21 Mai 14
Rei morto, rei posto
Tiago Loureiro

 

Tal como aconteceu no ano passado, o Sporting apresentou o seu novo treinador no dia a seguir ao anúncio da saída do anterior. Rei morto, rei posto. Aguardei esse anúncio oficial para falar da saída de Leonardo Jardim (mais para o final do post perceber-se-á porquê). 

 

Um ano após ter assumido a equipa, Leonardo Jardim parte com o registo de trabalho bem feito e como rosto da recuperação desportiva de um clube moribundo que acabara a época anterior num penoso 7º lugar. Este facto, associado a anos desastrosos, fez com que muitos sportinguistas, perante a sua saída, revelassem uma característica demasiado vista em ocasiões anteriores: o catastrofismo. A última vez que tal tinha acontecido fora precisamente por causa de um treinador. Na época passada, por esta altura, não faltava quem adivinhasse o caos no futuro do Sporting porque o clube abrira mão de Jesualdo Ferreira, treinador que, numa época catastrófica, nos tinha feito passar um pouco menos de vergonha. Não quero comparar a qualidade e o trabalho de Jardim com o de Jesualdo - a saída de Jardim justifica mil vezes mais as angústias e as preocupações dos sportinguistas do que a saída do professor medíocre - mas o mesmo complexo do homem providencial e da inevitabilidade do caos perante a mudança está lá.

 

Este estado de espírito até poderia fazer sentido num Sporting recente em que as boas opções eram mais excepção do que regra e em que as boas decisões pareciam tomadas por sorte. Mas agora é diferente. Porque se houve coisa que ficou provada na época que agora terminou para além da qualidade de Leonardo Jardim, foi a mudança na forma de funcionar do clube. Goste-se mais ou goste-se menos dos protagonistas, concorde-se ou não com os métodos, é inegável que o Sporting tem um rumo, uma estratégia e demonstra coerência no seu cumprimento.

 

Por isso, há um ano atrás, mais do que assumir a equipa do Sporting, Leonardo Jardim passou a integrar uma estrutura organizada e funcional. E, ao contrário dos sportinguistas catastrofistas, eu prefiro considerar que o sucesso desportivo da equipa, mais do que dever-se a um homem providencial, deveu-se à estrutura da qual o treinador fez parte, e na qual se destacam também Inácio e o Presidente. Leonardo Jardim foi mais uma peça dessa engrenagem que fez o Sporting funcionar como há muito não se via. Não quero com isto desvalorizar o papel de Jardim e considerá-lo uma peça fácil de substituir. Nada disso. Jardim tem valor e provou-o e não há muitos como ele. Apenas quero evidenciar que é muito mais fácil antever sucesso das mudanças feitas dentro de uma estrutura que funciona, do que num clube onde ela nem sequer existe.

 

Por isso, acredito que a substituição de uma peça tão importante como Jardim por um treinador competente e capaz será a garantia de que a engrenagem continuará em funcionamento. Marco Silva é esse treinador. Não o digo apenas porque não tenho outro remédio senão ter esta esperança, agora que se confirma que ele é o escolhido. Afirmo-o porque vejo nele há já algum tempo o próximo caso sério do futebol português. Mais até do que Jardim. É feeling, é fé, é o que quiserem. Mas é o que sinto e o que sinto levou-me a dois momentos de angústia durante a época que agora terminou: aquele em que ele foi dado como quase certo no fcporto e aquele em que ele foi dado como quase certo no benfica. A conclusão é a melhor de todas. Vai treinar o meu clube e fazer-me feliz.


comentar
3 comentários:
De Pedro Correia a 21 de Maio de 2014 às 20:54
Muito bem, Tiago. Partilho destas reflexões, sem qualquer dúvida.


De Paulo Gorjão a 21 de Maio de 2014 às 22:30
É isso. Bom texto. Abraço, PG


De Francisco Melo a 22 de Maio de 2014 às 18:38
Excelente regresso à escrita Tiago! Muito bom post!


Comentar post

Autores
Pesquisar
 
Posts recentes

Esperança

Irritação

P.O. a D.D. - A sério?

Manto de silêncio

Ódio puro e duro

Os nossos comentadores me...

Como utilizar um miúdo 15...

Nada sucede por acaso

Os nossos comentadores me...

Os melhores prognósticos

Arquivo

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Tags

sporting

memória

comentários

selecção

bruno de carvalho

leoas

vitórias

prognósticos

há um ano

jorge jesus

campeonato

balanço

slb

arbitragem

benfica

mundial 2014

jogadores

rescaldo

taça de portugal

liga europa

godinho lopes

eleições

euro 2016

árbitros

ler os outros

futebol

golos

clássicos

comentadores

nós

marco silva

crise

scp

cristiano ronaldo

análise

chavões

formação

humor

liga dos campeões

slimani

todas as tags

Mais comentados
158 comentários
155 comentários
152 comentários
136 comentários
132 comentários
118 comentários
114 comentários
Ligações
Créditos
Layout: SAPO/Pedro Neves
Fotografias de cabeçalho: Flickr/blvesboy e Flickr/André
blogs SAPO
subscrever feeds