20 Mar 17

Augusto Inácio foi o único treinador que conquistou alguma coisa até agora nesta época desportiva em Portugal, levando o Moreirense a vencer a Taça da Liga - primeiro troféu nacional do clube de Moreira de Cónegos.

Apesar disso, os responsáveis do clube apontaram-lhe a porta de saída, de chicote na mão. Preferem Petit, o que diz tudo sobre a forma como encaram o futebol.

São uns ingratos.


comentar ver comentários (50)
16 Fev 17

Regressámos às vitórias fora de casa, mas mesmo assim ninguém acertou na última ronda de prognósticos, que pecaram por excesso de prudência ou por excesso de optimismo.

Esperemos que desta vez, frente ao Rio Ave, a pontaria ande mais afinada.


comentar
12 Fev 17

Num relvado transformado em lamaçal, debaixo de chuva copiosa, o Sporting superou hoje uma prova difícil: regressou às vitórias que lhe fugiam desde 22 de Dezembro (data do triunfo tangencial sobre o Belenenses no Restelo por 1-0), batendo o Moreirense por 3-2. Vitória muito suada depois de termos estado a perder por 1-0 e 2-1, concretizada só no segundo tempo, quando Jorge Jesus decidiu enfim tirar Bryan Ruiz de campo, mandando entrar Podence.

O avançado da nossa formação, no segundo desafio pela equipa principal do Sporting, dinamizou o jogo leonino: quatro minutos depois de entrar rematou em jeito ao poste, possiblitando a recarga de Bas Dost que empatou a partida. Cinco minutos depois seria Adrien a marcar o golo da vitória, culminando uma belíssima jogada iniciada por ele próprio.

O capitão, com este golo decisivo, creditou-se como o melhor em campo. Logo seguido de Podence e de Alan Ruiz, autor do nosso primeiro golo, aos 40'. Três profissionais que remam contra a corrente da apatia e da desconcentração que parece ter contaminado metade da equipa do Sporting - a começar por Rui Patrício, com culpas evidentes nos dois golos da equipa anfitriã.

A sorte desta vez esteve connosco. O Moreirense poderia ter marcado o terceiro, empatando a partida. Felizmente a bola foi à barra e o nosso final acabou por ser feliz.

 

............................................................................

 

RUI PATRÍCIO (4). O que se passa com o nosso guarda-redes titular? Falta de coordenação com Bruno César no primeiro golo sofrido, penálti desnecessário na origem do segundo. Intranquilo, sobretudo quando sai dos postes.

SCHELOTTO (5). Capaz do melhor e do pior. Aos 73', assistiu Adrien no segundo golo com um cruzamento perfeito. Logo a seguir, deixou-se ultrapassar por Dramé num lance que quase originou o terceiro do Moreirense.

COATES (5). Falhou a intercepção da bola no contra-ataque rápido de que resultou o golo inicial da equipa da casa. Várias vezes desposicionado atrás, procurou o golo em bolas paradas à frente, sempre sem sucesso.

RÚBEN SEMEDO (4). Um dos jogadores mais nervosos do Sporting. Perdeu infantilmente a bola quando a conduzia a meio-campo: daí nasceu o primeiro golo do Moreirense. Boateng deixou-o com a cabeça em água.

B. CÉSAR (6). De novo adaptado a lateral esquerdo, teve culpas no primeiro golo sofrido. Redimiu-se com boa exibição posterior. Passe longo, com notável precisão, para Bas Dost aos 40': daí nasceu o nosso primeiro golo.

WILLIAM CARVALHO (5). Não parece o mesmo William. Lento, melancólico, tristonho, sem exuberância. Tentou alguns passes de ruptura, sem grande êxito, e falhou outros em zonas proibidas. Uma sombra do que foi.

ADRIEN (7). Protagonista da melhor jogada do desafio, iniciada e concluída por ele. Resultou no golo da vitória leonina, aos 73'. Sempre inconformado, sempre combativo, sempre a abrir linhas de passe. O melhor em campo.

GELSON (6). Muito marcado, teve um adversário suplementar: o péssimo estado do terreno, que não o deixou mostrar os seus dotes de virtuoso. Aos 37', ia marcando de cabeça: grande defesa do guardião do Moreirense.

BRYAN RUIZ (4). Pálida exibição do internacional da Costa Rica. Com ele na ala esquerda, o caudal ofensivo do Sporting foi lento e previsível. Pareceu desconcentrado e sem energia anímica. Jesus mandou-o sair aos 64'.

ALAN RUIZ (7).  Voltou a ser titular. E mereceu. Foi o melhor jogador leonino da primeira parte. Exibição coroada com um golo aos 40'. Demonstrou capacidade de luta, fez passes com precisão cirúrgica. Substituído aos 80'.

BAS DOST (7). Continua a facturar. Hoje marcou mais um - o segundo golo do Sporting - e reforçou a posição como rei dos goleadores na Liga. Antes já tinha feito a assistência para o golo de Alan Ruiz. Cada vez mais útil.

PODENCE (7). Entrou aos 64', substituindo Bryan Ruiz. E logo o rendimento global da equipa melhorou. Rematou ao poste, aos 67', possibilitando a Bas Dost a recarga vitoriosa que gerou o segundo golo. Grande desequilibrador.

ESGAIO (5). Entrou aos 80', substituindo Alan Ruiz e possibilitando o adiantamento de Bruno César. Cumpriu o essencial da tarefa, fechando a lateral esquerda leonina. Era o momento de reter a bola e segurar a vitória.

PALHINHA (-). Entrou já no tempo extra, substituindo Bruno César. Ainda a tempo de fazer uma vistosa recuperação de bola. Dois minutos que o treinador lhe proporcionou, desta vez com o guião correcto.


comentar ver comentários (10)

Gostei

 

Do regresso às vitórias. Pela primeira vez em 2017 chegamos ao fim de um jogo com os três pontos somados. Após cinco desafios consecutivos sem vencer, em mais do que uma competição, batemos esta tarde o Moreirense por 3-2.

 

De Bas Dost. O holandês marcou o segundo golo leonino, aos 68'. Foi o 17.º dele, só para o campeonato. Reforça a liderança dos goleadores na Liga 2016/17, parecendo cada vez mais bem colocado para alcançar o título de rei dos marcadores.

 

De Alan Ruiz. Voltou à titularidade, com todo o mérito. Tal como já devia ter acontecido na jornada anterior, disputada no estádio do Dragão. Acutilante, combativo, com excelente visão de jogo. Foi dele o primeiro golo do Sporting, apontado aos 40'. Confirma-se em absoluto: o argentino é mesmo reforço.

