Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Outra assistência para golo

Ricardo Esgaio voltou a ser decisivo. Com mais uma assistência primorosa, contribuindo desta vez para o golo da vitória do Braga frente ao V.Guimarães.

Como escreveu Manuel Queiroz na edição de ontem do jornal O Jogo, é hoje evidente que Esgaio é extremo, não defesa. "É na criatividade ofensiva e não nos apertos defensivos que ele mostra toda a sua dimensão." Foi pena que essa descoberta tivesse ficado por fazer em Alvalade.

 

Ricardo Esgaio

1024[1].jpg

 

Duas primorosas assistências para os dois golos da vitória do Braga, há pouco, frente ao Hoffenheim. Em jogo disputado na Alemanha. Perante uma equipa que acaba de derrotar o Bayern.

Sei que ele já não é nosso. Mas sei também, paradoxalmente, que continua a ser nosso.

Daí o meu orgulho por esta brilhante actuação dele.

Daí o abraço que daqui endereço ao Ricardo Esgaio.

Para quê ir buscar o que já há?

Ricardo-Esgaio-Braga[1].jpg

 

Julgo que a direcção leonina deve uma palavra de justificação aos adeptos. Como é do conhecimento público, andamos ansiosamente à procura do 11.º reforço do ano, um lateral direito. Isto enquanto se mantém sob contrato um jogador para esta mesma posição que não caiu do céu aos trambolhões mas resultou da escolha directa do treinador Jorge Jesus. Ninguém conseguiu perceber ainda por que motivo o técnico passou do oito para o oitenta: faz agora um ano, o ítalo-argentino era apontado como elemento indispensável do plantel, tanto assim que se manteve como titular durante a época inteira; subitamente, não serve sequer como segunda escolha para a mesma posição.

Estou à vontade porque nunca fui entusiasta de Schelotto, como aqui escrevi em tempo oportuno. Mas das duas uma: ou Jesus admite que cometeu um grave erro de avaliação ao pedir o jogador ou fonte próxima do técnico devia explicar à nação leonina por que razão o lateral passou de bestial a besta, sem merecer uma segunda oportunidade.

Já agora, não ficaria nada mal explicar também o que levou a equipa técnica do Sporting a não considerar Ricardo Esgaio sequer como segunda opção para a lateral direita nesta nova época, preferindo num primeiro momento improvisar até Bruno César nessa posição - com as consequências que seriam de supor. Como o Edmundo já assinalou aqui, esta nossa perplexidade é reforçada pelo excelente desempenho do defesa formado na nossa academia no desafio frente ao AIK que permitiu ao Braga seguir em frente nas pré-eliminatórias da Liga Europa. Esgaio, titular da posição, foi um dos melhores em campo. O que não deixou de entristecer todos aqueles que, como eu, preferiam que tivesse continuado de verde-e-branco.

Bons negócios e maus negócios

Rodrigo Battaglia, do Braga, vem para Alvalade a troco de 3,5 milhões de euros. De Alvalade saem Esgaio (a título definitivo) e Jefferson, emprestado por um ano. Não discuto o custo do passe porque não sei o valor de mercado do jogador argentino, mas confesso que me custa ver sair Esgaio sem que lhe tenha sido dada uma hipótese séria de ser titular. Espero que seja um bom negócio mesmo.

Balanço (4)

ricardo-esgaio[1].jpg

 

  O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre ESGAIO:

 

- Edmundo Gonçalves: «Para as laterais apostava em J. Pereira para os jogos da Liga, na direita e em Esgaio na esquerda (fez um belo torneio olímpico naquela posição) até Dezembro e começava a pensar seriamente em ir às compras em Janeiro para ambas as posições (21 de Outubro)

- Eu: «Boa partida, nesta estreia na Liga 2016/17. Muito dinâmico e bem entrosado com a ala ofensiva. Revelou maturidade e vontade de mostrar serviço. Cruzamentos bem tirados aos minutos 28 e 41.» (17 de Novembro)

Francisco Chaveiro Reis: «Esgaio não é aposta e começa a ser tarde para ele. Um empréstimo pode ser solução.» (20 de Dezembro)

- Marta Spínola: «Sigamos em frente, agora há espaço e tempo para experimentar miúdos, reforços, uns com os outros ou isolados. Ponha-se Esgaio na esquerda, não pareceu mal.» (6 de Fevereiro)

- Rui Cerdeira Branco: «Terá feito a melhor época no plantel principal do Sporting, ainda assim curta para ser um valor para o futuro, jogou pouco e teve o ponto alto como profissional do Sporting ao revelar-se decisivo para garantir a equipa B na segunda liga. Tal como sucede com quase todos os jogadores da formação, mitiga muitas das insuficiências ou complexificações técnico-táticas a que é convidado com um adicional de entrega e dedicação.» (14 de Maio)

