04 Dez 15

"No dia 16 de dezembro de 1990, cinco homens combinaram um jantar secreto numa torre de escritórios de Londres: ninguém, para além deles próprios, sabia daquele encontro.
Não eram uns homens quaisquer, eram os presidentes dos cinco maiores clubes de Inglaterra: Manchester United, Liverpool, Arsenal, Everton e Tottenham.
 
O futebol inglês arrastava-se, por esses dias, na parte cinzenta da vida.
A tragédia de Hillsborough que matou noventa pessoas acontecera há um ano, o hooliganismo enchia o futebol de violência e os melhores jogadores fugiam do país: nomes como Lineker, Gascoigne, Paul Ince, David Platt ou Glenn Hoddle.
 
A liga inglesa chamava-se Football League, era composta por 92 clubes e andava há dez anos num clima de guerra permanente com a Federação Inglesa.
Por isso aqueles homens reuniram-se naquele dia com uma ideia clara: lançar as bases do que viria a ser a melhor liga do mundo. Uma liga exclusiva, elitista, rica e espetacular, formada apenas pelos dezoito clubes da primeira divisão.
 
Chamaram-lhe Premier League.
Queriam estádios mais modernos, queriam um ambiente mais saudável nas bancadas, queriam os melhores jogadores, queriam enfim um melhor futebol e, sobretudo, um espetáculo melhor: um espetáculo distinto.
 
Para tornar este sonho possível, tinham um plano. Chamava-se direitos de transmissão televisiva.
Por isso naquele dia 16 de dezembro de 1990 não estavam sozinhos no jantar, convidaram um diretor sénior da ITV a quem fizeram uma pergunta: estarias na disposição de comprar os direitos de transmissão de uma liga destas?
A resposta foi positiva e dois anos depois arrancou a Premier League.
 
Claro que o caminho não foi simples, nunca é fácil fazer a mudança: a Football League, por exemplo, opôs-se obviamente à ideia, disse que era ilegal, ameaçou ir para os tribunais. Vários clubes começaram também por dizer não e, admitiriam mais tarde, só a proposta da ITV os faria perceber que valia a pena mudar.
 
O certo é que à boleia da centralização, e de uma distribuição mais justa, dos direitos televisivos, a Premier League arrancou mesmo em 1992. A partir daí, ano após ano, temporada depois de temporada, foi crescendo, foi valorizando, foi enriquecendo.
 
Por estes dias conseguiu renegociar os direitos para três temporadas por sete mil milhões de euros e distribui a um clube que desce de divisão 90 milhões de euros por ano.
 
Hoje, acho que é pacífico dizê-lo, é a liga mais rica, mais bela e mais sedutora do mundo.


 
Ora vem esta conversa a propósito da venda dos direitos de transmissão dos jogos do Benfica por 40 milhões de euros, ao longo de dez anos: 400 milhões no total.
É sem dúvida um acordo histórico e notável. Bateu recordes, e isso diz tudo.
 
Não é, no entanto, um bom acordo. Desculpem-me mas não é. O que este acordo significa é que o Benfica vai ter mais dinheiro do que tem hoje, vai ter anualmente mais doze milhões de euros - de acordo com o relatório e contas -, mas significa também que vai continuar a jogar numa liga pobre, monótona e infeliz.
Uma liga de enormes assimetrias, cheia de adversários defensivos e espetáculos aborrecidos. Com estádios modestos, jogadores medíocres e bancadas vazias.
 
O Benfica vai enfim continuar a fazer parte de um produto pobre: o futebol português.
 
A ideia já foi referida várias vezes, mas vale a pena repeti-la as vezes que forem necessárias: a centralização dos direitos televisivos permite uma melhor distribuição do dinheiro, permite fazer crescer os clubes mais pequenos e no fim fazer crescer a liga.
Os clubes teriam mais recursos financeiros, até porque o todo é mais do que a soma das partes, mas sobretudo os clubes pequenos teriam mais recursos. Com isso poderiam construir equipas melhores, jogar um futebol melhor e ter mais público nos estádios.
O futebol português seria melhor enquanto produto, os direitos televisivos valeriam mais e todos os clubes ficariam a ganhar: os grandes continuariam a ser muito maiores do que os outros e os pequenos seriam menos pequenos do que são agora.
 