 

De Adrien. Protagonizou o melhor momento do desafio no decisivo lance do nosso terceiro golo, iniciado e concluído nos pés dele - primeiro numa tabelinha para Gelson, depois a finalizar muito bem um centro de Schelotto. Justa recompensa para um dos mais inconformados jogadores do Sporting, batalhador do princípio ao fim. Para mim foi o melhor em campo.

 

De Podence. Não foi titular, mas ajudou a dar a volta ao encontro quando Jorge Jesus o lançou na partida para o lugar do apático Bryan Ruiz. Iam decorridos 64', o Sporting perdia 1-2. Nove minutos depois, já vencíamos 3-2. O jovem extremo formado na Academia leonina foi decisivo para esta reviravolta ao incutir dinâmica no nosso flanco esquerdo, baralhando as marcações do Moreirense. De um seu remate ao poste aos 67', surgiu o empate, após recarga de Bas Dost. Não custa vaticinar que já espreita a titularidade. Está a fazer por isso.

 

Do apoio dos adeptos. Apesar da chuva copiosa, a claque leonina fez-se ouvir ruidosamente do primeiro ao último minuto da partida.

 

Da nossa segunda parte. Pressionámos o tempo todo, confinando a equipa adversária ao seu reduto defensivo. Um perfeito contraste com a primeira parte, marcada por longos períodos de desconcentração e até alguma desorientação. Cumpre perguntar uma vez mais: por que motivo insistimos em dar 45 minutos de avanço aos nossos adversários?

 

 

Não gostei

 

Dos 45 minutos iniciais. A equipa mostrou-se lenta, com movimentos previsíveis, a trocar a bola sem progressão, facilmente anulada pela defensiva contrária e novamente posta em sentido por contra-ataques fulminantes, com a linha defensiva demasiado adiantada. Jesus, também como de costume, só ao intervalo corrigiu os erros de movimentação dos jogadores. Desta vez acabou por não correr mal. Mas os adeptos voltaram a ficar com os nervos em franja.

 

De Bryan Ruiz. Começa a ser um mistério: por que motivo o treinador insiste em conceder a titularidade ao costarriquenho, que há muito devia estar confinado ao banco de suplentes? Bryan continua sem render - nem na posição de segundo avançado, como jogou no Dragão, nem como avançado-ala, onde hoje foi colocado. Com ele em campo, tínhamos um a menos. Quando enfim cedeu lugar a Podence a equipa melhorou de forma quase instantânea.

 

De Rui Patrício. O que se passa com o campeão europeu? O nosso guarda-redes insiste em pregar-nos sustos, sobretudo quando sente necessidade de sair dos postes. Depois dos dois frangos frente ao Marítimo, hoje voltou a evidenciar-se por maus motivos. É o maior culpado do primeiro golo do Moreirense, marcado logo aos 17', e o segundo nasce de um penálti totalmente desnecessário que cometeu já com o lance controlado pela defensiva leonina. Intranquilo, transmite esse nervosismo aos colegas. Estará a precisar de uma pausa no banco?

 

De termos sofrido mais um par de golos. Quarto jogo consecutivo a encaixar dois golos. Levamos já, à 21.ª jornada, 24 sofridos - algo que era impensável no início do campeonato, algo inimaginável numa equipa que chegou a ter ambições ao título. Muito atrás do FC Porto (só 11 sofridos) ou Benfica (12). E atrás também do Marítimo (16), Braga (18), Belenenses (19), Chaves (19) e V. Setúbal (20).

 

De termos esperado 73 minutos para ficar em vantagem. Só quando Adrien marcou o seu belo golo pudemos respirar de alívio. o Sporting adiantava-se enfim no marcador. Até esse momento estivemos a perder ou empatados.

 

Das condições do terreno. O relvado de Moreira de Cónegos, todo empapado devido à forte chuva que caía, estava impróprio para um espectáculo de qualidade. O que não impediu o jogo de ser emotivo do princípio ao fim.


comentar ver comentários (28)
10 Fev 17

A nossa equipa desloca-se no próximo domingo a Moreira de Cónegos, onde defronta a turma da casa a partir das 18 horas, em jogo que conta com arbitragem de Manuel Oliveira.

Quais são os vossos prognósticos para este Moreirense-Sporting?


comentar ver comentários (54)
30 Jan 17
Mais do mesmo
Pedro Correia

D9D0Y99M.jpg

 

O Moreirense, simpática equipa considerada menor do futebol português, conseguiu uma proeza digna de registo: conquistou a Taça CTT, após eliminar as equipas que seguem nas três primeiras posições no campeonato. Primeiro o FC Porto, depois o Benfica, enfim o Braga.

É o primeiro troféu nacional - inteiramente merecido - a viajar para Moreira de Cónegos. Motivo de notícia? Claro que sim. Para todos os desportivos? Claro que não. A Bola prefere dedicar 90% da sua capa de hoje ao clube do seu coração - aquele que vocês sabem.

"Mitroglou contra os fantasmas" é o título garrafal escolhido pelo matutino da Queimada nesta primeira página, que merece figurar na vasta antologia de bizarrias do jornal que já foi um dos mais prestigiados da imprensa portuguesa. Enquanto o grego mais tatuado do futebol português merece uma foto gigantesca, Augusto Inácio tem direito a uma imagem pequenina, com o troféu, ao lado do inócuo título "Cónegos para a história" que muitos nem sequer entenderão.

"Há que reagir à traumática derrota com o Moreirense", assinala ainda A Bola nesta primeira página. Fiel à sua linha editorial, como um grito de incentivo ao SLB. Destaque ainda para "Bernardo Silva brilha no empate com o PSG" e "Gonçalo Guedes estreou-se pelos parisienses" (entrou em campo aos 87...). O nome de qualquer destes meninos impresso em corpo tipográfico mais destacado do que o de Inácio.

Palavras para quê? É mais do mesmo.


comentar ver comentários (64)
Parabéns, Leão!
Pedro Correia

augusto_inacio_foto_luis_forra_lusa164162a9_base[1

 

Augusto Inácio conquistou a Taça CTT como técnico do Moreirense, após ter derrotado o FC Porto na fase de grupos, eliminado o Benfica nas meias-finais e vencido o Braga há pouco na final, disputada no Algarve. Uma brilhante conquista deste Leão, que tem no seu currículo a conquista de campeonatos para o Sporting como jogador e como treinador.

Para esta proeza inédita do Moreirense - que leva enfim um troféu nacional para a sua sala de troféus - muito contribuíram os jovens sportinguistas Francisco Geraldes e Podence, que estão quase de regresso a Alvalade, e o nosso ex-jogador Dramé, cedido no último defeso ao clube de Moreira de Cónegos.

