira vamos encher Alvalade!"

"Este ano estamos na luta em todas as frentes e TU foste convocado para todas! Porque TU é que dás vida ao nosso Clube!"

 

Excertos da comunicação de Bruno de Carvalho no facebook, ontem, segunda-feira, 19-09-2016.


comentar ver comentários (41)
19 Set 16
O dia seguinte
Pedro Correia

Paulo Alves, A Bola: «13 é o número do azar mas o Sporting apenas se pode queixar de si mesmo para o tropeção com estrondo que ontem deu em Vila do Conde. 13 foi o número de jogos que o leão esteve sem conhecer o sabor da derrota na Liga: ontem não conseguiu passar em casa do Rio Ave, foi surpreendido e totalmente dominado na primeira parte por uma equipa desinibida e ciente do que pretendia fazer.»

 

Pedro Rocha, O Jogo: «O Sporting abanou e, num ápice, encaixou três golos, abrindo caminho para uma vitória incontestável dos vilacondenses. Evaporavam-se assim os elogios granjeados na última partida da Liga dos Campeões e a tal possibilidade de repetir um início de campeonato tão bom como em 1993/94, sob o comando de Bobby Robson, com cinco vitórias seguidas.»

 

Rui Dias, Record: «Nada fazia prever o que ontem sucedeu em Vila do Conde, onde o Sporting sucumbiu com estrondo numa fase em que a penosa derrota em Madrid estava a ser aproveitada como exemplo da qualidade do futebol exibido. Quatro dias depois de colocar em xeque o campeão da Europa, a equipa de Jorge Jesus sofreu um KO impensável frente ao Rio Ave, que não precisou de um milagre para operar a grande surpresa.»


comentar ver comentários (4)
A margem de manobra
Edmundo Gonçalves

Creio que nestas horas depois do jogo com o Rio Ave ter terminado, já todos dissemos de nossa justiça e dissemos o que nos vai na alma leonina.

Admito que esta derrota talvez nos traga algo de positivo, quanto mais não seja fazer-nos perceber, a alguns de nós mais entusiastas, que não ganharemos(íamos) os jogos todos. E nos faça perceber também que nem sequer é necessário isso acontecer para sermos campeões. Talvez esta derrota venha finalmente colocar as pedras no seu devido lugar, já que me parece que, apesar do que transparece, haja na cúpula uma inversão de papéis que não me agrada absolutamente nada. Essa assumpção de hierarquia deverá, presumo, ter acontecido logo depois do jogo, no balneário. Não haverá o erro comunicacional pós-Guimarães, mas tenho para mim que as consequências serão muito mais devastadoras, ou se quiserem mais consequentes, para não ser tão trágico.

Não gostei que o treinador se tivesse colocado à margem da má exibição da equipa. Ficava-lhe bem assumir a sua quota-parte no estampanço. Jesus tem que aprender que no Sporting somos solidários nas vitórias e nas derrotas e deve-lhe ser dado cada vez mais tempo para estar na academia e menos em frente aos microfones, já que "burro velho não aprende línguas" e será impossível impedi-lo de se "esticar" quando o deixam à solta em frente a jornalistas. 

Assim, é com o "chipe virado", que iremos todos novamente encher Alvalade, na próxima sexta às nove da noite, demonstrar-lhe, a ele e aos jogadores, que o melhor património do Clube são os seus sócios e adeptos, que, alguns deles, fazem das tripas coração para adquirirem o seu lugar no estádio e terem as quotas em dia e não renegam nunca o seu apoio entusiástico ao Clube, nas suas mais diversas modalidades.

E é esta massa anónima, que tão entusiasticamente defende as nossas cores, que merece o empenho de quem está lá dentro, usufruindo do privilégio de jogar num dos melhores clubes do mundo e de, cumulativamente, ser principescamente pago por isso.

Na sexta, não exigiremos mais que o empenho que faltou ontem. A entrega e a clarividência que estiveram arredadas, devem voltar para ficar.

E não se exige menos que uma vitória clara! Assim mesmo: Exigência é uma palavra que nunca poderá andar arredada deste Clube e desta equipa e palmadinhas nas costas e frases inconsequentes como "há que levantar a cabeça", devem ser eliminadas do léxico sportinguista, de vez.

É que, podendo ser campeões sem para isso necessitarmos de ganhar todos os jogos, a margem de manobra é ainda assim curta, num campeonato tão disputado.

Creio que ontem se esgotou o momento parvo a que tinham direito.

Vamos lá a ver se atinamos, pode ser?


comentar ver comentários (12)
18 Set 16
"Mudar o chipe"
Luciano Amaral

Convém mesmo aprender a "mudar o chipe", senão a coisa não vai correr bem.


comentar ver comentários (9)

Foi visível o cansaço após a desgastante partida de quarta-feira, para a Liga dos Campeões, frente ao Real Madrid. Cansaço físico e sobretudo cansaço anímico. Jorge Jesus tentou hoje mexer na equipa, fazendo entrar quatro novos titulares: nenhuma dessas mexidas funcionou. Sem rotinas, os reforços continuam muito aquém daquilo que deles pretendemos.

Frente a um Rio Ave em grande forma, que dominou o meio-campo e as alas ofensivas, esta noite sofremos três golos de rajada e saímos para o intervalo a perder 0-3. Jesus viu-se forçado a fazer duas substituições ao intervalo, o que atenuou o problema mas não o solucionou. Na segunda parte, limitámo-nos a marcar um golo - manifestamente insuficiente para virar o resultado.

