15 Jul 12

 

« Mourinho é um génio. Os outros são treinadores de futebol. É um líder, uma pessoa com uma grande perspicácia, que só sabe olhar para o futuro. Ele sabia que o futebol não se resume a uma actividade física, que era também uma actividade humana. Para saber de futebol ele tinha a noção que tinha que perceber de humanidade. Eu não lhe ensinei nada, dei-lhe apenas formação em alguns pilares filosóficos para fazer o que faz e ser quem é. Por isso, ele prepara os jogadores não só na parte técnica, mas também humana. Um génio como ele é sempre criticado, até porque nem toda a gente o consegue compreender, ele está acima dos outros ».

 

-    Manuel Sérgio    -

 

Observação: Filósofo e professor catedrático que teve o treinador do Real Madrid como seu aluno. Confessa que, amiúde, cita José Mourinho nas suas conferências de imprensa. A declaração aqui citada fez parte de uma entrevista concedida ao jornal espanhol «As», no Chile. A alegada superioridade intelectual de José Mourinho é relativa, evidentemente, mas é por de mais evidente, pelo seu percurso na alta competição, que ele é extraordinário nas relações com os seus jogadores e que, no relvado, a obediência às suas instruções é total. Que eu saiba, nunca constou uma única apreciação crítica de um jogador seu.


comentar
16 comentários:
De Pedro Oliveira a 15 de Julho de 2012 às 15:57
«Um génio como ele é sempre criticado, até porque nem toda a gente o consegue compreender, ele está acima dos outros »

Eu gosto de criticar com factos, até porque não consigo compreender génios que estão acima dos outros.
Vou fazer um pequeno exercício, escolher três treinadores e ver os resultados que obtiveram da primeira vez que treinaram um dos três grandes clubes portugueses:
1. Mourinho (Heynckes e Toni)
Sport Lisboa e Benfica; ficou em sexto lugar atrás de Boavista, Porto, Sporting, Braga e União de Leiria
2. László Bölöni
Sporting Clube de Portugal, dobradinha, Campeonato e Taça de Portugal.
3. André Villas-Boas
Futebol Clube do Porto
Campeonato, Taça de Portugal, Super taça de Portugal e Liga Europa.
Se Mourinho é um génio (o tal do sexto lugar atrás da União de Leiria) o que serão os outros?
(poderia comparar, também, o primeiro ano de Guardiola como treinador do Barcelona com o primeiro ano de Mourinho como treinador do Real Madrid, mas enfim, seria muito humilhante... para o génio)


De Rui Gomes a 15 de Julho de 2012 às 16:24
Bem, ele é o tipo de pessoa que se gosta dele ou se detesta. Quando o conheci em Alvalade, estava ele lá há duas ou três semanas como intérprete do Bobby Robson, fiquei mal impressionado com o seu tom de diálogo e pela sua já evidente arrogância. Antes dele, conheci o pai, enquanto no V. de Setúbal, que me pareceu ter uma personalidade diferente. Não sei se ele é um génio, sei que é um treinador extraordinário treinador que consegue ser ganhador por onde passa. E não apenas por ter conseguido o melhor nos grandes emblemas, até porque se fosse assim tão fácil, esses clubes nunca mudariam de treinador. Para mim, o seu maior feito, foi conquistar a Taça UEFA e a Champions consecutivamente, no FC Porto.
Na minha opinião, o tal sexto lugar na U. de Leiria, logo no início da carreira representa pouco. No Benfica, apenas permanenceu três meses, salvo erro. Quanto ao Lázlo Boloni, pessoa que eu muito admirava, fez o que fez na primeira época, menosprezado até por muitos sportinguistas com a conversa «com o Jardel qualquer um ganhava» e a recompensa foi ser despedido pelo 3.º lugar no ano seguinte. Faz-me lembrar o Cintra despedir o Bobby Robson com a equipa em 1.º lugar no campeonato.
Por fim, a época de Vilas-Boas: não lhe vou minimizar créditos nem qualidades, mas o que ocorreu foi um autêntico «fluke», em muito facilitado pelo SCP e SLB que, logo no primeiro terço do campeonato, deixaram o FC Porto andar à vontade e sem pressão alguma. Aconteceu o que se sabe no Chelsea e veremos agora o sucesso que terá no Tottenham. O professor Manuel Sérigo poderá ter-se excedido nos atributos a Mourinho, mas é indiscutível que se não é o melhor treinador da actualidade, não terá mais que um outro à sua frente. Com o passar dos anos aprendi a respeitar o seu trabalho e, ainda mais tarde, comecei a separar o trigo da joia quanto à sua forma de estar e competir. Agora, cada um terá as suas preferências.


