Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Verde foi o meu nascimento - II

Faz tempo que esta Sportinguista não escreve no seu blogue. Lá terá as suas razões que eu respeito. Todavia não é por não escrever que não deixa de ser uma boa sportinguista.

Curioso é que neste texto, já com quase um ano, entre outras coisas a Kikas faz referência a uma outra sportinguista, já nossa conhecida e também aqui apresentada.

Portanto eis mais uma leoa na blogosfera!

 

(Regressa Kikas, fazes falta!)

Um abraço ao Mestre

Percebo muito bem que o Mestre de Cerimónias, fatigado pela intensa actividade no seu blogue, que tantos apreciam no universo leonino e não só, tenha optado por uma temporada de merecidas férias. Terei no entanto muita pena se o intervalo agora anunciado se dilatar no tempo. Porque O Artista do Dia faz falta na blogosfera desportiva portuguesa - e na leonina em particular.

És a Nossa Fé, onde o Mestre tem vários admiradores, será sempre uma opção alternativa para ele no dia em que queira trocar o esforço solitário por um projecto colectivo. Fica pois aqui o convite sine die. Com um abraço amigo e agradecido a este colega que muito prezamos.

Verde foi o meu nascimento - I

Inicio hoje aqui, no dia 111º aniversário do Sporting. uma nova secção.

Neste espaço farei referências a blogues pessoais, de gente unicamente do Sporting e que numa determinada altura escreveram no seu espaço algo sobre o nosso clube.

Esta ideia surgiu-me assim de repente e após ter lido hoje este faaaaaaaantástico texto, duma bloguer que é sportinguista desde que nasceu.

Exemplar!

(A culpa é tua, Joana!)

O debate na blogosfera leonina

A Norte de Alvalade: «São inegavelmente inequívocas as fragilidades de Pedro Madeira Rodrigues e sobretudo da máquina que suporta a sua candidatura. Tal torna ainda mais difícil de percorrer o caminho a que se propôs, que já de si comportava uma tarefa ciclópica: constituir-se como alternativa à aura messiânica que uma grande parte dos Sportinguistas vêem em Bruno de Carvalho, quanto a mim de forma hiperbólica, injustificada e sobretudo perniciosa para o clube e até para o próprio.» (José Duarte)

 

A Tasca do Cherba: «É simples: só mesmo A Bola e O Jogo para escreverem que “Madeira Rodrigues marca pontos” e “Madeira aperta Bruno”, depois de uma noite em que o candidato da lista A se limitou a ataques pessoais, a frases feitas e a espalhar-se ao comprido de cada vez que queria falar mais a sério (as alarvidades de cada vez que fala na formação são impressionantes, por exemplo). Fico cada vez mais com a ideia que Madeira Rodrigues foi escolhido para ser o rosto de um conjunto de interesses. O problema é que é tão mau actor que nem ele parece acreditar no que diz…» (Cherba)

 

Bancada de Leão: «Há muito que se pede um Bruno de Carvalho mais calmo, controlado, sem recorrer ao registo mais agressivo que tem sido marca dos últimos quatro anos. O candidato ontem seguiu por uma das vias que mais considero essenciais para um debate desta natureza: argumentos com dados (ou factos) concretos. Do outro lado, devo dizer que se viu um Pedro Madeira Rodrigues mais assertivo que o normal, na forma e colocação de voz, firme, mas, infelizmente para o debate sem argumentos, sem propostas e com um vazio de ideias muito aquém do que se pretende para um candidato à Presidência do clube.»

 

Leão de Plástico: «O actual presidente quis essencialmente não fazer prolongar o impacto deste debate nos dias a seguir, não quis dar gasolina para o queimarem e diga-se, nesse objectivo, cumpriu impecavelmente. O confronto foi, regra geral, enfadonho… o que penso ter sido o que muitos benfiquistas e portistas menos desejavam e o que muitos sportinguistas estariam dispostos a aceitar como muito melhor do que peixeirada, insultos ou histeria.» (Javardeiro)

 

Leoninamente: «Pedro Madeira Rodrigues superou as minhas expectativas, pela desenvoltura e agressividade que me surpreenderam, mas acabou por confirmar a "verdura" que sempre se me afigurara desde o lançamento da sua candidatura: haverá uma série demasiado grande de lacunas no seu conhecimento sobre a missão a que se propôs, que nenhuma demagogia do mundo consegue disfarçar. Não me parece que tenha conseguido convencer um único sportinguista, para além dos seus apoiantes.» (Álamo)

 

