Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

O fascinante mundo da matemática

Não haja dúvidas de que a matemática é uma actividade fascinante, que tanto dá para descobrir qual é o acorde inicial de A Hard Day's Night quanto para esclarecer alguns aspectos engraçados das contas do nosso campeonato. Por exemplo, o leitor Mário João escreveu o seguinte comentário neste post do Pedro Correia: "a verdade é que o Sporting, ao contrário do Benfica, deixou de depender de si próprio para ser campeão". Tão verdadeiro quanto falso. Senão repare-se: é verdade que o Sporting já só pode disputar três pontos directamente com o Porto, estando a quatro de distância, enquanto o Benfica ainda vai disputar seis, estando a cinco. Mas basta o Benfica ganhar uma vez esses três pontos (e admitindo que tudo o resto se mantém igual) para isso deixar de ser verdade: o Sporting também só passará então a depender de si próprio para ser campeão e com vantagem de um ponto sobre o Benfica. Ou seja, a dependência do Benfica apenas dos seus próprios resultados para ser campeão implica voltar a fazer o Sporting depender apenas dos seus próprios resultados para ser campeão. Por isso, força Benfas, dá cabo deles!

 

Hoje giro eu - Jesus quer mais discípulos

A fazer FÉ no Jornal "O Jogo", Jorge Jesus entende que não tem segundas linhas à altura e quer ir ao mercado em Janeiro para reforçar 5 posições: defesa central, lateral esquerdo, médio ofensivo, extremo e ponta-de-lança.

Fazendo FÉ no Relatório e Contas da Sporting SAD, os proveitos ordinários (operacionais) originados pela sociedade não são suficientes para garantir a sua sustentabilidade (obrigando a vendas - proveitos extraordinários) atendendo ao necessário investimento na equipa de futebol, o qual tem crescido bastante nos últimos 2 anos.

Ora, uma coisa está intrínsecamente ligada a outra e é tempo de Bruno de Carvalho pôr termo a estas constantes exigências de Jorge Jesus, à sua impaciência, incapacidade de aproveitar o plantel ao seu dispor e melhorar os jogadores - que contrasta fortemente com o que Sérgio Conceição está a fazer no FC Porto - e permanente desculpabilização.

Em primeiro lugar, é necessário fazer o exercício de analisar se não temos em casa as soluções para as lacunas detectadas: começando pelo defesa central, JJ manifestou vontade em contar com André Pinto, tendo o Sporting contratado o atleta, o qual estava em final de contrato com o Braga. Inclusivé, após acordo com António Salvador, o atleta chegou a Alvalade ainda antes do final da época transacta o que lhe permitiu ambientar-se ao clube e aos métodos do treinador. A entrada deste atleta implicou a saída de Paulo Oliveira, um jogador que fez uma óptima dupla com Naldo em 15/16 antes de JJ ter mudado os centrais, colocando Coates e Semedo a titulares. O ex-vimaranense nunca comprometeu e constituiu-se sempre como uma confortável solução partindo do banco pelo que a sua venda só pode ter significado que Jesus apostava forte em André Pinto. Além disso, Tobias regressou e ainda temos o turco Demiral na equipa B. Assim sendo...

Na lateral esquerda, Jesus colocou de lado Jefferson e Marvin Zeegelaar (e até Esgaio que chegou a jogar no Dragão), apostando no empréstimo de Fábio Coentrão e no regresso de Jonathan Silva. Com o vilacondense a ser gerido com pinças, o argentino tem tido oportunidades, mas não se tem mostrado à altura do desafio, o que põe em causa as dispensas promovidas pelo treinador. Atendendo a que Coentrão terá de regressar ao Real Madrid, no final da época, aqui concordo que teremos de ir ao mercado.

A posição de médio ofensivo é actualmente preenchida por Bruno Fernandes e Alan Ruiz. A confirmar-se a saída do argentino - "cut your losses short" - o Sporting deveria promover o regresso de Francisco Geraldes. Num 4-3-3, volta a haver lugar para Xico, um médio com larga visão de jogo, a merecer uma oportunidade desde que o treinador não insista num ensaio sobre a cegueira.

Nas alas, JJ possui Iuri e Podence como alternativas. O açoriano precisa de algum acompanhamento psicológico que lhe reforce os índices de confiança, Daniel é um extremo de raíz que se perde como "mezzapunta".

