13 Abr 17

 

«Como cidadão, tenho dificuldade em entender porque não acontece em Portugal, neste caso sob a tutela da Liga, o que sucedeu ainda nas últimas semanas - e de forma distinta em Inglaterra ou em Espanha. Na Premier League, Ibrahimovic agrediu um adversário num jogo de domingo, o árbitro não viu no campo, as autoridades competentes analisaram as imagens e na terça-feira foi-lhe aplicado um castigo de três jogos.

Em Espanha, Neymar foi expulso por acumulação de amarelos e a jurisprudência ditaria um jogo de suspensão, mas o comportamento incorrecto já fora do campo, assinalado pela equipa de arbitragem e confirmado pelas imagens televisivas, ditou (já) um afastamento por três jogos.

Ora, em Portugal, a Liga, a única entidade que pode fazer processos sumários, não faz. Julgo que não fez nenhum esta época.»

Nuno Santos, hoje, no Record


comentar ver comentários (45)
01 Abr 17

comentar ver comentários (16)
24 Mar 17
O desespero
Pedro Correia

Boicotaram a gala anual da Federação Portuguesa de Futebol. Produziram um violentíssimo comunicado contra a instituição. Atiram-se, desvairados, contra o Conselho de Disciplina. Urram contra a Comissão de Instrutores. Barafustam contra a "dualidade de critérios" e o "clima de impunidade" da justiça desportiva, onde - juram eles - por estes dias "vale tudo".

Não iludem ninguém: com este comportamento de meninos queixinhas e esta linguagem desbragada, só querem pressionar os órgãos decisórios a tomar decisões que os favoreçam.

É um sinal inequívoco de desespero. Um excelente sinal.


comentar ver comentários (50)
12 Mar 17

Os meus olhos são uns olhos (como dizia Gedeão) e foi com esses olhos que vi aquilo que contarei a seguir.

Outros com outros olhos terão visto coisas diferentes.

Vi o Sporting a jogar com uma nuance táctica que definirei como um 4x3x3 triângulos.

Quatro defesas.

Três médios, estando William no vértice do lado direito, dobrando Schelotto e Bryan no vértice esquerdo dobrando Marvin, no vértice superior Podence, encostando a Bas, na prática funcionando como 10 ou avançado vagabundo.

Três avançados (na prática quatro como vimos no parágrafo anterior) com Matheus e Gelson bem abertos nas alas e Bas no vértice superior deste segundo triângulo.

Nem William jogou a seis, nem Bryan a oito, este é o primeiro equívoco que grande parte dos analistas cometeram. Esta teoria prova-se, facilmente, quando Palhinha entra para o lugar de Matheus ocorre uma rotação de posições. Bryan vai para a posição de Matheus, William para a de Bryan e Palhinha para a de William.

Vejamos então, detalhadamente, as intervenções de Bryan no jogo.

0' 22'' - Recua para ajudar a defesa, recupera a bola e ensaia um passe para o lado direito. Schelotto deixa sair a bola pela linha lateral.

0' 50'' - Na sequência do lançamento lateral Bryan no lado direito da defesa protege a saída de bola pela linha de fundo. Pontapé de baliza para Patrício.

1' 30'' - Pressionado por dois jogadores do Tondela, atrasa para Coates.

1' 54'' - Recebe a bola na esquerda e ainda do nosso meio campo efectua um passe milimétrico para Bas.

4' 52'' - Pressionado, atrasa para Coates.

7' 50'' - Recebe a bola dum lançamento lateral e coloca em Bas.

9' 24'' - Executa um livre irrepreensível, defendido miraculosamente (como diria Teodora) pelo guarda-redes tondelense.

10' 26'' - Comete uma falta cirurgica, impedido uma transição rápida "verdamarela".

11' 00'' - Passe longo para Matheus.

11' 12'' - Passe para William.

12' 00'' - Marca canto do lado direito, para o segundo poste, surge o "gigante" Podence a cabecear.

12' 20'' - Corta de cabeça no meio campo defensivo, colocando em Podence.

12' 38'' - Recebe a bola de Marvin e sofre falta sobre a linha que divide o campo a meio.

16' 33'' - Ganha uma bola no meio campo e coloca em Podence.

17' 20'' - Recupera a bola e desanuvia para Paulo Oliveira

18' 53'' - Circula a bola com William

19' 03'' - Recupera a bola, abre para Schelotto que vai à linha e cruza. Bryan tenta dominar com o peito mas é estorvado dentro da área (penalty perdoado ao Tondela?).

20' 00'' - Recebe a bola com o pé direito (aí a uns 10 m da área do Tondela) e quando tenta ajeitá-la para o pé esquerdo é desarmado por trás, sem falta.

20' 18'' - Ajuda William a resolver o roubo de bola anterior.

22' 41'' - Controla a bola a meio campo, joga com William.

25' 33'' - Recupera e desanuvia para Coates.

25' 40'' - Tabela com Coates.

25' 56''- Tabela com Coates.

26' 02'' - Sai em drible e coloca à entrada da área para Podence.

26' 43'' - Recebe a bola na nossa área e coloca-a em Bas

27' 33'' - Recebe de Marvin, tabela com o holandês, desmarca-se para a área, Marvin joga para Matheus e a jogada perde-se.