Abrindo avenidas para a corrente ofensiva da equipa adversária e claudicando na hora do remate, quase sem conseguir verdadeiras oportunidades de golo, o Sporting sofreu a primeira derrota na Liga 2016/17 e colocou em risco a liderança do campeonato, que vinha assumindo isolado. Jesus tem muitos ajustamentos a fazer, já a pensar na partida contra o Estoril. E não lhe resta muito tempo: esse jogo vai ser já na sexta-feira.

 

............................................................................ 

 

RUI PATRÍCIO (4). Três vezes batido, com responsabilidade no lance do segundo golo, foi uma sombra do que tem sido. Um caso aparente de quebra anímica após o confronto perdido in extremis no Santiago Bernabéu.

SCHELOTTO (4). Corre muito, mas desposiciona-se com frequência e perde a noção do espaço. Sucedeu hoje, uma vez mais, forçando os centrais a acorrer à dobra e a desguarnecer outras zonas. Faltou-lhe estabilidade.

COATES (4). Teve hoje a sua mais pálida exibição desta temporada, com responsabilidades em dois dos golos do Rio Ave: podia ter feito muito melhor. Também falhou nas tentativas de marcar, em lances de bola parada.

RÚBEN SEMEDO (5). O menos mau do nosso quarteto defensivo. Não isento de falhas, soube reagir melhor à adversidade, revelando maturidade competitiva. Tentou marcar, em situações de canto: não conseguiu.

BRUNO CÉSAR (3). Apanhado sucessivas vezes em contra-pé, o vilacondense Gil Dias fez dele o que quis na primeira parte, dominando por inteiro o nosso corredor esquerdo. Também a atacar não foi nada feliz.

WILLIAM CARVALHO (6). Uma das raras exibições a justificar nota positiva. Pelo que fez, sobretudo na segunda parte, em passes longos (12', 72' e 81'). Grande recuperação de bola aos 62'. Pareceu sempre inconformado.

ADRIEN (6). Foi hoje o melhor Leão em campo, apesar de acusar vestígios do enorme desgaste provocado pela partida de quarta-feira. Nunca desistiu de puxar pela equipa, como se verificou em dois grandes passes (42' e 51').

GELSON MARTINS (5). Soube a pouco a prestação do extremo leonino que brilhou no Bernabéu. Embrulhou-se em excesso com a bola e não conseguiu fazer a diferença. Melhor momento: a assistência para o golo. E vão três.

CAMPBELL (2). Sem pressionar à frente, sem se integrar na manobra defensiva, deixou Bruno César isolado na ala. Falta-lhe disciplina táctica - um aspecto a rever com urgência. Foi justamente substituído ao intervalo.

ALAN RUIZ (3). Ainda iludiu os adeptos, parecendo estar de pé quente, com um forte remate aos 8'. Mas apagou-se enquanto segundo avançado e andou perdido no eixo do terreno. Não regressou do balneário para a segunda parte.

ANDRÉ (2). Esgotou a actuação nesta estreia a titular da equipa com um remate bem colocado aos 21'. No resto do tempo em que permaneceu em campo mal se deu por ele. Pressionou pouco e mal. Saiu aos 73'.

BAS DOST (6). Jesus deixou-o no banco. Mas cedo se arrependeu, fazendo-o entrar aos 46'. O internacional holandês cumpriu os mínimos, marcando o nosso golo solitário. O segundo dele em dois jogos consecutivos.

BRYAN RUIZ (5). Substituiu Campbell. Sem brilhantismo, denotando fadiga física, mas com mais competência do que o compatriota. Teve intervenção directa no lance do nosso golo. Mas falhou outro, com a baliza à sua mercê.

MARKOVIC (3). Entrou aos 73', substituindo André. Correu bastante, mas pouco ou nada trouxe de útil à equipa. Viu um cartão amarelo ao tentar cavar uma grande penalidade mesmo à beira do fim.


comentar ver comentários (28)

Não gostei

 

Da derrota em Vila do Conde por 1-3. Primeiro desaire leonino neste campeonato, frente ao Rio Ave, castigando a nossa deficiente organização defensiva e a nossa falta de eficácia ofensiva, sobretudo durante a primeira parte.

 

Que tivéssemos sofrido três golos em menos de 15 minutos. Saímos para o intervalo a perder 0-3. Um castigo pesado mas que reflectia bem a nossa incapacidade para travar os contra-ataques adversários.

 

Dos primeiros 45 minutos. Pela primeira vez na Liga 2016/17 não marcámos na metade inicial do jogo. Com a agravante de termos sofrido três.

 

Da nossa falta de pontaria. Rematou-se bastante, mas quase sempre de forma inócua e denunciada, com escassas oportunidades de golo. Soube a muito pouco.

 

Das bolas paradas. Dos cantos e dos livres nada resultou.

 

Dos nossos corredores defensivos. Bruno César e Schelotto deixaram-se ultrapassar inúmeras vezes pelos extremos contrários na primeira parte. O nosso corredor esquerdo, sobretudo, pareceu uma avenida aberta aos vilacondenses.

 

Das prestações de alguns reforços. Alan Ruiz ainda não rende o que esperávamos, Campbell foi uma nulidade, André esteve muitos furos abaixo do que era necessário, Markovic continua inconsequente. Hoje só Bas Dost - marcador do nosso golo solitário - merece nota positiva.

 

 

Gostei

 

Da melhoria na segunda parte. Campbell e Alan Ruiz não regressaram do balneário após o intervalo, tendo sido rendidos por Bryan Ruiz e Bas Dost. Com vantagem notória para a prestação leonina nos 45 minutos complementares.

 

De Adrien. Melhor jogador do Sporting - um dos poucos que tentaram sacudir a apatia colectiva que se apoderou do onze titular. Combativo, persistente, nunca virou a cara à luta e venceu sucessivos duelos individuais.

