18 Jan 17

Corremos o sério risco de estarmos hoje aqui a discutir sobre caroços de azeitona.

Tags:

comentar ver comentários (8)
05 Jan 17

Eis algumas medidas, porventura inócuas mas que marcam uma posição, que na minha opinião o Sporting deve tomar a partir de agora:

 

1- Ignorar os árbitros e assistentes antes, durante e depois dos jogos (equipa e staff) e isto inclui a mais elementar regra da urbanidade, que é o "aperto de mão".

2- Apupar os senhores sempre que possível ( no aquecimento, na apresentação, durante o jogo, na saída para o intervalo, no regresso do intervalo e na despedida), independentemente do seu comportamento perante as leis do jogo. 

3- Conceder-lhes apenas e restritamente as condições que o regulamento da liga impõe, nem mais uma garrafa de água. Se possível arranjar forma de se acabar o gás a meio do duche.

4- Publicitar o CV dos senhores e desempenho em jogos anteriores onde apitaram jogos do Sporting, antes das partidas onde vão intervir, para se conhecerem as bestas.

5- Não comparecer a CI e entrevistas rápidas, ou comparecendo, responder por monossílabos. "Sim" e "Não" seriam suficientes, mas acrescentaria "ao seu jornal/TV não respondo".

6- Jogar todos os jogos sob protesto. Os motivos são tantos que é escolher de uma lista extensa.

7- Deixar bem claro que cede jogadores à selecção apenas por respeito aos portugueses, caso contrário dificultaria a sua convocatória.

8- Mover processos em tribunal a todos os que prejudiquem o Sporting sob qualquer forma e fazer disso publicidade.

9- Repetir à exaustão, nos OCS do Clube, imagens de roubos descarados de que fomos vítimas.

10- Pedir aos "representantes" do Sporting em programas de opinadeiros que se escusem a participar neles, nem que para isso se lhes pague o que ali auferem. Será menos que um qualquer pau de sebo que veio em Agosto passado.

 

Isto terá algum resultado visível? Talvez não, provavelmente não, certamente que não, mas sempre será um pouco melhor que dizer que se voltaria a escolher o Jorge Sousa para o derby.

Também há a opção Pinto da Costa, que percebeu, há trinta anos, que sendo honesto não ia lá.

É escolher.


comentar ver comentários (96)
22 Out 16
Reprise
Edmundo Gonçalves

E as vezes que eu já vi este filme em Alvalade?...


comentar ver comentários (53)
01 Set 16
Uf!
Edmundo Gonçalves

Terminou.

Agora e durante os próximos quatro meses, pelo menos, podem andar de cabeça limpa.

Desejamos que a procura continue a ser grande, sinal de que a equipa e cada um deles individualmente, estará a fazer um belo campeonato.

Neste defeso tiveram pela primeira vez, provavelmente e de forma clara, contacto com um novo Sporting, aquele que dita as regras no que pode controlar, tão diferente do Sporting de "ontem", que pedia desculpa por existir. Em janeiro, eles próprios irão encarar de outra forma eventuais abordagens, sabendo quais as regras e a fronteira que não podem, nem devem, ultrapassar. 

Foi, para além duma fase de grandes negócios, coisa nunca vista neste Clube, um tempo de aprendizagem.

Que lhes sirva de lição.

E aos paizinhos deles, também.

 


comentar ver comentários (9)
20 Mai 16
Como eles não desarmam...
Edmundo Gonçalves

"Face a notícias hoje publicadas na imprensa, vem a Sporting Clube de Portugal, Futebol SAD, repudiar o seu conteúdo, relembrando tudo o que ainda ontem foi transmitido em declaração à imprensa do Presidente Bruno de Carvalho e esclarecendo que:

1 – são as renovações de contratos com jogadores da equipa principal, bem como as contratações do “mercado de Inverno”, que constituirão o plantel da próxima época desportiva

2 - existirão entradas de jogadores se se verificarem saídas de elementos do mesmo plantel e estas serão sempre pela cláusula de rescisão prevista nos respectivos contratos

3 – é e será sempre a SAD a definir a estratégia de abordagem ao mercado e a encabeçar as negociações tendentes à saída ou entrada de jogadores

4 – é com o treinador que se trabalham os plantéis e os objectivos são claros: ganhar títulos a nível nacional e voltar à Glória europeia

5- não será contratado nenhum Director Desportivo, conforme já anteriormente anunciado pelo Presidente, mantendo-se Octávio Machado nessas funções

6 – decisões como as da substituição do relvado do Estádio José Alvalade ou de melhorar as infra-estruturas de apoio à equipa de futebol profissional foram da exclusiva iniciativa e responsabilidade da Administração da SAD porque, recorde-se, é a esta que competem este tipo de definições

7- a renovação do contrato do treinador Jorge Jesus mantém as mesmas premissas do contrato inicialmente assinado porque assim foi entendido fazer pela SAD encontrando-se esta salvaguardada, ao contrário do que se tenta fazer passar, pela extensão da duração do contrato por mais um ano

8 - conforme foi afirmado ontem pelo Presidente, são vários os departamentos que estão a concluir alterações que estão a ser efectuadas, trabalhadas e planeadas faz meses por iniciativa da Administração da SAD e dos respectivos responsáveis de cada departamento.