28' 30'' - Marca um livre perto da nossa área, falta sobre Marvin.

31' 53'' - Passe em profundidade para Matheus a rasgar a defesa contrária. A bola é rechaçada pela linha lateral. Desse lançamento, executado por Marvin para Podence vai nascer o primeiro golo de Bas. Na origem da jogada, Bryan.

34' 11'' - Marca um livre para Coates.

34' 29'' - Um momento de magia, pára com o peito, domina com o joelho esquerdo e com o pé canhoto faz uma assistência para Gelson que é meio golo, o 77 arranca atrasado e deixa-se antecipar pelo guarda-redes.

36' 00'' - Sai em drible pela esquerda e coloca na área em Matheus.

36' 22'' - Recupera mais uma bola no meio campo, coloca em Podence.

37' 54'' - Alivia dentro da nossa área, de cabeça, na sequência de um livre (não) cometido por William (mão/ombro, consoante o jogador se chamar William ou Nelson Semedo; para o primeiro, a mesma parte do corpo, é mão, para o segundo, ombro)

39' 44'' - Abertura para William.

40' 18'' - Recebe após um lançamento lateral e dá de calcanhar para Matheus.

40' 43'' - Corta e atrasa para William.

41' 00'' - Tenta recuperar mais uma bola, esta escapa-lhe sem perigo, a defesa resolve.

41' 52'' - Aparece no ataque a combinar com Podence.

42' 03'' - Joga com Paulo Oliveira.

42' 31'' - Combina com William.

43' 20'' - Marca canto do lado direito, Paulo cabeceia como mandam as regras, a bola passa a centímetros da trave.

45' 10'' - Recebe após lançamento lateral, passa para Paulo Oliveira.

Vamos para intervalo, como vimos, até agora, Bryan esteve "péssimo", está na origem da jogada que dá o único golo, marcou dois cantos que poderiam ter dado golo, um livre que não entrou por milagre e foi carregado dentro da área tondelense numa jogada de possível penalty.

45' 28'' - Parte como uma seta pelo corredor esquerdo , dribla, corre até à linha de fundo e faz um cruzamento perigosíssimo para o coração da área, a defesa do Tondela alivia pela linha lateral.

46' 19'' - Recebe no meio campo, joga em William.

46' 36'' - Controla a bola e passa-a a Coates.

48' 50'' - Sai a jogar, coloca em Matheus.

48' 55'' - Controla a bola e passa-a a Coates.

49' 09 - Passe para Podence.

50' 45'' - Mais uma jogada de ataque, coloca em Matheus.

52' 00'' - A tal jogada, a jogada Monty Python que crucificará Bryan. Vejamos como ocorreu. Recebe a bola de William e coloca em Matheus, este atrasa para Marvin que endossa o esférico a Bryan, o capitão da Costa Rica, passa a bola a um jogador do Tondela (não há outra forma de dizê-lo) apercebe-se, imediatamente, do erro, recua, Coates vai à bola e incomoda o tondelense, Bryan consegue cortar a jogada na direcção da linha lateral onde já está Marvin, o holandês não chega à bola, nem faz falta, deixa andar, a bola é atrasada, Bryan está a ocupar o espaço à frente da área e a bola é atrasada quase para a zona do grande círculo onde está Podence, que não ataca nem a bola, nem o jogador do Tondela, daqui a bola vai para as proximidades da área, onde estão William e Paulo Oliveira, vem, novamente, para trás para a zona onde está Podence, daqui vai para a zona onde estão Coates e Marvin e daí é cruzada para a área onde Paulo Oliveira se deixa antecipar. Parece-me demasiado simplista dizer que Bryan foi culpado deste golo, quem não viu o jogo pensará que ele atrasou a bola para Murillo e este fez o golo. Não foi bem assim.

A seguir a esta jogada Bryan iniciará o lance do 1-2 como veremos a seguir.

53' 55'' - Passe a rasgar para Matheus, este descobre Bas e golo! Parece simples.

75' 48'' - Passe para Matheus, este descobre Bas e penalty. 1-4.

Um para o Tondela, quatro para o Sporting (Bryan não participa na jogada do penalty sobre Gelson que se desenvolve pelo lado direito).

Bryan, como vimos, esteve em  três dos golos leoninos, há olhos que não vêem as flores que ele fez mas acusam-no dum escolho que não fez.

Quem diz escolhos diz flores, de tudo o mesmo se diz , onde uns vêem luto e dores, outros descobrem cores do mais formoso matiz.


comentar ver comentários (37)
16 Nov 16
O filho do pai
Pedro Correia

pinho[1].JPG

Foto: O Artista do Dia

 

Lanço a pergunta à nossa "bancada central": depois daquela óbvia tentativa de agressão em Arouca ao Manuel Fernandes em Setembro de 2012, documentada por tantas imagens indesmentíveis; depois das inqualificáveis injúrias de que foram alvo no mesmo local diversos dirigentes sportinguistas em Novembro de 2015, detalhadas por Luís Gestas, vogal da direcção leonina; depois do "chega para lá" ao director desportivo do Benfica em Setembro de 2016 relatado em pormenor no diário O Jogo, por que motivo o reincidente filho do pai tarda em ser definitivamente irradiado dos estádios de futebol pela justiça desportiva?