Finalmente, à frente, Jorge Jesus tem actualmente um jovem internacional angolano de grande potencial. Gelson Dala é um jogador com finta, recepção orientada, rapidez e capacidade de concretização, qualidades que merecem a aposta do técnico.

Em resumo, as finanças do clube e o exemplo que vem do Norte - aproveitamento dos proscritos Aboubakar, Marega, Sérgio Oliveira, Diego Reyes e Ricardo Pereira, além da reabilitação de Brahimi - atestam a necessidade de desenvolver as competências internas e de promover soluções dentro do plantel (a excepção deveria ser a lateral esquerda). O trabalho meritório desta direcção não pode ser comprometido pela falta de atenção que o treinador parece devotar a algumas putativas opções.

Esta época navegamos sobre gelo fino. Não vendendo mais jogadores não há espaço para mais aquisições, se quisermos ter as contas equilibradas. 

Tem a palavra Bruno de Carvalho...

 

P.S. Tantas vezes se tem criticado aqui (com alguma razão, diga-se) a política de comunicação do clube e do seu presidente que ficaria mal não elogiar as palavras de Bruno de Carvalho a propósito da visita a Oleiros, independentemente da contrariedade de ter de jogar num sintéctico, evidenciando uma sensibilidade fora do comum para com o sofrimento de uma população, mostrando aquilo que o futebol tem de melhor: paixão, festa e, já agora, solidariedade. Chapeau!!

 

 

Ética - Detalhe das movimentações do mercado de Verão

A divulgação ontem, pela SAD do Sporting, do detalhe das operações de compra, venda e empréstimo de jogadores durante o mercado que fechou a 31 de Agosto é uma boa prática de gestão, a qual se insere numa política de transparência que, em meu entender, deveria ser seguida por todos os clubes/sociedades desportivas. 

A Sporting SAD pode orgulhar-se de, mais uma vez, ter sido pioneira neste tipo de "report", o qual, até por não ser a primeira vez que ocorre (anteriormente divulgado a 10/2/2017 - mercado de Inverno - e a 9/9/2016), cria um novo paradigma nas relações da sociedade com os seus accionistas e público em geral, destacando-se neste último, os sócios, adeptos e simpatizantes do Sporting Clube de Portugal.

Analisando o detalhe daquilo que foi comunicado, temos a seguinte situação (de notar que no R&C de 2016/17 aparece referência a uma cláusula de compra obrigatória e um prémio, referentes ao atleta Doumbia, de 3M€ e 3,5M€, respectivamente, valores que deverão ser deduzidos ao "Saldo após Comissões"; por outro lado existem bónus contingentes associados às vendas até um valor máximo de 7,8M€):

 

  Valor (M€) Comissões (M€)
Compras -28,2915 -5,15
Empréstimos sem opção de compra -1 0
Empréstimos com opção de compra -1,65 -0,345
Vendas 51,825 -3,15
Saldo 20,8835 -8,645
Saldo após Comissões 12,2385  

Sustentabilidade - R&C Sporting SAD 2016/17

1. A Sporting SAD apresentou um Resultado Liquido positivo (lucro depois de impostos) de 30.537M€, no exercício de 2016/17 (contas anuais de 1 de Julho de 2016 a 30 de Junho de 2017), pelo que os Capitais Próprios da Sociedade passaram a ser positivos no valor de 5,618M€.

 

2. A Sociedade apresentou o maior Volume de Negócios (Proveitos Operacionais+Proveitos com transacção de jogadores) e de Proveitos Operacionais (todas as rúbricas cresceram) da sua história, com valores de 172,998M€ e 80,001M€, respectivamente.

 

3. A Direcção presidida por Bruno de Carvalho pode orgulhar-se de ter apresentado os 3 melhores "scores" em termos de Proveitos Operacionais: 80,0M€ (16/17), 68,7M€ (15/16) e 58,3M€ (14/15).

 

4. Crescimento dos Proveitos Operacionais no último exercício: +16,4%.

 

5. Crescimento dos actuais Proveitos Operacionais face ao último exercício antes da entrada da Direcção presidida por Bruno de Carvalho (12/13): +150%

 

6. Gastos com Pessoal: 63,998M€, +32,2% face a 2015/16, 80% dos Proveitos Operacionais.

Nota: Este rácio parece demasiado elevado, embora consideravelmente mais baixo que o registado em 11/12 (104,42%) ou 12/13 (130%). Por outro lado, também registar que neste exercício os gastos com pessoal cresceram mais do que os proveitos operacionais, o que não é positivo. Existe uma nota no R&C que fala numa futura indexação, mas não estipula um limite.