Parabéns a todos eles. E sobretudo ao Inácio, que continua a exibir a sua inconfundível garra leonina.


comentar ver comentários (34)
28 Nov 16

Boa sorte, Augusto. Só foi pena não teres chegado uma semana mais cedo a Moreira de Cónegos.


comentar ver comentários (104)
12 Set 16

Foi a nossa quarta vitória no quarto jogo do campeonato e contou com cinco palpites certeiros cá por casa: Edmundo Gonçalves, Francisco Vasconcelos, José, José Almeida e Luís Nascimento acertaram ao vaticinarem a vitória do Sporting por 3-0 contra o Moreirense em Alvalade.

Aplicado o primeiro critério do desempate, relacionado com os marcadores dos golos, regista-se um duo vencedor: Edmundo Gonçalves e José Almeida. Ambos vaticinaram que Bas Dost e Gelson Martins ajudariam a construir a vitória. Assim foi.


comentar
11 Set 16
O dia seguinte
Pedro Correia

António Varela, Record: «Quatro jogos, quatro vitórias. Um golo sofrido. Doze pontos. Há 22 anos que o Sporting não conseguia uma série vitoriosa assim a abrir a época. Ontem a vítima do líder da Liga foi o Moreirense, mas a nota artística que Jorge Jesus gosta de conjugar com os resultados volumosos foi adiada.»

 

Mário Duarte, O Jogo: «Campbell furou várias vezes pela esquerda, Dost lutou como ainda não se vira, William "secou" o meio-campo, Alan Ruiz foi mostrando, a espaços - como o lance do segundo golo -, pormenores de grande nível. Bas Dost marcou na estreia (3-0), Campbell estreou-se a marcar (2-0) e o Sporting segue imparável na frente do campeonato, com todos os pontos conquistados (12).»

 

Nelson Feiteirona, A Bola: «Desde cedo se percebeu que este era um jogo que dificilmente o Sporting poderia perder, porque também desde os primeiros minutos assumiu claramente o domínio e a intenção de o vencer.»


comentar ver comentários (6)
10 Set 16

E vão quatro jogos a vencer, doze pontos somados, liderança isolada do campeonato. O Sporting - mesmo com duas baixas de peso, João Mário e Slimani - respira vigor futebolístico, muito incentivado pela adesão do público, que poderá bater recordes de assistência em Alvalade neste campeonato 2016/17.

Hoje derrotámos o Moreirense sem margem para discussão. Com três estreias absolutas de verde e branco: o holandês Bas Dost, sucessor de Slimani como titular na frente de ataque, o sérvio Markovic e o brasileiro André, suplentes utilizados, tal como o brasileiro Elias, que regressa ao Sporting três anos após uma passagem muito mal-sucedida pela nossa equipa.

Se somarmos ao mencionado quarteto o costarriquenho Joe Campbell, que hoje se estreou como titular, e o argentino Alan Ruiz, único destes reforços que alinhou nos encontros da pré-temporada, ficamos com uma ideia nítida de que o actual Sporting é uma equipa em reconstrução, à procura de novas rotinas e novos automatismos. Mas a vitória de hoje permitiu-nos concluir que essa tarefa será cumprida a muito curto prazo.

Foi o teste de que precisávamos antes da crucial partida de quarta-feira, em Madrid, frente ao Real de Cristiano Ronaldo. Jornada inaugural da Liga dos Campeões para o Sporting.

 

............................................................................ 

 

RUI PATRÍCIO (6). Teve pouco trabalho mas correspondeu com bons reflexos quando foi solicitado. Intervenção difícil, aos 88', na marcação de um livre. Já no tempo extra, evitou o golo com uma defesa digna da sua categoria.

SCHELOTTO (6). Regressou à titularidade com as suas habituais corridas muito rápidas pela ala, nem sempre compensadas na manobra defensiva. Melhor momento: a assistência para o terceiro golo, cruzando muito bem.

COATES (7). Voltou a evidenciar-se em bom nível, assumindo a liderança da defesa ao assumir um corte de inegável classe logo aos 10'. Um momento que deu o mote à sua actuação nesta partida: seguro, concentrado e confiante.

RÚBEN SEMEDO (6). Voltou a fazer boa parceria com o uruguaio no eixo defensivo e a revelar grande precisão de passe na reposição de bola. A única falta que cometeu, à entrada da área, valeu-lhe um cartão e um livre perigoso.

BRUNO CÉSAR (6). Jorge Jesus voltou a apostar nele como defesa esquerdo titular, posição a que o brasileiro dá sempre uma dimensão muito ofensiva. Hoje foi mais discreto mas nem por isso menos combativo.

WILLIAM CARVALHO (7). Grande partida do nosso médio, elemento pendular da equipa, muito forte na cobertura do espaço. É dele a assistência para o golo de Gelson, com um passe fabuloso (27'). Outro digno de registo aos 74'.

ADRIEN (6). Reconciliado com um público que nunca deixou de acreditar nele, o capitão leonino quis marcar. E esteve perto disso, no minuto inicial da segunda parte. Sempre inconformado, sempre combativo. Saiu aos 67', sob aplausos.

CAMPBELL (7). Estreia a titular, como ala esquerdo. Bons apontamentos denotando técnica individual muito acima da média. Estreou-se também a marcar pelo Sporting com um forte cabeceamento aos 52'. O n.º 7 está a ter sorte.

GELSON MARTINS (8). Voltou a fazer a diferença neste segundo jogo consecutivo a marcar. Abriu o marcador aos 27' com um belo golo. E ajudou a construir o terceiro. Cada vez mais exímio a jogar em espaço curto. Saiu aos 60'.

ALAN RUIZ (7). Exibição convincente - embora com algumas intermitências de ritmo - do argentino, que já demonstrou ter poder de fogo. Foi dele a assistência para o golo de Campbell com um cruzamento muito bem medido. Saiu aos 78'.

BAS DOST (7). Mal se deu por ele na primeira parte. Mas o holandês, hoje em estreia absoluta no Sporting, mostrou o que vale logo no início da segunda parte, quase marcando. Marcou mesmo, aos 56'. Tem faro de baliza. E estrelinha.

MARKOVIC (6). Muito aplaudido nesta estreia de verde e branco, o jovem internacional sérvio esteve em campo a partir do minuto 60. Aos 65' fez levantar o estádio com um fulgurante raide junto à linha de fundo. Promete.

ELIAS (5). Rendeu Adrien a partir dos 67', recebendo sonoros aplausos neste regresso a uma casa onde não chegou a ser feliz. Alguns apontamentos interessantes numa fase da partida em que os leões já quase só seguravam a bola.

