Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

O estado do futebol português

Perante o caso dos mails, o benfiquismo tem reagido sobretudo de duas maneiras:

1) Aquilo não é nada. Quem assim responde são os "cartilheiros" ou, então, são os crédulos (nos cartilheiros) em estado de negação. Note-se que mesmo o caso do bruxo Nhaga, que é usado pelo cartilheirismo para desvalorizar as revelações tripeiras, é bastante sério: se eu fosse accionista da Benfica SAD (cruzes credo!) não gostaria nada de ver usada aquela quantidade de dinheiro em bruxaria. Não sou advogado, mas pergunto-me se não se tratará mesmo de um caso de gestão danosa. Isto assumindo que estamos a falar realmente de bruxaria e não de linguagem cifrada para outro assunto qualquer.

2) O que o Benfica faz todos fazem, seguido de um choro copioso sobre o "estado a que chegou o futebol português". Estes não são cartilheiros e são forçados a admitir que há ali gato (ou galinha). Também têm graça: até o Porto ter começado com as suas revelações, viviam encantados com o estado do futebol português. Afinal, aí estava o Benfica como há muito não se via. Os outros eram queixinhas, que "jogassem à bola". Antigamente, era tudo uma roubalheira do Porto. Agora, já "são todos iguais". É evidente que esta lamentação genérica significa uma coisa muito simples: deixar tudo como está. O problema pode ser genérico (não sei se é e, sendo, de que maneira se distribuirá pelos vários clubes), mas neste momento os indícios apontam só para um lado. Não precisamos de carpideiras sobre o estado do futebol português. Precisamos é de esclarecer isto bem esclarecido.

Não é por e-mail, é mesmo por aqui

Mexam-se!

Sr. presidente da república;

Sr. presidente da assembléia da república;

Senhores deputados à AR;

Sr. primeiro-ministro;

Sr. ministro da educação e Sr. secretário de estado da juventude e do desporto;

Sr.ª ministra da justiça;

Sr.ª procuradora geral da república;

Sr. director nacional de polícia judiciária

 

Aguarda-se que levantem esses rabos das secretárias e mandem investigar esta pouca vergonha!

Sob pena de serem considerados coniventes com o fim do futebol em Portugal.

 

Ésse éle dê

"Quanto mais alto se sobe maior é a queda".

António Aleixo tem uma quadra que se pode adaptar à situação que os benfiquistas lampiões estão a passar:

"São de um clube instruído

São uns doutores em resumo

São de um clube que espremido

Não dá caroço nem sumo"

Embora, neste caso, o último verso não esteja correcto, é um clube que tem muito caroço para distribuir por árbitros, por observadores de árbitros e por mais uns quantos.

Parece que já não restam dúvidas.

Vão mesmo para a segunda divisão.

SLD, Sport Lisboa e Descida.

 

O novo sistema

No seguimento de ter lido que Jorge Sousa obteve nota positiva após a sua paupérrima exibição no ultimo derby, não consigo não esconder a minha preocupação. Parece que impera um novo sistema e que após o apito dourado, temos agora o apito encarnado.

Resta saber quanto tempo vamos ter de esperar até serem tomadas medidas para punir quem adultera a verdade desportiva. Urge acabar com a impunidade de que certas figuras e instituições gozam, sob pena de, qualquer dia, nem valer a pena entrar em campo, tal é a viciação do jogo. É simplesmente nojento o clima que se vive atualmente no futebol nacional, e o triste é que parece que o mal veio para ficar. É que têm sido umas atrás de outras. Resta saber qual será a próxima

Para quando?

Para quando uma comunicação social isenta que não se deixa manipular pelos interesses de um departamento de comunicação, com o intuito de engrandecer os feitos de uns e abafar os feitos de outros?

Para quando uma punição severa aos àrbitros, observadores, delegados da liga e dirigentes que prejudicam a verdade desportiva?

Para quando a existência de uma competição limpa, sem manobras de bastidores, e o fim do clima de suspeição em que vive o nosso futebol?

 

É caso para dizer: "É bom que seja para ontem!"

Cinco questões

Após a péssima arbitragem da primeira mão, escarrapachada em todos os jornais e televisões, não devia a UEFA ter nomeado gente com mais categoria para arbitrar a segunda mão?

Como pode a UEFA vir falar de Fair Play financeiro quando não está minimamente preocupada com a verdade desportiva?

A luta que BdC (e muito bem!) encetou contra os Fundos não terá tido reflexos nos últimos jogos do Sporting?