 

Como disse o Presidente, ele e Jorge Jesus são “homens de paixões e homens de projectos”. Ao contrário do que alguns vaticinavam ambos sabem as suas funções, complementando-se, com os resultados que foram evidentes para toda a família Sportinguista e restantes amantes do Futebol."

 

Daqui.


comentar ver comentários (2)
08 Jun 15

Este, que foi o pai da SAD e que quando as acções estavam em alta se pirou de accionista e cuidou de vender todas as acções que detinha;  Este, que abandonou a presidência do Clube porque não estava "para se chatear"; Este, que viu construir um estádio sem a porra dum pavilhão para as modalidades e olimpicamente esteve silencioso; Este, que esteve de boca calada quando Soares Franco delapidou o património não desportivo do Clube; Este, que viu o presidente cooptado por Dias da Cunha transformar um clube dos sócios num clube de clientes e esteve de acordo; Este, que viu entrarem e sairem treinadores e jogadores às carradas durante vinte anos e nem abriu pio; Este, que nem tugiu nem mugiu quando o Sporting foi intervencionado pela banca em consequência dos reinados ruinosos de Bettencourt e Godinho, que quase levaram o Sporting à falência e ao desaparecimento, este, vem agora chamar o "senhor Carvalho" de vigarista e admite até um movimento para o retirar da presidência. Vai lá. Vai lá e não leves a manta, logo vês o que te acontece. Realmente, estamos mesmo muito bem servidos de notáveis...


comentar ver comentários (6)

Alguém lhe diz que foi Godinho Lopes que o despachou, para pagar salários?

E que depois desses tempos de despautério, a coisa entrou nos eixos em termos directivos e até financeiros?

E já agora, alguém lhe diga que os recados do seu "dono" não colhem, que estamos vacinados contra croquetes.

Deixa-te estar caladinho, e mantém o capital de simpatia que por cá deixaste.

Acredita que o teu "dono" nunca mais cá porá os "butes"!


comentar
04 Jun 15
Ai, ai...
Edmundo Gonçalves

Tanta gente nova que eu vejo por aqui. É bom, o blogue sobe no ranking.

Tanta gente que eu adoraria ter visto por aqui no Domingo e na Segunda a dar largas à sua alegria por termos ganho a Taça de Portugal.

Ou estarei enganado e nem largas, nem alegria?


comentar ver comentários (4)
02 Jun 15

E tal como o Adelino Cunha, também sou muito emocional, daí eu esperar que daqui a uma semana, no máximo, a notícia no sítio oficial do Clube seja o prolongamento do contrato do actual treinador da equipa principal de futebol, pelo menos por mais um ano, até à época 2018/2019. (se as minhas contas estão certas)

Não há outra maneira de dar a volta a este texto, se Bruno de Carvalho quer sair reforçado deste episódio. Talvez seja ingénuo, eu sei...


comentar ver comentários (18)
28 Abr 15
Opções
Edmundo Gonçalves

A propósito disto, uma opção de utilizar o dinheiro muito mais interessante.

E ainda sobra para a missão pavilhão!

A mensalidade da Sportv anda à volta de 25,00 euros. Pode-se ser sócio pela quarta parte disso e o dinheirinho vai todo para as modalidades, ajudando ao ecletismo em que somos clube destacado a nível europeu.

Do que é que estás à espera?

 


comentar ver comentários (7)
23 Mar 15
Dois anos de mandato
Edmundo Gonçalves

Cumprem-se hoje dois anos de mandato deste elenco directivo.

O Clube está substancialmente diferente, para melhor, no entanto a pergunta do milhão de dólares é esta:

- Conseguirá Bruno de Carvalho e a sua equipa resistir, se não conseguir títulos no futebol?


comentar ver comentários (8)
20 Mar 15
O dinheiro ou os títulos?
Edmundo Gonçalves

Com o título da Liga fora de cogitação, o segundo lugar muito longe e, parece-me, quase impossível (ainda que haja uma réstia de esperança, ténue, contudo),  resta à equipa manter e assegurar este terceiro lugar e conquistar a Taça de Portugal.

Ora, nesta perspectiva, o título que utilizo não fará grande sentido, provavelmente, uma vez que perdidos os lugares que dão acesso directo à Liga dos Campeões e aos milhões, o dinheiro, esse dinheiro do "prémio" de acesso, não entrará nos cofres do Clube.

Restará então uma única opção, o título único a que ainda podemos almejar, a Taça de Portugal.

Será contudo este título (com prestígio, é certo, mas não é O almejado campeonato) suficiente para satisfazer a fome de sócios e adeptos?

Bom, é certo que passando a pré-eliminatória (o que não está minimamente garantido), lá chegaremos aos milhões e garantiremos dinheiro e um título, o que para quem esteve à beira da falência, até nem será mau de todo.