ANDRÉ (5). Em dia de estreias, esta foi mais uma. O brasileiro entrou aos 78', substituindo Alan Ruiz, e não tardou a dar nas vistas com um passe de ruptura que isolou Markovic. Também promete.


comentar ver comentários (30)

Gostei

 

Da vitória. Novo triunfo leonino - o quarto consecutivo nesta Liga 2016/17. Hoje vencemos o Moreirense por 3-0, em Alvalade, com uma exibição segura e convincente.

 

De Bas Dost. Estreia absoluta no Sporting, onde tem a pesada responsabilidade de substituir Slimani como ponta-de-lança. Estreia auspiciosa: foi dele o terceiro golo, aos 56'. Começa muito bem.

 

De Gelson Martins. O melhor em campo. Desbloqueou o nulo inicial com um belo golo marcado aos 27' que acabou por ser decisivo nesta partida: grande desmarcação em diagonal, dominando muito bem a bola e rematando de forma acrobática. Teve ainda intevenção decisiva no terceiro golo: foi dele o passe a desmarcar Schelotto, autor da assistência. Saiu aos 60' com a missão cumprida.

 

De William Carvalho. Excelente partida do nosso médio, em contínua ligação entre a defesa e o ataque. Crucial nas recuperações de bolas. Bela assistência para o golo inaugural, servindo Gelson a longa distância e com precisão cirúrgica.

 

De Campbell. Entrou como titular, para a posição que tem sido ocupada pelo ausente Bryan Ruiz, e começa a tornar-se um idolo em Alvalade, estabelecendo uma relação empática com as bancadas. O primeiro golo começou a ser construído por ele, junto à ala esquerda. E marcou de cabeça o segundo, iam decorridos 52'.

 

De Alan Ruiz. Vai-se evidenciando de jogo para jogo, com o seu pontapé forte e sem nunca perder de vista a baliza. À medida que for ganhando rotinas na frente de ataque irá tornar-se um elemento crucial deste Sporting 2016/17.

 

Dos aplausos a Adrien. O capitão recebeu ovações do público, ainda antes do jogo e quando foi substituído, aos 67'. Correspondeu com uma exibição em que revelou o seu habitual brio profissional e a tenacidade que bem lhe conhecemos. Só lhe faltou o golo. Mas tentou-o com um disparo aos 46', bem defendido pelo guardião adversário.

 

Que Jesus tivesse poupado jogadores. Bryan Ruiz não saltou do banco, João Pereira e Marvin nem figuraram na convocatória. Já a pensar na difícil eliminatória com o Real que disputaremos quarta-feira, em Madrid, para a Liga dos Campeões.

 

Do Moreirense. Sem o seu melhor jogador (o excelente Francisco Geraldes, emprestado pelo Sporting), a equipa visitante teve o mérito de não baixar os braços nem estacionar o autocarro defronte da baliza. Mesmo quando teve de jogar só com dez, a partir dos 35', por expulsão de Neto.

 

Da nossa baliza invicta. Outro jogo sem sofrermos golos, confirmando que o nosso reduto defensivo continua forte.

 

Do inquebrantável apoio à equipa. Pelo oitavo jogo consecutivo, Alvalade registou mais de 44 mil espectadores. Prova indesmentível da crença dos adeptos no plantel comandado por Jorge Jesus. Mesmo sem vencermos o campeonato há 14 anos, não esmorecemos na nossa devoção leonina.

 

Da liderança no campeonato. O Sporting comanda isolado, sendo a única equipa só com vitórias à quarta jornada. Faltam 30.

 

 

 

Não gostei

 

Dos primeiros 25 minutos. Alguma apatia inicial do Sporting, em flagrante contraste com o brilhante começo da segunda parte, em que podíamos ter marcado duas vezes logo no primeiro minuto - primeiro por Bas Dost, depois por Adrien.

 

Do susto que o avançado holandês nos pregou. A meio da segunda parte Bas Dost saiu a coxear, queixando-se de fortes dores no pé, e teve de receber assistência. Felizmente não passou do susto. E acabou por jogar (bem) até ao fim.


comentar ver comentários (58)
08 Set 16

O futebol regressa enfim: já andávamos com saudades. Vamos voltar a ver a nossa equipa em acção este sábado, a partir das 18.15, perante uma equipa de arbitragem liderada por Nuno Almeida. Com a certeza antecipada de se registar outra enchente em Alvalade.

Quais são os vossos prognósticos para o Sporting-Moreirense?


comentar ver comentários (78)
22 Ago 16
Francisco Geraldes
Pedro Correia

Francisco-Geraldes[1].jpg

 

Francisco Geraldes, jogador do Sporting  emprestado ao Moreirense, destacou-se na vitória de ontem da equipa de Moreira de Cónegos ao Feirense, em Vila da Feira (0-3). Desenhou o primeiro golo, assistiu no segundo e marcou o terceiro.

Depois de ter brilhado ao serviço do Sporting B na época passada, o nosso médio criativo - com apenas 21 anos - promete dar nas vistas no campeonato nacional de futebol 2016/17.

Um percurso a seguir com atenção.

 

ADENDA: Francisco Geraldes integra o onze da semana europeia, segundo a Gazetta dello Sport.


comentar ver comentários (6)
19 Abr 16

Dois leitores regulares do nosso blogue, Fernando e David Almeida, acertaram em cheio no resultado do Moreirense-Sporting. É certo que não acertaram no marcador do golo, mas nesta jornada cabe-lhes a vitória repartida.


comentar ver comentários (6)
17 Abr 16
Até que enfim
Luciano Amaral

Estava a ver que não: finalmente tivemos uma vitória à Benfica.


comentar ver comentários (10)
Gostei

 

De mais uma vitória. Foi o nosso 23º triunfo em 30 jogos até agora disputados neste campeonato, desta vez pela margem mínima, em condições climatéricas adversas, frente ao Moreirense. E a nossa quinta vitória consecutiva.

 

Do início do jogo. Começámos ao ataque logo com um canto conquistado no primeiro lance.

 

De Slimani. Voltou a ser decisivo, marcando o golo que nos deu mais três pontos - o seu 24º nesta Liga 2015/16 e o 30º em toda a temporada. Um golo com o mérito acrescido de culminar uma bela jogada colectiva do Sporting iniciada por ele próprio junto à lateral esquerda. O argelino está já em sétimo lugar na lista dos candidatos à Bota de Ouro europeia, agora liderada pelo nosso Cristiano Ronaldo.

 

De Teo Gutiérrez. Picou muito bem a bola por cima da defesa de Moreira de Cónegos, servindo Schelotto no lance de que viria a resultar o golo do Sporting. Integrou-se bem no colectivo, ganhando sucessivos confrontos individuais e servindo bem os colegas - como no excelente passe que fez para Slimani aos 33'. Marcou um golo aos 45' que pareceu mal anulado pela equipa de arbitragem por alegada deslocação do colombiano, que estaria em linha. A péssima realização da Sport TV não permitiu desfazer dúvidas.