Balanço (3)

243577_med_sporting_v_v_setubal_taca_da_liga_2fg_2

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre ESGAIO:

 

- Eu: «Aproveita a oportunidade amanhã em Coimbra para mostrares ao treinador o que vales, rapaz. E vales muito.» (29 de Agosto)

- Duarte Fonseca: «Continuo a achar piada ao facto da maioria das pessoas não perceberem Esgaio. Sim, é verdade que errou três ou quatro passes curtos e de fácil execução, mas na primeira parte foi um dos melhores em campo, raramente comete erros posicionais, tem capacidade de jogo interior e tecnica e cognitivamente é muito superior a João Pereira. Neste momento é, sem dúvida, a melhor opção.» (22 de Setembro)

- José Navarro de Andrade: «Neste Sporting não há lugar para o enfado existencialista de Montero que aborda todos os lances à experiência, nem para o déficit de neurónios de Esgaio que nunca sabe muito bem o que se passa à sua volta.» (20 de Dezembro)

Avulsas do jogo com o Nacional

1) A inteligência colectiva e o jogo entre linhas será sempre a melhor forma de entrar numa defesa povoada. Foi preciso entrarem Martins, Mané e (principalmente) Montero para que o Sporting tivesse algumas variações ao jogo que fazia desde início da 2a parte, que consistia em lateralizar e cruzar ao calhas em busca de um cabeceador(mento) perdido. Verdade seja dita que Bryan Ruiz e Gelson também tentaram variar as opções, mas no caso deste último o que pensa ainda não é acompanhado pela forma como executa;

 

2) Como é possível alguém dizer-se profissional de futebol se não tem a mínima afinidade com a bola de...futebol? Sim, estou a falar de Slimani. Que além de ser dos jogadores menos inteligentes que vi jogar, adiciona uma odiosa relação com a bola que chega a ser chocante. É impressionante a quantidade de jogadas de ataque com potencial que são interrompidas por este homem;

 

3) Já estava na hora de Jefferson acordar para esta época. Bem sei que assimilar princípios defensivos aos 27 anos não é fácil, sobretudo para quem tinha muito pouca noção de posicionamento, mas a verdade é que tem que render muito mais;

 

4) O Patrício entre a 5a feira passada (jogo com o Lokomotiv) e o jogo de ontem aprendeu que pode sair da baliza para recolher uma bola metida em profundidade pelos adversários. Um dia destes ainda vai aprender a controlar a profundidade e a sair dos postes;

 

5) Continuo a achar piada ao facto da maioria das pessoas não perceberem Esgaio. Sim, é verdade que errou 3 ou 4 passes curtos e de fácil execução, mas na primeira parte foi um dos melhores em campo, raramente comete erros posicionais, tem capacidade de jogo interior e tecnica e cognitivamente é muito superior a João Pereira. Neste momento é, sem dúvida, a melhor opção.

Balanço (4)

ng2859408[1].jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre ESGAIO:

 

- Leonardo Ralha: «O que mais desejo para o jogo de sábado, além dos três pontos e de outros tantos golos, é que, verificando-se o impedimento de Cédric, Ricardo Esgaio tenha a oportunidade e a inspiração para fazer calar certos e determinados opinion makers quanto aos limites do plantel do Sporting.» (18 de Agosto)

- Paulo Gorjão: «Pareceu-me muito nervoso, mas fez uma boa exibição.» (24 de Agosto)

- Duarte Fonseca: «Fez uma grande exibição, quase sempre decidiu bem e em termos de posicionamento defensivo esteve exemplar (não me venham com o exemplo absurdo de que ele esteve mal posicionalmente só porque os dois lances de maior perigo do Arouca surgiram do seu lado, isso por si só não quer dizer nada).» (25 de Agosto)

- Eu: «Voltou a ser um excelente titular da lateral direita, substituindo o lesionado Cédric pelo segundo jogo consecutivo. E voltou a deixar uma boa impressão, não acusando qualquer pressão nesta estreia num clássico da equipa A.» (31 de Agosto)

Esgaio, Ricardo coração de leão e signo touro

No livro B.A.-BA des symboles, David Gattegno diz-nos que as principais características do Touro são a força e a sabedoria, já sobre o Leão, entre outras coisas, diz-nos: "vencedor de demónios, o leão simboliza a glória".