E, na hipótese (também plausível) de não vencermos a Taça de Portugal, será que esses milhões calarão os sócios e adeptos?

E pode ainda acontecer que, no pior cenário possível, nem conquistemos a Taça, nem o acesso à Liga dos Campeões. Conformar-se-ão os sócios e adeptos se nem uma coisa, nem outra, acontecerem?

Mais importante ainda, resistirá o Clube a este falhanço desportivo?

É certo que o mais importante neste momento continua a ser conseguir a estabilidade económico-financeira e essa meta ainda está longe de ser atingida. Contudo, se é certo que um Clube como o Sporting se alimenta de títulos, o seu bem mais precioso são os sócios e adeptos. E são eles, acima de qualquer órgão,  que irão garantir que a nau que está a ser conduzida chegará a bom porto.

É aos sócios e adeptos que o Clube vai ter que ir buscar forças, como tem vindo a acontecer ao longo da sua história de 109 anos, para sobreviver à míngua de títulos no futebol, que é a modalidade que suscita mais e maiores paixões, e à falta de dinheiro para contratar mais qualidade e segurar os jovens da formação.

Eu confesso que sou adepto da estabilidade. Claro que me daria muito prazer conquistar títulos, ir todos os anos para o Marquês, mas a que preço? não me esqueço que o Clube esteve falido num passado muito recente e que poderia ter desaparecido (e sem títulos!).

Confio plenamente que o caminho que está a ser trilhado, apostando na recuperação financeira e na academia, nos trará dinheiro e títulos. O dinheiro que nos permitirá segurar as jóias da academia e construir equipas muito mais competitivas que conquistarão os títulos que todos desejamos.

As casas começam a construir-se pelos alicerces.

 

Tags:

comentar
03 Mar 15

Ex-vice-presidente do Sporting detido por suspeita de ataque à mão armada.

Ao que consta foi também detido um membro da Juve Leo.

 

Ora bem, em resumo tivemos uma direcção onde havia um tipo que fazia (alegadamente) assaltos, um que (alegadamente) fugiu ao fisco e outro dedicado à armação de navios paquetes em circunstâncias mais ou menos duvidosas. Tudo isto depois de alguém ter afinado os votos. Lindo!

 


comentar ver comentários (51)
02 Mar 15
A triste realidade
Edmundo Gonçalves

Apenas ganhámos um jogo aos posicionados até ao sexto lugar da tabela.

 

Tags: ,

comentar ver comentários (12)
01 Mar 15
Parabéns!
Edmundo Gonçalves

Aproveitar as falhas do adversário é um mérito. E hoje o Porto fê-lo superiormente.

Uma vitória mais que merecida, contra uma "equipa" que se arrastou em campo e que aguentou apenas pouco mais que vinte minutos. Ou a diferença entre ter Jackson Martinez e Freddy Montero...

Tags: ,

comentar ver comentários (13)
17 Fev 15

Sporting. É assim que se escreve o nome do nosso clube.

Tags:

comentar ver comentários (11)
09 Fev 15
O meu vizinho do lado
Edmundo Gonçalves

Calhou-me em sorte esta época um vizinho novo em Alvalade.

E se estou agastado com o resultado de ontem, estou ainda mais por conta do meu vizinho, que saiu com uma tristeza enorme de Alvalade.

Ele é daqueles sócios à antiga. Sai de casa a seguir ao almoço, sozinho. Apanha o barco em Cacilhas e devora tudo o que é Sporting até à hora do jogo. Vibra como ninguém! Sabe os cânticos todos das claques e grita. Muito! Não está sossegado na cadeira um segundo.

Antes do início do jogo falou do futsal e de como tínhamos dado um baile de bola e como nos deixámos empatar com um auto-golo; "a ver se hoje não acontece o mesmo", disse, assim a modos que a medo.

O meu vizinho, contudo, ontem vinha com uma enorme fezada. Apostava no 3-0 e era vê-lo entusiasmado a cada arrancada do Adrien, a cada passe de luxo do William, a cada revienga do Carrillo. A cada lesão simulada do Artur, lá estava ele a invectivá-lo; nada de nomes impronunciáveis em público, mas palavras que exprimiam o sentimento da fraude a que estava a assistir. Talvez o pior dos epítetos que tenha proferido foi chamar gordo ao Eliseu; "gordo, joga à bola!" disse várias vezes e pulava na cadeira. Parece ter "bicho carpinteiro" já o disse, não sossega um segundo.

E como ele saltou no nosso golo! E como ele se abraçou a mim! E como ele gritava "tomem! tomem! tomem!" e "Sporting!!!! Sporting!!!! Sporting!!!!".

"Agora é fazer como eles, é deitar pró chão e queimar tempo" disse ele num dos poucos momentos em que esteve calmo.

Mas não foi assim. Os olés "dos nabos" e a juventude da equipa e do treinador contrariaram a lógica e a previsão e o desejo deste meu vizinho de cadeira que me calhou em sorte este ano em Alvalade.

Este meu vizinho, apesar de ser um daqueles sócios à antiga, não é um daqueles sócios antigos.