 

De João Mário. Aos 39' fez um soberbo cruzamento para a grande área que quase resultou num golo de Teo Gutiérrez. Evidenciou a qualidade habitual em termos técnicos e tácticos, como comprovou num belo lance individual aos 42'. Bons passes aos 52' (para Slimani) e aos 78' (para Gelson).

 

Do regresso de Adrien. Com ele em campo a nossa equipa ganha mais dinâmica ofensiva e melhora a ligação entre a defesa e o ataque. Um longo passe para isolar João Mário aos 15' ilustra bem a importância do capitão na manobra da nossa equipa. Para mim foi o melhor em campo.

 

De Schelotto. Vários centros perigosos e uma assistência para o golo, marcado aos 16'. Balanço muito positivo da actuação do nosso lateral direito.

 

Que não tivéssemos sofrido nenhum golo. A defesa do Sporting consolida-se como a menos batida deste campeonato.

 

Da luta que continuamos a travar com o Benfica, jornada após jornada. Recuperámos provisoriamente a liderança e a quatro jogos do fim mantemos intactas as aspirações à conquista do campeonato.

 

 

Não gostei

 

Do árbitro. Ainda nem haviam decorrido dois minutos já Bruno Paixão exibia um cartão amarelo a Marvin por uma falta banal, cometida a meio-campo. Dando logo ali a certeza de que pretendia ser a figura do desafio, não necessariamente por bons motivos. Validou o golo leonino, marcado com Slimani em posição irregular. Depois tentou aparentemente emendar este erro anulando um golo válido a Teo e travando-nos vários ataques por fora-de-jogo que nunca existiram. E aos 76' mandou Jorge Jesus para a bancada, mostrando-lhe o vermelho: outro sinal de abuso de autoridade sem nada que o justificasse. Cabe questionar por que motivo este árbitro tão pouco competente continua a apitar jogos decisivos para o campeonato.

 

De Marvin Zeegelar. Jesus voltou a apostar nele após três jogos com Bruno César adaptado a lateral esquerdo titular. Mas o holandês continua sem impressionar. Inseguro, intervém demasiadas vezes no limite do risco em termos defensivos e continua a denotar falhas no apoio ao ataque. Não por acaso, o treinador trocou-o aos 64' por Bruno César.

 

De Bryan Ruiz. Apático e lento, teve uma exibição muito apagada. Substituído aos 72' por Gelson Martins, que entrou muito melhor no jogo.

 

Do Moreirense. A equipa de Moreira de Cónegos foi incapaz de conseguir uma oportunidade evidente de golo ao longo de toda a partida.

 

Da chuva. Caiu durante grande parte do desafio, prejudicando a qualidade do espectáculo.


comentar ver comentários (35)
14 Abr 16

Mais um jogo, mais uma final. Desta vez será o Moreirense-Sporting, a disputar sábado - a partir das 20.45 - com arbitragem de Bruno Paixão.

Quais são os vossos prognósticos?


comentar ver comentários (54)
16 Dez 15

Muitos prognósticos, vitória clara do Sporting, mas ninguém acertou. Os nossos amigos vaticinadores previram, em grande parte, um triunfo leonino por 2-0 ou 3-0 frente ao Moreirense. Enganaram-se. Porque a equipa visitante marcou em Alvalade.

Fica portanto este nosso campeonato em branco. Esperando que a boa pontaria regresse na próxima jornada aqui ao blogue.


comentar ver comentários (6)
13 Dez 15

Apenas 68 horas após ter defrontado o Besiktas para a Liga Europa, o Sporting entrou hoje em campo com seis alterações face ao onze titular que iniciou o desafio contra os turcos. Sem João Pereira, Paulo Oliveira, Jefferson, William Carvalho, João Mário e Montero.

Estas mudanças foram ditadas pela necessidade de dosear esforços a três dias de um novo embate: o jogo de quarta-feira em Braga para a Taça de Portugal.

Jorge Jesus fez bem em poupar energias à sua equipa, confrontada com um calendário apertadíssimo, com partidas de três em três dias. Desta vez, frente ao Moreirense, não só vencemos como começámos a ganhar cedo e consolidámos sem sobressaltos a liderança do campeonato. Cinco pontos acima do FCP e com mais oito pontos do que o SLB (embora estas equipas tenham menos um jogo disputado que a nossa).

Destaques para o primeiro golo de Gelson Martins no campeonato, para o nosso primeiro golo de livre de há muito tempo para cá e para uma grande penalidade marcada por Slimani em que a bola só entrou após recarga. Sempre debaixo de chuva, numa confirmação de que o futebol é um desporto de Inverno.

O melhor em campo, para mim, foi Gelson.

 

...........................................................................

 

RUI PATRÍCIO (7). Atento. Muito pouco solicitado até ao quarto de hora final, fez duas grandes defesas, bem ao seu nível, aos 79' e 82'. Não merecia ter sofrido o golo de penálti.

ESGAIO (6). Prudente. Não arriscou muitas incursões no corredor que lhe estava confiado, evitando desguarnecer o bloco defensivo leonino. Sem rasgos. Mas cumpriu no essencial.

NALDO (5). Irregular. Formou uma parceria inusual com Ewerton dada a ausência de Paulo Oliveira. Desempenhou bem a missão até ao penálti desnecessário cometido aos 79'.

EWERTON (7). Sereno. Deu início a bons lances de construção ofensiva. Demonstra uma calma olímpica que contribui para desmoralizar os adversários. Grande corte aos 74'.

JONATHAN SILVA (6). Voluntarioso. Regressou à titularidade, rendendo Jefferson. Mostra vontade de se evidenciar mas pareceu algo nervoso. Podia ter marcado aos 71'.

AQUILANI (7). Experiente. Cumpriu como titular, dando consistência e maturidade ao meio-campo. Qualidades comprovadas no golo que marcou aos 37'. Saiu esgotado aos 67'.

ADRIEN (7). Ousado. Outra demonstração de qualidade técnica e táctica, bem evidente no passe perfeito que serviu Aquilani para o segundo golo. Saiu ovacionado aos 73'.

BRYAN RUIZ (7). Desequilibrador. Marcou muito bem o livre que originou o golo inicial. É um daqueles jogadores que a todo o momento podem virar um desafio num rasgo de génio.

GELSON MARTINS (7). Veloz. Já merecia o golo, obtido com calma impressionante. Trabalha cada vez mais para a equipa, como provou aos 53' num grande corte defensivo.

TEO GUTIÉRREZ (6). Irrequieto. Baralha a defesa adversária com as suas desmarcações. Rematou com intenção de marcar aos 41', mas estava fora de jogo. Saiu aos 88'. 