Mais logo, apesar da campanha do colinho estar no auge, talvez possamos ver em campo o "nosso" Leão, a jogar com força, com sabedoria, com esforço, com dedicação, com devoção e quiçá conseguir a glória; ele e a equipa da Académica, que um jogador de futebol não joga só, que façam um bom jogo, que acabem com onze jogadores dentro do campo e que regressem a Coimbra sem pulseira eletrónica.

Com eles iremos longe

18166231_jdvMH[1].png

 

Estão hoje - e com todo o mérito - em destaque na capa do Record. Sem espaço na equipa principal deste Sporting 2014/15, e com provas mais que dadas na equipa B, em boa hora a direcção leonina decidiu rodá-los, a título de empréstimo, por outras equipas. Iuri Medeiros, ao serviço do Arouca. Ricardo Esgaio, integrado na Académica. E Filipe Chaby, pelo União da Madeira (da Segunda Liga).

Qualquer deles está a dar que falar.

 

Iuri, um extremo de inegável qualidade, leva já 516 minutos em dez jogos e distinguiu-se pela marcação de dois grandes golos: um ao Benfica, outro ao Gil Vicente.

Esgaio, polivalente na ala direita, onde faz qualquer posição, agarrou de caras a titularidade em Coimbra, com 810 minutos em nove jogos. Desde que lá chegou a Académica ainda não perdeu.

Chaby, embora num escalão menor, também se tem revelado um dos maiores: já marcou três golos em dez jogos (604 minutos). Está a ser muito útil na campanha do União da Madeira pela subida à primeira divisão.

Como escreve António Adão Farias hoje no Record, "todos ganharam: o Sporting, porque viu um objectivo cumprido, os clubes que os receberam porque ganharam reforços de qualidade, e os próprios jogadores porque encontraram espaço fulcral para cimentarem evolução profissional e pessoal".

 

Tudo isto é bom. Mas melhor ainda é sabermos que qualquer deles regressará a Alvalade na próxima época. A direcção conta com eles para integrarem o plantel leonino.

A partir de 2015/16 poderão confirmar na equipa principal as excelentes provas que demonstraram no Sporting B e atestadas - nos casos de Iuri e Esgaio - nas imagens que se seguem.

 

 

Podemos chamar-lhes já três reforços. Dignos de ombrear com outros nomes da nossa formação que se têm destacado na equipa principal. Nomes como William Carvalho, Carlos Mané, João Mário e Tobias Figueiredo.

Este é o caminho certo. Estamos a singrá-lo.

Esgaio, Tobias, Podence e Gauld

Vi ontem parte do jogo que opôs o Sporting B ao Santa Clara e confesso que não fiquei muito impressionado. Fala-se com frequência na necessidade de recrutar jovens da equipa B para a equipa A, mas julgo que isso deve ser feito com prudência e parcimónia. Tirando Esgaio, que aliás já jogou na equipa principal e tem mérito mais que demonstrado, do que vi equacionaria apenas dois jogadores: Tobias Figueiredo e Daniel Podence.
Assisti ao desafio sobretudo para analisar a actuação de Ryan Gauld, um dos reforços da nova temporada. Achei-o banal, sem nada que mereça particular destaque, excepto numa jogada em que demonstrou ter bom toque de bola. Mas esteve muito desligado da movimentação colectiva. Julgo que continuará na B por muitos e bons meses.

Um erro de casting?

Paulo Fonseca, no alto da sua confiança cega, disse não ter dúvidas de que André Geraldes será o futuro lateral-direito da Selecção.

No entanto, a avaliar pelos jogos da pré-época e das análises que imprensa e adeptos têm feito às prestações de André Geraldes, poucos sportinguistas porão uma moeda no vaticínio do antigo treinador do Porto.

Ricardo Esgaio, miúdo da formação, com provas mais do que dadas na 2ª Liga, era, no final da época passada, o candidato natural a disputar o posto de lateral-direito no 11 com Cédric. A contratação de André Geraldes acabou, no entanto, por relegar o jovem nazareno para 3ª opção daquela posição. Escrevem, aliás, os jornais que Esgaio já terá pedido para ser emprestado a uma equipa da 1ª Liga para ganhar ritmo, ao invés de continuar a dar um ar da sua graça pela 2ª Liga.

Marco Silva, no alto da sua experiência de ex-futebolista, diretor desportivo e agora treinador, saberá, melhor do que ninguém, com o que pode contar de André Geraldes e Esgaio. O que não pode nem deve fazer é dar, sob o pretexto de se tratar de um reforço, uma tolerância extra a um jogador cujas claras dificuldades de adaptação indiciam, com segurança, que nunca conseguirá vir a ser uma alternativa útil a Cédric, desperdiçando, com isso, outro elemento mais válido para o plantel.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D