 

Dos adeptos. Compareceram em peso em Vila do Conde e não se cansaram de puxar pela nossa equipa, mesmo quando ficou evidente que sairíamos derrotados.

 

Do Rio Ave. Jogou muito melhor do que o Sporting. Mereceu a vitória.


comentar ver comentários (11)

O jogo de hoje, até agora, parece o Benfica vs. Sporting do ano passado.

Com o Sporting a fazer de Benfica e o Rio Ave a fazer de Sporting.

Afinal, não...

Faltam cerca de dez minutos para terminar o jogo e o Sporting já conseguiu fazer fora, aquilo que o Benfica não conseguiu fazer em casa... marcar um golo.

Tags: , ,

comentar ver comentários (27)
WTF
Edmundo Gonçalves

A perder por três ao intervalo?

Trocámos os jogos?


comentar ver comentários (4)
16 Set 16

Depois do emocionante embate da Liga dos Campeões, com a excelência do futebol leonino bem patente no Santiago Bernabéu, regressa o campeonato nacional. Com o Rio Ave-Sporting a disputar-se domingo, a partir das 20.15, estando a arbitragem a cargo de João Pinheiro.

Quais são os vossos prognósticos para este jogo?


comentar ver comentários (82)
25 Abr 16

Então hoje não há gracinhas com aquele Vilas Boas que atirou um espectacular petardo à barra da sua própria baliza, que acabou por funcionar como assistência para o golo do Benfica? O mesmo que, numa jogada de possível perigo do Rio Ave ao pé da baliza do Benfica, foi expulso, acabando logo com o jogo ali?

 

Oiça, se eu fosse presidente do Rio Ave nunca mais deixava este jogador jogar. Oiça, se eu mandasse nisto, este homem era irradiado do futebol.

Tags: ,

comentar ver comentários (23)
20 Abr 16
Imaginem que ...
Francisco Vasconcelos

Éramos como o nosso rival e comprávamos os bilhetes todos de uma bancada do estádio do dragão. Podemos começar a juntar, tipo missão pavilhão.


comentar ver comentários (57)
10 Fev 16

Outra jornada em branco nestes nossos palpites: ninguém conseguiu prever o empate a zero entre o Sporting e o Rio Ave.

Espero que a pontaria dos meus colegas de blogue e dos nossos leitores ande a partir de agora mais afinada do que a dos avançados leoninos no desafio da passada segunda-feira.


comentar ver comentários (20)
08 Fev 16

Para início de conversa, Xistra não teve nada a ver com este resultado!

Terá sido de quê então, este apagão geral esta noite em Alvalade? Sim, hoje assistimos talvez ao pior jogo da época e até exagerando um pouco, o único que esteve ao seu verdadeiro nível foi o nosso guarda-redes.

Há dias assim, todos têm direito a um dia mau, mas nós já vínhamos avisando para as primeiras partes de avanço e hoje, contra uma equipa presa por arames (os homens estavam mesmo rotos), vimos uma exibição desleixada mais uma vez e depois na segunda parte o que costuma funcionar, hoje não apareceu.

Juro que não é malapata, mas aos 2 minutos William tinha já falhado três passes. Pergunta ingénua: Se o rapaz precisa (e já percebemos que precisa) de ganhar confiança, que tal começar sem ele, e quando estivermos a ganhar colocá-lo em campo? Portanto, não será de começar com Aquilani e deixar de obrigar o capitão a (continuar a)  jogar por dois? Isto sou eu, que de bola percebo pouco...

Há também o colombiano que finge que está em campo. Hoje esteve lá dentro 60 minutos a mais.

E hoje não houve João Mário!

O Barcos é capaz de ser reforço, mas não será avisado que esteja na área, ao invés de ser ele a fazer os centros? Eu sei lá... Não teria sido melhor, para essa tarefa, o Mané?

Gostei do Coates e gosto do Semedo. Chamem-me maluco, mas se se lembram de Beckenbauer, pode estar ali alguém parecido; Gosto de centrais que sabem sair com a bola redonda e Semedo parece saber tratá-la com mimo. Aposto que rapidamente roubará o lugar a Oliveira, assim continue com juizinho.

E depois, não foi só hoje, há a situação das bolas paradas: É confragedor ver perder possibilidades infinitas de poder causar perigo aos adversários. Não quero ser injusto e posso estar enganado, mas o último golo de livre que me lembro de ver em Alvalade foi marcado por Jefferson, no longínquo reinado de Leonardo Jardim. Os cantos então, eu acho que os adversários até deixam a bola sair propositadamente pela linha de fundo... Que tal experimentar alguém que tenha potência de remate, a ver se a coisa bate em alguém e que entre, por acidente?!

Bom, adiante, que estamos aqui para apoiar e como alguém comentou no "rescaldo" do Pedro Correia, já estivemos atrás e demos a volta. Hoje foi apenas um precalço, a vida continua na Madeira!

Ah! Não esquecendo de responder à pergunta, eu acho que foi "de quê". Tem a palavra Jesus.


comentar ver comentários (29)

Não gostei

 

Do 0-0 em Alvalade. Foi o nosso quarto empate em 21 desafios do campeonato e o nosso terceiro jogo sem golos. Frente ao Rio Ave, perdemos esta noite dois pontos que poderão fazer-nos muita falta.

 

Da falta de soluções atacantes. O Sporting pressionou muito, sobretudo na segunda parte, mas nunca conseguiu libertar-se do espartilho defensivo da equipa adversária nem encontrar soluções eficazes no último remate à baliza vilacondense, onde brilhou o guardião Cássio. Atacar muito nem sempre significa atacar bem. Foi o caso.

 

Dos golos desperdiçados. Contabilizei pelo menos quatro: Bryan Ruiz aos 12', João Mário aos 37', Slimani aos 58' e Gelson Martins aos 82'.