E agora, já acreditam no enorme poder da Máfia russa?

Será que Michel Platini não deveria ser outrossim investigado?

Severos avisos à navegação

History_Speeches_6001_Titanic_Survivor_Eyewitness_

 

Quando se vive acima das possibilidades, quando as despesas suplantam largamente as receitas, "quando a cabeça não tem juízo" (como cantava o António Variações), "o corpo é que paga".

Até no futebol, que chegou a ser uma coutada de inimputáveis mas hoje felizmente já não é. Reparem no que acaba de acontecer ao CSKA, de Sófia, outrora um emblema grande do futebol europeu, 31 vezes vencedor do campeonato búlgaro: foi relegado para a terceira divisão por acumulação de dívidas.

Pior ainda é o que acaba de suceder ao Parma: afundado em dívidas, com o presidente preso por branqueamento de capitais, o clube italiano que venceu duas vezes a Taça UEFA e tinha uma supertaça europeia na sua sala de troféus, entrou em bancarrota financeira e colapso desportivo. Recomeçará no último escalão do futebol italiano se ainda conseguir encontrar um investidor capaz de o recuperar das cinzas.

Fica o aviso à navegação.

O paiozinho

Após quase uma semana sobre o jogo na luz, para além da forma sistemática como o Sporting tem sido prejudicado, lemos e ouvimos as diversas reacções e fica claro qual o verdadeiro adversário do Sporting nos últimos anos e no presente. O mundo do futebol permite o aparecimento público de personagens que de outro modo nunca sairiam da mais reles existência anónima. É um mundo traiçoeiro, onde o chico-esperto encontra o meio perfeito para se destacar. Ao lidar com emoções primárias, no fundo aquelas que mais prazer nos dão, várias personagens que pululam neste mundo conseguem passar por homens sérios, daqueles que temos por hábito ouvir e respeitar. As diversas classes dirigentes neste meio actuam por reflexo corporativo, não há qualquer pensamento estruturado, nem capacidade para isso têm, apenas tentam manter-se à tona na imundice onde navegam e que a eles lhe cheira a jasmim. Não têm qualquer pensamento critico, são sabujos e sentem-se bem de chapéu na mão e coluna sempre dobrada, os cornos, esses andam sempre bem rentes ao chão, na esperança de conseguirem lamber alguma migalha que vá caindo.

Usam a forma mais primária para arregimentar hordas de seguidores, estes também sempre esperançosos de agradar ao chefe, para conseguir a posiçãozita, o paiozinho que tanto ouvem falar mas que nunca chegaram, nem chegarão a comer. Não há regras para estes energúmenos, apoiam-se no fito de olharem para este mundo como a tábua de salvação para as suas inexistentes virtudes. É este o sistema contra o qual o nosso Sporting tem que lutar, o jeitinho,o compadrio, as relações que se vão tecendo, nunca para benefício do desporto, mas sim para se manterem a boiar.  A vaidade está-lhes no sangue, no lugar da competência e da humildade. São estes seres rastejantes que recebem honras e condecorações, como se se tratassem de homens bons e justos. No fim de cada dia abotoam-se descansados às, para eles, metas atingidas, não querem saber se com isso vão, passo a passo, levando cada vez mais adeptos deste desporto-rei a afastar-se, desiludidos com esta forma de estar no futebol. Mas mesmo que queiram muito instaurar esta forma de actuação como paradigma, que seja este o seu único desiderato, devem saber que aqui no Sporting não baixamos os braços e vamos à luta, o único caminho possível.

Bem me parecia...

Já não é suposição, mas realidade. Logo no início do campeonato cheirou-me a esturro a atitude pressecutória dos árbitros contra o Sporting. Hoje pasmo, ao ler no DN que a PJ investiga corrupção num jogo Sporting-Marítimo. Só num? E só a um árbitro? Depósito num banco da Madeira no valor de 2.000 euros na conta do árbitro assistente José Cardinal a poucos dias do Sporting-Marítimo e que está na origem de uma investigação da Unidade Nacional contra a Corrupção. E se um assistente recebe 2.000 será que o árbitro recebe 5.000? Haverá já tabelas? O que eu sei é que o Sporting perdeu aquele jogo com o Marítimo. E por que não esmiuçar os casos do tal Sporting-Marítimo? Pois é...

 

ADENDA: Se as últimas notícias vindas a público sobre este assunto forem verdadeiras, terei grande vergonha.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D