Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Entre os mais comentados

Nos 22 destaques feitos pelo Sapo em Novembro para assinalar os dez blogues mais comentados nesta plataforma ao longo do mês, És a Nossa Fé recebeu 22 menções - atingindo, portanto, a quota máxima. O que acontece pelo terceiro mês consecutivo.

Mais: este foi o único blogue a fazer o pleno dos destaques. Sem falhar um. Recorde-se que os textos publicados ao fim de semana são agregados aos de sexta-feira para este efeito, o que leva o número de destaques a ser inferior ao número de dias.

Mais ainda: figurámos 16 vezes no pódio dos mais comentados - com dez "medalhas de ouro", três de "prata" e três de "bronze".

 

Os 22 textos foram estes, por ordem cronológica:

 

A voz do leitor (26 comentários)

Quente & frio (54 comentários, o mais comentado do dia)

Parabéns, Benfica (50 comentários)

Prognósticos antes do jogo (38 comentários)

Tudo ao molho e FÉ em Deus - Abel e o monstro Danilo (67 comentários, o mais comentado do dia)

Prognósticos antes do Natal (72 comentários, o mais comentado do dia)

Como os vendedores de castanhas (54 comentários, o mais comentado do dia)

Toca e foge (34 comentários)

Hoje giro eu - Aggiornamento SPORTING  (103 comentários, o mais comentado do dia)

Falta de chá e falta de gramática (52 comentários, terceiro mais comentado do dia)

À margem da lei (38 comentários)

Ser do Sporting é gostar de ganhar limpo (38 comentários, o mais comentado do dia)

Dúvida (77 comentários, o mais comentado do dia)

Hoje giro eu - Quando o mau Bruno põe em xeque o bom Bruno (79 comentários, o mais comentado do dia)

Guerra de empresários (56 comentários, segundo mais comentado do dia)

Uma garganta cada vez mais funda (62 comentários, o mais comentado do dia)

Cobardolas (42 comentários, segundo mais comentado)

Se bem percebo (30 comentários, terceiro mais comentado)

As coisas são o que são (56 comentários)

Olheiro de Bancada - XII (40 comentários, terceiro mais comentado)

Vieira travestido de melancia atrofiada? (60 comentários, segundo mais comentado)

Uma imensa desvergonha (34 comentários, o mais comentado)

 

Com um total de 1174 comentários nestes postais.

Fica o agradecimento a quem nos dá a honra de visitar e comentar. E, naturalmente, também aos responsáveis do Sapo por esta iniciativa.

A minha costela JotaJota

Penitenciando-me pela falha na jornada anterior, onde este singelo passatempo não foi publicado, quem, na vossa opinião, deverá fazer parte do onze inicial para levar de vencida Os Belenenses, no jogo que se realizará amanhã, sexta-feira, dia da restauração da independência, às 18.15 horas no vulcão de Alvalade?

Aceitam-se palpites.

A voz do leitor

«Sem gritar muito alto e de forma suave, o FC Porto tem construído uma comunicação doce e aveludada mas com uma eficácia viperina. Pinto da Costa vai mantendo-se na sombra, não necessitando de sujar-se na "lama" da comunicação, deixando essa função para FJ Marques e os inúmeros oradores que povoam a pouca comunicação que ainda controlam. Simples mas eficaz.»

 

Leão da Estrela, neste texto do Pedro Azevedo

O melhor prognóstico

Não há uma sem duas, nem duas sem três. Foram precisamente três os nossos estimados leitores que acertaram no resultado do Paços de Ferreira-Sporting do passado domingo.

Bosko, Fernando Albuquerque e Leão de Queluz são estes amigos do És a Nossa Fé que vaticinaram com precisão o resultado final na Capital do Móvel. Empataram nisto, mas só o primeiro acertou no nome de um dos marcadores, mencionando o argentino Battaglia.

Motivo para lhes deixar aqui os meus parabéns - e, em particular, ao Bosko, vencedor absoluto desta ronda. Que venha a próxima: não vai tardar.