Não seria uma mudança fácil, claro que não, se não o foi em Inglaterra não o seria num país que respondeu não aos dois referendos vinculativos. Mas o que o Benfica fez foi garantir que provavelmente nos próximos dez anos não é possível fazer esse caminho: não tinha sentido tentar fazê-lo sem o maior clube português.
 
O Benfica assinou um acordo em que admite ter um produto que vale menos de metade do que vale o Burnley na II Liga inglesa: exatamente 40 contra 92 milhões de euros.
 
Não se quer com isto comparar o valor do mercado inglês com o do mercado português: isso era um absurdo. Quer-se, isso sim, dizer que o modelo inglês é um exemplo, e que os clubes portugueses não poderão dar um salto verdadeiramente impressionante enquanto o próprio campeonato não o der.
 
Por isso vale a pena voltar ao início para dizer que pode parecer que foi noutra vida, mas não: foi apenas há vinte anos que a liga inglesa caminhava no lado cinzento da vida.
 
Que é onde desconfio que vai andar a liga portuguesa nos próximos dez anos."
 
«Box-to-box» é um espaço de opinião de Sérgio Pereira, jornalista do (e publicado no) Maisfutebol, que se transcreve aqui na íntegra, com a devida vénia.

Os sublinhados são meus.

O crédito da imagem suponho que seja do "Maisfutebol", uma vez que não está identificado o autor no artigo original.


comentar
44 comentários:
De JMC a 4 de Dezembro de 2015 às 13:48
A gente percebe o desejo de andar a reboque do Benfica.
A gente percebe que sem o Benfica, nem um patrocinador conseguem para pagar a publicidade nas camisolas.
A gente percebe que a santa aliança com PdC para colocar o Proença na Liga se está a transformar num fiasco.

A gente percebe tudo isso, mas também conhece um ditado que diz: não mordas a mão que te dá de comer.
Ora tem sido isso que alguns canalhas que por cá andam tem andado a fazer nos últimos tempos, com insinuações e mentiras várias.


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 13:55
Eu juro que pensei duas vezes antes de publicar este excelente artigo!
Sim, há gente que mesmo que lhe escarrapachem as verdades nas trombas, continua a enfiar as ditas na areia, qual avestruz.
Continuem lá com o vosso "orgulhosamente sós", que um dia podem acordar e perceber que o futebol... acabou!


De antonio correia a 4 de Dezembro de 2015 às 13:57
Para vós já esteve mais longe.........olha as VMOC's, Doyen, etc e tal.


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 14:00
E argumentos de jeito, há?
Para escreveres isto, escusas de vir cá, os leitores agradecem.


De JMC a 4 de Dezembro de 2015 às 14:21
Caro Edmundo,

compreendo a suas preocupações com a possibilidade de "morte" do negócio do futebol em Portugal.

Mas continuo a dizer-lhe que nos últimos tempos o grande cangalheiro do negócio do futebol tem sido o presidente do seu clube (e alguns dos seus adjuntos), com as muitas insinuações/mentiras sopradas para a CS. Desde telefonemas inventados com "propostas indecentes", até às famigeradas "caixas douradas" que, supostamente, teriam 1200 refeições incluídas (já desmentidas por 180 árbitros, delegados e observadores).

Se havia queixas a fazer, devia ter recorrido em primeiro lugar aos órgãos disciplinares ou de justiça do futebol. Só perante a inacção desses órgãos ou depois da decisão, seria ético que o clube tomasse uma posição pública. Fazê-lo da forma em que o fez, em programas de lavagem de roupa suja, como um irresponsável líder de claque, é estratégia de incendiário que descredibiliza o negócio do futebol.

