Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

E pronto, podem descansar

Aqueles que aqui têm vindo às caixas de comentários, preocupados com a saúde financeira da Doyen Sports, podem finalmente descansar.

O Sporting acabou de pagar os 13,3 M€ que um tribunal suiço, numa decisão que ainda hoje se considera injusta e controversa face ao regulamento das TPO's, obrigou o clube a pagar. Com esta acção, o Sporting liberta uma verba de 6,1M€ retida na UEFA por conta daquela dívida.

Assunto encerrado. Mais um.

Leitura de domingo

Doyen Sports: o poder oculto que manipula o futebol

 

Alguns excertos (traduzidos por mim, com vénia ao jornal El Mundo):

 

«O então vice-presidente da FIFA, Michel Platini, definiu as suas práticas como "uma espécie de escravatura própria do passado". Há um ano e meio, o comércio de jogadores por parte dos fundos de investimento foi denunciado publicamente e proibido pelo organismo que regula o futebol mundial. Mas essas empresas continuam a ameaçar a integridade do desporto através da intervenção que mantêm enquanto proprietárias de clubes. Esta é a história do mais relevantes desses fundos: Doyen Sports.»

 

«Até 1 de Maio de 2015 o fundo de investimento havia completado dezenas de negócios lucrativos, com uma estratégia: comprar, negociar e vender uma percentagem de futebolistas recorrendo a tácticas discutíveis - uma prática conhecida como titularidade por parte de terceiros. Além de trabalhar como agência de representação, ganhando dinheiro em prémios de assinatura e renovações de contratos, a Doyen convertia-se em co-proprietária dos jogadores e negociava-os entre clubes. Até que surgiu a proibição da FIFA.»

 

«Em apenas quatro anos, desde 2011 até à decisão da FIFA, Nélio Lucas expandiu o negócio da Doyen Sports ao ponto de ter chegado a ser comparado com o agente português Jorge Mendes. Criado graças ao património acumulado por uns oligarcas pós-soviéticos, a família Arif, na indústria química do Casaquistão, o fundo garantia em 2013 ter investido 100 milhões de euros em direitos económicos de jogadores.»

 

«Com Radamel Falcão aconteceu algo semelhante. Pela saída do jogador do Atlético de Madrid, gerida pelo seu agente Jorge Mendes no Verão de 2013, a Doyen obteve uma receita de 15,3 milhões de euros. No final de 2011, o fundo havia conseguido 33% dos direitos económicos do futebolista por 10 milhões de euros e apesar de ser evidente a mais-valia, cinco milhões de lucro em apenas 18 meses, Lucas não ficou satisfeito. "O cabrão foi para o Mónaco", escreveu a Arif antes de insultar a mãe do avançado colombiano e concluir: "A carreira dele terminou. (...) Vai acabar desta maneira, a pagar impostos em França".»

 

 

The End

"Supremo Tribunal da Suíça não deu provimento ao recurso dos leões

 

Em virtude da decisão tomada pelo Supremo Tribunal da Suíça e de que hoje tomámos conhecimento, entende a Sporting Clube de Portugal – Futebol SAD fazer o seguinte esclarecimento:
 
1 – O Supremo Tribunal da Suíça decidiu não dar provimento ao recurso interposto pela Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD sobre o chamado “caso Doyen”. Nesse sentido, foi confirmada a sentença proferida pelo Tribunal Arbitral do Desporto de Lausanne (TAS) que condena a Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD ao pagamento de 12 milhões de euros à Doyen acrescidos de juros.
 
2 – A manutenção de situações como esta é uma das muitas razões que têm levado o Presidente do Sporting CP a manifestar publicamente, em inúmeras entrevistas, “vergonha” pelo estado em que se encontra o mundo do Futebol.
 