 

De ver Slimani pelo segundo jogo consecutivo sem marcar. O argelino tentou mas voltou a não conseguir, como já tinha acontecido na jornada anterior, frente à Académica.

 

De Teo Gutiérrez. Continua a transmitir a sensação de se articular mal com os colegas e tarda em conseguir automatismos, por culpa própria. Não fez esquecer o compatriota Montero, longe disso.

 

Da lesão de Paulo Oliveira. O nosso defesa central regressou ao onze titular, após um jogo de castigo, mas abandonou o campo aos 51', devido a um problema muscular. Junta-se assim a Tobias Figueiredo, Ewerton e Naldoo no estaleiro de Alvalade. Começa a ser preocupante esta "epidemia" de lesões na defesa leonina.

 

Da ausência de Jefferson. O brasileiro, também lesionado, fez-nos falta. O holandês Marvin, seu substituto, teve bons apontamentos mas sem chegar ao nível dos primorosos centros do colega.

 

Da arbitragem. Artur Soares Dias teve um bom desempenho que merece ser assinalado.

 

Que tivéssemos deixado aproximar o Benfica na classificação. Continuamos na frente, mas agora em igualdade pontual com os nossos velhos rivais.

 

 

Gostei

 

De Adrien. No dia em que foi anunciado o prolongamento do vínculo contratual que o liga ao Sporting, o nosso capitão voltou a ser uma mais-valia - para mim, o melhor em campo. Teve dois bons remates, aos 26' e 90'+1', que forçaram o guarda-redes Cássio a defesas muito apertadas.

 

De Rui Patrício. Voltou a confirmar que é o melhor guarda-redes português da actualidade com um par de excelentes defesas, aos 24' e 45'+1'.

 

De Coates. Estreia absoluta do internacional uruguaio, que chegou a Alvalade oriundo do campeonato inglês. Revelou segurança e precisão de passe. Chegou a aventurar-se sem temor por zonas ofensivas, como sucedeu aos 31', num vistoso lance individual que abriu a nossa frente de ataque.

 

De João Pereira. Está a fazer uma óptima temporada, voltando a revelar boa forma nesta partida. Fez dois centros que poderiam ter dado golos: o primeiro aos 58', desperdiçado por Slimani; o segundo aos 75', a que Barcos não deu a melhor sequência.

 

De Rúben Semedo. Jorge Jesus mandou-o entrar em campo com carácter de urgência face à lesão de Paulo Oliveira. O defesa da nossa formação - que também sabe jogar a médio - deu boa conta do recado com uma exibição confiante e personalizada. Grande recuperação de bola aos 81', confirmando que o treinador pode confiar nele.

 

Da estreia de Barcos. O avançado argentino que veio da China saltou do banco aos 60'. Um quarto de hora depois fez o primeiro remate à baliza, de cabeça. É cedo para tirar conclusões mas já se percebeu que é um jogador que procura o golo. Só foi pena que não marcasse.

 

Do apoio incansável das bancadas. Quase 40 mil vozes vibrantes a puxar pelo Sporting. Os adeptos continuam a acreditar nesta equipa, como hoje ficou novamente demonstrado.

 


comentar ver comentários (136)
06 Fev 16

A jornada 21 da Liga 2015/16 encerra segunda-feira, às 19 horas, com o Sporting-Rio Ave, arbitrado por Carlos Xistra.

Quais são os vossos palpites para este jogo?


comentar ver comentários (48)
16 Set 15

Houve vários prognósticos correctos no resultado do Rio Ave-Sporting. Aqui ficam cinco nomes ilustres que revelaram boa pontaria: Basco, "o Leão"; Cristina Torrão; Gato Preto; Mauro Rebelo; Sam; SCPSempre.

Aplicado o critério de desempate, registaram-se três vencedores: Mauro Rebelo, Gato Preto e SCPSempre (que anteciparam o golo marcado por Slimani) e Sam (que acertou no golo de Adrien, vaticinando igualmente que seria apontado de grande penalidade).

Parabéns a todos. E até à próxima ronda de prognósticos.


comentar ver comentários (4)
13 Set 15

Mais uma vitória do Sporting fora de casa: a quarta, em três jornadas. Contra um Rio Ave a dar muito boa réplica.

Vitória construída ainda na primeira parte, com golos de Adrien (o segundo que marca de penálti nesta Liga 2015/16) e de Slimani, novamente com uma grande exibição: o argelino foi a grande figura deste encontro.

Jorge Jesus apostou pela segunda vez consecutiva em Esgaio como titular da lateral direita e fez Aquilani jogar no lugar de João Mário, já a pensar no desafio de quinta-feira para a Liga Europa - certame em que o médio da nossa formação ficará de fora por ter recebido um duro castigo disciplinar: três jogos de suspensão.

Trememos um pouco na segunda parte, mas não caímos. O Sporting soma e segue, a par do FCP e à frente do SLB.

 

..........................................................................

 

RUI PATRÍCIO (6). Atento. Revelou agilidade e rapidez de reflexos com boas defesas aos 16' e 30'. E também na reposição de bola: aos 64' lançou um fulgurante contra-ataque passando a bola com a mão a Carrillo. Sem culpa no golo sofrido.

ESGAIO (6). Desembaraçado. Rendeu João Pereira pelo segundo jogo consecutivo e cumpriu a missão que lhe estava destinada, sobretudo nas acções ofensivas, combinando bem com Carrillo. No golo do Rio Ave, Yazalde saltou mais alto que ele em posição letal.

PAULO OLIVEIRA (7). Pendular. Totalista até agora em todos os confrontos desta temporada, voltou a fazer uma exibição de indiscutível classe, em articulação com Naldo. Bom corte aos 61'. Interceptou uma bola muito perigosa aos 81'.