 

7. As transferências de André Pinto, Piccini, Mattheus Oliveira, Battaglia, Bruno Fernandes e Doumbia já constam do Relatório e Contas, bem como a venda de Ruben Semedo. As aquisições de Salin, Ristovski (empréstimo), Coentrão (empréstimo), Acuña e Mathieu entrarão no exercício de 2017/18.

 

8. Sobre Doumbia, a novidade é que o Sporting comprou apenas 70% dos direitos desportivos e, além do valor de aquisição de 3,5M€, pagou ao jogador um prémio de assinatura de 3M€ (mais comissão de intermediação de 700 mil euros). Também da venda de Ruben Semedo há um encargo de 1,4M€ (10% Valor Transferência), mas não se percebe se é uma comissão ou parte do passe detido por terceiros. Embora mais à frente se diga que o Sporting detinha 100% do passe, este valor também não aparece discriminado nas Comissões.

 

9. O Passivo cresceu 61,6M€ (+24,7% face a 2015/16). Importa, no entanto, realçar que o passivo bancário decreceu 4,6M€. O crescimento do passivo deve-se à aquisição de jogadores (+25M€ no crescimento da rúbrica de Fornecedores correntes, pois os jogadores nunca são pagos a pronto), à cedência de créditos futuros sobre Direitos TV (+16,99M€, taxa média do Factoring de 3,25%), uma dívida de 10M€ à Sporting Comunicação&Plataformas, além do lançamento na rúbrica Passivo, do acréscimo de  ordenados e demais encargos com a equipa de futebol (que são efectivamente pagos após o fim do mês de reporte) e de outros rendimentos a reconhecer. Por outro lado, a Sporting SAD é ainda credora de 56,5M€, essencialmente de clubes, destacando-se o Inter (20 milhões), o Leicester (10 milhões) e o Villareal (8,5 milhões), devido aos acordos estabelecidos aquando das vendas de João Mário, Slimani e Ruben Semedo. Tudo considerado, a cedência de créditos futuros sobre as receitas da SportingTV (10 milhões, Sporting C&P) será a que não encontrará compensação directa no curto-prazo.

 

10. A conta à ordem retida para pagamento das VMOCs tem um valor a 30/6/2017 de 3,1M€ (já reforçada em +2M€ com o apuramento para a Champions, valor que entrará no R&C de 17/18).

 

11. Duas notas finais em termos qualitativos e de Responsabilidade Social: 13 jogadores provenientes das EAS foram incorporados neste exercício nas diversas equipas de Formação que jogam os campeonatos oficiais; 80% dos residentes na Academia Sporting, de Alcochete, tiveram aproveitamento escolar no ensino secundário.

 

12. De referir que, já após o fecho das contas, o Sporting viu ser reconhecido pelo Tribunal de Nyon o excesso de retenção de receitas UEFA, no âmbito do processo Doyen, o que resultou numa libertação de uma verba de 2,821M€.

 

13. Conclusão: Exercício globalmente positivo, com o senão do crescimento dos gastos com pessoal suplantar o dos proveitos ordinários (sem vendas de jogadores). O aumento do passivo parece justificado pelo que já expliquei no ponto 9.

Do ponto-de-vista da qualidade da informação, o Relatório é um nadinha menos detalhado do que é costume e continua a aparecer uma rúbrica de Passivo, de pagamento de intermediações e outros, apresentada como Outros Fornecedores de 8,6M€, valor que mereceria, na minha opinião, outro detalhe, mas ainda assim é um Relatório bastante analítico, acima da concorrência, e considero que constitui uma boa prática de gestão, pelo que será justo endereçar os meus parabéns a Carlos Vieira. 

Sustentabilidade - as contas da SPORTING SAD

Hoje irei abordar alguns indicadores de actividade da Sporting SAD, desde a época 2001/2002 até ao último relatório disponível, o intercalar do terceiro trimestre de 2016/2017.

 

Em primeiro lugar, devo referir que os RESULTADOS LÍQUIDOS ACUMULADOS registam uma PERDA DE 138,5 MILHÕES DE EUROS. No mesmo período (desde 2001/2002), os RESULTADOS LÍQUIDOS ACUMULADOS SEM RENDIMENTOS EXTRAORDINÁRIOS registam uma PERDA DE 427,2 MILHÕES DE EUROS. A rubrica de RENDIMENTOS EXTRAORDINÁRIOS apresenta um valor positivo de 288,7 MILHÕES DE EUROS, que se segmentam desta forma: 223,2 MILHÕES DE EUROS de VENDAS DE JOGADORES, 65,5 MILHÕES DE EUROS de ALIENAÇÃO DE PATRIMÓNIO IMOBILIÁRIO.