3 – Apesar de estarmos absolutamente convictos de que a razão nos assiste e está do nosso lado – e a prova de que é assim foi, não só o apoio manifestado pela FIFA e pela UEFA em diversas ocasiões à posição do Sporting CP sobre este tema em concreto e sobre a questão dos fundos em geral, mas também o facto de terem tido intervenção directa no processo – foi também afirmado em diversas Assembleias Gerais da SAD e do Clube e noutros fóruns que este era um processo que poderíamos perder tendo em conta o carácter cego da Justiça.
 
4 – A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD reitera que os impactos financeiros decorrentes desta decisão já tinham sido integralmente provisionados nas contas da Sporting SAD, não apresentando qualquer risco para as mesmas, não sendo necessária a venda de activos como por exemplo a alienação de direitos desportivos de atletas, cumprindo as regras do Fair Play financeiro e a reestruturação financeira aprovada em 2013."

 

Agora é pagar e seguir em frente, trilhando o caminho escolhido, sempre do outro lado da estrada.

Nunca mais

Sobre o veredicto do Tribunal Arbitral do Desporto que deliberou a favor da Doyen no conflito que opunha este fundo ao Sporting, a principal lição a extrair é esta: nunca mais a SAD leonina deve adquirir nenhum jogador nos termos em que a direcção de Godinho Lopes contratou Rojo e Labyad, ficando apenas com 25% do passe do primeiro (pagando por isso 1 milhão de euros) e com 35% do passe do segundo (que nos custou 1,5 milhões). À mercê dos humores e da prepotência da parte financeiramente mais forte, que só pretende ver disparar os lucros, ainda que à custa dos interesses dos clubes e dos "craques" - com e sem aspas.

Nunca mais.

Tiro ao Sporting

ads_sniper6.jpg

Quando soou o apito final na Choupana e o Sporting, praticamente, perdeu a possibilidade de terminar o ano em 1º lugar no campeonato (o Porto x Académica ainda não tinha começado), lembrei-me, de imediato, das avisadas palavras de Jorge Jesus, mal chegou ao nosso clube. O Sporting vai intrometer-se na luta pelo título.

Para os mais esquecidos, recordo que o treinador do Sporting nunca disse que esta época, de leão ao peito, iria ser campeão, mas, antes, que a equipa iria bater-se junto de Porto e Benfica.

Por isso, relegado o Sporting para o 2.º lugar, há que encarar sem dramatismos a nova posição que a equipa assume na tabela classificativa. Estamos e permanecemos na luta pelo título, nisso o treinador está a cumprir com a sua palavra. Quanto a sermos campeões, sinceramente, só alguém fora do seu juízo perfeito é que poderá garantir esse desfecho a 20 jornadas do fim e com tantos jogos difíceis ainda por disputar.

Segue-se agora uma breve paragem na competição, que será importante para fazer descansar jogadores nucleares e que, infelizmente, tiveram um curto período de férias no defeso (Bryan Ruiz, William Carvalho, João Mário, Paulo Oliveira). Nota-se alguma quebra física na equipa nos últimos jogos e quando isso sucede as falhas de concentração surgem com mais frequência. O descanso vai fazer bem.

Depois de eliminados da Taça (num jogo em que não podem acusar a equipa de nada) e perdido o 1.º lugar de forma inglória, surgiu ontem a decisão do caso "Doyen". Três contratempos em menos de uma semana.

O cenário ideal para que adeptos dos rivais e sportinguistas-só-quando-dá-jeito não perdessem tempo para disparar sobre o Sporting.

Apesar da larga incoerência que subjaz muitos dos comentários, não posso deixar, ainda assim, de sorrir perante a enorme importância que dão ao Sporting (mais até do que aos seus próprios clubes). É que ainda há pouco tempo, quando o Sporting perdia jogos atrás de jogos, não se apurando sequer para a Europa, muitos desses adeptos já nem se davam ao trabalho de ir ao estádio verem os seus clubes jogar contra o Sporting. Até lamentavam o estado em que se encontrava o Sporting. Hoje, são os primeiros a marcar comparência quando se trata de jogar contra o Sporting.