NALDO (6). Concentrado. Passou por mais apuros do que o seu colega do eixo da defesa, sobretudo na segunda parte. Viu o primeiro cartão amarelo desde que joga no Sporting, por derrube de Kayembe (52'). Resolve os problemas sem complicar.

JEFFERSON (6). Diligente. Menos influente do que noutros jogos, revelou algum cansaço. Mesmo assim, o segundo golo começou num centro dele. Marcou bem um livre aos 86',contornando a barreira e forçando o guarda-redes adversário a uma defesa difícil.

ADRIEN (7). Angular. Uma vez mais, o patrão da nossa defesa. Jorge Jesus continua a apostar nele como substituto natural do lesionado William. Abriu o marcador com um penálti muito bem apontado (10'): a frieza que revelou é fundamental em alta competição.

AQUILANI (5). Discreto. Jesus lançou-o como titular em vez de João Mário. Mas o italiano pecou por excesso de discrição, passando ao lado da partida. Manteve-se em zonas mais recuadas do meio-campo e deu pouco nas vistas, exceptuando dois ou três passes longos.

BRYAN RUIZ (5). Oscilante. Continua a transmitir a sensação de que joga muito menos do que sabe e não aguenta mais de 60 minutos em campo. Lançado de início no lugar de Carlos Mané, movimentou-se bem na primeira meia hora, mas de forma inconsequente.

CARRILLO (7). Veloz. Fez várias vezes a diferença, graças à sua excelente técnica individual. Tentou um chapéu aos 63' quando viu o guarda-redes adiantado: teria dado um excelente golo. Soberbos passes aos 82' e 87'. Substituído aos 89' por motivos tácticos.

TEO GUTIÉRREZ (6). Dinâmico. Protagonizou algumas das melhores manobras ofensivas do primeiro tempo. Grandes passes para Jefferson (28'), Slimani (34') e Carrillo (42'). Sem tiques de estrela. Mas ainda lhe falta algum pulmão. Deu lugar a Carlos Mané (77').

SLIMANI (8). Eficaz. De novo o matador da nossa equipa. Veloz, combativo, inconformado. E cada vez melhor do ponto de vista técnico, como demonstrou numa acção individual aos 54', ultrapassando vários adversários. Marcou de cabeça o nosso segundo golo, aos 38'.

JOÃO MÁRIO (5). Irregular. Entrou aos 60', rendendo Ruiz. Teve responsabilidade no golo do Rio Ave ao deixar-se bater por Kayembe. Muito bem servido por Carrillo, falhou um golo aos 87': rematou contra o guarda-redes quanto tinha Carlos Mané isolado, à sua esquerda.

CARLOS MANÉ (7). Acutilante. Chamado a jogo só aos 77', ganhou bolas divididas e demonstrou o dinamismo a que já habituou os adeptos leoninos. Excelente passe para João Pereira aos 90'. Fica novamente a sensação de que merece ser titular.

JOÃO PEREIRA (5). Aguerrido. Só cinco minutos em campo: rendeu Carrillo aos 89'. Segundo depois, a passe de Carlos Mané, disparava contra a baliza, forçando o guardião do Rio Ave a defesa muito apertada.


comentar ver comentários (16)

Gostei

 

Da vitória.  Foi o nosso terceiro triunfo fora de Alvalade, à quarta jornada. Num campo muito difícil, contra um Rio Ave bem organizado e com instinto combativo.

 

Que tivéssemos marcado muito cedo. Aos dez minutos já vencíamos. Foi importante adiantarmo-nos tão cedo no marcador.

 

De Slimani. Marcou o segundo golo leonino. E foi sempre um elemento em grande destaque: nunca deu descanso à defensiva de Vila do Conde, conferindo profundidade ao nosso ataque. O melhor em campo.

 

De Adrien. Regressou aos penáltis. E em grande forma. Marcou com uma frieza impressionante, por decisão do treinador, que voltou a apostar nele depois de uma grande penalidade confiada a Aquilani contra a Académica.

 

Da nossa primeira parte. O Sporting começou o jogo da melhor maneira, com boa manobra atacante, revelando sempre superioridade nessa etapa inicial da partida. Não por acaso, chegámos ao intervalo a ganhar 2-0.

 

Da actuação de Hugo Miguel. Pela primeira vez nesta temporada oficial terminamos um jogo sem razão de queixa do árbitro.

 

Da claque leonina. Compareceu em peso no estádio dos Arcos e não cessou de apoiar a equipa do princípio ao fim.

 

Da nossa classificação. Continuamos no topo da tabela, com dez pontos, em igualdade com o FC Porto. Até agora tudo bem.

 

 

Não gostei

 

Da exibição leonina no início da segunda parte. Baixámos demasiado as linhas e demos iniciativa atacante ao Rio Ave.

 

Do exagero do pontapé-para-o-ar na fase final da partida. Foi um jogo emocionante, mas tecnicamente mal disputado no último quarto de hora.

 

De Aquilani. Jogou muito próximo de Adrien como segundo médio defensivo, e muito mais apagado do que o português, o que impediu alguma profundidade do nosso ataque.

 

Que o Rio Ave tivesse marcado. E vão quatro jogos da Liga 2015/16 com golos sofridos. Esperemos que nos próximos desafios as nossas redes permaneçam invictas.