SLIMANI (7). Combativo. Vai sempre à luta, nunca desiste. Arrancou um penálti aos 57' e converteu-o após recarga no nosso terceiro golo. Já o segundo tinha começado nele.

JOÃO MÁRIO (5). Discreto. Entrou aos 67', rendendo Aquilani, com a missão de controlar as operações no meio-campo, temporizar jogo e segurar a bola. Cumpriu sem deslumbrar.

WILLIAM CARVALHO (5). Vigilante. Substituiu Adrien aos 73'. Reforçou o bloco defensivo quando já vencíamos 3-0. Desta vez não exibiu os seus dotes como distribuidor de jogo.

MATHEUS PEREIRA (-). Entrou em campo aos 88', substituindo Teo Gutiérrez. Uma substituição apenas para queimar tempo.


comentar ver comentários (7)

Gostei

 

De mais uma vitória leonina. Desta vez em Alvalade, frente ao Moreirense. Por 3-1.

 

Da nossa sétima vitória consecutiva no campeonato. Após derrotarmos V. Guimarães (5-1), Benfica (3-0), Estoril (1-0), Arouca (1-0), Belenenses (1-0) e Marítimo (1-0). Há quatro anos que não nos acontecia esta sucessão de sete jogos a ganhar.

 

De ver a nossa equipa continuar na liderança. Seguimos com 35 pontos. E vão seis jogadas seguidas com o Sporting no comando isolado do campeonato, já no segundo terço da prova.

 

De Gelson Martins.  Marcou o primeiro golo verde-e-branco, iam decorridos 29'. Foi também o seu primeiro golo ao serviço do Sporting nesta Liga 2015/16. Mais que merecido: jogou e fez jogar, combinou muito bem com Slimani, deu inúmeras dores de cabeça à equipa de Moreira de Cónegos na ala direita do nosso ataque. E também soube ajudar a defesa: grande corte aos 53', correndo à dobra de Esgaio. Consolida a titularidade. Foi para mim o melhor em campo.

 

De Bryan Ruiz. Ajuda a dar profundidade, largura e consistência ao ataque leonino. Marcou muito bem o livre que originou o nosso primeiro golo, concretizando uma jogada de laboratório.

 

De Aquilani. Alinhando como titular, na posição habitualmente ocupada por William Carvalho, cumpriu a missão que o treinador lhe confiou. E marcou o segundo golo, a passe de Adrien, dando ainda mais serenidade à equipa.

 

Dos golos. E vão seis em apenas três dias: metade contra o Besiktas na quinta-feira, a outra metade no jogo desta tarde.

 

Que tivéssemos marcado cedo. À meia hora já vencíamos. E saímos para o intervalo a ganhar 2-0. Desta vez não foi preciso sofrer até quase ao fim.

 

Que Jorge Jesus tenha poupado a equipa. O Sporting entrou em campo sem cinco dos habituais titulares (João Pereira, Paulo Oliveira, Jefferson, William Carvalho e João Mário). Para gerir o esforço dos jogadores menos de 72 horas após a vitória em casa frente aos turcos e a três dias da importante eliminatória em Braga para a Taça de Portugal.

 

Do apoio nas bancadas. Apesar do tempo chuvoso, mais de 32 mil espectadores ajudaram a dar colorido e alegria às bancadas do nosso estádio.

 

 

Não gostei

 

Da chuva incessante. O estado do relvado, que já não era famoso, ficou bastante pior.

 

De alguma desconcentração nos 20 minutos finais do desafio. Com a equipa a ganhar 3-0 a partir dos 58', imperou a convicção de que já não era preciso acelerar mais porque o triunfo estava garantido. Foi neste período que surgiu o golo do Moreirense, de grande penalidade.

 

Do golo sofrido. Permanecemos cinco jogos do campeonato com as nossas redes invictas. Gostávamos que tivessem sido mais.


comentar ver comentários (8)
11 Dez 15

Vamos receber o  Moreirense no domingo, às 18.15, para a jornada nº 13 do campeonato nacional.

Qual será o resultado deste jogo?


comentar ver comentários (70)
30 Abr 15

Foi quase... Leitores como o Leão do Fundão, JC, Alex M e SempreSCP andaram muito perto. Mas  nenhum acertou na vitória por 4-1 do Sporting em Moreira de Cónegos.

Esperemos que os palpites sejam mais certeiros para o próximo fim de semana, quando recebermos o Nacional.


comentar
28 Abr 15
Saber ver
Pedro Correia

«O juiz [Vasco Santos] deixou passar em claro uma mãozinha marota de Danielson nas costas de Paulo Oliveira a desequilibrar o central leonino. A bola sobrou para Leandro, que reduziu.»

Sérgio Krithinas, no Record (crónica do jogo Moreirense-Sporting)

 

«No momento em que salta para cortar a bola, Paulo Oliveira é empurrado pelas costas por Danielson. Falta por marcar, antes do remate certeiro de Leandro Souza. Mal Vasco Santos.»

Bernardo Ribeiro, no Record (análise da arbitragem do Moreirense-Sporting)


comentar ver comentários (14)

Às vezes tenho pena da rapaziada da Sport TV. Ontem ainda começaram a relatar e comentar com entusiasmo o Moreirense-Sporting, no minuto inicial da partida, exaltando-se perante uma "oportunidade" de João Pedro. Mas logo no minuto seguinte pareciam estar num velório enquanto viam Carlos Mané marcar o primeiro golo do Sporting. A partir daí reinou uma atmosfera de notória tristeza no estúdio. Tristeza acentuada a partir do minuto 34, quando Montero marcou o segundo. "Numa fase do jogo em que o Moreirense estava claramente por cima, mais confortável, e o Sporting sentir até dificuldade em sair para o ataque", diziam eles. Testemunhas de um jogo que só eles viam.

Eles e Manuel Queiroz, aos microfones da Antena 1. Eis a síntese da primeira parte (que terminou com o Sporting a vencer 3-1) feita ao intervalo por este comentador: "O Sporting, sem jogar bem, fez três golos; o Moreirense, sem jogar mal, só fez um."

Extraordinário resumo. Ainda condimentado, apesar disso, por uma réstia de solidariedade nortenha: "Acredito que o jogo ainda está aberto."

Pois estava: o Sporting voltaria a marcar na segunda parte, fechando a conta em 4-1. Na Sport TV só faltava tocarem a Marcha Fúnebre...


comentar ver comentários (16)
27 Abr 15

Gostei

 

Da goleada em Moreira de Cónegos. O Sporting deu hoje um banho de bola num campo difícil, onde outros já claudicaram, impondo a vitória mais pesada deste campeonato no reduto do Moreirense. Vitória ainda mais saborosa por se ter desenhado logo a partir do minuto 2, no nosso primeiro lance de ataque.