Míster do Café: «Bruno de Carvalho adoptou uma posse mais institucional, algo que acaba por ser normal perante a posição de Presidente. Já Pedro Madeira Rodrigues partiu da posição de quem não tem nada a perder e adoptou uma postura de ataque deliberado contra o actual conselho directivo e as medidas que tomou. Foram inúmeras as tentativas de Madeira Rodrigues em baixar o nível do debate. Bruno de Carvalho resistiu sempre à tentação de responder à letra e conseguiu sempre manter o seu "plano de jogo". A cara de tédio de Bruno de Carvalho a ouvir os soundbytes de Madeira Rodrigues fica para mim como o principal momento visual do debate. Priceless

 
O Artista do Dia: «Bruno de Carvalho procurou mostrar as virtudes do trabalho que desenvolveu ao longo dos últimos quatro anos, enquanto Pedro Madeira Rodrigues jogou mais ao ataque. Em alguns casos, Madeira Rodrigues excedeu-se nesses ataques, entrando em considerações da vida pessoal e profissional de Bruno de Carvalho que nada têm a ver com a sua presidência. Não sei se a ideia seria tentar conseguir reacções mais a quente de Bruno de Carvalho, mas o presidente manteve-se bastante calmo - aliás, mais calmo do que seria de esperar.» (Mestre de Cerimónias)
 
Sporting Visto Por Nós: «Para quem durante estes anos, como eu, apontou a Bruno de Carvalho um enorme defeito comunicativo, divisionista até, viu-se ontem na obrigação de o repensar pois, afinal, Pedro Madeira Rodrigues, do outro lado da "barricada" apresenta-se nessa mesma índole. Em algumas situações, pior até, revisitando o paradigma dos Viscondes, quando afirma com a maior das naturalidades que "os Sportinguistas têm mais dinheiro que os outros". Deste proto-elitismo propalado pelo candidato que reúne em si a oposição estou eu mais que farto!» (Mauro Silva)
 
Tu Vais Vencer: «Pedro Madeira Rodrigues entrou preparado mas foi cometendo várias gafes, como aquela em que disse que Wolfswinkel tinha sido vendido por esta direcção, quando foi vendido por Godinho Lopes para "pagar salários" que só foram pagos quando Bruno de Carvalho chegou ao Clube. PMR mostrou ter ideias válidas mas o somatório dessas ideias está longe de formar um projecto desportivo convincente para o Sporting Clube de Portugal.»

Isto são só umas horas, depois passa. Mais ou menos.

Nada está perdido, não se trata disso. E quanto a esse tema, gostava de partilhar o que diz o Sportinguista.

Além de também eu não ter desistido, há três pontos que saliento deste post:

Exijo que saibam o que o Sporting representa para os adeptos e que carregam uma bandeira (...)

Exijo que sejam profissionais na mesma medida do nosso amor

Exijo que percebam a sorte que é ser do Sporting;

Não há muito mais a dizer a seguir aos dois últimos jogos. Ou quatro, vá, mas nos dois últimos foi mais evidente uma ineficácia que não deixa muitos argumentos. Com o Dormund houve atitude e em Guimarães três golos. Não é um caso em particular, e isto não quer dizer que está tudo mal na equipa. Temos bons centrais, um Schelotto que começa bem, descarrila pelo meio e corre para apanhar o fim, Um Bas Dost que não tem culpa que não lhe chegue sempre a bola. Não é uma culpa de alguém em particular, mas também não é mérito de nenhum. Vendo a cara do Ruben Semedo no final do jogo, percebe-se que não somos só nós a achar que aquele resultado soube a derrota. E não é saber a derrota por merecermos mais um golo - que até merecíamos -, ou erro do árbitro, ou anti-jogo - que também existiu, não discuto isso. É saber a derrota porque sabemos e podemos mais que isto.

Queriamos estar todos alinhados, estamos agora? Estamos unidos num "Ok, alguma coisa tem de mudar nestes jogos"? Espero que sim, é essa sintonia que faz um clube.

Isto passa-me, nem sequer está em causa quarta-feira estar em frente a uma TV às 19:45. Mas que mói, mói.

Surpreendido!

Hoje fui surpreendido quando um colega me enviou um mail com uma ligação para um blogue do Benfica. A expressão que ele usou foi: "Estás em grande!"

A princípio não percebi o que passava até que carreguei na linha azul e fui parar ao tal blogue onde, para enorme espanto meu, reparei que alguém transcrevera este meu texto para aquele espaço, acrescentando no final uma espécie de comentário.

Jamais tal me acontecera... Mas a vida é assim, repleta de surpresas. Depois dei-me ao trabalho de ir lendo comentários. Percebi que há gente que pensa como eu mas há também quem considere o Sporting culpado desta violência verbal.