Os marcadores dos nossos golos na Liga

Bas Dost 9

Bruno Fernandes 6

Gelson Martins 4

Acuña 2

Adrien

Coates

Mathieu

Battaglia

autogolo do Moreirense

 

«O triunfo do Sporting em Paços de Ferreira foi o quinto fora esta época, na sequência do sucesso alcançado em casa de Aves (2-0), V. Guimarães (5-0), Feirense (3-2) e Rio Ave (1-0). Trata-se do melhor arranque forasteiro neste milénio, superando até a temporada de estreia de Jorge Jesus em Alvalade. Então, em 2015/16, os leões tinham as mesmas cinco vitórias e um empate, mas o registo goleador não era tão bom [11 golos marcados e 3 sofridos, contra os 14 marcados e 4 sofridos actuais].»

 

Do jornal Record de anteontem

Haja bom senso

Não gosto de ver relações profissionais terminarem nos Tribunais. Nem o valor em causa é tão elevado ao ponto de justificar a não existência de acordo entre as partes envolvidas. Aqui chegados mais vale pagar de uma vez e enterrar o assunto. Já no caso Doyen a litigância desnecessária acabou por sair cara ao nosso Sporting. Rasgar contratos, não cumprir acordos está no ADN de outros emblemas, não do nosso que sempre foi diferente. Costumo dizer que ser do Sporting está para além de mera fé clubística, também é uma forma de estar na vida. Viva o Sporting.

Com eles jogam sempre de bola baixa

O Braga, leio aqui, foi punido pela justiça desportiva por terem ocorrido "cânticos racistas", de teor não especificado, no seu estádio. Terá, aparentemente, de disputar um jogo à porta fechada, sem assistência.

Este facto confirma a existência de um critério bicéfalo nos órgãos jurisdicionais do futebol português. Porque dezenas de bestas urraram isto no pavilhão da Luz e nenhum douto magistrado federativo foi capaz de exercer a competente acção punitiva contra o Sport Lisboa e Benfica.

Como no tempo do Salazar, que era lampião, no reino da bola tuga o respeitinho ainda é muito bonito. Com eles, o Conselho de Disciplina joga sempre de bola baixa.

Uma imensa desvergonha

image[2].jpg

 

É preciso ter uma enorme desfaçatez para vir agora, com palavras doces e asinhas de anjo, ler um papel onde vem escrita a frase "Temos de comunicar 'Benfica, Benfica', estar acima do ruído e ignorar os medíocres."

 

Quem agora quer estar "acima do ruído" é o mesmo que plantou nas pantalhas dois dos maiores arruaceiros de que há memória nos anais do futebol palrado; o Guerra e o Ventura, por esta sequência cronológica. Dois sujeitos que, sem nada perceberem do jogo jogado, transformaram os debates televisivos em guerras verbais sem Convenção de Genebra, onde a calúnia substitui o argumento e vale tudo menos tirar olhos.

Quem assim fala é o mesmo que sustenta uma rede de cartilheiros municiada por um profissional da intriga.

Quem assim fala é o mesmo que tutela uma estrutura de comunicação capaz de difundir vídeos manipulados, como ainda há dias todo o País testemunhou.

Quem assim fala é o mesmo que teve o desplante, há uns anos, de invadir um estúdio de Carnaxide, interrompendo a emissão da SIC em directo só porque não lhe estava a agradar aquillo que ouvia.

Quem assim fala é precisamente o mesmo que se permite alimentar claques ilegais que andam há anos a cometer crimes de ódio, com lamentável impunidade, nos principais estádios portugueses.

Quem assim fala é indiscutivelmente o mesmo que se atreveu a profanar a memória de um adepto leonino assassinado, insinuando que ele nunca devia ter-se atrevido a aproximar do estádio do Benfica à hora a que foi morto, como se isso alguma vez pudesse ser justificação para tal homicídio.

 

É, de facto, necessário ter uma enorme desfaçatez. Direi até: uma imensa desvergonha.

A voz do leitor

«Piccini cresceu muito, resistiu à contestação inicial dos adeptos e às dificuldades encontradas no nosso futebol. Sem dúvida por ter uma mentalidade forte e grande carácter. Lembra-me de certa maneira o nosso Rui Patrício nos primeiros tempos. Mas JJ também [lhe] adicionou à aprendizagem trazida da escola táctica italiana novas nuances na forma de defender e atacar. Hoje vemos uma sintonia perfeita entre Coates, Piccini e Gelson.»

