Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Porque hoje é Quarta-feira* (1)

«4 de Setembro de 1955.

 

Lisboa acordava debaixo de um concerto de nuvens cerradas que anunciavam cedo o fim do Verão. Um tempo desmotivador mas que não impedia a romaria de mais de 30 mil pessoas até ao Estádio Nacional, no coração do parque do Jamor. Era um dia especial, ainda que dificilmente o público pudesse imaginar o quão importante seria aquele momento para a história do futebol. Sem o saberem, nessa tarde de domingo, os adeptos tornaram-se testemunhas do acto em que a Europa consumou de forma definitiva a sua união. No terreno de jogo muito antes do que nos gabinetes ministeriais. O futebol encontrou uma forma de fintar as tensões políticas da Guerra Fria e ao mesmo tempo sarar as diferenças entre os vencedores da dura guerra mundial que tinha arrastado o mundo para o seu mais terrível pesadelo. Se dois anos depois, em Roma, seis nações da Europa Ocidental dariam selo oficial à Comunidade Europeia, nessa tarde de Setembro a Europa viveu o arranque do seu jogo sem fronteiras.

 

O duelo entre o Sporting Clube de Portugal e o Partizan de Belgrado significou o início das competições europeias de clubes organizadas pela UEFA. Era o ponto final de uma história de torneios meramente regionais e o primeiro passo para uma progressiva união do continente à volta do esférico. Estavam reunidas as condições perfeitas para o futebol ser a rampa de lançamento do que viria a ser conhecido depois como o processo de integração europeia.

 

 

A competição chamava-se oficialmente Taça dos Clubes Campeões Europeus mas nem o Sporting nem o Partizan tinham sido campeões das suas respectivas ligas. Representavam o que de melhor se tinha visto nos campos de jogo do Velho Continente nos anos anteriores e por isso foram escolhidos pela UEFA para participar na prova, jogando a sua partida inaugural. Nessa tarde não desiludiram. Os “Leões”, com três elementos do quinteto conhecido como “Cinco Violinos” ainda na equipa (Albano, Vasques e Travassos), começaram a vencer, com um golo madrugador de João Martins. O mesmo jogador iria apontar o último tento do encontro. Para trás tinha ficado um duelo intenso, com os jugoslavos a igualarem antes do intervalo para depois colocarem-se por duas vezes na frente do marcador, Com dez jogadores em campo, o Sporting aguentou a pressão do rival, liderado pelo notável dianteiro internacional jugoslavo Bora Milutinovic, e empatou a dez minutos do fim (3-3).»

  

In: PEREIRA, Miguel Lourenço [et al.] - Noites europeias: uma história das competições europeias de clubes - 1897-2013. Guimarães : Amor à Camisola, 2013. pp. 76/77

 

 

 

Informação complementar sobre João Martins, o autor do primeiro golo das competições europeias, neste artigo do «Observador».

 

(*) Com este título, Porque hoje é Quarta-feira, irei dar a conhecer excertos de textos, artigos de jornais ou a minha leitura de jogos europeus do Sporting.

12 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D