Cada um pensará o que quiser... Digo eu.

Estive então tentado em nada responder no tal espaço benfiquista, só que há por lá algumas insinuações que eu não gostei e por isso acabei por responder em comentário ao autor do post. Espero que o publique.

Para que não restem dúvidas, eis infra, o meu comentário no blogue "GeraçãoBenfica".

Sporting sempre!

 

Caríssimo,
Através de um colega e amigo da vossa geração, recebi a indicação de que este blogue havia transcrito "ipsis verbis" um texto que eu publiquei no blogue "Sporting - És a nossa Fé". Ao invés do que possam pensar tal não me preocupa. De todo! Estamos num país (ainda) livre e como tiveram também o cuidado de referir a origem e o autor do texto, reconheço coragem na assumpção deste post.
No entanto as opiniões nunca são verde versus vermelho. Infelizmente! Há sempre zonas demasiado cinzentas.
Assim, o que escrevi não foi contra ninguém em especial mas essencialmente contra uma filosofia reinante, perante a qual estou em total desacordo! Que fique desde já esclarecido.
Custa-me por isso que alguns dos comentários venham falar de mim e das minhas eventuais opções, sem que me conheçam nem saibam minimamente quem eu sou!
A minha idade já me escuda a muitas afrontas. Mas seja como for há ideias preconcebidas que nunca devemos deixar de clarificar.
Sou do Sporting, sim. Do Sporting Clube de Portugal que nasceu há mais de 100 anos. Vesti aquela camisola como atleta e deste modo não aceito de ninguém lições de sportinguismo. Porque cada um vive o seu clube à maneira que muito bem entender. Ponto.
Face ao que precede agradeço a referência ao meu texto e espero que continuem o vosso caminho em prol quiçá de um futebol mais sério, límpido e no fim que ganhe o melhor.
Preferia obviamente que fosse o Sporting a ter mais vitórias... mas se não for... paciência!
Saudações desportivas,
 
Jose da Xã
 
PS 1 - Se não se importam este comentário irá ser transcrito no blogue do Sporting.
PS 2 - Parabéns pela vitória de hoje!
 
A gente lê-se por aí!

Um ano de comentários

O Sapo merece ser felicitado. Motivo? Festeja hoje o aniversário de uma das suas mais interessantes rubricas: Blogs Quentes, que revela quais os blogues mais comentados nesta plataforma, de segunda a sexta-feira. És a Nossa Fé é uma das presenças mais assíduas nesta rubrica. Hoje mesmo somos lá citados - é a décima vez em 15 dias de destaques só neste mês de Abril.

Parabéns a todos, portanto. Ao plantel do Sapo e aos leitores que tanto nos comentam.

Mentiras

"...Perante mais de 42 mil testemunhas in loco e uns milhões pela tv, o árbitro Jorge Tavares não se coibiu de realizar mais uma exibição despudorada em pleno covil do leão.

Pouco me interessa se o comentador José Nunes deu cartão verde ao árbitro, considerando não ter tido erros de relevo, na sua habitual análise aos intervenientes na Antena 1...." (mais aqui )

Entre os dez mais

Num total de 1630 blogues portugueses auditados pelo Blogómetro, És a nossa Fé encontra-se na 43ª posição - e num honroso nono lugar entre os blogues especializados em desporto.

Com 1262 visitas diárias e 2147 visualizações, também de média diária.

Na primeira divisão, portanto. Graças aos nossos leitores, a quem agradecemos todas as provas quotidianas de incentivo e confiança que continuam a demonstrar-nos.

O terceiro mais comentado do ano

Acabo de saber: este foi o terceiro postal mais comentado do ano que agora acaba, em todos os blogues inseridos na plataforma Sapo. Versando não um tema do presente mas um assunto pertencente a um passado já remoto, quando a televisão era a preto e branco e o detentor máximo do poder político se envolvia sem pudor nas questões do futebol, vetando transferências de jogadores para o estrangeiro.

Confirma-se, de algum modo, que somos um povo com irreprimível tendência para a nostalgia.

O artista do dia

Não sei quem é o Mestre de Cerimónias e acho pouco provável que conheça o autor por detrás do pseudónimo. Mas sei que O Artista do Dia: Futebol Português é um muito bom blogue sportinguista, inteligente e bem escrito, que vale a pena ler. Só há uns dias -  em meu desabono, reconheço-o -  deparei, por acaso, com a sua existência. Tenho a impressão de que O Artista do Dia tem uma audiência inferior à que, em meu entender, merece. Se puderem, dêem lá um pulo que, se calhar, ficam como eu, clientes. 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D