Pode ser que alguém me esclareça.


comentar ver comentários (23)
06 Out 16

E ainda há sportinguistas que se questionam se devemos "pegar em armas".

Entretanto continuamos à espera dos processos a dirigentes do clube da coca.


comentar ver comentários (25)
06 Jun 16
Amanhã é dia de festa!
Francisco Vasconcelos

O Joãozinho fica livre.

Como será que vai ser recebido?


comentar ver comentários (4)
27 Mai 16
Só para dizer que ...
Francisco Vasconcelos

Paulo Pereira Cristóvão só em indemnizações vai ter de pagar 57500€. Ah e já agora, o Sporting foi ilibado. Qual vai ser, agora, a conversa da malta do colinho?


comentar ver comentários (16)
O crime não compensa
Edmundo Gonçalves

Defendemos aqui claramente que a posição enquanto sportinguistas ( e cidadãos ) não passa por vencer a qualquer preço.

Condenamos aqui todas as tramóias de que vamos tendo conhecimento, tendentes a falsear a verdade desportiva em concreto e a justiça, de um modo geral.

Seguindo esse princípio, estive sempre do lado dos que condenaram a acção, agora provada em tribunal, de Paulo Pereira Cristóvão, que o levou a uma condenação pesada e a pagar uma indemnização considerável aos ofendidos.

O sentimento dos verdadeiros sportinguistas não passa por actos deste tipo. Se é verdade que por vezes, perante enormes injustiças de que temos sido alvo, o que nos apetece, num repente, é utilizar as mesmas armas que o "inimigo" (adversário, obviamente), o bom senso e o sentido do decoro, da justiça e do cumprimento da Lei, devem nortear sempre a nossa forma de estar no desporto: De cabeça levantada.

Não vale tudo.


comentar ver comentários (14)
08 Abr 16

 

E ao que parece, ao fim deste tempo todo a condicionar um dos melhores jogadores do Sporting, o enorme Islam Slimani não vai ser castigado.

 

Parece-me um desfecho mais que lógico e merecido tendo em conta a absolvição de outros comportamentos consideravelmente mais graves. Poderiam  ter decidido de forma diferente é certo, mas teriam muito trabalho a tentar encobrir o escândalo.

 

Quer-me parecer que este será um final de semana algo estranho e custoso para os lados do Colombo. Se começaram tão bem a semana com a "fantástica" nomeação de João Capela e pela extraordinária vitória moral de terça-feira, hoje levaram um autêntico murro no estômago.

 

Não sei bem o que está a acontecer à máquina, mas começo a estranhar esta mudança. Primeiro, Artur Soares Dias vê a sua nota no jogo Sporting - Benfica alterada por não ter punido uma entrada selvagem ao mágico Bryan Ruiz e, depois, segue-se uma excelente notícia como esta.

 

Querem ver que a sorte está a acabar e começa a haver alguma seriedade? A continuar assim ainda começo a acreditar que se acabaram as ajudas cada vez que estão quase a escorregar.

 

O que eu sei é que agora vai ser só ouvi-los falar (ainda mais) da pouca vergonha que é o Slimani não ter sido castigado.

 

Quanto a nós, só temos é de fazer a nossa parte e continuar a dar tudo, confiantes de que o primeiro lugar vai ser nosso.


comentar ver comentários (108)
29 Jan 16

Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, do alto da sua douta isenção, tudo fará para que Slimani seja impedido de disputar o próximo jogo Sporting-Benfica, da Liga 2015/16, marcado para 6 de Março. Tudo a pretexto de um desafio ocorrido em 21 de Novembro para a Taça de Portugal que terminou com a vitória leonina.

Nada mais cirúrgico do que este bisturi da "justiça" desportiva.


comentar ver comentários (32)
23 Dez 15
Nunca mais
Pedro Correia

Sobre o veredicto do Tribunal Arbitral do Desporto que deliberou a favor da Doyen no conflito que opunha este fundo ao Sporting, a principal lição a extrair é esta: nunca mais a SAD leonina deve adquirir nenhum jogador nos termos em que a direcção de Godinho Lopes contratou Rojo e Labyad, ficando apenas com 25% do passe do primeiro (pagando por isso 1 milhão de euros) e com 35% do passe do segundo (que nos custou 1,5 milhões). À mercê dos humores e da prepotência da parte financeiramente mais forte, que só pretende ver disparar os lucros, ainda que à custa dos interesses dos clubes e dos "craques" - com e sem aspas.

Nunca mais.


comentar ver comentários (4)
13 Nov 15

Há quem se escandalize com a  multa de 40 euros aplicada ao camarada Lito Vidigal. Eu, pelo contrário, acho a factura muito pesada para o treinador do Arouca, que se arriscou a sair daquele lance com vários ossos quebrados e a caixa craniana profundamente danificada. Aconselho as sumas autoridades jurídicas que regem o ludopédio português a encolher para quatro euros a multa àquele exímio mergulhador no relvado. O equivalente a dois pacotes de castanhas.
Essa é que seria a linha justa.


comentar ver comentários (4)
19 Out 15
Lá não é como cá!
Edmundo Gonçalves

Ou o favorecimento e a impunidade à descarada.