 

Da exibição. Gostei de ver o Sporting jogar com ritmo, velocidade, consistência e alegria.

 

De Montero. Reapareceu como titular, face à lesão de Slimani, e como marcador de golos. Marcou dois (o segundo e o quarto) e fez assistências para os outros dois. Ainda protagonizou um excelente lance de área ao servir Nani, que disparou de cabeça à figura do guarda-redes (52'). Andava afastado dos golos desde 1 de Fevereiro: fez-lhe bem este defeso e em boa hora Marco Silva o mandou regressar. Foi hoje o melhor em campo.

 

De William Carvalho. Voltou a ser um gigante. Mesmo com o meio-campo desfalcado em relação ao tradicional desenho táctico do Sporting, entrando desta vez em jogo sem Adrien (seu habitual parceiro como titular no centro do terreno), não se acobardou nem se acomodou. Pelo contrário: galvanizou-se e foi uma peça-chave na vitória leonina. Dois golos nascem de recuperações de bola do médio defensivo. Foi fulcral no lançamento do nosso ataque. Por duas ocasiões galgou dezenas de metros com a bola controlada para servir muito bem Montero (aos 55') e Nani (aos 75').

 

De Tanaka. Jogou pela primeira vez um terceiro jogo consecutivo no campeonato ao serviço do Sporting. E voltou a ser um talismã da equipa: com ele enquanto titular, nunca deixamos de ganhar. E lá marcou mais um golo - o terceiro da partida. Confirmando-se como o nosso avançado com melhor relação entre tempo de jogo e golos marcados.

 

De Carlos Mané. Entrou bem, desta vez como titular, e coube-lhe marcar o ritmo do desafio ao abrir o caminho para a vitória logo na nossa primeira jogada de ataque. E vão seis golos, facto que consolida a sua influência na equipa. Aos 66' voltou a rematar com perigo, forçando o guardião adversário, Marafona, a uma defesa muito apertada.

 

Do dispositivo táctico do Sporting. Raras vezes o treinador leonino tem apostado no 4-4-2 que fez entrar esta noite em campo. Aposta plenamente ganha, com Montero imediatamente atrás do ponta-de-lança, Tanaka. Aos 36' já vencíamos por 3-0.

 

Dos golos. Foram marcados cinco numa partida aberta, competitiva, sem jogadores com medo de irem ao choque e à luta. Uma diferença abissal em relação a outro desafio, disputado na véspera, que certos comentadores tinham classificado de "jogo do ano".

 

Da nossa defesa. Paulo Oliveira e Ewerton voltaram a jogar juntos. Formam o melhor duo defensivo do Sporting no eixo do terreno desta temporada.

 

De Capel. Entrou aos 83', substituindo Nani, e decorridos apenas dois minutos já fazia uma arrancada junto à lateral esquerda que resultou em assistência para o quarto golo, que Montero marcou de cabeça (imitando o ausente Slimani). Desta vez o andaluz cumpriu.

 

Do resultado ao intervalo. Desde Maio de 2013 não marcávamos três golos antes do intervalo num jogo do campeonato nacional. Uma estatística que já pertence ao passado.

 

Do terceiro lugar confirmado. Consolidámos uma posição no pódio, agora já com 66 pontos acumulados na Liga 2014/15. Vamos disputar o play off da Liga dos Campeões. E encurtámos a distância face ao segundo classificado: o FCP está agora só a seis pontos. Com o Braga cada vez mais longe.

 

 

Não gostei

 

Da fraca assistência. Um estádio com bancadas pouco preenchidas prejudica sempre o espectáculo futebolístico. O facto de o jogo ter decorrido numa segunda-feira, às 20 horas, não ajudou.

 

Da falta que precede o golo do Moreirense. Paulo Oliveira salta para interceptar a bola mas é empurrado num lance faltoso que o árbitro deixou por sancionar.

 

Da chuva de cartões amarelos. Uma vez mais, o homem do apito - neste caso o senhor Vasco Santos - decidiu ser protagonista distribuindo cartões por tudo e por nada. Sobretudo por nada: as sanções a William Carvalho e Paulo Oliveira foram ridículas. Infelizmente William fica fora da próxima partida, contra o Nacional, por acumulação de cartões.


comentar ver comentários (40)
24 Abr 15

Moreirense-Sporting será só na segunda-feira, às 20 horas, com arbitragem de Vasco Santos. Mas os prognósticos avançam desde já. Qual será o resultado?


comentar ver comentários (36)
16 Dez 14

Houve muitos prognósticos, mas nenhum deles certeiro desta vez. O empate com o Moreirense em Alvalade estava fora das nossas conjecturas. Esperemos pela desforra, na segunda volta, em Moreira de Cónegos.


comentar ver comentários (2)
14 Dez 14

Não gostei

 

Do empate.quarto que consentimos em Alvalade no campeonato. Desta vez com o Moreirense - após Belenenses, FC Porto e Paços de Ferreira. Nenhuma equipa com aspirações à conquista do título pode perder tantos pontos em casa.

 

Do 0-1 ao intervalo. Há mês e meio que o Sporting não marca nas primeiras partes dos jogos. Um enigma para muitos adeptos, entre os quais me incluo.

 

Das oportunidades de golo desperdiçadas. Logo no início, Adrien e Montero dispuseram de óptimas oportunidades para marcar. A tendência manteve-se durante grande parte do desafio. Antes do intervalo Slimani fez uma vistosa jogada pelo corredor direito e centrou para Carrilo desperdiçar. Já na segunda parte, aos 48', o argelino concretizou um excelente amorti a que Adrien não deu boa sequência. Três minutos depois, o peruano errou novamente frente à baliza, após assistência de Montero. Assim é difícil pontuar.

 

Da excessiva demora nas substituições. Saindo para o intervalo com a equipa a perder, Marco Silva devia ter feito alterações na equipa logo no início do segundo tempo. João Mário e Capel entraram aos 64' para os lugares de Adrien (que estava a ser um dos nossos melhores jogadores) e Carlos Mané (que estava a ser um dos piores). Aos 76' Jonathan Silva deu lugar a Tanaka.

 

Da ausência de Nani. É cada vez mais evidente a falta que faz na nossa equipa. Esperemos que esteja recuperado da lesão já na próxima jornada.

 

Da nossa ineficácia nas bolas paradas. Demasiados cantos marcados sem qualquer perigo, demasiados livres desperdiçados: acontece quando Nani e Jefferson, especialistas em bolas paradas, estão ausentes. Foi o que hoje sucedeu.

 

Do desempenho de Maurício, William e Carlos Mané. Nota negativa para os três.