Este meu vizinho dá-me garantias de que a juventude da equipa não é o único garante dum futuro risonho para o Sporting;

Este meu vizinho, que, repito, vem da outra banda sozinho, com o semblante triste, porém já com o resultado digerido e a inabalável fé no Sporting, tinha como preocupação maior hoje não conseguir falar na escola.

Este meu vizinho é o exemplo de que o futuro é nosso. Este meu vizinho que não se lembra de ter visto o Sporting campeão e vive tão intensamente o Sporting de forma tão apaixonada chama-se João e tem 14 anos!


comentar ver comentários (11)
27 Dez 14
Vão barda...
Edmundo Gonçalves

Não vejo os programas ditos desportivos, mas nestes dias de ócio, calha-me ver os telejornais dos vários canais.

O Sporting tem sido manchete em todos. Creio que só se o menino tivesse, por obra do demo, caído das palhas e desconjuntado um caracolito, ou até o burro pregasse dois "couces" no desgraçado do José, é que a coisa se tinha alterado.

E o que eu me tenho lembrado de Pinheiro de Azevedo.

Tags: ,

comentar ver comentários (9)
26 Dez 14

Acabei de assistir a uma notícia abjecta no telejornal da RTP, a televisão pública, de todos nós, sportinguistas incluídos.

Segunda notícia do dia, logo a seguir ao décimo aniversário da tragédia do tsunami na Indonésia, uma notícia sobre o despedimento de Marco Silva. Abjecta! nojenta, apesar das declarações de Bruno de Carvalho, dizendo precisamente o contrário.

A seguir lá vieram a greve da TAP, coisa de somenos, alguém que foi ver Sócrates a Évora, e por aí fora...

Tal alinhamento leva-me a pensar que, não fora a declaração do presidente, e a notícia de abertura era mesmo o despedimento de Marco!

Eles estão mesmo declaradamente empenhados em dar cabo de nós.

 

Era bom que não lhes déssemos mais munições!

Tags: ,

comentar ver comentários (9)
13 Ago 14
Solidários
Pedro Correia

 

Em momentos como este não pode haver posições ambíguas: temos de apoiar a direcção na atitude de firmeza revelada perante dois inadmissíveis actos de insubordinação interna que ameaçavam contagiar parte do plantel a poucos dias do início do campeonato. Para gozo dos nossos adversários mais directos e de certa imprensa que não esconde um ódio antigo ao Sporting.

Contemporizar com "levantamentos de rancho" tornaria vã a palavra disciplina nas hostes leoninas. Far-nos-ia voltar aos tempos em que jogadores medíocres, alimentados por uma profusão de empresários sem escrúpulos e "fundos" anónimos com apetite insaciável, impunham direitos sem cumprirem deveres.

É tempo de nos mostrarmos solidários com quem gere os destinos do clube, sufragado por uma das mais expressivas maiorias eleitorais de sempre. O Sporting é mais importante do que qualquer atleta, venha ele de onde vier, tenha ele o nome que tiver.


comentar ver comentários (12)
23 Jul 14
Ativos
Jose Manuel Barroso

A gestão de ativos desportivos (e dos outros também) do clube tem sido surpreendente, para melhor, neste ano de 2013-2014. Valorização do que havia para valorizar, incluindo recuperação de casos «perdidos» (Bruma, p.e.), aproveitamento financeiro até ao tostão de cada transferência, compra barata de ativos de rentabilidade desportiva e financeira muito provável a um ano ou dois de distância. Se incluirmos nisso o excelente comportamento da equipa na I Liga - com retorno financeiro da Champions e mais valorização de jogadores e das receitas comerciais - este primeiro ano tem sido certinho, certinho.


comentar
14 Jul 14
E no fim, ganhou a Alemanha
Edmundo Gonçalves

O jogo já foi bem analisado por Pedro Correia ali em baixo, daí não haver necessidade de vos chatear com mais prosa sobre o tema.

O que quero enfatizar é que o ceptro ficou bem entregue!

A Alemanha, apesar do percalço com o "ingénuo" Gana e até de um jogo menos conseguido com a super Argélia, demonstrou ser, a par da Holanda, uma equipa na verdadeira acepção da palavra. As suas vedetas, suplentes incluídos, souberam fazer da sua genialidade um colectivo.

E depois, há os pormenores: Higuaín, na cara de Neuer, fez o disparate da sua carreira e o Super-Mário, num gesto técnico irrepreensível, marcou um golaço!

Neste jogo em particular a Argentina até nem esteve mal. Deixem-me ser um pouco exagerado, e dizer que me parece que jogou com dez. Alguém deu por Messi, o coroado melhor do torneio, durante o jogo? Eu vi duas arrancadas sem consequência de maior para a defesa germânica, dois livres directos por cima da baliza, bem por cima, três tentativas de passe bem interceptados pela defesa alemã e uma dúzia de perdas de bola. Estivesse lá Di María e provavelmente outro galo cantaria...