 

Que Carlos Mané tivesse começado no banco. Merecia ter sido titular. Só jogou 14 minutos mas revelou melhor forma do que Bryan Ruiz.


comentar ver comentários (25)
11 Set 15

Vamos lá então saber quais são os vossos prognósticos para o Rio Ave-Sporting, que se disputa no próximo domingo a partir das 19.15, com arbitragem de Hugo Miguel.


comentar ver comentários (80)
26 Mai 15

Desta vez quem acertou foi o nosso companheiro de blogue Edmundo Gonçalvesem cheio no resultado do Rio Ave-Sporting. Boa pontaria em fecho de campeonato!


comentar
23 Mai 15

Gostei

 

De terminar o campeonato com uma vitória. Mais uma, fora de casa - desta vez frente ao Rio Ave. Num jogo que dominámos do princípio ao fim.

 

De Marcelo Boeck. Há três anos que o nosso segundo guarda-redes não alinhava numa partida do campeonato. Cumpriu bem a missão, salvaguardando a nossa baliza. Duas boas defesas, aos 7' e aos 38'. Quase sem trabalho na segunda parte.

 

De Nani. O melhor em campo nesta sua despedida do campeonato. Marcou o golo da vitória, aos 48', com um bom remate de cabeça após cruzamento de Jonathan Silva. Poderia ter marcado logo aos 23', também com assistência do lateral argentino: Ederson, guardião do Rio Ave, evitou o golo com uma aparatosa defesa. Saiu aos 61', sob calorosos aplausos, dando lugar a Tanaka.

 

Da estreia de Wallyson no campeonato. Marco Silva deu-lhe ordem para entrar aos 59', substituindo João Mário. Boa actuação do jovem brasileiro que este ano se destacou no Sporting B: qualidade de passe e eficaz controlo da bola.

 

Da nossa sorte. O desfecho do jogo poderia ter sido diferente. Bastaria terem entrado as duas bolas que o Rio Ave disparou aos postes da baliza leonina, aos 13' e aos 28'.

 

Que Marco Silva tivesse poupado vários titulares. Rui Patrício, Cédric, Paulo Oliveira, Jefferson, William Carvalho, Adrien e Carrillo ficaram de fora já a pensar na final do Jamor frente ao Braga. A prioridade é conquistar a Taça verdadeira.

 

Que o Sporting tenha acabado a Liga 2014/15 com 76 pontos. A nossa segunda melhor pontuação de sempre, apenas ultrapassada pelos 77 pontos que conquistámos ao ser campeões em 1999/2000, sob o comando técnico de Augusto Inácio. Há dois anos, na época do pesadelo, não se foi além dos 42 pontos.

 

De mais uma proeza do nosso treinador. Marco Silva, aos 37 anos, é o mais jovem treinador português a conseguir 50 triunfos no campeonato nacional. Marca atingida hoje, ultrapassando a anterior, alcançada por Paulo Bento aos 38 anos, em 2008.

 

 

Não gostei

 

Da última meia hora. Jogo insípido e bocejante. Com o Rio Ave rendido à derrota muito antes do apito final.

 

Que os nossos três avançados tivessem ficado em branco. Slimani jogou 82 minutos, Tanaka jogou 33 e Montero esteve em campo durante um quarto de hora. Mas nenhum deles marcou. A melhor oportunidade aconteceu aos 45', com um bom cabeceamento do argelino aos 45', na sequência de um canto marcado por Nani.


comentar ver comentários (10)
22 Mai 15

Rio Ave-Sporting disputa-se amanhã, a partir das 18 horas, com arbitragem de Bruno Esteves. Neste último desafio da Liga 2014/15 a nossa equipa deve apresentar-se em Vila do Conde com um onze titular bastante diferente do habitual.

Quais são os vossos prognósticos para este jogo?


comentar ver comentários (44)
25 Jan 15
Yo no creo en brujas...
Edmundo Gonçalves

Pero que las hay, hay...

 

Setubal 4, Rio Ave... 1

Boa noite Pedro Martins.

Tags: ,

comentar
21 Jan 15

Toda a gente elogia, e bem, o jogo "aberto" Sporting - Rio Ave. Percebo, mas ao mesmo tempo não me esqueço da forma primitiva como foram sofridos os dois golos e dos arrepios que causaram as diversas situações em que de um ataque sufocante do Sporting resultavam contra-ataques terríveis do Rio Ave, com situações de três para dois, dois para dois e até dois para um. É assim, e em erros básicos nas bolas paradas, que sofremos os golos todos. Continua a parecer-me que há um controlo da defesa para melhorar.


comentar ver comentários (2)
20 Jan 15

Acertou em cheio, o nosso colega Rui Cerdeira Branco. Só ele previu o resultado do Sporting-Rio Ave, um dos melhores jogos disputados na Liga 2014/15. E, não contente com isso, ainda acertou nos nomes de dois marcadores dos golos da nossa equipa: Montero e Tanaka.

Parabéns, Rui.


comentar ver comentários (4)
19 Jan 15
Analepse
Alexandre Poço

Destoando da época visivelmente abaixo das expectativas, ontem tivemos um William Carvalho à moda do ano passado. Mandão, a errar poucos passes, a controlar o meio-campo, a travar movimentos ofensivos, seguro a preservar a bola e a impor o ritmo. Gostei muito deste regresso ao passado. Que pare no tempo e projecte ontem nos eventos futuros. Bem precisamos. 


comentar ver comentários (1)
É uma injustiça...
Luciano Amaral

A avaliar pela reacção de toda a equipa do Rio Ave ao inequívoco penálti sobre Montero, pergunto-me de quanto era o prémio de jogo ontem. É injusto, afinal um treinador e um jogador também têm de ganhar a vida e têm bocas para alimentar lá em casa. E de quanto terá sido nas Antas, para a sodomização colectiva a que Pedro Martins y sus muchachos foram sujeitos? Como não piaram, é porque gostaram muito.


comentar ver comentários (1)

Foi inusitada, exagerada, injustificada e descabida a reacção dos jogadores do RA à marcação do claro penalti sobre Montero. Teriam ficado a jogar com menos dois.