 

Segmentando, embora hajam algumas sobreposições devido ao facto de os mandatos presidenciais não corresponderem com as épocas desportivas sobre as quais incidem os Relatórios e Contas (aspecto a rever urgentemente, do meu ponto-de-vista), teremos as seguintes indicadores por Presidente:

 

RESULTADOS LÍQUIDOS: Antonio Dias da Cunha -59,2 M€ (de 2001 a 2004), Filipe Soares Franco +58 M€ (inclui venda de património de 65,5 M€, de 2004/2005 a 2009), José Eduardo Bettencourt -70,3M€ ( 2009/10 e 2010/11), Luiz Godinho Lopes -89,7M€ (2011/12 e 2012/13) e, finalmente, Bruno Carvalho +22,7M€ (desde 2013/14).

 

RESULTADOS SEM RENDIMENTOS ESTRAORDINÁRIOS: Antonio Dias da Cunha -89,5M€, Filipe Soares Franco -43,0M€, José Eduardo Bettencourt -88,7M€, Luiz Godinho Lopes -112,1M€, Bruno de Carvalho -93,9M€.

 

Números preocupantes, sem duvida, que mostram uma gestão com maior sucesso nos mandatos de Filipe Soares Franco e de Bruno de Carvalho, embora dependentes maioritariamente de vendas de património, no primeiro caso, e de alienação de passes de jogadores, no segundo.

 

Outros indicadores que julgo relevante trazer aqui:

Filipe Soares Franco herdou Rendimentos Ordinários (receitas correntes, por oposição a receitas extraordinárias) de 25,4M€ (2003/4, Dias da Cunha) e subiu-as para 46,8M€ (2008/9), no tempo de JEB as receitas correntes desceram para cerca de 35M€, valores semelhantes aos de GL (40,7M€ e 32,0M€), subindo depois com Bruno de Carvalho (68,7M€ em 15/16 e 63,3 no final do terceiro trimestre de 16/17).

 

Outro indicador que considero digno de análise é o racio CUSTOS COM PESSOAL vs PROVEITOS ORDINÁRIOS (ou Rendimentos Correntes): Antonio Dias da Cunha (114,98%, 119,27% e 80,71%), FSF ( 61,38%, 52,41%, 53,87%, 43,61%, 50,64%), JEB (67,74%, 83,85%), GL (104,42%,130,00%) e BC (70,82%,43,05%,71,03%,76,46%). Os melhores resultados para este racio são de FSF e os piores de GL, o que ajuda a explicar o impacto nos resultados.

 

Enfim, Bruno de Carvalho tem estado a fazer crescer os Proveitos Ordinários e tem mantido o racio custos com pessoal vs proveitos Ordinários dentro de limites ainda aceitaveis, embora a subida recente dos custos com pessoal (48,8M€ em 15/16 e 48,4M€, apenas em 3 trimestres de 16/17) mereça a maior atenção porque um eventual retrocesso no ciclo económico pode enviabilizar vendas de jogadores e comprometer os resultados.

 

Voltarei a este assunto para um comparativo com os restantes "grandes", mas por agora gostaria de obter as Vossas opiniões.

 

SL

Sporting: mais e menos

alvalade_xxi-1[1].jpg

 