Era bom que reflectisse desapaixonadamente sobre a estratégia pirómana que, parecendo estar a ter sucesso a curto prazo, conduzirá, a médio longo prazo, o seu clube e/ou o negócio do futebol, ao abismo.


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 14:29
Antes de começar, leia isto, que pode ficar esclarecido:
http://c026204.cdn.sapo.io/1/c026204/cld-file/1426522730/6d77c9965e17b15/18e1432110d1067563ec790a4ec745a6/Propostas.pdf

1- São 1120 (mil cento e vinte) as refeições oferecidas, que alguns árbitros, delegados e observadores aceitaram e cujos vouchers podem ser vistos nas instalações da TVI, em Queluz de baixo, à guarda de Joaquim Sousa Martins.

2- Não é verdade! O assunto caixa dourada foi abordado antes do programa da TVI24 num almoço com o presidente da federação, que não tomou quaisquer medidas.

3- Mais uma vez, não é verdade! Não me parece necessário, mas se estiver interessado mostrar-lhe-ei quem anda a incendiar, com factos e datas. E não se preocupe com o meu Clube, preocupe-se com o seu, que bem precisa.


De JMC a 4 de Dezembro de 2015 às 14:35
Não pode ver na TVI, nem em outro qualquer lugar, aquilo que não existe. O ditos vouchers, vendidos ao público por 60 euros, não incluem quaisquer refeições, mas apenas uma entrada (no valor de 3,5 euros) no Museu da Cerveja, com direito a uma cervejola.

Tudo o resto são mitos, apregoados por um mitómano, já desmentidos pelos 180 inquiridos e que o relatório final irá confirmar. Esperemos que seja rápido.


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 14:43
TVI24:
Pedro Guerra: "Sousa Martins, os vouchers não contêm jantares!"
Sousa Martins: "Quer que eu vá lá acima buscar??"

Esclarecido?


De JMC a 4 de Dezembro de 2015 às 17:33
E foi lá acima buscar, alguma coisa, ou ficou-se pela conversa fiada?

Se o Sousa Martins é a abécula que se conhece, disso não tenho culpa. Aquilo que se viu na TV, no tal programa do Bruno, é exactamente igual ao Kit que é vendido ao público por 60 euros.


Acha, por acaso, que o Sousa Martins é mais verdadeiro que os 180 árbitros, ouvidos em inquérito, que negaram ter recebido qualquer refeição?

E, já agora, não acha no mínimo estranho que a "prova" do delito, apresentada pelo BdC, esteja na TVI nas mãos de um qualquer jornalista e não tenha sido carreado pelo seu presidente para o inquérito a correr na Liga e Federação ou Ministério Público?

Sinceramente, considero-o bastante mais inteligente que esse triste argumento que agora apresentou.


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 17:58
JMC, você quer vencer-me pelo cansaço, mas não consegue!
O Pedro Guerra enfiou a viola no saco com a resposta do Sousa Martins, se estivesse certo do que afirmou, respondia-lhe afirmativamente, não acha?
Dos 180 árbitros ouvidos, uns disseram não ter aceitado a caixa, outros o contrário. Mas não se esqueça que não foi só a árbitro, foi a observadores e a delegados e esses não foram ouvidos.

Não, não acho nada estranho! Se tivesse sido entregue na FPF já teria desaparecido, tal como a denúncia feita por BdC ao seu presidente!

Pois eu não o considero assim tão inteligente, ou então, com tão esfarrapado exemplo, disfarça muito bem.


De antonio correia a 4 de Dezembro de 2015 às 13:51
O Benfica é a alma do negócio futebol, é o único produto com valor de mercado mundial, aliás como se comprova pelos seus patrocinadores..............o resto dos clubes servem apenas para que se possam realizar as competições.

O escriba do mais futebol está com azia.


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 13:57
Pois é óh António, tens razão, pá!
Vê lá se um dia destes não tens adversários com quem jogar e esse negócio vai por água abaixo.
Ou quem sabe passes a fazer torneios entre as casas do Benfica...