De Rui Gomes a 15 de Julho de 2012 às 16:59
P.S. Como muitos outros portugueses, parece que não aprecia José Mourinho. Está no seu indiscutível pleno direito. Mas já que invocou factos, eles não se limitou aos que relatou:
1. No primeiro ano Guardiola ele venceu a Liga, a Taça de Rei e a Champions (Não obstante esta ter sido como foi, no infâme jogo com o Arsenal).
2. O recém-chegado Mourinho apenas venceu a Taça del Rei e foi eliminado nas meias-finais pelo Barça, com a arbitragem que todo o mundo viu não só em um, mas nos dois jogos.

De qualquer modo, a sua comparação não é justa nem realista. O Guardiola fez o que fez num clube em que jogou durante 20 anos. 7 na formação, 2 na equipa B e 11 na equipa principal. Mourinho começou a trabalhar no Real Madrid sem quaisquer antecedentes no clube e a preparar uma equipa ao seu gosto de raiz.

O Guardiola treina apenas há cinco épocas: 1 na B e 4 na principal. Mourinho há 12 épocas. Guardiola tem uma percententagem de sucesso de 72.47% em 4 anos na equipa principal, Mourinho de 69.9% nos 12 anos, pelas equipas por onde passou.

Apesar de detestar o estilo de jogo do Guardiola, que só no Barça ele vai conseguir implementar, não lhe retiro créditos. Quando ele, nos mesmos anos de Mourinho e pelo mesmo número de clubes do Mourinho, conseguir atingir o mesmo sucesso, então valerão as comparações.


De Pedro Oliveira a 15 de Julho de 2012 às 18:35
Não vou discutir arbitragens senão teríamos de falar nas arbitragens que permitiram a conquista da Liga espanhola este ano.
Nada tenho contra Mourinho, apenas acho que o trabalho dele é sobrevalorizado.
Por exemplo, no Chelsea nunca esteve sequer numa final europeia, Grant pegou na equipa e foi à final da Champions, Villas-Boas e Di Matteo pegaram na equipa e foram campeões europeus.
Um pormenor, não foi a União de Leiria de Mourinho que ficou em sexto foi a União de Leiria de Manuel José que ficou em quinto e o Benfica de Mourinho que ficou em sexto... nesse sentido até adoraria que Mourinho continuasse como treinador do Benfica desde que ficasse sempre em sexto, como ficou na primeira (e até agora única) passagem por essa agremiação desportiva.
Para terminar, Mourinho chegou ao Real Madrid como campeão europeu, comprou jogadores a preços milionários e mesmo assim só conseguir empatar a Taça do Rei (vencendo no prolongamento; pelo caminho encaixou a célebre «manita» em Barcelona); Bölöni como referi antes chegou ao Sporting sem nenhuns pergaminhos e ganhou Taça e Campeonato.
Agora é que é mesmo para terminar, só há uma coisa que não perdoo a Mourinho nunca referir Manuel Fernandes (o nosso capitão Manel) como o treinador que lhe abriu as portas para o futebol, primeiro como preparador físico no Estrela da Amadora e depois levando-o para Alvalade como tradutor de Robson.
Saudações leoninas.