Não é só estar em 1º lugar que o Sporting tem de se habituar. Também ser o alvo a abater passou a ser um novo estado.

No próximo dia 2 de Janeiro, só há uma resposta possível: lotar Alvalade. O Sporting tem de sentir esse empurrão do seu mais importante jogador, o 12.º.

Isto é como no futebol

Há sempre a possibilidade de se perder.

A justiça americana, por exemplo, é pródiga em condenar réus inocentes, corrigindo nalguns casos a mão. Alguns desgraçados passam vidas inteiras na prisão, alguns até no corredor da morte, num limbo que nenhum de nós imaginará. Segundas opiniões de tribunais de outras instâncias têm devolvido estes homens e mulheres à vida, inocentando-os.

Ora, neste processo com a Doyen, o TAS deu razão ao fundo.

Este era um dos desfechos previstos, o pior cenário e que acabou por acontecer.

Vai agora abrir-se caminho a outra das fases também previstas: O recurso para o tribunal superior suiço.

Veremos se alguém que provavelmente estará menos "contaminado", toma a mesma decisão e salva a vida, não ao Sporting que a esse nunca matarão, mas ao futebol.

Por mim, tome a que tomar, o apoio a esta luta continuará a ser incondicional.

Irrita-me que um desporto que amo sirva para acobertar bandidos de toda a espécie. Vigaristas, gatunos; Seja uma enorme lavandaria de dinheiro oriundo do mundo do crime. Se a via é esta, que se acabe com ela rapidamente, sob pena de se acabar com o próprio futebol.

 

Nota 1 - Para os mais incautos, este é um post apenas para sportinguistas, concordem ou não com o post ou a decisão do Clube.

Nota 2 - Para os mesmos ou para outros, esta decisão, segundo parece que não sou jurista, permite recurso para o tribunal civil (como todas dos tribunais desportivos, aliás).

Os fundos

Vem hoje na edição de "O Jogo" que Ola John, emprestado ao Reading da segunda liga inglesa, pode render oito milhões (de euros) ao Benfica. Concretamente se esse clube subir de divisão.

Ora, como diria um distinto benfiquista, vamos lá esmiuçar a coisa:

Ola John não foi vendido nesta "janela de mercado" por uma razão muito simples, ninguém ofereceu nada de jeito por ele! Melhor, ninguém ofereceu nenhuma verba que compensasse o Benfica pelo investimento.

O contrato assinado entre as partes aquando da compra do passe do jogador, obriga o Benfica a vendê-lo até 31 de Agosto de 2015. Do valor da venda, metade cabe ao fundo; Se o não vender, o Benfica terá que pagar à Doyen uma verba de seis milhões de Euros. Os termos estão aqui, para consulta. 

Ora, segundo os termos do acordo citado, ao Benfica restarão dois milhões de Euros dessa hipotética venda. O que certamente não cobrirá o investimento.

Mas como eu estimo muito que o Benfica se lixe, não estou minimamente preocupado com este assunto. Ele vem aqui à baila apenas para reforçar duas teses:

Primeira: Os fundos são sempre parte de leão nestes negócios; O fundo nunca perde!

Segunda: Percebe-se porque foi o Benfica  testemunhar contra o Sporting no TAS. São seis milhões de motivos.

 

Dedicado aos nossos jornalistas

O blogue O Artista do Dia é justamente considerado um dos melhores blogs dedicados ao nosso Sporting. 

Este post é de leitura obrigatória. Os nossos jornalistas, principalmente os chamados jornalistas desportivos, deviam corar de vergonha ao ler o que este jornalista italiano escreveu. Com três jornais diários desportivos, programas incontáveis a discutir futebol e até hoje não houve a coragem (porque é disso que se trata, de ter coragem) de fazer uma investigação sobre fundos, sobre as suas ligações e sobre como estes fundos estão a levar à falência os clubes de futebol. No referido post está também o link para o original da reportagem, em italiano. Vale muito a pena visitar e ler todo o trabalho de Pippo Russo. 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D