 

 

Gostei

 

Do golo de Montero. Já no período suplementar de jogo, à beira do fim. Um belo golo, que só pecou por tardio, do melhor sportinguista neste jogo. Um golo que teve o condão de manter a nossa equipa invicta em casa neste campeonato.

 

De outro recorde de longevidade no Sporting batido por Rui Patrício. O nosso guarda-redes cumpriu hoje 6500 minutos de jogos no campeonato. Merecia ter ultrapassado este máximo com uma vitória.

 

Do alargamento da nossa frente de ataque. Terminámos o jogo com três homens na frente: Montero, Slimani e (a partir do minuto 76) Tanaka - algo que o Sporting nunca antes pusera em prática na Liga 2014/15. Aposta de risco de Marco Silva, insuficiente para conseguir a vitória. Mas que teve ao menos o mérito de evitar a derrota.

 

Do apoio nas bancadas. Apesar de tudo, e até do frio, houve quase 30 mil espectadores em Alvalade. De falta de apoio não podem queixar-se os nossos jogadores.

 

Que hoje não tivesse havido nenhum autogolo. Do mal o menos.


comentar ver comentários (20)
12 Dez 14

O Sporting joga este domingo, a partir das 18 horas, contra o Moreirense em Alvalade. Qual será o resultado deste jogo?


comentar ver comentários (32)
06 Abr 13
Boa vitória num mau jogo
Pedro Quartin Graça

Foi melhor o resultado do que o futebol jogado num disputado 3-2 em casa. Desta vez a sorte acompanhou o Sporting. Mas o mais importante foram os três pontos e a consequente subida na tabela classificativa.


comentar ver comentários (6)
26 Mar 13
Sou só eu que acho estranho?
Francisco Mota Ferreira

Inácio é treinador do Moreirense. Mas todos nós sabemos que vai ser administrador na nova SAD. Isso só irá acontecer no final da época. Até lá, Inácio vai treinar o Moreirense (que ainda vai jogar contra o Sporting) e depois assume a sua nova pele de leão. Sou só eu que acho estranho que um treinador de um clube ainda em funções ache isto tudo normal?

 

Vindo de quem vem, não é de estranhar. Muitos não se recordam certamente, mas eu ainda sou do tempo em que Inácio saiu do Sporting, foi jogar para o FC Porto e, no jogo em que os do norte vieram a Alvalade, Inácio disse o pior do Sporting e dos seus ex-colegas. Agora, volta ao nosso Clube, pela porta grande, mas não esquece a sua coluna vertebral. O Moreirense é um emprego. O Sporting também certamente será.


comentar ver comentários (30)
20 Jan 12
Pontos nos i
Francisco Mota Ferreira

Não vale a pena disfarçar. Ontem não correu bem. Para além de tudo o que se passou, a insistência de Bojinov em fazer asneira, num penalty que podia ter virado o jogo a nosso favor, lançou a polémica no balneário e no Clube.

Continuo a acreditar no Sporting e sei que já me deu muitas alegrias. E felizmente o Sporting é muito mais do que jogadores que não sabem o que é jogar em equipa.

O Sporting tem de ser muito mais do que as tricas de café e da instabilidade criada por pessoas que, passados estes meses todos, ainda não perceberam que o Clube tem uma Direcção, uma Equipa e um Treinador.

 

Não está a correr bem? Claro que não está. Adepto que se preze quer o seu Clube a ter vitórias e a dar alegrias. Mas continuo a acreditar, mesmo que este seja um projecto a médio prazo. Tal como na cozinha, jantares feitos à pressa dão sempre mau resultado.

Sei também que a euforia inicial do Campeonato não duraria para sempre. Uma equipa nova precisa de tempo, calma, serenidade e (do) Paciência. Não sou um defensor incondicional de nenhum treinador, mas acho que o Domingos ainda merece um voto de confiança. Acredito que tem um caminho, uma estratégia e um rumo.

Mas, como sabemos tão bem, muitas vezes as chicotadas psicológicas são usadas como os caminhos mais fáceis de seguir, em vez de mandar embora jogadores que podiam estar dedicados ao bilhar que o resultado seria o mesmo.

 

Não fui ao jogo, mas parece que ontem alguns tontos de serviço já acenaram com lenços brancos. Não sei o que augura o futuro, mas confesso-vos que ficaria muito triste de ver Domingos a sair e brilhar noutra equipa. E, já agora, que estamos numa onda de pedidos, será que os críticos do costume podiam estar calados ou falar em fóruns próprios, e dar alguma serenidade para que esta Direcção possa trabalhar? Nas próximas eleições podem tentar a vossa sorte e deixar de ser treinadores de bancada….


comentar ver comentários (2)
19 Jan 12

 

Jogamos esta noite com o Moreirense para a Taça Lucílio Baptista. Este homem vem cá jogar "como se fosse da família". Bem-vindo a casa, Xico.


comentar
18 Jan 12
Somos melhores...
Ana Torres Pereira

Tenho andado um pouco afastada das lides sportinguistas... Ouvindo aqui e ali as bocas dos lampiões, vendo a capa dos desportivos e alguns comentários dos ditos entendidos, terminei esta salada russa com as declarações do nosso treinador. A derrota com o Braga desanimou, mas tenho a convicção que as coisas vão mudar. É certo que o título parece estar mais longe, mas o caminho ainda não terminou. E como os sportinguistas são diferentes, nunca desistimos, o nosso foco tem que estar no jogo com o moreirense, afastando os "ressabiados", os pessimistas e todos os outros que querem um Sporting mais fraco. Somos melhor do que isto, acredito que estamos a fazer or chegar lá, por isso só temos é que fazer mais e melhor...


comentar ver comentários (1)

Autores
Pesquisar
 
Posts recentes

Os ingratos de chicote

Os prognósticos passaram ...

Os nossos jogadores, um a...

Rescaldo do jogo de hoje

Prognósticos antes do jog...

Mais do mesmo

Parabéns, Leão!

Inácio no Moreirense

Os melhores prognósticos

O dia seguinte

Arquivo

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Tags

sporting

comentários

memória

bruno de carvalho

selecção

leoas

prognósticos

jorge jesus

vitórias

há um ano

balanço

campeonato

slb

arbitragem

benfica

jogadores

eleições

rescaldo

mundial 2014

taça de portugal

liga europa

godinho lopes

ler os outros

clássicos

árbitros

golos

nós

euro 2016

futebol

comentadores

crise

marco silva

scp

cristiano ronaldo

análise

humor

formação

chavões

liga dos campeões

slimani

todas as tags

Mais comentados
Ligações
Créditos
Layout: SAPO/Pedro Neves
Fotografias de cabeçalho: Flickr/blvesboy e Flickr/André
blogs SAPO
subscrever feeds