De Rui Gomes a 15 de Julho de 2012 às 18:52
Sim, também acho melhor não falar em arbitragens.
O homem ganhou o que ganhou on FC Porto, Chelsea, Inter e Real Madrid e mesmo assim não satisfaz. Compará-lo ao Grant e ao «milagre» de dois meses do di Matteo, com franqueza...
No seu primeiro ano no Real Madrid, falando novamente em factos, chegaram Sahin, que se lesionou na pré-época e apenas apareceu mais para o fim com uns minutos aqui e acolá. Altintop que não passou de um suplente barato que chegou em fim de carreira e Fábio Coentrão, que contribuiu mas
que só foi titular em alguns jogos.
Quanto a Manuel Fernandes, seu íntimo amigo e quem me apresentou a ele, já lhe fez referência em diversas ocasiões, tudo depende do que qualquer um lê. Por vezes, coisas passam despercebidas.
Se e~le um dia chegar à selecção e conseguir aquilo que ninguém conseguiu, gostaria de estar ainda neste mundo para ver se uns quantos portugueses que não se cansam de criticar, o criticarão nessa altura. Repito, goste-se dele ou não, o homem tem mérito que não lhe pode ser negado, apenas pela ausência de simpatias.


De A. Santos a 15 de Julho de 2012 às 16:13
Para além da realidade que aqui é descrita, Mourinho sabe como ninguém aproveitar as criticas do exterior, para elevar os índices de motivação dos seus jogadores ao maxímo. Julgo até que sem esta vertente ele não seria o mesmo treinador, nem teria alcançado alguns dos títulos do seu curriculo. É toda esta parte psicológica que ele domina brilhantemente, fazendo do conflito com o exterior a sua melhor forma de agregação de forças dentro do balneário. Quer se goste ou não, e por isso cria muitos antí-corpos, consegue capitalizar resultados desportivos para a instituição que representa, o que é o objectivo primordial. Conforme já referi em comentários em posts anteriores, penso que o Ricardo Sá Pinto, mais do que ninguém tem na sua personalidade aspectos compativeis, para seguir um caminho muito semelhante. Se o fizer os resultados vão começar a aparecer, e teremos treinador para muitos anos. Que não tenha receio de criar anti-corpos, porque de "bons rapazes" tá o mundo cheio, e o nosso clube tem sido pródigo nesse aspecto.

S.L.


De Rui Gomes a 15 de Julho de 2012 às 17:06
Caro A. Santos, para simplificar as coisas, refiro-o às minhas duas respostas ao comentário de Pedro Oliveira. Isso à parte, quando um aprende pelo seu próprio percurso na vida e eu aprendi, pelo meu, que quem andar no desporto de alta competição, especialmente como treinador, a querer agradar a «gregos e troianos» não chega a lado algum. Dentro do contexto puramente desportivo, hoje e sempre, vencer não é apenas um objectivo, é o único objectivo. Quer se goste dele ou não, Mourinho percebe isso muitíssimo bem, sei eu em primeira mão.


De Fernando Albuquerque a 16 de Julho de 2012 às 09:30
Prezado Rui Gomes

O treinador Mourinho penso ser o melhor treinador em actividade. Não tenho a menor simpatia por ele , pois aquilo que ele fez com a camisola do Rui no estádio José Alvalade ficou na minha memória como uma pessoa de baixo nível. Nunca vi ou ouvi dizer que um treinador de futebol tenha tido uma atitude deste género. Aliás basta acompanhar a carreira deste treinador para verificar as zangas que tem com os colegas por todos os Países que tem trabalhado. Não é normal as "guerras" que ele tem com toda a gente. São atitudes que me parecem exageradas. Aqui ao nosso lado existe um que bate em toda a gente, mas esse está protegido pelo tal sistema.

Quando digo que é o melhor treinador também para ser coerente terei de dizer que ganhar campeonatos e taças europeias com os jogadores que as suas equipas apresentam a sua tarefa está facilitada, embora perceba que tem de ter vastos conhecimentos para ter esses êxitos.

Concluindo uma coisa é o treinador, que aprecio, outra é a sua forma de estar no desporto rei que não gosto.