 

JHC, neste meu postal

Hoje giro eu - Ranking GAP

Após 22 jogos realizados - 12 para o Campeonato Nacional, 7 para a Champions League, 2 para a Taça de Portugal e 1 para a Taça da Liga - o Sporting regista 14 vitórias (63,6%), 6 empates (27,3%) e duas derrotas (9,1%), com 45 golos marcados (2,05 golos/jogo) e 18 golos sofridos (0,82 golos/jogo).

 

Ranking GAP:

 

1) O MVP (jogador mais valioso) é Bas Dost, com 44 pontos (golo=3, assistência=2, participação decisiva=1), seguido por Bruno Fernandes, com 42 pontos e Gelson Martins, com 29 pontos;

2) O jogador mais influente é Bruno Fernandes, que contribuiu em 20 golos (44,4% dos golos), seguido por Bas Dost (17) e Gelson Martins (13);

3) O melhor marcador é Bas Dost, com 13 golos, seguido por Bruno Fernandes (7) e Gelson Martins (6);

4) O jogador com mais assistências é Bruno Fernandes (8), seguido por Acuña (5) e Gelson e Podence (4).

 

Aqui deixo a tabela actualizada do Ranking GAP, que inclui golos (G), assistências (A) e participação decisiva em lance de golo (P):

 

  G A P Pontos
Bas Dost 13 1 3 44
Bruno Fernandes 7 8 5 42
Gelson Martins 6 4 3 29
Marcus Acuña 3 5 1 20
Rodrigo Battaglia 2 1 2 10
Sebastian Coates 2 1 1 9
Doumbia 2 1 0 8
Bruno César 2 0 1 7
João Palhinha 2 0 0 6
Jeremy Mathieu 1 0 1 4
Mattheus Oliveira 1 0 0 3
Rafael Leão 1 0 0 3
Adrien Silva 1 0 0 3
Daniel Podence 0 4 0 8
Cristiano Piccini 0 1 4 6
Fábio Coentrão 0 2 2 6
Iuri Medeiros 0 1 1 3
William Carvalho 0 0 2 2
Alan Ruiz 0 0 1 1
autogolos 2 0 0  

Svilária Moreira, não passes com ele à minha rua

svilária

Ao fim de tantos jogos de ser tua

Amaste outro, casaste, foste ingrato;
Vi-te passar com ele à minha rua
Abracei-me a chorar ao teu retrato
Vi-te passar com ele à minha rua
Abracei-me a chorar ao teu retrato

Podia insultar-te quando te vi

Ferida neste amor supremo e farto
Mas vinguei-me a chorar, chorei por ti
Por entre as persianas do meu quarto
Mas vinguei-me a chorar, chorei por ti
Por entre as persianas do meu quarto

Casaste! sê feliz, deus te proteja
Não te desejo mal, e tanto assim
Que não tenho ciúmes nem inveja
Como o teu homem teve de mim
Que não tenho ciúmes nem inveja
Como o teu homem teve de mim

Mas olha, meu amor, eu não me importa,
Antes que fosses dele eu já fui tua
Podes sempre bater à minha
Porta
Mas não passes com ele à minha rua
Podes sempre bater à minha
Porta
Mas não passes com ela à minha rua.

Banda sonora

 

O dia seguinte

Bernardo Ribeiro, Record: «A vitória do Sporting ontem em Paços de Ferreira colocou os leões novamente a dependerem de si próprios para serem campeões e contrariou a tendência seguida por equipas como Barcelona, Borussia Dortmund, Bayern, Liverpool, Chelsea, Tottenham, Besiktas e Roma, que não conseguiram ganhar no regresso às ligas. O mesmo "acidente" aconteceu ao FC Porto e nem assim o leão pareceu encarar o jogo com o carácter decisivo que ele parecia assumir, pela vontade de recuperar pontos ao líder. O triunfo foi uma realidade porque o Sporting tem uma equipa bem trabalhada por Jorge Jesus e executantes superiores ao trabalhador Paços de Petit.»