 

E já agora, a talhe de foice, os "portugueses" estiveram bastante bem (Garay ainda conta e no golo alemão é batido, mas tem a "desculpa" de estar a lutar aos 116 minutos com dois homens bem mais frescos), com destaque para o nosso Rojo, que fez três assistências, duas delas meio golo. Ouvi dizer que andamos à procura dum defesa esquerdo... porquê?


comentar ver comentários (7)
30 Mar 14

 

3. CASA ARRUMADA

Mostrar quem manda e falar a uma só voz

 

Um dos maiores defeitos do Sporting, nos anos anteriores à entrada em funções de Bruno de Carvalho, foi não funcionar a uma só voz. A hierarquia diluía-se com o passar dos meses, figuras secundárias assumiam posições preponderantes, membros do Conselho Leonino assumiam-se com frequência como uma espécie de poder paralelo, as vozes sportinguistas multiplicavam-se como cogumelos nos órgãos de comunicação abafando por completo a estrutura oficial do clube.

Esta tendência, que já vinha de longe, agravou-se durante o mandato de Godinho Lopes, pontuado por inúmeras divergências com elementos da sua equipa directiva, da Mesa da Assembleia-Geral (que tinham sido eleitos numa lista diferente da sua) e do comando desportivo da SAD.

O primeiro a romper foi o vice-presidente Carlos Barbosa, que logo no início do mandato se destacara pelas promessas de carácter megalómano, como a que imaginava o Sporting a bater-se de igual para igual com equipas como o Barcelona e o Real Madrid. Outra figura polémica, por motivos muito diversos, foi o vice-presidente Paulo Pereira Cristóvão: também ele não tardou a abandonar Alvalade num consulado horribilis, marcado igualmente pelos afastamentos de Luís Duque, Carlos Freitas, Domingos Paciência e Ricardo Sá Pinto.

 

Bruno de Carvalho sentiu-se na necessidade de arrumar a casa. Repondo a hierarquia, estabelecendo uma clara cadeia de comando, assumindo-se como único porta-voz autorizado do clube. Para o melhor e para o pior, é ele quem dá a cara. É remunerado para o efeito com um salário considerado justo: cinco mil euros mensais, quantia devidamente avalizada pelos sócios, que a aprovaram em assembleia-geral. E não hesita em invocar a sua autoridade, como sucedeu no episódio que levou à demissão de um membro do Conselho Leonino que havia sido eleito na sua lista.

A articulação com Augusto Inácio, director-geral leonino para o futebol profissional, tem sido perfeita. O que se reflecte na própria organização da equipa, que deixou de ser uma plataforma giratória de treinadores e jogadores.

 

Esta organização não se concretizou sem algumas dificuldades de percurso - várias delas impostas pelo acordo com a banca, que forçou o clube a tomar drásticas medidas de contenção de custos. Isto implicou o afastamento de 30 funcionários, envolvidos num processo de despedimento colectivo - incluindo um nome histórico do Sporting, o grande capitão Manuel Fernandes, que meses depois reapareceu como comentador permanente de um programa desportivo na SIC Notícias.

As medidas produziram resultados. O Sporting, que há um ano gastava cerca de 42 milhões de euros em salários, passou a gastar 25 milhões. "Aprendemos a fazer muito melhor com menos recursos. Está mais do que provado que isso é possível", declarou o presidente na recente entrevista à TVI 24 destinada a assinalar o primeiro aniversário da sua posse. Também com obra para mostrar neste domínio.

 

Balanço: muito positivo


comentar ver comentários (2)
23 Mar 13
Viva o Sporting!
Alexandre Poço


comentar
20 Out 12

O Sporting é um clube democrático. Onde tudo deve ser transparente, onde tudo deve ser debatido. Estando o clube como está, mergulhado em plena crise financeira, directiva e desportiva, nada menos surpreendente do que haver quem promova a discussão. Se é na sede própria, tudo bem. Se o promotor o faz reunindo os órgãos do clube, nada mais certo. Se é alguém com toda a legitimidade para o efeito, só posso aplaudir.

Que isto possa provocar perplexidade, deixa-me a mim perplexo. Porque - julgo eu - todos queremos um Sporting transparente. Um Sporting opaco não aproveita a ninguém verdadeiramente interessado em servir o clube.


comentar ver comentários (38)
19 Set 12
O chorinho do costume
Jose Manuel Barroso

Uma derrota em casa à segunda jornada, um empate no campo (difícil) do Maritimo e... ao fim de 3-jornadas-3... as carpideiras do costume saltam para a arena. Que isto, que aquilo, que nada e que tudo, e lá estamos nós no de sempre: jogadores maus, treinador pior, rua para toda a gente! Sá Pinto foi bom ontem, contra ManCity, contra Atl.Bilbau, contra Benfica - e já deixou de ser contra outros, o conhecimento esvaiu-se num átimo. Continuidade na equipa, no sistema de jogo, mas rotinas, etc? Que nada! Estabilidade? Que nada! Precisamos é de revolução permanente! E depois queixem-se que não chegamos lá. Adeptos kamikase, é o que é.