Saudações leoninas Fernando Albuquerque



De Rui Gomes a 16 de Julho de 2012 às 11:53
Ele tem uma muito complexa personalidade. O Rui, por acaso, contou-me o episódio da camisola. Ficou muito magoado pela acção de Mourinho e ainda mais porque não pediu desculpa mais mais tarde. Isso é o homem, o treinador tem tido uma carreira como nenhum outro.Já pensou o que é lidar como uma equipa com os jogadores a serem quase todos milionários ?...Deve ser um bico de obra muito complicado. Como já adiantei noutro comentário, se apenas os jogadores fossem suficiente, os grandes nunca mudariam de treinador. Ele nunca o admitiu publicamente, mas penso que na altura, no FC Porto, ele perdeu-se no ambiente local. Cumprimentos.


De tia altisidora a 16 de Julho de 2012 às 19:17
Mourinho admirado y querido en todo el Mundo (excepto en media España, Barcelona y Cataluña)......


De Rui Gomes a 16 de Julho de 2012 às 19:46
Ele poderá ter muitos defeitos como homem, mas como treinador os factos falam por si próprios, indiferente da opinião da Catalunha.


De Pedro Oliveira a 16 de Julho de 2012 às 21:16
Prezado Rui,

Não tencionava comentar mais neste "post" mas essa dos "factos que falam por si próprios, enquanto treinador" fez-me regressar.
Diz: "Nunca fui dado a idolatrias" mas a defesa que faz de Mourinho neste "post" é quase metafísica, religiosa, do âmbito da fé e da crença: "poderá ter muitos defeitos como homem" mas eu [Rui Gomes] acredito nele (ámen/assim seja).
Nunca consegui ver as coisas desse modo (o defeito será meu certamente) este tipo de defesa (mal comparado) será como dizer: " O Papa Alexandre VI foi óptimo, muito bom na gestão dos assuntos correntes do Vaticano, já quanto à vida privada, enfim..."
O próprio Prof. Manuel Sérgio (o tal que o acha um génio) acha que o homem é um "todo" com a componente física e a componente intelectual; com a componente instrução [o que se adquire nos bancos da Escola] e a componente educação [o que se adquire em casa, aquilo que se recebe dos pais, da família, da sociedade que nos enquadra].
Ora, Mourinho pode ser instruído mas não é educado; não é o tipo de pessoa que eu queria para pai dos meus netos (mas cada um tem direito à sua opinião, claro).
Quanto à carreira como treinador, aquilo que salta À vida é a instabilidade, vejamos:
1. Benfica, não ganha nada, chantageia o patrão, sai pela porta pequena, o Benfica acaba a época em sexto lugar. [presidente: Vale e Azevedo]
2. Leiria, como treinador do Leiria negoceia contrato com o Porto, compromete-se e espera que Octávio seja despedido [presidente: João Bartolomeu]
3. Porto, (1.ª época) 2001/2002; Mourinho venceu zero... o Sporting venceu: Campeonato de Portugal+Taça de Portugal+Super Taça de Portugal (mas Mourinho é que é o génio) [presidente: Pinto da Costa].
Fico por aqui... julgo que os factos falam por eles; para além disso qual a palavra comum que poderíamos encontrar para classificar os três presidentes referidos?