De antonio correia a 4 de Dezembro de 2015 às 14:05
Se houver torneios entre casas do Benfica o produto continua valioso..........tem 14.000.000 de consumidores.


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 14:11
Essa vossa vocação autofágica.
Cuidado que podem dar a parecer outra coisa...


De Sam a 4 de Dezembro de 2015 às 17:51
Bolas, deve ser tramado perder constantemente campeonatos para (pelo menos) uma equipa que, segundo o seu comentário, só deveria estar a fazer figura de corpo presente. Ou receber no seu estádio uma outra equipa que só serve para totalizar o número de equipas necessárias para a competição e comer três secos...

É inegável que o Benfica é o maior clube em Portugal, poderia e deveria ser o rosto da mudança de paradigma no futebol português, é a marca mais icónica do nosso panorama futebolístico. Mas para quê? Para isto? É disto que tanto se orgulham?

Gostava de saber o que farão quando surgir uma geração que nem saiba quem foi o Eusébio. O que têm mais para mostrar? O que vos orgulha tanto que possam mostrar a gerações vindouras? Zero! Perderam a oportunidade de ser o rosto da mudança.

Mas como já disse, continuem a acreditar que é um excelente negócio... assim como continuam a acreditar que o Gonçalo Guedes até é um grande jogador...


De anonymous a 4 de Dezembro de 2015 às 14:02
Este (péssimo) acordo arruma 3 coelhos, com uma só cajadada:

1. Arruma com Proença (apoiado por FCP e SCP) que dizia ser principal prioridade da Liga de Clubes a centralização de direitos televisivos e respectiva negociação.

2. Deixa os rivais, FCP e SCP, entregues a si próprios, aos seus patrocinadores e mercado, o que a acreditar naquilo que ocorre com as camisolas, não augura nada de bom para eles.

Daí o nervosismo que anda no ar.


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 14:09
Y, esse acordo dá ao Benfica mais 12 milhões de euros, segundo o relatório e contas (pois, os custos de exploração da btv e o pagamento dos direitos precisamente à Premier League e a outras que o canal do Benfica hora transmite).
Vamos ver por quanto negoceiam Sporting e Porto, para compararmos, sendo que eu também sou apologista da negociação em bloco, onde como se viu em Inglaterra todos acabarão por ganhar muito mais no final.
Enquanto negócio, não me incomoda nada este acordo Benfica/NOS, enquanto adepto do futebol, vejo-o com preocupação, pelas mesmas razões que o autor do artigo.


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 14:09
*hora= ora (assim é que é!)


De JMC a 4 de Dezembro de 2015 às 14:29
Dia 10 saberemos em pormenor o que dá este acordo ao Benfica.
Com o que se sabe até agora não posso dizer que dá 12 milhões a mais.
Mas, se der 12 milhões A MAIS.... por ano, tenho de concluir que é um excelente aumento, relativamente ao que ao que o Benfica ganha actualmente com a BTV, ou aos 22 milhões que o Benfica recusou há 3 anos à Sportv (na altura o Benfica pedia 30 milhões, lembra-se?).


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 14:34
Meu caro, quando eu faço eco a um artigo onde se diz que o Benfica fez um bom acordo, em princípio concordarei com o mesmo artigo, tendo-me eu como um tipo que não é hipócrita...
Mas a sanha em ripostar nem o deixou ler o artigo na totalidade: Diz mal do Benfica, 'bora lá malhar no gajo!


De António Ramos a 4 de Dezembro de 2015 às 14:57
Caro Edmundo Gonçalves,

Louvo-lhe a paciência. É de santo! Mesmo nesta quadra natalicia, tentar explicar este excelente post a meia duzia de galináceos comedores de cornetos com a testa não é para qualquer um! Eu teria espalhado um punhado de milho e deixava-os entretidos a comer e ia à minha vida, com seres desta especie não vale a pena gastar o meu latim, mas o Edmundo optou pelo caminho mais dificil e tenta, seguramente em vão, um dialogo inteligente com estas alimárias. Só lhe posso desejar boa sorte, vai precisar.