Tags: ,

comentar ver comentários (5)
25 Jun 12

MEDIANIA OU SUCESSO. Tudo o que o Sporting precisa agora é de estabilidade. Só a estabilidade permitirá definir e aplicar políticas de crescimento viáveis e sustentáveis. Não é preciso nomear clubes que basearam êxitos na continuidade e coerência das suas políticas, algo que só o tempo permite. A questão é decidirmos - adeptos, sócios e dirigentes - se queremos inscrever o SCP nesta lista ou na dos que, pela sua instabilidade, se ficam pela mediania, por nada construirem de duradouro, nem de sólido.

 

A PAIXÃO QUE DESTRÓI. É certo, a paixão atravessa-se nos caminhos do futebol como nos amores. A relação da maioria dos adeptos com o clube é feita de amor exacerbado, o adepto espera a consumação do seu amor pelas vitórias. Mas os amores sólidos também precisam de tempo, para serem duradouros. Observarão alguns: mas tudo o que temos sempre dado é tempo, e já estamos cansados da espera. Verdade e mentira. Temos dado tempo, por junto, mas temos sido impacientes, a cada passo. Deixamos plantar, mas não deixamos germinar e dar fruto.

 

UM CARROSSEL LOUCO. A história recente do Sporting foi feita de mudanças sucessivas de presidentes, dirigentes do futebol e treinadores. Muitas, demais. Nenhuma empresa bem sucedida sobreviviria com tanta mudança em pouco tempo. Nenhuma política de recuperação económica e financeira ou desportiva terá êxito fazendo do clube um carrossel louco que expulsa, a cada volta, tudo e todos. A cada insucesso, a cada dificuldade entramos em guerra civil. Tornamo-nos autofágicos.

 

O SPORTINGUISMO DO 'EU'. Por vezes, interrogo-me sobre o real sportinguismo de alguns (independentemente do seu direito a terem e a manifestarem opinião... no momento e lugar certos). Uns, face às dificuldades e espreitando sempre as dificuldades, afirmam ter dinheiros para aplicar no clube, mas guardam-nos com avareza egoísta - 'só se for comigo'. Outros, ainda uma direção está a tentar aplicar programas - aprovados em AG - e já anunciam candidaturas de oposição. Os clubes que admiramos, pelas vitórias, guardam para dentro de si as disputas internas, uma das razões dos sucessos. Identidade de objetivos e de ação entre direção, adeptos e jogadores.

 

SÓ UM: O SCP. Em vez de concentrarmos esforços no 'um por todos e todos por UM' - o Sporting, claro!, porque só pode haver UM - tendemos a dispersar esforços e forças no projeto individual e no criticismo patológico. É, a meu ver, escolher o caminho errado: o fado da mediania. O SCP precisa de mais e de melhor.


comentar ver comentários (1)
25 Abr 12
Uma importante vitória
Jose Manuel Barroso

A assembleia geral de ontem aprovou o plano de reorganização do grupo Sporting e de criação de condições para a entrada de investidores no SAD, sem que o Sporting perca o controle da mesma. Um momento muito importante para o clube.

Tags: ,

comentar ver comentários (7)
17 Abr 12

... mas eu concordo a cem por cento com o 'black out', nesta fase. A política de comunicação do Sporting deve levar em conta os media, mas não ficar prisioneira dos interesses especulativos dos media. Os jogadores, em cada conferência de imprensa a serem chateados com perguntas sobre amantes, espiões, vida privada, etc. E os dirigentes com as mesmas e mesmas perguntas à Rui Santos. O Sporting ja disse tudo o que de essencial havia a dizer, neste momento. E é tudo. Ao menos, aprenda-se com o 'papa'. E não nos armemos num bando de falabaratos. Acho eu.


comentar ver comentários (5)
07 Fev 12
Último recurso
Francisco Almeida Leite

 

É óbvio que ninguém aqui defende o black-out como a resposta ideal numa qualquer situação de crise. O problema é que o Sporting não está numa crise qualquer, mas vive uma situação de emergência e precisa de se reforçar internamente. Para isso acontecer, nada como um curto período de reclusão, para depois voltar à normalidade.

A equipa precisa de tranquilidade, o treinador precisa de espaço e a direcção procurou certamente acautelar os interesses do clube. Só assim se compreende o corte na comunicação com o exterior. Acreditamos todos que esta fase irá durar pouco tempo e que, entretanto, as vitórias também irão aparecer.

Já que estamos nesta onda, talvez não seja má ideia os vários treinadores de bancada que falam do Sporting darem o exemplo e falarem um pouco menos. Não há nenhum clube que resista a uma horda de comentadores que dizem tudo, sabem tudo e apontam todos os caminhos e mais alguns. Sejam eles ex-jogadores, ex-treinadores, ex-presidentes, ex-dirigentes ou ex-o-raio-que-os-parta.

 

Deixem o Sporting respirar! Viva o Sporting!


comentar ver comentários (8)
Só peca por tardia
Jose Manuel Barroso

A decisão de entrar em 'blackout' antes do jogo com o Nacional, por parte do treinador do nosso clube, só peca por tardia. Já devia ter sido decidida antes, pelos homens da SAD, quando, já na rampa descentente, a equipa e o treinador eram vítimas da procura doentia dos media pela polémica e pelo drama. Há momentos em que só se fechando para o exterior, no trabalho e no silêncio do balneário, se readquire a paz interior e se ganha forças para o que virá a seguir.