De Rui Gomes a 16 de Julho de 2012 às 22:44
Não me queria dar a este trabalho todo, mas sinto obrigado a dar uma resposta com profundidade. Em primeiro lugar, não tenho memória de ter dito que «acredito nele», mas sim que não lhe posso negar os feitos que constam do registo oficial. Fui muito crítico dele, por algumas atitudes menos salutares, mas mesmo esse meu parecer não nega o resto. Enquanto no Benfica ele jogou uma cartada, sabendo que, por compromisso eleitoral, Toni estava destinado a ocupar o cargo no fim da época, indiferente dos resultados. Na ocasião, fui um dos que critiquei a acção e não apoiei a tentative de Luís Duque de o levar para o Sporting. A recusa de Roquete foi um gesto digno mas irrealista, reconheci mais tarde e arrependi-me de não apoiar o seu ingresso no Sporting. O Pedro foca muito o que ele fez no Benfica e na União de Leiria como se tivesse sido algum desastre: a) Benfica de 20/09/00 até 5/12/00 » 6 V / 3E / 2D b) União de Leiria de 14/4/01 até 20/01/02 » 11V/5E/4D. O balanço do seu registo:
FC Porto: Campeão Nacional 2002-03/2003-04 - Taça de Portugal 2002-03 - Supertaça 2003 - Taça UEFA 2002-03 Champions 2003-04.
Chelsea: Campeão da Premier 2004-05/2005-06 - FA Cup 2006-07 - League Cup 2004-05/2006-07 Community Shield 2005 Champions -meias-finais
Inter: Campeão Série A 2008-09/2009-10 - Taça de Itália 2009-10 - Supertaça 2008 - Champions 2009-10
Real Madrid: Vice-campeão 2010-11/campeão 2011-12 - Taça do Rei 2010-111 Champions meias-finais duas vezes.
Prémios individuais (os principais):
Portugal: Treinador do ano: 2002-03/2003-04
Inglaterra: Treinador do ano: 2004-05/2005-06
Itália: Treinador do ano: 2008-09/2009-10
UEFA: Treinador do ano: 2002-03/2003-04
UEFA: Equipa do ano: 2003/2004/2005/2010
FIFA: Treinador do ano: 2010
IFFHS: Melhor treinador do mundo: 204/2005/2010

Se conseguir refutar estes factos, então não sei o que dizer mais. Atitudes incorrectas ou não, é impossível ignorar este palmarés, inigualável na história do futebol.


De A. Santos a 16 de Julho de 2012 às 23:20
Contra factos não há argumentos caro Rui Gomes. Confesso que também não gostei de algumas atitudes dele, como o caso da camisola do Rui Jorge e outras, mas daí a omitir os feitos por ele conseguidos e não reconhecer os seus méritos, seria no mínimo falta de inteligência.

Cumprimentos


De Rui Gomes a 16 de Julho de 2012 às 23:35
Já o disse e repito: fiquei muito mal impressionado quando me foi apresentado. Sobre a camisola, como também já referi, tive o ensejo de conversar a sós com o Rui, que lamentou imenso não só a ocorrência como certas palavras que Mourinho disse.
Em termos de comparação, também não aprecio a postura de Pep Guardiola, muito cínico. Deixou o Barça após apenas 4 anos porque não aguentava mais a pressão. Mourinho and sobre ela e muito mais ampliada, pelo seu impacto mediático, há 12 anos e continua. Quando Guardiola conseguir duplicar o palmarés de Mourinho - e não apenas no Barcelona - então aceitarei as comparações.
Por fim, deixo uma última consideração: será que não vale nada ele ser um dos nossos e o outro espanhol ?


De A. Santos a 16 de Julho de 2012 às 23:45
Concerteza que sim... e mais não vale a pena acrescentar.

Cumprimentos


Comentar post

Autores
Pesquisar
 
Posts recentes

No alto da madrugada

Hoje giro eu - Hora H

A voz do leitor

Podem colocar o homem em ...

Tristeza

Feito de Sporting - um de...

Frases eternas (2)

Postal aos nossos jogador...

O berço do campeonato

Mais do que desporto

Facebook
És a Nossa Fé no Facebook
Twitter
És a Nossa Fé no Twitter
Arquivo

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Tags

sporting

comentários

memória

selecção

leoas

bruno de carvalho

prognósticos

jorge jesus

balanço

slb

há um ano

vitórias

campeonato

jogadores

benfica

eleições

rescaldo

arbitragem

mundial 2014

taça de portugal

nós

golos

ler os outros

liga europa

godinho lopes

futebol

árbitros

clássicos

euro 2016

comentadores

cristiano ronaldo

scp

formação

humor

análise

crise

chavões

liga dos campeões

derrotas

william carvalho

todas as tags

Mais comentados
158 comentários
155 comentários
152 comentários
142 comentários
138 comentários
136 comentários
132 comentários
Ligações
Créditos
Layout: SAPO/Pedro Neves
Fotografias de cabeçalho: Flickr/blvesboy e Flickr/André
blogs SAPO
subscrever feeds