Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Os nossos ídolos (13): JESUS CORREIA, o Necas

1947, o ano mágico de Jesus Correia.

Meu pai nasceu dez anos antes, eu vinte e um anos depois, ainda hoje brincamos, esgrimindo sportinguismo; “sou do tempo dos cinco violinos” diz-me ele, “eu sou do tempo de Yazalde”, respondo e sorrimos, porque ele sabe todos os tempos do Sporting (meu avô Jacinto nasceu em 1902 e incutiu nos filhos um sportinguismo que tem netos, bisnetos e continua a ser transmitido).

Escolhi Jesus Correia, porque o Necas (era assim que os amigos o conheciam e assim o tratarei até ao final do “post”, sem o conhecer [sem o ter conhecido em vida] sinto que o conheço pelo seu imortal sportinguismo, desportivismo) é (foi) um de nós, mais que um atleta que nos representou, é um exemplo duma vida dedicada ao desporto, à família, à terra.

No dia 6 de Outubro de 1946, no Estádio das Salésias, o Mundo assistia ao nascimento da maior lenda colectiva do futebol português; Necas (22 anos), Vasques (20 anos), Travassos (20 anos), Albano (22 anos) e Peyroteo (28 anos), os cinco violinos jogavam juntos pela primeira vez. Aos 17 minutos de jogo, Necas voa entre as "torres de Belém" e, correspondendo a um maravilhoso cruzamento de Albano, põe Capela à procura da bola nas redes. Foi o primeiro de muitos golos dos famosos cinco.

Necas foi um grande atleta mas não foi nenhum Meszaros, um Peter, nem sequer um Carlos Gomes, apesar de ter sido guarda-redes num Sporting vs. Benfica em 17 de Novembro de 1946; o nosso guarda-redes Azevedo parte um braço e sai do campo, Necas, que marcara um golo fantástico, vai para a baliza, estava 1-0, decidia-se o campeonato de Lisboa, o Sporting com 10, o Benfica com 11 (na altura não existiam substituições) e o bom do Necas na baliza...

Conseguiu manter a baliza inviolável até ao intervalo mas já não regressaria (como guarda-redes) para a segunda parte; foi substituído no posto por Veríssimo e dez minutos depois (re)entraria, sob fortes aplausos, Azevedo, com o braço partido mas com uma dignidade, uma vontade de vencer, uma energia que não quebraria e não quebrou, o Sporting venceu por 3-1.

Azevedo passeado em ombros, num misto de dor e satisfação, e Necas eufórico com mais um título colectivo e um individual. Foi o melhor marcador desse campeonato regional de 1946.

No ano seguinte Necas conquistaria mais títulos, alguns pouco conhecidos, pela mão de Mário Moniz Pereira. Pois é, o nosso Necas foi campeão regional de Lisboa e campeão nacional (no Porto) na estafeta de 4x80 metros em atletismo corporativo, representando a equipa do Grémio dos Armazenistas de Mercearia. Necas, campeão de atletismo, campeão de futebol, campeão de hóquei em patins, um campeão... à Sporting.

O ano de 1947 foi mágico mas o de 1948 seria de ouro, Necas venceu todos os campeonatos de hóquei e de futebol, o Sporting conquistaria, definitivamente, a Taça de «O Século» mas Necas ainda tinha mais "ganas" e em 5 de Setembro desse ano o Sporting jogaria no Estádio Metropolitano com o Atlético de Madrid, seis para os leões, três para os colchoneros, com todos os golos do Sporting a serem marcados por... (adivinharam) Jesus Correia.

Mais que um ídolo, Necas é, para mim, um exemplo, um exemplo duma vida dedicada ao desporto (futebol no Sporting e hóquei em patins no Paço d'Arcos, internacional em ambos) um exemplo duma vida dedicada à família, um exemplo duma vida alicerçada numa terra (Paço d'Arcos), um exemplo não de dois amores (como ficou conhecido) mas dum grande amor – o Sporting – com toda a abrangência que esta poderosa palavra possui.

4 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D