 

Carlos Vara, A Bola: «O mérito da vitória do Sporting em Paços de Ferreira é indiscutível, mas o leão não teve a vida nada facilitada nesta viagem a norte e só respirou por completo de alívio quando o encontro chegou ao fim. Seria recompensado com os três pontos que lhe garantem a aproximação ao FC Porto na tabela, mas depois de alguns lampejos de classe o Sporting acabou sofrendo um pouquinho na fase final, quando o adversário foi buscar energias que se julgavam já inexistentes para voltar ao jogo em cima da chegada do tempo de compensação. O leão terminou a partida com alguma inquietude, mas a preocupação com que enfrentou os minutos finais talvez só tenha elevado ainda mais o prazer de uma vitória assegurada num campo dificílimo e perante um Paços de Ferreira que deixou tudo em campo e obrigou o adversário a aplicar-se também até ao limite.»

 

Hugo Sousa, O Jogo: «É uma daquelas fórmulas em jeito de lengalenga que se aprende na escola: menos com menos dá mais. Dá mesmo: menos brilhante do que tem sido na Champions e também menos intenso, o Sporting ficou mais perto da liderança, ganhando dois pontos ao FC Porto. Ironias de um jogo que guardou para o fim um remate de humor, ou não tivesse sido Baixinho, protagonista criado pelo Paços de Ferreira durante a semana à boleia de palavras de Jorge Jesus sobre um baixinho de outro tamanho, a encurtar a desvantagem e a deixar o desfecho preso a três minutos de alguma incerteza. Nem chegou a ser bem incerteza, porque até os pacenses tiveram consciência de que aquele golo chegara tarde para mudar alguma coisa.»

 

Dos jornais de ontem

Vieira travestido de melancia atrofiada?

24067910_2086505421572510_6302714537552551621_n[1]

 

Fiquei ontem a saber, pela boca de dois pontas-de-lança da cartilha do Janela instalados nas pantalhas, que existe um "blogue" - que afinal não é blogue - chamado "Sporting Independente".

Fui espreitar a coisa. Deu para ver que é parida em esforço por um iletrado, que chumbaria num exame da antiga quarta classe.

Logo no parágrafo inicial lê-se uma frase sem sujeito e duas monumentais calinadas, do tamanho da dívida benfiquista: «Antes de mais agradecer ao Ventura a publicidade que sem querer deu ao Sporting Independente e com isso conseguiu que mais de um rebanho se junta-se [sic!] aqui á [sic!] causa.»

Não precisei de ler mais: fiquei logo esclarecido. O escriba anónimo é mesmo independente do Sporting - e dependente dos lampiões, ao ponto de se dobrar em vénias ao André Ventura. É também independente da gramática: nem deve imaginar o que isso significa. Diz-se membro de um "rebanho", assumindo não ser leão. E rebola-se em êxtase por fornecer matéria-prima à propaganda do pré-fabricado, patologia que faria qualquer sportinguista procurar tratamento urgente.

"O que passou-se?" Sendo a criatura tão carente de conhecimentos rudimentares da língua portuguesa, questiono-me se tal prosa não será afinal cometida pelo próprio Vieira, travestido de melancia atrofiada. Já "sube" de coisas mais estrambólicas neste país em que muitos viram um porco empoleirado numa pasteleira com pedais.