Tags:

comentar
05 Fev 12
Paciência
Francisco Almeida Leite

A derrota de ontem com o Gil Vicente foi vergonhosa, humilhante e ditou o afastamento do Sporting da Taça da Liga, um troféu menor. Mas o que mais me espantou no jogo de ontem foram os lenços brancos mostrados a Domingos Paciência e os assobios à equipa. Mas o que é isto? O que queremos, afinal? Será que muitos sportinguistas já querem a saída do treinador, mesmo sabendo-se que estamos ainda em competições como a Taça UEFA e a Taça de Portugal e que até ao fim há muito campeonato para ser jogado?

 

Esta atitude não beneficia o Sporting porque esta equipa poderá ser uma boa base para a próxima época. Com este treinador e com a maior parte destes jogadores podemos vir a ter sucesso, mas é preciso ter paciência e saber esperar. Não podemos ser impacientes, esse comportamento já nos levou a situações tristes no passado. Não quero ver repetida uma situação como a que levou Sousa Cintra a despedir Bobby Robson, com este depois a sagrar-se campeão pelo FCP. Não tenhamos ilusões: Domingos é bom treinador e caso saia de Alvalade vai parar às Antas. É cedo para Ricardo Sá Pinto passar a treinador da equipa principal, Pedro Martins não é solução imediata e não acredito na bondade dos que querem ver Leonardo Jardim já em Alvalade.

 

Eu sei também que tem havido muita turbulência no Sporting, por isso é bom que não se tente criar mais um caso para voltarmos a ser o centro das atenções pelas piores razões. O SCP deve sair das notícias, deixar de fazer as 'parangonas' pelos piores motivos. As lesões, o túnel, a asneira de Bojinov, a auditoria e a situação de falência técnica, os maus resultados, os ex-jogadores do clube que vão parar aos rivais, as críticas da oposição interna ou a saída de Carlos Barbosa são situações anormais para uma só época. Os responsáveis máximos do clube têm noção disto e não querem mais casos, daí que os sócios e adeptos tenham também que fazer o seu papel, que neste momento passa por dar estabilidade, transmitir calma, mesmo que nos pareça que esse esforço é enorme. É preciso acreditar, sempre. Força Sporting!


comentar ver comentários (8)
01 Fev 12
Carlos Barbosa demitiu-se
Eduardo Garcia da Silva

Carlos Barbosa apresentou esta quarta-feira a demissão do cargo de vice-presidente da área de marketing e comunicação do Sporting.

O Presidente do ACP alegou razões profissionais e pessoais para sair do clube.

 

E agora quem se seguirá? O que pensam disto?

Tags:

comentar ver comentários (6)
16 Jan 12
Faz agora um ano
Filipe Moura

Fez ontem um ano, o Sporting perdeu em casa com o Paços de Ferreira e deu-me, a mim e a muitos sportinguistas, uma enorme alegria. Na sequência dessa derrota caseira, o presidente José Eduardo Bettencourt anunciou a sua demissão. O meu estado no Facebook era qualquer coisa como (assim mesmo, em maiúsculas) "LIVRÁMO-NOS DO @#!/`^* DO COTONETE!!!" O "@#!/`^*" correspondia, na versão original, a um adjetivo não muito agradável, que me abstenho aqui de reproduzir. 

Um ano depois, o Sporting voltou a perder, desta vez em Braga, e de acordo com certos critérios parece que nada mudou no Sporting. Os jornais do dia recordam-nos nomeadamente que, há um ano, o Sporting tinha exatamente o mesmo número de pontos que tem esta época, nesta jornada, ao fim da primeira volta. Será que é mesmo verdade que nada mudou?

Há um ano, a situação do Sporting era a que eu descrevia num texto que enviei, a convite do Pedro, para publicação no "Delito de Opinião". O Sporting tinha um presidente que só cometia gaffes (envergonhava os sportinguistas cada vez que abria a boca), se rodeara de gente inexperiente e convencida de que era muito competente (o pior tipo de incompetentes), que pagara para ir buscar um treinador sem créditos firmados e que provavelmente seria despedido do clube onde estava, para de seguida vender o capitão da equipa a um clube rival. Há um ano eu confesso que sentia vergonha daquilo em que o clube se tornara. Não me sentia identificado com a equipa nem com o treinador (muito menos com o presidente), e preferia nem ler as notícias sobre o clube.

Este ano, se o critério forem os pontos alcançados no campeonato, até agora o resultado é o mesmo. Mas há uma semana, contra o FC Porto, o Estádio Alvalade XXI teve a maior enchente da sua história. O número de espetadores em Alvalade tem sido em média o maior dos últimos anos. O ano passado estava sempre menos de meio. Há um ano atrás, principalmente depois da venda do Liedson, eu receava que o Sporting não fosse capaz de voltar a ganhar um jogo nessa temporada. Este ano, sabemos que as vitórias não tardarão. Serão já para a Taça da Liga, e de seguida em Olhão. De certeza que isto é uma crise passageira.