PS:

Em qualquer liga decente os direitos de transmissao televisa são centralizados e distribuidos de forma a que a competição não fique de tal forma inquinada à partida que leve a situações ridiculas como a que assistimos todos os anos, casos de compras de jogadores a garnel do setubal por parte do benfica antes de visitar setubal apenas para que o vitoria possa pagar 4 ou 5 meses de ordenados em atraso ou assistir a presidentes de sad do belenenses em palanques de festas lampiãs a bater palminhas. E exemplos destes encontram-se igualmente a norte, em tons de azul. Enquanto os pançudos que presidem os clubes secundários não se deixarem seduzir pelas notas vermelhas e azuis e pensarem realmente nos interesses das suas colectividades e votarem todos juntos na LPFP consoante esses mesmos interesses, teremos este marasmo de futebol lusitano. O poder de mudança não está no benfica, porto ou Sporting, está nos restantes 39 clubes que compoem o modelo profissional do futebol portugues


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 15:05
Caro António, eles só olharam para o título do post, nem leram! E mesmo que lessem, não entenderiam!

Saudações Leoninas


De Schmeichel a 4 de Dezembro de 2015 às 14:59
Excelente post!

De facto é ridiculo ouvir dizer que queremos competir na Champions quando o campeão português (neste caso o Benfica) recebe menos que um clube da 2ª Liga inglesa.

A bela cultura portuguesa, de cada um por si... vai resultar num campeonato cada vez menos competitivo, logo menos atractivo em todos os aspectos, patrocinadores, Tv, jogadores, adeptos, um pouco ao estilo do campeonato grego e escocês, que se tornaram campeonatos de 3ª divisão.


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 15:07
Meu caro, e só não vê quem não quer!
Ou a quem interesse "empochar" a custo do clube que dirige...

Eu inclinar-me-ia mais para a segunda hipótese.

SL


De Antonio Ramos a 4 de Dezembro de 2015 às 16:49
Exactamente Schmeichel, o que eles querem na realidade é simples e claro e não vale a pena negarem: serem o Celtic aqui do pedaço! Mas para isso precisariam arrumar com porto e Sporting para as calendas dos distritais, para depois brincarem aos campeonatos amadores e ganharem contra meninos. E acham que eles se importavam de somarem triunfos contra concorrência que nem no papel se poderia apelidar disso mesmo? Obviamente que nao, a falta de cultura desportiva está de tal forma enraizada que é isto que sobra, um constante olhar para o próprio umbigo, esses miseros milhoes como já aqui foi escrito podem fazer deles reis aqui do burgo mas continuarão plebeus na Europa, e depois? Depois acumular-se-ao dividas e lá surgirá novo presidente da camara para negociatas ou ministra das finanças para aceitar notas de monopólio como pagamento de dividas, no fundo Portugal é mesmo o unico País onde o benfica poderia existir...


De anonymous a 4 de Dezembro de 2015 às 18:57
«A bela cultura portuguesa, de cada um por si... »

Isto será uma crítica implícita ao presidente do seu clube, por já ter promovido conflitos com tudo o que mexe no futebol?
Acha, por acaso, ser possível qualquer tipo de acordo com pessoas do calibre do presidente do seu clube?

Quem iniciou e promove o estado de guerra no futebol português que assuma as responsabilidades e se aguente à bronca.

Não podem é promover o terrorismo mediático e, depois, querer andar encostado ao Benfica para conseguir milhões em patrocínios nas camisolas ou vendas dos direitos de TV.

Promoveram a guerra, já deviam esperar as consequências. Agora aguentem-se à bronca e vão pedir satisfações ao brilhantina que puseram na Liga.