 

Alvalade, época 2014/2015, jogo Sporting-Benfica.

Da bancada dos apoiantes do Benfica são lançadas tochas que atingem adeptos do Sporting.

A federação portuguesa de futebol considera o assunto "folclore" e arquiva o caso.

 

Madrid, Vicente Calderón, LC 2015/2016, jogo Atlético-Benfica.

Da bancada dos apoiantes do Benfica são lançadas tochas que atingem adeptos do Atlético.

A UEFA considera graves os acontecimentos e pune o Benfica com 20.000€ de multa e um jogo à porta fechada, com esta parte da pena a ser suspensa por dois anos.

 

Caso para perguntar se o futebol não se rege pelas mesmas leis.

Ainda assim, de referir que por terem os seus adeptos desfraldado bandeiras independentistas da Catalunha foi o Barcelona multado em 40.000€ (já havia sido multado em 30.000€ numa situação anterior pelo mesmo motivo). Caso para perguntar, também, se a vida é menos importante que empunhar uma bandeira, seja ela qual for.

 

Não sei porquê, mas cheira-me que ainda vai aparecer por aqui alguém a comentar criticando a UEFA.


comentar ver comentários (8)
15 Jun 15

Todos queremos que o Sporting vença o processo que o opõe à Doyen no TAS a propósito de transferência de Marcos Rojo para Inglaterra. Todos os que somos sportinguistas, claro.

Ao aceitar ser testemunha abonatória da Doyen, dois anos depois de ter deixado Alvalade em falência financeira e desportiva, Godinho Lopes, coloca-se ao lado de uma empresa que está em conflito aberto com o Sporting.

Com este acto inaceitável Godinho Lopes demonstra assim, a todos os adeptos do nosso clube, que não é sportinguista.

 

ADENDA: «Apesar das divergências com a actual Direcção, não percebo como [GL] aceita testemunhar contra o Sporting. Custa-me ver um antigo presidente neste papel. Podia sempre abster-se e não aceitar testemunhar a favor do fundo de investimento. Lamento profundamente tudo isto, a sua posição é profundamente lamentável.» (Vasco Lourenço, ex-membro do Conselho Leonino, citado hoje no jornal A Bola)


comentar ver comentários (25)
04 Jun 15

Bruno de Carvalho já mostrou não ter problemas em ir para os tribunais dirimir diferendos: primeiro com a Doyen, mais recentemente com a Somague e agora com Marco Silva. Por princípio, sobretudo nos primeiros dois casos, dou o benefício da dúvida a Bruno de Carvalho. Dito isto, confesso que me custa muito ver o Sporting tratar Marco Silva desta forma. Talvez haja factos relevantes que não sejam do conhecimento público. Por outro lado, pode ser que o próprio Marco Silva não tenha facilitado um acordo. Não sabemos, mas creio que temos o direito de ser esclarecidos pelo presidente sobre os motivos que levaram o Sporting a invocar despedimento por justa causa.

Marco Silva sai do Sporting pela porta grande e pela pequena ao mesmo tempo. Agradeço-lhe a sua dedicação e empenho, bem como a Taça de Portugal que ajudou a conquistar depois de sete anos de jejum.


comentar ver comentários (11)
03 Mar 15

Ex-vice-presidente do Sporting detido por suspeita de ataque à mão armada.

Ao que consta foi também detido um membro da Juve Leo.

 

Ora bem, em resumo tivemos uma direcção onde havia um tipo que fazia (alegadamente) assaltos, um que (alegadamente) fugiu ao fisco e outro dedicado à armação de navios paquetes em circunstâncias mais ou menos duvidosas. Tudo isto depois de alguém ter afinado os votos. Lindo!

 


comentar ver comentários (51)
24 Out 14

O Sporting fez muito bem em indignar-se e em demonstrar quão absurda é esta a situação que não permite qualquer tipo de reparação.

A solução não é repetir jogos? Então adotemos outra, que as há em cada vez mais desporto que não o futebol.
É uma pena que tanta gente ande tapadinha e divertida a ridicularizar quando, se calhar, deviamos andar todos a remar para o mesmo lado nesta matéria.

É ver um jogo de futebol americano, ou de rugby. E se todos os golos e penalties fossem validados com apoio a revisão via TV? E se os treinadores tivessem dois ou três challenges como no ténis, quando achassem que uma dessas jogadas críticas tinha sido omitida ou mal ajuizada? Pode-se fazer. É só querer. O erro não morria mas passava a ter uma vida muito mais difícil. O erro e outras coisas...


comentar ver comentários (2)
23 Out 14
Quem não sente...
João Távora

Apesar de provavelmente ser inconsequente, em boa hora o Sporting decidiu apresentar um protesto à UEFA no âmbito da inconcebível de arbitragem que foi origem da derrota com o Schalke. Na sequência das declarações de Jorge Jesus (coitado) ontem no final do jogo do Benfica no Mónaco em que atribuía o mau resultado às mesmas questões  “políticas” da organização que prejudicaram o Sporting, presume-se que o clube de Carnide irá também reclamar a repetição do jogo. É assim mesmo: "Quem não sente..."


comentar ver comentários (6)
27 Set 14
Notícias
Pedro Correia

Uma óptima notícia para o Sporting:

Comissão Arbitral dá-nos razão na venda de Moutinho

 

Uma excelente notícia para o futebol:

FIFA vai proibir passes partilhados entre fundos e clubes


comentar ver comentários (18)
11 Set 14

«Bruno de Carvalho está a fazer aquilo que disse que faria. A auditoria à gestão ainda não chegou e já há propostas de processos a antigos dirigentes do Sporting.»