Está tudo a correr como queríamos? De certeza que não. A equipa é jovem, e ainda tem de comer muita "papa Cerelac". O treinador é novo e ainda está à procura do melhor rendimento para muitos jogadores. Há doze anos, a estrutura da equipa estava montada e os reforços é que foram cirúrgicos; este ano houve que começar tudo de novo. Ainda está envolvida em quatro competições, e tenho fé em que vai ganhar pelo menos uma. A derrota da última época era o prenúncio das muitas que ainda temíamos que viessem; a deste fim de semana foi, esperemos, só um jogo menos conseguido do João Pereira e companhia. São estas as diferenças futebolísticas entre o Sporting há um ano e agora. Mas a diferença principal nem é futebolística. Há um ano, como já escrevi, eu tinha vergonha do Sporting. Este ano recuperei o orgulho que sempre tinha tido.


comentar ver comentários (1)
07 Jan 12
Porque não fico em casa...
Constança Martins da Cunha

Quem não me conhece e me vê neste blogue, provavelmente pensará que sou uma adepta fervorosa que até agora não teve oportunidade de mostrar a sua veia de comentadora desportiva.

 

Engana-se.

 

Quem me conhece sabe que quando surgem discussões futebolísticas ou clubistas, não me costumo pronunciar.

 

Quem me conhece sabe também que não vejo todos os jogos do Sporting e que, na minha vida inteira, só fui ver um jogo de futebol ao estádio – no qual curiosamente o Sporting não entrava.

 

Até agora fui uma sportinguista não-praticante.

 

Seguindo esta linha de raciocínio, não sei se mereço estar a escrever ao lado de sportinguistas tão convictos e dedicados... Mas sei que quero estar, daí ter aceite sem pestanejar o convite para abraçar este projecto. E quero-o porque tenho uma enorme vontade de estar mais atenta ao clube, de o apoiar e de ser uma verdadeira sportinguista.

 

Não fico mais em casa. Prometo aplaudir, gritar e defender o nosso clube.

 

E começa já hoje à noite.


comentar ver comentários (4)
04 Jan 12

Há a divisa clássica: esforço, dedicação, devoção e glória - eis o Sporting. Ela atravessa os tempos de um clube centenário, que se definiu logo como 'de Portugal', matriz aglutinadora de adeptos que, no ato fundador, quiseram abranger todo um país, não um bairro ou uma cidade. Mas, tendo estes referentes como ponto de partida, que há de novo, que deve haver de novo no sentir e na imagem de um clube? Por vezes me pergunto isso, como adepto e como sócio, e sempre as respostas se me encaminham para uma ideia continuada de modernidade.

Ser sportinguista é ser diferente em quê? Ser diferente, como adepto: sentir o clube como uma comunidade solidária, no apoio às nossas cores, aos nossos atletas,tomando como exemplo os clubes ingleses - resistindo ao «8 ou 80», dando ânimo nos momentos dificeis,como acontece numa familia (somos uma familia, não é?, a 'familia sportinguista'). Ser visionário, como clube: como o fizemos quando criámos uma escola de formação, referenciada no mundo como de alta qualidade.  Ser realista, como sócio: entendermos que o futebol mudou, que o clube tem de ser entendido como uma empresa bem gerida e pragmática, em tempo de mercados globalizados. E que só isso nos permitirá manter a ilusão e o sonho.

A nossa capacidade para ser realmente diferente dependerá da nossa capacidade em entender a realidade num mundo (futebolístico) em mudança. A nossa modernidade tem a ver com comportamentos, perspetivas e prospetivas. Raízes no sempre, olhos num futuro sustentável.

Voltarei a estes temas, em próximas entradas no blogue.


comentar ver comentários (3)

Autores
Pesquisar
 
Posts recentes

É tão bom estarmos a disc...

Não adianta nada? Também ...

Reprise

Uf!

Como eles não desarmam...

Outro que calado seria um...

Outro que calado seria um...

Ai, ai...

Sou eu que sou ingénuo, e...

Opções

Arquivo

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Tags

sporting

comentários

memória

bruno de carvalho

selecção

leoas

prognósticos

vitórias

jorge jesus

há um ano

balanço

campeonato

slb

arbitragem

benfica

jogadores

mundial 2014

rescaldo

taça de portugal

liga europa

eleições

godinho lopes

ler os outros

clássicos

árbitros

golos

euro 2016

futebol

nós

comentadores

crise

marco silva

scp

cristiano ronaldo

análise

formação

humor

chavões

liga dos campeões

slimani

todas as tags

Mais comentados
53 comentários
38 comentários
13 comentários
12 comentários
12 comentários
11 comentários
11 comentários
Ligações
Créditos
Layout: SAPO/Pedro Neves
Fotografias de cabeçalho: Flickr/blvesboy e Flickr/André
blogs SAPO
subscrever feeds