Mas percebe-se porquê:

É que contra os outros dois grandes não podem reclamar, mesmo quando são claramente roubados!

Contra nós, mesmo sem razão, coitados, extravasam o que lhes vai na alma. Eu até estou em acreditar que eles queriam mesmo ser expulsos, para se vingarem da forma como têm sido tratados...

Até o Pedro Martins, que me parece ter sido sempre bem tratado em Alvalade e no Sporting, aproveitou para dizer que está farto. Fiquei sem perceber se diz que está farto de ser roubado, ou farto de não o poder dizer, tal como os seus jogadores.

Mistérios desta liga tão sui generis...


comentar ver comentários (12)
Unânimes
Pedro Correia

A Bola:

«Minuto 27. Lance entre Prince e Montero na grande área do Rio Ave: o defesa puxa a camisola do avançado e o árbitro assinala grande penalidade. Aceita-se a decisão de Nuno Almeida, pois o puxão na camisola é claro

«Minuto 28. Na sequência da grande penalidade assinalada, Diego Lopes empurra o árbitro e este acaba por mostrar-lhe o cartão amarelo. Muita benevolência de Nuno Almeida, pois a mostragem do cartão vermelho era a punição correcta

 

Record:

«Penálti. Prince puxa a camisola de Montero na grande área do Rio Ave. Boa decisão de Nuno Almeida ao assinalar grande penalidade

«Grave. Vários jogadores do Rio Ave contestaram o penálti, mas alguns excederam-se. Diego Lopes deveria ter visto o cartão vermelho

 

O Jogo:

«Jorge Coroado. Prince foi imprudente, não teve os cuidados devidos, agarrou e travou Montero: falta típica para livre directo, no caso grande penalidade

«Pedro Henriques. Prince, com o braço esquerdo, agarrou e puxou a camisola de Montero, impedindo-o de continuar com a bola. Infracção passível de grande penalidade

«José Leirós. Decidido e corajoso na aplicação da lei. A camisola foi agarrada, Montero puxado, desequilibrado e impedido de prosseguir, não sendo necessário cair para haver falta.»

«Jorge Coroado. Houve pelo menos dois jogadores [do Rio Ave] que não tiveram a atitude mais cordata, inclusive empurraram o árbitro, em gesto expresso e manifesto. Pela lei, o cartão vermelho impunha-se

«Pedro Henriques. Não se trata de protestos, trata-se de jogadores que empurram e dão peitadas no árbitro. Para estas atitudes só há uma solução possível: cartão vermelho

«José Leirós. Houve alguns excessos de jogadores do Rio Ave. Devido a serem muitos, acabaram por confundir o árbitro, mas este devia ter exibido pelo menos um cartão vermelho

 

Conclusões unânimes: o penálti convertido por Nani foi correctamente assinalado e o Rio Ave devia ter jogado com dez a partir do minuto 28.


comentar ver comentários (9)
18 Jan 15

Gostei

 

Do espectáculo em Alvalade. Duas grandes equipas defrontaram-se esta noite no nosso estádio proporcionando uma excelente partida a quem a viu, ao vivo ou através da televisão - sobretudo no segundo tempo, que foi de cinco estrelas. Uma daquelas partidas que fazem do futebol um festival de emoção e beleza.

 

Da nossa vitória. Ainda mais saborosa por ter sido tão disputada. A oitava seguida do Sporting, que só teve uma derrota no campeonato. Alguém aí falou em crise?

 

Dos primeiros 25 minutos da segunda parte. Foi um período em que o Sporting jogou a alta velocidade e com excelente desempenho técnico. Um dos melhores períodos da nossa equipa neste campeonato, justamente premiado com dois golos.

 

De Nani. Um golo marcado (o primeiro, com uma grande penalidade muito bem convertida aos 30') e uma assistência perfeita para outro (o terceiro, cruzando de pé direito para a grande área, onde apareceu João Mário a rematar com sucesso de cabeça). Continua a ser decisivo nos lances de ataque da equipa. Integra-se também no processo defensivo, sem tiques de vedeta.

 

De William Carvalho. Volta a estar ao nível a que nos habituou no ano passado. Uma espectacular recuperação de bola junto à linha final, aos 89', e o cruzamento que fez para Tanaka marcar o quarto golo definem bem a sua raça leonina. Foi crucial, em diversos lances, noutras recuperações e em passes milimétricos, colocando bolas à distância. Foi, para mim, o melhor jogador do Sporting numa partida que valeu mais pela prestação do conjunto do que pelos desempenhos individuais.

 

De João Mário. Melhorou muito de rendimento - como, aliás a totalidade da equipa - no segundo tempo, em que mostrou todos os seus recursos técnicos, nomeadamente a velocidade e o drible. Um período coroado justamente com o golo que marcou. De cabeça, a passe de Nani. Foi o terceiro do Sporting, aos 67'. E talvez o mais decisivo.

 

De Jefferson. Aos 92', já com o Sporting a ganhar 4-2, ainda fez um slalom de 70 metros com vontade de que a equipa ampliasse a vantagem. Outra excelente prestação do nosso lateral esquerdo, que aos 59' fez uma assistência para o segundo golo, marcado por Montero. Muito bem igualmente a defender: impediu dois iminentes golos do Rio Ave com cortes decisivos, aos 25' e aos 80'.

 

Da estreia de Tobias Figueiredo, aos 20 anos. Esteve globalmente bem neste seu primeiro jogo do campeonato nacional de futebol embora algo intranquilo, o que aliás se compreende. Bateu-se com brio mesmo nos momentos em que a nossa equipa se encontrava em inferioridade numérica, o que sucedeu com alguma frequência devido às rápidas incursões de Del Valle, Ukra e Hassan.