 

«[Isto] contraria aqueles que achavam que Carvalho não queria mais remexer no passado, preparando-se para engavetar as suspeitas e até as conclusões da auditoria à gestão anterior. Se é verdade que há indícios fortes de ilegalidade, então Bruno de Carvalho fez mais do que a sua obrigação, a de denúncia das práticas que podem constituir suspeitas de gestão danosa.»

 

«Má gestão foi de certeza. Mas gestão danosa é outra coisa: é crime. E agora são os sócios que escolherão se o assunto segue para os tribunais. Nesse caso, ficará claro que o julgamento que interessa não é apenas o das urnas. O Sporting andou muitos anos em mãos muito estranhas, por cima (e por baixo?) de mesas onde se assinaram contratos ruinosos - mas só para o clube.»

 

Da coluna de Pedro Santos Guerreiro, hoje, no Record


comentar ver comentários (4)
10 Set 14

Começam a ser conhecidos os primeiros factos apurados pela auditoria às anteriores administrações do Sporting. Com a transparência e o desassombro que se impõem. Aos poucos, vai-se percebendo, por exemplo, o que esteve na origem dos 90 milhões de euros de prejuízo declarado em dois anos de gestão.


comentar ver comentários (2)
27 Ago 14
Subscrição nacional...
Jose Manuel Barroso

... para pagar a multa ao Jazuz. 153 euros é obra! Depositem a vossa contribuição no banco mau.

Tags:

comentar ver comentários (6)
Saudação especial
Edmundo Gonçalves

Folgo em saber que o coiso "disciplinar" da Liga tomou uma decisão em tempo útil em relação a Jorge Jesus.

Nada mais justo e correcto! a justiça quere-se célere e "justa", passe a redundância, pelo que, da minha parte, levanto o cálice!

 

Vamos estar atentos?


comentar ver comentários (6)
26 Abr 14
Aviso
Luciano Amaral

Eu acho que o campeonato ainda não acabou para o Sporting. É preciso ganhar pelo menos mais um jogo. Se a "justiça" federativa se lembra de tirar 3 pontos por causa da queixinha do dragão chorão contra o "Movimento Basta" e se o Sporting perde os dois jogos e o Porto ganha os dois, ficam eles em segundo.

Tags: , ,

comentar ver comentários (5)
02 Abr 14

comentar ver comentários (8)
21 Fev 14
Suas excelências
Edmundo Gonçalves

Eles, suas excelências, não são calceteiros, zangados porque a Câmara de Lisboa quer acabar com a calçada portuguesa.

Eles, suas excelências, não são desempregados sem subsídio, que só porque estão chateados e têm fome, decidem à sua maneira.

Eles, suas excelências, não são iletrados resultantes do excelente sistema de ensino que foram implementando ao longo dos anos.

Eles, suas excelências, não são médicos, professores, enfermeiros, funcionários públicos, polícias, mulheres a dias, trolhas...que diariamente sofrem na pele as medidas da troika do nosso descontentamento.

Eles, suas excelências, são coveiros!

Eles, suas excelências, são todos juízes. Mas são coveiros!

 

E ainda há quem se admire com o estado em que está a justiça neste país.

Claro que não se pode (nem deve) generalizar, mas com excelências destas como parte interessada, esperava-se o quê?

 

Esperemos que mais cedo que tarde, assim o queiram os clubes ( e o Estado, que também tem muitas responsabilidades nisto) e talvez estejam, alegremente, a cavar a sua própria sepultura.

 

Nojo!

Nojo e repulsa são os sentimentos que me causam suas excelências.

 

Vão à merda!

Tags:

comentar
Sobre a Taça Lucílio.*
Luís de Aguiar Fernandes

Repreensão por escrito, €300 e dez minutos virado para a parede. Com um bocado de sorte, a multa foi logo paga enquanto se escrevia o acórdão, para não terem de incomodar o papa.

 

*Nota: Que, por sinal, está mais perto que nunca de ganhar outra alcunha. Estou aberto a sugestões.


comentar ver comentários (9)
12 Fev 14

... sobre os tempos do caso das meias-finais da Taça da Liga. Na Comissão de Disciplina da FPF, o Sporting ganha 4 a 3. FC do Porto recorre para o Conselho de Justiça. Neste, ganha 5 a 2 - e a pena aplicada é uma multa. Melhores tempos virão.


comentar
05 Fev 14
Vamos lá a ver
Edmundo Gonçalves

... Se não acaba da mesma forma de sempre, ou seja, em "águas de bacalhau":

"Comissão de Inquéritos conclui que existiu dolo do F.C. Porto no atraso com Marítimo"

"Segundo o relatório da CII, estará em causa a infração dos números 1 e 2 do Artigo 116º do Regulamento Disciplinar (Atraso do início ou reinício dos jogos e da sua não realização ou conclusão), que prevê que «serão os clubes punidos com a sanção de derrota e, acessoriamente, com a sanção de multa».