MAIS

  • Andavam aí umas alminhas a uivar de emoção, putativamente preocupadas com as contas do Sporting. Podem baixar os decibéis: as nossas finanças estão bem e recomendam-se. De tal maneira que no primeiro trimestre desta temporada oficial (Julho-Setembro) atingiram a melhor cifra desde que foi constituída a SAD leonina: um lucro de 62,9 milhões de euros.
  • No mesmo período, as nossas receitas de bilheteira subiram 737 mil euros face ao período homólogo do ano anterior, o que se traduz em 4,207 milhões de euros. Resultado da boa prestação desportiva do plantel leonino, confiado ao timoneiro Jorge Jesus. Os números demonstram: tem sido mais do que justificado o investimento que o Sporting já fez no melhor treinador a actuar em Portugal.
  • Ainda números do passado trimestre: o Sporting gastou 19,5 milhões de euros em reforços para esta temporada. A receita líquida conseguida com as saídas de João Mário e Slimani foi muito superior: 59,6 milhões. Saldo positivo, pois. Contra factos não há argumentos.
  • Segundo o Observatório do Futebol, temos o plantel com mais elevada estatura média do campeonato português: 184,2 cm. Conclusão: se os campeões se medissem aos palmos, o título já era nosso.
  • Outra conclusão do Observatório do Futebol: o Sporting é, de longe, a equipa que utiliza mais jogadores da formação na Liga 2016/17. No total, 42,9% do nosso tempo total de jogo tem a inconfundível marca da academia leonina. Também neste aspecto podem aquietar-se portanto as tais alminhas que pareciam muito desassossegadas com o "escasso aproveitamento" dos recursos que formamos. Quase sempre o pior cego é o que não quer ver.
  • Mais uma estatística: Jesus cumpriu 69 jogos oficiais à frente da equipa do Sporting, tendo vencido 47. Uma percentagem digna de cumprimento: 68,1%.
  • À nona oportunidade foi de vez: Alan Ruiz marcou enfim o primeiro golo vestido de verde e branco. Frente ao modesto Arouca, numa coisa chamada Taça CTT. Mais vale tarde que nunca.
  • E vão três jogos seguidos sem sofrermos golos. Nenhum título se conquista sem defesas consistentes.
  • O Arouca regressou a Alvalade e desta vez não houve casos. Antes assim.

 

MENOS

  • Meli e Bruno Paulista continuam sem jogar. Foram contratados para quê?
  • No futebol, como jogo que é, a sorte e o azar contam muito. Está provado: Castaignos é azarado. O holandês tem de ir à bruxa.
  • Markovic continua sem demonstrar a menor prova de categoria e classe ao serviço do Sporting.
  • As despesas com pessoal elevaram-se para 15 milhões de euros no trimestre Julho-Setembro. Aumentaram 31% face ao período homólogo de 2016. Há que pôr travão nisto.
  • Alguns sportinguistas, até com colunas nos jornais, andam a imitar os benfiquistas mais desqualificados, gastando tempo e tinta com factóides como a suposta cor do carro de Alan Ruiz. Às vezes interrogo-me qual será a verdadeira convicção clubística desta gente.
  • Bruma, numa extensa entrevista publicada no jornal A Bola, garante: "O Sporting vai ser sempre o meu clube." Devíamos ser poupados a estes exercícios de hipocrisia. Nós temos memória: Bruma, que deve toda a sua formação desportiva ao Sporting, a dado passo recusou treinar, alegou que o contrato de trabalho tinha cessado para se furtar aos seus deveres de assalariado do clube e optou pela via litigiosa para quebrar o vínculo com Alvalade, acabando por ser derrotado em tribunal. Do mal o menos: ainda acabou por render 10 milhões de euros aos cofres leoninos. Só podemos desejar-lhe que passe bem. Lá longe, onde se encontra.

Ó p'ra eles a encararem a realidade

"FC Porto SAD anuncia prejuízo de 58,4 milhões de euros

O FC Porto chamou esta quarta-feira os jornalistas ao Dragão Caixa para apresentar as contas anuais da SAD e anunciar um prejuízo de 58,4 milhões de euros.

Trata-se de um resultado negativo enorme, que ameaça bater recordes, mas que o administrador Fernando Gomes garante ser assumido. Ou seja, de acordo com o responsável das finanças portistas o clube preferiu assumir o prejuízo superior a 58 milhões de euros, de forma a não desinvestir e, com isso, enfraquecer o valor da equipa para esta época.

Fernando Gomes garantiu ainda que esta época é encarada no FC Porto como o ano zero: a partir da próxima época, a SAD portista vai reduzir progressivamente os salários, ajustando-se à realidade atual. Em dois anos, o FC Porto quer poupar vinte milhões de euros em ordenados."

in Maisfutebol

Portanto, aquilo que nós começámos a fazer há três anos e qualquer coisa e que tão bons resultados tem dado, cedo ou tarde todos terão que fazer. Estes já apresentaram o timming. Esperemos pelos relatórios dos restantes.

Com a transparência do costume

Publicadas no jornal do Clube as contas das transferências de Inverno, como tem sido hábito desta direcção.