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 19:11
Pelos vistos não deu pelo link lá em cima. Cá vai, de novo, porque parece que convosco tem que ser sempre duas vezes:
http://c026204.cdn.sapo.io/1/c026204/cld-file/1426522730/6d77c9965e17b15/18e1432110d1067563ec790a4ec745a6/Propostas.pdf

Mostre lá aí exemplos de que fomos nós que começámos a guerra, que isto de acusar e não apresentar provas...


De Schmeichel a 5 de Dezembro de 2015 às 13:58
anonymous,

não percebi uma coisa no seu comentário... é a favor de cada um por si (que foi o que o seu presidente acordou com a NOS) ou de um contrato conjunto com todos os clubes?

não ponha BdC como culpado de tudo.... e falar de terrorismo numa semana onde bateram no Tonel com o que podiam e depois levam 2 penaltys dados... é esta a vossa hipocrisia!


De Sam a 4 de Dezembro de 2015 às 16:40
Excelente artigo! Sem querer ofender ninguém, sou obrigado a dizer que só tenho pena que grande parte dos benfiquistas sejam tão, vá lá, tacanhos (para não ir mais além nas palavras), para conseguirem perceber isto. É pessoal que não dá mais, infelizmente. Vivem de ilusões, de números sem qualquer adesão à realidade - enfim, do passado. Perdem-se oportunidades de valorização do futebol português na sua globalidade, porque os benfiquistas estão demasiado fascinados com um número (400 milhões), que estou certo que a maioria deles nem sabe contabilizar quantos zeros tem à frente do quatro. Mas pronto, acreditem no que quiserem; afinal, o sonho comanda a vida...


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 17:05
Sam, isto "mal-acomparado", será uma espécie de vitória na secretaria.
O pior é que, como já escrevi lá em cima, podem começar a jogar sozinhos...

SL


De Corvo a 4 de Dezembro de 2015 às 17:46
Tanta dor de cabeça que o vizinho vos provoca.
Então não era melhor virarem-se para a simplicidade do Sporting, com os seus joguitos internos, contabilizar as receitas de bilheteira sem as grandes preocupações europeias e no fim viviam mais descansados sem risco prováveis de um AVC que a preocupação com o Benfica seguramente vos provocará?


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 18:02
Nem uma enxaqueca, meu caro!
Convosco, nem uma enxa queca...


De FF a 4 de Dezembro de 2015 às 17:48
Pois é, isto agora é uma grande chatice!!!

" uma Liga pobre, fraca, sem expressão na Europa, blá, blá, blá..."

Gostavam era dos tempos em que viviam a reboque do Benfica, na negociação de patrocínios, direitos de transmissão, etc, etc.

Isso agora acabou!! E já se viu o resultado: patrocínios 0 (Zero) , e quanto aos direitos de transmissão, está visto qual o valor que o mercado atribui a uns e outros.

Não são tão grandes, muita fortes e confiantes? Então, façam-se á vida!!


Saudações


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 18:04
Não sei qual dos F's lhe falta, meu caro, mas esses seu argumento e raciocínio, estão ao nível do tempo da outra senhora!
Diga-me lá que canal de televisão estrangeiro está interessado na liga portuguesa e quantos estão na liga inglesa. Chega lá?


De Romão a 4 de Dezembro de 2015 às 18:30
Caro Edmundo, o artigo é claro e de fácil compreensão. Se depois alguns lorpas vêm para aqui pensar que isto é tudo uma açorda, que pensem. O problema é deles e não vale a pena gastar cera com tão ruins defuntos.

Quanto ao "mega-negocio" do SLB (agora é que ninguém os agarra...) é escusado dizer seja aquilo que for porque eles nunca vão entender. E a prova disso é que o Prof. Luciano Amaral explicou num post lá em cima, como funciona a "coisa" e houve uma abécula que lhe disse que "ele não sabia fazer contas". Acho que não é preciso dizer mais nada.

Entretanto vamos á frente e isso é o que lhes doi...

SL


De Edmundo Gonçalves a 4 de Dezembro de 2015 às 18:40
Ora aí é que a porca torce o rabo, Romão. Isso é que os tem deixado atarantados, coitados.