 

A gente sabe que a Taça Lucílio vale o que vale, mas que duma vez por todas coisas destas não fiquem no limbo da impunidade.


comentar ver comentários (2)
16 Out 13
Centros de decisão
João António

Emiliano Insúa cospe no adversário, apanha 2 jogos.

Josué cospe no adversário, apanha 1 jogo. 

Enzo Pérez cospe no adversário, apanha 0 jogos.

Três situações que mostram que o Sporting Clube de Portugal tem que se mexer melhor, onde se decidem campeonatos.


comentar ver comentários (4)
01 Fev 13

Como referi aqui, nunca imaginei que algum juiz pudesse dar provimento a uma providência cautelar destinada a impedir o debate entre os sportinguistas, na sede própria para o efeito, condicionando a autonomia associativa e a liberdade de reunião consagradas na nossa lei fundamental. Esta notícia parece dar-me razão.


comentar ver comentários (4)
09 Dez 12

Há dois conceitos que evito associar às minhas reflexões ocasionais sobre o fenómeno desportivo - e o futebol em particular.

O primeiro é o conceito de justiça. Escuto e leio muitas análises aos jogos ancoradas neste conceito - "se houvesse justiça, a equipa X teria ganho"; "a vitória da equipa Y foi justa".

Ora, salvo no que se refere a procedimentos disciplinares, a justiça não é para aqui chamada. Um desafio de futebol não é uma audiência de tribunal. Aqui o importante é vencer - por uma margem muito dilatada, de preferência, mas se for pela diferença mínima também serve. Que se vença até por "meio golo", como na velha boutade das conversas de café.

Tomemos um exemplo: o Benfica, dizem alguns comentadores, foi afastado "injustamente" da Liga dos Campeões no recente "jogo-treino" (Tito Vilanova dixit) em Camp Nou. "Injustamente" porquê? Porque esse afastamento acabou por ser ditado pela vitória simultânea do Celtic contra o Spartak de Moscovo por um penálti mal assinalado pelo árbitro desta partida.

 

 

Ao pretendermos explicar tudo em futebol recorrendo ao conceito de justiça, acabamos por não explicar nada. Porque aquilo a que por comodidade chamamos injustiça é uma espécie de lei não escrita imanente a todo o jogo. Uma das mais brilhantes proezas técnicas da carreira em campo de Cristiano Ronaldo foi aquilo a que se chama um golo limpo, "injustamente" anulado pelo árbitro por alegada deslocação de Nani numa vitória da selecção portuguesa contra a Espanha.

Eu estava lá - e vi. Nunca hei-de esquecer aquele golo, reproduzido aqui mais acima.

 

É inútil insistir no contrário: não existe uma justiça poética nos estádios que resgata os verdadeiros campeões, projectando-os da relva dos estádios para esse simulacro de Campos Elíseos a que se convencionou chamar verdade desportiva. Penso nisto todas as vezes que me lembro de um dos jogadores mais celebrados da história do futebol. Diego Maradona, ele mesmo. Um dos seus golos mais famosos - e decisivos - foi marcado com a mão, à margem das leis do jogo. Passou à história não como infractor, mas como lenda viva.

Onde mora a justiça em tudo isto?

 

 

O segundo conceito é o de sorte.

Diz-se que Fulano é um sujeito com sorte ou que Beltrano, figura estimável, padece no entanto do facto confirmado por todas as evidências de não ser acompanhado por essa cobiçada deusa a que chamamos Sorte. E ninguém quer figuras tocadas pelo estigma do azar na sua equipa do coração.

Tome-se por exemplo o actual treinador do Sp. Braga, técnico competente mas algo infortunado, ao que dizem: no início da actual temporada, havia adeptos do Sporting a suspirar por ele, sugerindo-o para o lugar do malogrado Sá Pinto. Esses adeptos têm má memória. E provavelmente já estariam neste momento a acenar-lhe também com lenços brancos, como fizeram os do Braga ao verem a sua equipa eliminada há dias pelo Galatasaray, em casa, da Liga dos Campeões, numa espécie de repetição antecipada do que sucedeu há sete anos em Alvalade e se recorda no vídeo aqui em baixo.

 

 

A sorte conquista-se, constrói-se. Dá muito trabalho. Prefiro sempre usar a palavra mérito em vez da palavra sorte. E volto a Cristiano Ronaldo: desde cedo, ainda na academia de Alvalade, onde se formou para o futebol e para a vida, o campeão madeirense prolongava as sessões de treino, continuando a exercitar-se mesmo após a partida dos colegas. Aperfeiçoou e desenvolveu da melhor maneira as suas aptidões naturais. Ultrapassou a fronteira que separa os jeitosos (que é quanto basta quase sempre em Portugal) daqueles que têm verdadeiro talento.

A sorte ajuda? Pois ajuda. Mas não explica nada. Quando Cristiano, com um remate bem colocado, cheio de força, faz tremer o poste da baliza adversária, os analistas que adoram cultivar o lugar-comum dirão: "Teve azar." Ele será o primeiro, no entanto, a reconhecer que esteve quase mas terá de esforçar-se ainda um pouco mais para a bola entrar na próxima vez. Que poderá ser já no minuto seguinte.