 

Da estreia de Ryan Gauld, aos 19 anos. Entrou aos 65', para o lugar de André Martins: outra estreia no campeonato português. Muito aplaudido pelo público, correspondeu da melhor maneira logo a seguir ao iniciar o lance do nosso terceiro golo, fazendo um "túnel" a Ukra e colocando a bola em Nani.

 

De Tanaka. Três golos em três jogos seguidos. Desta vez jogando apenas dez minutos, pois entrou aos 83', para o lugar de Montero. Marcou seis minutos depois, culminando da melhor maneira um lance de bola corrida, à ponta-de-lança. Um desmentido concludente aos que já garantiam que ele só sabia marcar de bola parada.

 

De ver nove portugueses a jogar hoje de verde e branco. Oito deles oriundos da nossa formação: Rui Patrício, Cédric, William, Tobias, João Mário, André Martins, Nani e Carlos Mané.

 

 

Não gostei

 

Da nossa falta de velocidade no primeiro tempo. O Rio Ave pressionou muito bem o Sporting aproveitando o ritmo lento a que os nossos jogadores trocavam a bola.

 

Das oportunidades de golo desperdiçadas. Contei seis do nosso lado. Em alta competição convém não haver tanto desperdício.

 

Dos dois golos na baliza leonina. Terminou assim um ciclo de seis jogos consecutivos sem sofrermos nenhum.


comentar ver comentários (17)
16 Jan 15

Aceitam-se, a partir de agora, os vossos palpites para o Sporting-Rio Ave que vai jogar-se domingo, a partir das 20.15.


comentar ver comentários (44)
08 Ago 14

Parabéns ao Rio Ave por se ter qualificado para o play off de acesso à fase de grupos da Liga Europa eliminando no conjunto das duas mãos o Gotemburgo. O próximo adversário a nível das competições europeias é também sueco: o Elsborg. Entretanto, a nível interno, há outro adversário a transpor...


comentar ver comentários (4)
24 Fev 14
Dois grandes golos
Pedro Correia

 

Revejo com gosto os nossos golos da vitória ao Rio Ave:

1. Excelente, a arrancada de Jefferson: galga todo o corredor esquerdo, deixa para trás o lateral do Rio Ave picando a bola e executa um cruzamento perfeito, lançando a bola em arco, cheia de efeito, a fazer partir os rins ao guardião vilacondense e a solicitar a excelente elevação de Slimani ao segundo poste.

2. Grande passe rasteiro de Carrillo na ala direita a cruzar a área do Rio Ave e a pedir a intervenção de Slimani que no entanto, muito tapado pelos centrais, opta por deixá-la seguir. Aí aparece Carlos Mané, livre de marcações mas já em desequilíbrio, com excelente técnica e apurada visão de jogo num extraordinário remate à meia volta, concretizado no momento exacto sem qualquer hipótese para Ederson.

Sendo os golos a festa do futebol, e tendo o Sporting marcado dois grandes golos que todos festejámos, admira-me (ou talvez não) que certos sportinguistas prefiram falar do que não se fez. Dos passes que falhámos, dos golos que não conseguimos, da goleada que não chegou a acontecer.
Como se em 2012/13 não tivéssemos perdido os três jogos em que defrontámos o Rio Ave. Sob o comando de Sá Pinto, Vercauteren e Jesualdo Ferreira. Marcando apenas um golo e sofrendo seis nessas partidas.

Como se a nossa anterior vitória no estádio de Vila do Conde não remontasse já ao remoto mês de Setembro de 2011.

Como se não estivéssemos hoje muito melhor do que há um ano apesar de termos uma equipa em construção da qual apenas Rui Patrício era titular indiscutível na época de 2012/13, de tão má memória.


comentar ver comentários (8)
23 Fev 14

Desta vez houve dois vencedores. Um cá de casa, outro alguém que recebemos de visita. João Torres e o Luís de Aguiar Fernandes acertaram em cheio não só no resultado mas também num dos marcadores dos nossos dois golos ao Rio Ave: Slimani. Faltou-lhes só prever que o outro golo seria marcado por Carlos Mané.

Felicito também os leitores Diogo Padilha e João Cruz. E também o nosso Alexandre Poço. Os três acertaram igualmente no resultado, embora não nos nomes dos nossos goleadores de serviço em Vila do Conde.

Para o próximo fim de semana há mais.


comentar ver comentários (8)

Autores
Pesquisar
 
Posts recentes

Os prognósticos passaram ...

Jesus vs.Jesus

Rescaldo do jogo de ontem

Prognósticos antes do jog...

Capucho despedido

Os prognósticos passaram ...

"O caminho faz-se caminha...

O dia seguinte

A margem de manobra

"Mudar o chipe"

Facebook
És a Nossa Fé no Facebook
Twitter
És a Nossa Fé no Twitter
Arquivo

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Tags

sporting

comentários

memória

selecção

bruno de carvalho

leoas

prognósticos

jorge jesus

balanço

slb

há um ano

vitórias

campeonato

benfica

jogadores

eleições

rescaldo

arbitragem

mundial 2014

taça de portugal

nós

liga europa

ler os outros

godinho lopes

golos

clássicos

futebol

árbitros

euro 2016

comentadores

cristiano ronaldo

scp

humor

formação

análise

crise

chavões

liga dos campeões

derrotas

william carvalho

todas as tags

Mais comentados
Ligações
Créditos
Layout: SAPO/Pedro Neves
Fotografias de cabeçalho: Flickr/blvesboy e Flickr/André
blogs SAPO
subscrever feeds