Um pequeno balanço até agora

Cada vez me convenço mais que o principal candidato é o Benfica. No futebol a que chegamos hoje, cheio de competições e selecções, os encarnados têm de longe mais soluções em todos os lugares, incluíndo jovens da B que podem subir se for preciso (veja-se este ótimo central que apareceu vindo do nada e que ainda nem teve direito à diarreia de manchetes). 
Para o Sporting lá chegar será necessário um nível de cuidado e concentração altíssimos, sendo que o VAR já nos está a ajudar. Ou, ao contrário, se não houvesse VAR já estaríamos provavelmente na conversa do pró ano é que é. 
Cada jogo é uma final, como se viu em Paços, mas em competição directa com Porto e Braga não conseguimos ganhar. A parte boa é que não perdemos. 
O verdadeiro campeonato começa em janeiro para os três grandes, com as dispensas e contratações (se houver $), e com a gestão física e consolidação das aquisições do início da temporada. 
É bom haver três equipas na competição pelo caneco e esperemos que no fim ganhe o Sporting, o clube que melhor esteve nas aquisições (sem que os críticos e jornais se lembrem disso porque tal implicaria elogiar BdC) e o clube mais favorecido pela existência de VAR (porque era o mais prejudicado pelo erro humano). Mais uma vez sem que os críticos e jornais se lembrem que o VAR foi cruzada de BdC (falando de presidentes de clubes). 
A grande figura do campeonato é para já Conceição, até pelo discurso e pela garra que transmite a todos. Mas é por iso quem tem mais a perder daqui em diante.
Quem tem mais a ganhar é Rui Vitória (porque é quem tem estado pior) e veremos se o Vieirismo o ajuda.
E quem está mais calminho, discreto e a recuperar Coentrão, Mathieu, a ensinar Battaglia e a formar Bruno Fernandes, é o nosso amadorense favorito. 
Como sempre, vivó Sporting e boas festas a todos!

A canelada no Danilo

AvesPortoDR1.jpg

No Aves-Porto, mesmo no fim, houve uma canelada no Danilo. Seria penalti (aka, grande penalidade). Ok. A gente até assobia para o lado, primeiro porque nos chegamos ao malvado ao Porto; em segundo, porque o malvado Porto de Pinto da Costa (desde os tempos do Pedroto até aos tempos sei lá de quem) fartou-se de ser beneficiado, décadas de insuportável roubalheira, e não merece qualquer simpatia. Dito isto, houve ali um penalti (aka, grande penalidade) que talvez desse golo (se descontarmos a angústia do marcador antes do penalti [aka, grande penalidade]), vitória do Porto e os tais pontitos que tanto jeito nos deu recuperar .

De facto a canelada não existiu. Eu não vi o jogo mas vi na internet imagens esclarecedoras, aconteceu uma jogada simples e uma reacção exagerada dos portistas, o tradicional choradinho, a ver se pega (durante o jogo) e, depois, as reclamações para ver se há recompensa em jogos futuros (os do Porto e os dos rivais). 

Mas, de verdadeiro facto, a falta existiu. As imagens que correram, transmitidas pela página oficial do Benfica, foram falseadas. Como se comprova nesta nota da TV Correio da Manhã. Ou seja, a página do Benfica distribui uma notícia que assenta na manipulação de imagens. Não é publicidade do Benfica, não é festividade do Benfica, uma qualquer iniciativa interna que apelasse à imaginação e criatividade dos seus empregados ou contratados. É uma peça que se insere na política de comunicação do clube. Assente na manipulação de imagens, na falsificação. O Benfica é uma empresa (os clubes andam todos ufanos porque são "cotados na bolsa", como se isso lhes significasse qualquer honorabilidade). E é também uma instituição de utilidade pública, o que lhe concede benefícios e reconhece prestígio. 

Imaginemos que se tratava de um caso similar noutro ramo de actividade. Uma grande empresa de comércio alimentar, de serviços médicos, de produção agrícola, etc., a divulgar (muito provavelmente a produzir) através dos seus departamentos de comunicação empresarial imagens manipuladas, falsificando dados sobre a sua concorrência. Seria um sururu. Mas como é "bola" o Estado (que concede o estatuto de utilidade pública) e o "mercado" (que se simboliza na bolsa) estão-se nas tintas para este aldrabismo empresarial/institucional. E a sociedade encolhe os ombros. Quanto muito os mais analíticos dirão o que é (ou deveria ser) óbvio - que o Benfica está a tentar descredibilizar ao máximo a tecnologia do Video-Árbitro, contra a qual tanto se insurgiram os seus avençados, funcionários e simpatizantes, temendo a redução do um qualquer favorecimento a que sempre aspiram.

Mas, de mais do que verdadeiro facto, isto é muito mais grave do que isso. A FPF, que vai sob tutela estatal, o Ministério que a tutela, bem como as gentes do mercado, assobiam para o lado (bem mais do que nós diante do penalti que não foi marcado). A rapaziada (e raparigada, que agora também conta) simpatizante apoia. É só "bola", vale tudo. E assim se faz esse tudo valer em tudo o mais.

Pág. 1/8

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D