 

Experimentem usar mérito ou competência no lugar da palavra sorte. Não é uma simples questão semântica: há toda uma filosofia de vida subjacente às palavras que escolhemos.

Cristiano Ronaldo está para o futebol como Robert Capa estava para as reportagens de guerra. Merecidamente distinguido em vida com o título de melhor repórter fotográfico da sua geração, Capa costumava dizer: "Se a foto não estava suficientemente boa é porque não estavas suficientemente perto."

A sorte é isto. E constrói-se a todo o tempo por aqueles que beneficiam dela.

Também aqui


comentar ver comentários (2)
24 Set 12
Sofrido mas merecido
Alexandre Poço

Já estava a preparar uma pesquisa de eventuais bruxos ou curandeiros para recomendar ao Sá Pinto e aos nossos rapazes, até que a sorte finalmente chegou. Não estamos a jogar ao melhor nível, mas hoje o Sporting mais do que mereceu vencer este jogo. Quer queiram quer não, é impossível negar que coisa que nos tem faltado é sorte nos últimos jogos (Marítimo, por exemplo). Hoje, houve justiça no resultado, pois jogámos para ganhar e estivemos o jogo todo em cima deles. 

 

PS - O comentário do jogo por parte dos dois excelentíssimos senhores da SportTV foi repudiável. Já enervava tanta crítica e mesmo o mais ténue elogio era seguido de uma nova crítica. Esta gente odeia-nos e não tem pudor nenhum em demonstrá-lo a comentar os nossos jogos. A conversa do "coração" e da "cabeça" que durou toda a segunda parte do jogo já metia nojo. Cada vez mais me agrada a ideia de jogos do Sporting com uma sinfonia de Verdi por trás. 

 

PS II - Esperemos que, tal como no ano transacto, a equipa acorde verdadeiramente à 4ª jornada. Ainda há muito jogo pela frente!


comentar ver comentários (1)
14 Set 12

Dos quatro arguidos no caso da contratação do João Pinto no verão de 2000, José Veiga merece tratamento à parte, uma vez que parece ter sido dado como provado o seu envolvimento num outro crime (o branqueamento de capitais) que nada diz respeito aos outros três. É sobre os outros três que eu queria falar.

Por muito que isso custe a quem, como eu, sempre considerou o João Pinto um profissional sério (é recordado com saudade em todos os clubes por onde passou), a dar-se como provada – friso: partindo do pressuposto de que é provada – uma fuga ao fisco, o João Pinto nunca se pode declarar inocente. (Isto digo eu, que não sou advogado.) E por uma razão muito simples: ele recebeu o dinheiro, e quem recebe o dinheiro não pode ignorá-lo: tem sempre o dever de o declarar. (Veja-se o caso mais recente do árbitro que recebeu dinheiro na sua conta, alegadamente transferido a mando de Paulo Pereira Cristóvão.) Por isso, e partindo mais uma vez que se dá como provada a fuga ao fisco, a culpa do João Pinto parece-me inquestionável.

A única dúvida prende-se portanto com a atitude dos representantes da SAD do Sporting. Saberiam efetivamente que se tratava de uma fuga ao fisco requerida pelo jogador e/ou pelo seu empresário (que sempre se apresentou como “amigo”), e por quererem fechar contrato foram coniventes? Limitaram-se a pagar através da maneira que o jogador pediu, declarando o pagamento às autoridades como lhes competia (e o jogador que fizesse a sua parte)? Neste caso fizeram-no sem fazerem ideia do que se estava a passar? Ou simplesmente desconfiavam, mas faziam a sua parte, pelo que não os poderiam atacar?

Creio que só se se desse como provada a primeira hipótese é que poderia haver lugar à condenação dos dirigentes da SAD do Sporting. Parece ter sido esse o caso, a avaliar pela decisão do tribunal. Mas como justificar, então, que toda a operação tenha sido incluída, transparentemente, na contabilidade da SAD (que tem de ser declarada ao fisco)? (Que inclusivé colaborou a fornecer provas da culpabilidade de José Veiga no crime de branqueamento de capitais.)

Quem comete um ilícito em princípio quer escondê-lo. Luís Duque e Rui Meireles apresentaram, e bem, recurso da condenação. E eu gostaria que esta minha questão fosse esclarecida.


comentar ver comentários (2)

 

O Conselho de Disciplina da FPF considerou procedente a acusação contra Luisão - por agressão ao árbitro na sequência do incidente protagonizado na Alemanha no jogo entre o Benfica e o Fortuna Dusseldorf - e castigou o jogador com dois meses de suspensão e 2,550 euros de multa. Para o efeito e salvo algum recurso que poderá ainda surgir por parte do Benfica, a sanção imposta significa que o jogador estará afastado dos relvados até ao dia 14 de Novembro, potencialmente falhando os próximos 11 jogos do Benfica - seis da Liga, quatro da Liga dos Campeões e um da Taça de Portugal. Isto, partindo do princípio de que a participação da decisão que foi remetida à FIFA resultará no castigo ser alargado a todas as competições internacionais. A pena imposta foi a mínima, já que o relevante artigo do Regulamento Disciplinar das Competições Organizadas pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional estipula que para transgressões desta natureza o castigo aplicável é de dois meses a dois anos. 