SL


De FF a 5 de Dezembro de 2015 às 11:19
O que nos dói mesmo é ser Bi-Campeoes e contar 34 títulos nacionais na nossa galeria, contra os vossos 18. Isso é que nos mata de dor e inveja.
Tenham consciência da diferença de dimensão dos 2 clubes, a vários níveis, e deixem de ser ridículos.


De Edmundo Gonçalves a 5 de Dezembro de 2015 às 16:02
Nem nos títulos, nem na idade. Aldrabam tudo. Nem têm a idade que dizem, nem os títulos que apregoam...


De Jorge Ferreira a 4 de Dezembro de 2015 às 22:18
O artigo é bastante interessante sem dúvida e, concordo que a centralização dos direitos de transmissão televisiva é o caminho certo. No entanto, não podemos descurar o valor da nossa marca SCP, representada por mais de 3,5 milhões de seguidores/consumidores (reais), que penso não estar ainda a ser potencializada no seu real valor. É um trabalho que tem que ser feito a médio longo prazo, que terá que assentar no sucesso desportivo da equipa principal de futebol, quer nas competições nacionais, quer com boas prestações nas competições europeias. A má gestão do nosso clube ao longo de muitos anos, não contribuiu para a valorização e expansão da nossa marca. De qualquer das maneiras, esta direcção está a fazer um trabalho notável nesse sentido, mas tem que se dar tempo ao tempo...

Um abraço e SL


De Edmundo Gonçalves a 5 de Dezembro de 2015 às 16:09
Jorge, apesar de estar de acordo com o que escreve, não posso defender uma coisa e o seu contrário. Independentemente do valor da marca Sporting, o caminho terá que ser sempre o da negociação em pacote dos direitos televisivos. Já outros negócios, vamos esperar para ver.

SL


De ólhocisconoolho a 5 de Dezembro de 2015 às 00:16
é gratificante ver a profunda preocupação e a sentida manifestação de tristeza, dada à estampa, por uma larga maioria dos adeptos do nosso mais antigo rival, por um (outro!) péssimo negócio

sensibiliza-me a vossa angústia pelo impiedoso rombo nas finanças que, mais cedo ou mais tarde, deixarão o Sport Lisboa e ... BENFICA, à beira do abismo por culpas próprias

creio que tamanha argolada, nem o dono da verdade, vai voltar a pedir a descida de divisão

estupefacto, para lá de soltar umas grossas lágrimas de incredulidade, confesso que até larguei uma 'pinguinha', com tanta e tão franca solidariedade


De Edmundo Gonçalves a 5 de Dezembro de 2015 às 16:12
Dodot resolve!


Comentar post

Autores
Pesquisar
 
Posts recentes

O Ligador

Tenho os bracinhos todos ...

Boloni tinha razão*...

De onde é que veio este E...

Já a pensar no sorteio 

Sem espinhas

Confesso...

Rescaldo do jogo de hoje

Hoje giro eu - Mais um Pe...

Campeões

Facebook
És a Nossa Fé no Facebook
Twitter
És a Nossa Fé no Twitter
Arquivo

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Tags

sporting

comentários

memória

selecção

leoas

bruno de carvalho

prognósticos

jorge jesus

balanço

slb

há um ano

vitórias

campeonato

jogadores

benfica

eleições

rescaldo

arbitragem

mundial 2014

taça de portugal

nós

golos

ler os outros

liga europa

futebol

godinho lopes

árbitros

clássicos

euro 2016

comentadores

cristiano ronaldo

scp

formação

humor

análise

liga dos campeões

crise

chavões

derrotas

william carvalho

todas as tags

Mais comentados
158 comentários
155 comentários
152 comentários
142 comentários
138 comentários
136 comentários
132 comentários
Ligações
Créditos
Layout: SAPO/Pedro Neves
Fotografias de cabeçalho: Flickr/blvesboy e Flickr/André
blogs SAPO
subscrever feeds