Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

"Há vinte anos que sei do que falo"

 

Entrevista a António Conceição Júnior, Presidente do Sporting Clube de Macau

 

 

- Quando foi fundado o Sporting Clube de Macau?


ACJ: O Sporting Clube de Macau, Filial nº.25, foi fundado em 25 de Setembro do longínquo ano de 1926, o que, naquela altura, constituiu uma reacção relativamente rápida em relação ao ano de 1906, considerando o estado ainda muito pouco desenvolvido das comunicações.

 

- Que relação manteve com a o Sporting Clube de Portugal?


ACJ: A história do Sporting Clube de Macau está cheia de momentos de glória, e de momentos em que a Filial soçobrou por falta de impulsionadores, pois viveu sempre da carolice de alguns sócios e, depois, de mecenas. Estou certo que em quase todos os seus diversos períodos a relação com a Casa Mãe foi boa. Lembro-me, por exemplo, de em 1956 o meu Pai, então Presidente do Sporting Clube de Macau, ter desfilado em Alvalade no cinquentenário do Clube e ser grande amigo do Dr. Brás de Medeiros, Presidente do Sporting Clube de Portugal.

Vicissitudes várias impediram, antes da reactivação de 2009, que se pudesse reconstituír a história do Sporting Clube de Macau desde o princípio.

 

- Actualmente quais são as relações entre os dois clubes?


ACJ: São boas. Temos tido um excelente interlocutor no Presidente Godinho Lopes que tem sabido manter com esta filial um contacto relativamente constante. Inclusivamente concedeu a um jornal de Macau uma entrevista, coisa que me parece ter sido pioneira.

 

- Entende que o SCM pode servir de ponte para que o SCP venha a conquistar investidores no mercado chinês?


ACJ: Eu por mim entendo que sim, e acho que a R. P. da China também o entende porque foi ela que politicamente criou em Macau o Fórum para a Cooperação Económica e Comercial com os Países de Língua Portuguesa.

Tive nos anos 90 uma experiência pessoal que me mostrou o quão inteligentes e visionários sãos os líderes chineses e, se o projecto que, nessa altura, foi tão bem acolhido em Pequim não andou para a frente, com um mercado assegurado de sete milhões de consumidores, foi porque um parceiro sediado em Portugal achou que queria exportar para a China em vez de fazer uma parceria. Por isso, há 20 anos que sei do que falo, mas não tenho nenhum poder de decisão, apenas 20 anos de reflexão.

 

- O SCM tem escola de jogadores?


ACJ: Não, Macau é um território demasiado pequeno cujos terrenos valem ouro e portanto não se afigura que Macau possa ter mais do que os campos que tem, cuja luta que travamos é para que sejam de relvado sintético uma vez que a carga de utilização intensiva é completamente incompatível com o relvado natural. Assim sendo, entra-se num ciclo vicioso onde a formação a partir da idade adequada – os 5/6 anos – não existe, nem existem competições infantis ou juvenis.

 

- Qual é o maior patrocinador do SCM?


ACJ: É o Hotel Casino M.G.M. mas contamos também com o BNU, embora seja necessário fazer uma tremenda ginástica para podermos ano a ano continuar.

 

- Qual o campeonato que o SCM disputa na Região Administrativa e Especial de Macau?


ACJ: O SCM ascendeu à segunda divisão do futebol local depois de um campeonato constituído por 6 jogos, isto é, um campeonato a uma volta. Daí que um dos objectivos do SCM seja contribuir para pôr alguma ordem na organização do futebol em Macau.

 

- Os vossos equipamentos deram nas vistas. Onde são fabricados e quem os desenha?


ACJ: Macau tem coisas curiosas que vale a pena contar para que se compreenda o pragmatismo e criatividade chinesas. Os nossos equipamentos são fabricados na China, e o agente que recebe as encomendas de todos os clubes é um jogador veterano. Curiosamente, como não é possível sequer haver sedes de clubes e equipas, então há um outro senhor que é roupeiro de todas as equipas que jogam em Macau e que assegura a recolha e a entrega do equipamento no dia do jogo e fornece água, pelo que tudo se resolve deste modo.

Quando ao design do equipamento do Sporting, sou eu que o desenho.

 

- Como presidente do SCM, qual a sua maior ambição ou satisfação no futuro?


ACJ: Gostaria naturalmente que o SCM fosse campeão da primeira divisão, o que agora já se torna muito difícil, pois há equipas que contam com milhões e têm jogadores estrangeiros para um campeonato que qualquer distrital em Portugal venceria. Deu-se uma inflação de equipas, divisões e jogadores profissionais sem que isso reflicta um nível mais elevado do que, por exemplo o Fátima, que sem dúvida seria sempre campeão em Macau.

A minha maior ambição seria não apenas que, por algum milagre financeiro e de cooperação com o SCP, se pudesse entender o SCM como um verdadeiro embaixador do SCP. Eu sempre gostei de projectos ambiciosos. Sempre pensei grande porque vivo nas margens do mais populoso país do mundo e acho que isso tem uma importância fundamental. Até agora quis sempre ser útil ao Sporting Clube de Portugal. Caso o modo como sempre pensei não interesse, pô-lo-ei exclusivamente ao serviço do Sporting Clube de Macau, se para tanto tiver engenho.


jes

2 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D