 

Para uns será um castigo excessivo, para outros insuficiente, mas fica a ideia de que o jogador foi punido pelo mínimo dos mínimos, mas suficiente para não provocar a ira da FIFA, que possui a autoridade para chamar o caso a si. Uma vez que os ânimos dos alemães já foram apaziguados pela visita de Luís Filipe Vieira, não é de esperar qualquer reacção adversa dessa parte. Algo me diz, face às circumstâncias, que o Benfica será aconselhado a não recorrer da decisão para não levantar mais «poeira jurídica» que poderá não aprazer a autoridade máxima do futebol mundial. Isto, não obstante os reconhecidos «trunfos» ao seu dispor no Conselho de Justiça da FPF. Em qualquer dos casos, face à pena mínima que foi pronunciada, um eventual recurso satisfatório aos interesses encarnados só poderá ser a total absolvição do jogador, um cenário muito improvável, mesmo para os imprevisíveis corredores do poder do futebol português.

 


comentar ver comentários (25)
06 Set 12
O que nos espera
Jose Manuel Barroso

A gestão dos episódios Luisão e Jorge Jesus, nas instâncias disciplinares da FPF, não augura nada de bom para o nosso clube, esta temporada. O que se passa no futebol português é uma luta feroz entre vermelhos e azuis para dominar os mecanismos de decisão disciplinar e judicial do futebol português, como etapa de domínio cada vez mais acentuado - ao jeito do que aconteceu nos piores momentos do 'sistema' dos anos 80 e 90. A célebre 'franqueza' de LFVieira (de que mais valia ter um director da Liga vermelho do que uma boa equipa) fez o seu caminho, ao longo dos últimos anos. Nada é verdadeiro, no discurso dos homens de Carnide, quando falam de moral e de ética. Nem no dos outros.

 

Daí a guerra total entre FCP e SLB, que já acentuou a situação de inferioridade do FCP nos media, cada vez mais temerosos do clube de Carnide. E daí o recurso sistemático do clube do 'papa' aos comunicados de imprensa, para ultrapassar esse temor de jornais e jornalistas, os quais os utilizam como forma de tocar temas que, num normal clima de ausência de pressão, seriam investigados e tratados jornalisticamente com normalidade. A liberdade de imprensa, nomeadamente da imprensa desportiva, está largamente condicionada. Internamente, pelo poderoso 'lobby' vermelho das redações e dos comentaristas e, externamente, pelas formas de pressão altamente condicionadoras e amedrontadoras de jornais e jornalistas. Junte-se estas duas parcelas, e compreenderemos o que se está a passar e passou nas últimas semanas.

 

No caso do nosso clube, será necessária uma hábil e inteligente ação 'diplomática' para navegar nestas águas agitadas do novo 'sistema' em construção. E será necessária também uma defesa forte dos interesses do nosso clube, por parte de todos os sportinguistas, a todos os níveis e a começar nos foruns de debate televisivo e nas intervenções públicas de cada um. Não nos iludamos, o esforço da propaganda 'inimiga' para nos desacreditar e dividir - nomeadamente previlegiando as notícias de desestabilização e favoráveis ao desânimo - vai aparecer em momentos chave. Olho e pensamento vivos!


comentar ver comentários (7)

Desconfio que o Luisão vai ser severamente castigado pela F.P.F. com quinze dias de férias no natal.


comentar ver comentários (2)
24 Ago 12
Justiça desportiva
Pedro Correia

A justiça desportiva, quando é a sério, não olha a nomes.


comentar ver comentários (10)
30 Mai 12
Uma questão de 'timing'
Francisco Almeida Leite

Quando o Sporting estava ainda a lutar em várias frentes (Liga Europa, terceiro lugar no campeonato e Taça de Portugal) as notícias que envolviam alguns dos seus dirigentes de topo não paravam. Até à exaustão. Já a Académica de Coimbra não teve a mesma 'sorte'. Veio buscar a Taça de Portugal a Lisboa, aguentou-se na primeira liga e agora este tipo de notícias já podem sair. Sem problema nenhum. 


comentar ver comentários (3)

Autores
Pesquisar
 
Posts recentes

Temos todos dificuldade e...

Há quem não perceba a Lib...

O desespero

Bryan, inteligência e mag...

O filho do pai

Parece que vão instaurar ...

Amanhã é dia de festa!

Só para dizer que ...

O crime não compensa

Preparem-se que agora é q...

Arquivo

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Tags

sporting

comentários

memória

bruno de carvalho

selecção

leoas

prognósticos

jorge jesus

vitórias

há um ano

balanço

slb

campeonato

arbitragem

benfica

jogadores

rescaldo

eleições

mundial 2014

taça de portugal

liga europa

godinho lopes

ler os outros

clássicos

golos

árbitros

nós

euro 2016

futebol

comentadores

crise

marco silva

cristiano ronaldo

scp

análise

humor

formação

chavões

liga dos campeões

slimani

todas as tags

Mais comentados
Ligações
Créditos
Layout: SAPO/Pedro Neves
Fotografias de cabeçalho: Flickr/blvesboy e Flickr/André
blogs SAPO
subscrever feeds