18 Jul 12

 

Último ano do século e do milénio, 1999. Começo de outro século e de outro milénio com o ano 2000. O meu primeiro ano enquanto adepto do Sporting Clube de Portugal. Não sei se nasci Leão, como se costuma dizer, sei apenas que em 99 quando comecei a ver bola era um leão ferrenho. Um catraio que delirava com os primeiros jogadores que viu jogar de verde e branco. Beto, César Prates, Duscher, Pedro Barbosa, Delfim, De Franceschi ou Acosta são alguns dos nomes desse momento ancestral na minha ligação ao Sporting.

 

Nesta altura, já sabem quem falta: a estrela da companhia da equipa de 99/00, Peter Schmeichel. Sem margem para dúvidas, e apesar da concorrência de qualidade, ele continua a ser o meu ídolo verde e branco. Lembro-me, apesar da minha tenra idade, da euforia aquando da sua chegada. Não podia ser de outra forma, o Sporting acabava de contratar um dos melhores guarda-redes da Europa ao Man. United, clube no qual havia ganho tudo o que há para ganhar e onde se tinha consagrado como um dos melhores de sempre na baliza. Schmeichel enchia a baliza, apresentava a experiência de um jogador com 36 anos, destoava dos seus colegas do alto do seu 1 metro e 93 num país de rodas baixas e de cabeça loira num país de feições mais mouriscas.

 

O motivo da sua chegada deu sempre azo a muita conversa, sendo que uma das teses mais repetidas é a que refere a vontade do gigante dinamarquês de jogar num campeonato menos competitivo e menos cansativo que o inglês após 8 anos num ritmo de 3 jogos por semana, que lhe valeram 15 troféus. Também se diz que o sol português deu uma ajudinha no casamento. Não negando estes factos, quer parecer-me que o nome e história do Sporting também foram importantes no processo liderado por Luís Duque.

 

Peter Schmeichel, desde cedo se percebeu, vinha para ser o titularíssimo da baliza leonina e nesse papel fascinou-nos (e, por vezes, assustou-nos) com o seu estilo pouco ortodoxo e hiperbólico. As suas defesas eram um regalo para a vista e a forma como incutia medo aos seus colegas com o seu génio era única, que o digam Beto e André Cruz. A forma destemida de lidar com os adversários fazia com que estes tremessem quando se deparavam com a sua imponente figura pela frente.

 

No último jogo da época 99/00, em Paranhos contra o Salgueiros, a cara de felicidade de Schmeichel espelhava aquilo que sentiam milhões de adeptos e muito recentemente, num regresso a Portugal, o gigante voltou a lembrar essa noite e a recepção que a equipa teve em Lisboa. Nas duas épocas em que jogou no Sporting, registam-se 65 jogos, um Campeonato e uma Supertaça Cândido Oliveira e não menos importante que isso, ter Peter Schmeichel como guarda-redes significa ter um dos nomes mais sonantes do futebol mundial como jogador desta mui nobre instituição que é o Sporting Clube de Portugal. 


comentar
6 comentários:
De José da Xã a 19 de Julho de 2012 às 00:13
Meu caro,

Lembro-me nesse ano de tão gratas memórias,num jogo contra, creio eu, o Alverca, um jogador deste clube apareceu sozinho em frente de Peter. Mas este meteu-lhe tal medo com a sua envergadura que o outro atirou a bola para fora.
Peter foi sempre um cavalheiro. E um enorme desportista.


De Pedro Correia a 19 de Julho de 2012 às 01:27
Alexandre: foi bom voltar através da tua prosa a esse ano inesquecível e a essa magnífica vitória que pôs termo a um longo jejum no campeonato. Justíssima a homenagem que aqui fazes ao grande Schmeichel.


De Pedro Oliveira a 19 de Julho de 2012 às 07:22
Grande Peter.
É importante lembrar que nessa época tivemos dois laterais que subiam muito (César Prates e Rui Jorge) provavelmente para fugirem à gritaria do gigante dinamarquês.


De Piu più a 19 de Julho de 2012 às 13:38

Esqueceu-se de referir os frangos, também eram uma especialidade de Schmeichel.

E o livre do Sabry em Alvalade? Nem a viu o dito "Gigante"...


De Alexandre Poço a 25 de Julho de 2012 às 19:59
Dar um outro "frango" é normal, mesmo para os grandes guarda-redes. Diga-me um, de projecção mundial, que jamais tenha tido culpa num golo em toda a carreira.

Quanto a essa do livre de Sabry, recordo-lhe que foi apenas um paliativo. Na semana seguinte, o Sporting sagrou-se campeão.


De Fernando Albuquerque a 22 de Julho de 2012 às 12:21
Foi o melhor guarda-redes de todos os tempos, pois a única comparação possível é com o russo cujo nome não sei escrever. Tudo o resto é dor de cotovelo, para não ofender ninguém.

Lembro que o melhor guarda-redes dos vermelhos dava tantos frangos que até abriu um aviário. Era conhecido pelo Costa dos perus, por serem maiores que os frangos .

Saudações leoninas Fernando Albuquerque


Comentar post

Autores
Pesquisar
 
Posts recentes

No alto da madrugada

Hoje giro eu - Hora H

A voz do leitor

Podem colocar o homem em ...

Tristeza

Feito de Sporting - um de...

Frases eternas (2)

Postal aos nossos jogador...

O berço do campeonato

Mais do que desporto

Facebook
És a Nossa Fé no Facebook
Twitter
És a Nossa Fé no Twitter
Arquivo

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Tags

sporting

comentários

memória

selecção

leoas

bruno de carvalho

prognósticos

jorge jesus

balanço

slb

há um ano

vitórias

campeonato

jogadores

benfica

eleições

rescaldo

arbitragem

mundial 2014

taça de portugal

nós

golos

ler os outros

liga europa

godinho lopes

futebol

árbitros

clássicos

euro 2016

comentadores

cristiano ronaldo

scp

formação

humor

análise

crise

chavões

liga dos campeões

derrotas

william carvalho

todas as tags

Mais comentados
158 comentários
155 comentários
152 comentários
142 comentários
138 comentários
136 comentários
132 comentários
Ligações
Créditos
Layout: SAPO/Pedro Neves
Fotografias de cabeçalho: Flickr/blvesboy e Flickr/André
blogs SAPO
subscrever feeds