Aquisições:

Jogador Valor Comissão  
Bruno César               0,00€      1 300 000,00€  
Schelotto               0,00€        203 000,00€  
Zeegelaar     300 000,00€        190 000,00€  
Coates*             00,00€          75 000,00€  
Barcos             00,00€          80 000,00€  
total aquisições -300 000,00€ -1 848 000,00€ -2 148 000,00€

*Coates tem opção de compra pelo valor de 5 000 000,00€

Saídas:

Definitivas        
Jogador Valor Comissão    
Montero 5 000 000,00€   350 000,00€    
Boeck           00,00€      
Viola           00,00€      
Salomão           00,00€      
Empréstimo        
Jonathan      100 000,00€      
Tanaka      169 000,00€      
Labyad      300 000,00€     50 000,00€    
Sacko              00,00€      
Rossel              00,00€      
Cissé              00,00€      
Luis Ribeiro              00,00€      
Total vendas +5 569 000,00€ -400 000,00€    
Saldo vendas     +5 169 000,00€  
Saldo total       +3 021 000,00€

 

 

Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD - Resultados do Exercício 2013/2014

Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD informa sobre Resultados do Exercício 2013/2014. Leitura muito interessante, como habitualmente.

 

" (...) O resultado líquido da Sporting SAD na época de 2013/14 ascendeu a 368 milhares de euros positivos, o que compara com um resultado líquido negativo de 43.816 milhares de euros na época anterior. (...)"

 

Assembleia Geral a 1 de outubro.

Destaco o ponto 9 da ordem de trabalhos proposta:

 

"(...) O Conselho de Administração da SPORTING CLUBE DE PORTUGAL – FUTEBOL, SAD, vem, nos termos e para os efeitos do disposto no número 2 do artigo 8º dos Estatutos, propor à Assembleia Geral da Sociedade, reunida aos 1 de Outubro de 2014, que delibere conceder-lhe autorização para a emissão, com oferta pública de subscrição, de um empréstimo obrigacionista, até ao montante máximo de € 30.000.000,00 (trinta milhões de euros), mediante a emissão de obrigações ordinárias, com o valor nominal unitário de € 5 (cinco euros). (...)"

E ainda o Ponto 10 e as suas várias propostas:

" (...) 

Ponto 10 da Ordem de Trabalhos
Proposta A
O Conselho de Administração da Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD propõe à Assembleia Geral da Sociedade, reunida a 1 de Outubro de 2014, que, nos termos e para os efeitos do disposto no art. 75.º, 1, do Código das Sociedades Comerciais, aprovem a propositura de acção de responsabilidade civil pela Sporting SAD, contra os ex-administradores Luiz Filipe Godinho Lopes, Luis Duque, José Filipe Nobre Guedes, e ainda contra Carlos Manuel Rodrigues de Freitas, que à data também exercia funções de administração, pelos factos envolvendo a renovação do contrato com o jogador Marat Izmaylov, que resumidamente se apresentam:
1. Entre Abril e Junho de 2011, os referidos administradores decidiram e executaram a renovação do contrato com o jogador Marat Izmaylov.

Sporting em tempo de lucro

"O Sporting apresentou na semana passada resultados do primeiro semestre da época: lucros operacionais, contra prejuízos em igual período do ano passado. Tudo isso acontece depois da reestruturação brutal nas finanças e nos custos operacionais do clube, o que é notável. E revela que é possível sofrer a pressão dos bancos e, mesmo assim, conseguir gerir à tona da água."

Pedro Santos Guerreiro, na edição de ontem do Record

Caminho certo, mas...

... os pés na terra! Resultados positivos de €3,7 milhões para o SCP/Sad no primeiro semestre desta época (Julho a Dezembro de 2013). Resultados negativos de €15,9milhões, para o SLB; e de €29,2 milhões, para o FCP. Na época anterior e no mesmo período, os resultados foram negativos - €21,9 milhões de prejuízo - o que significa uma melhoria dos resultados de €25,6 milhões. É obra! Fruto da austeridade e de uma política muito eficiente e inteligente de gestão de ativos (jogadores). Como na área desportiva esse emagrecimento resultou num adicional de resultados, parece que o caminho está certíssimo. Contenção na gestão economica-financeira, fazer render desportivamente a prata da casa (alguma ouro) e pagar as dívidas, depois do acordo positivo com os credores. Mas nada de ilusões excessivas, continuamos a ter de reduzir o passivo para sermos um clube solvente. Nada de pedir ou exigir a Lua!

 

P.S. Ler o post do Cerdeira Branco.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D