Terça-feira, 30 de Abril de 2013
"Sujinho, sujinho!"
Pedro Quartin Graça

 Foto de Jorge Paula - Correio da Manhã

Fotografia © Henrique Graça/Global Imagens


Um verdadeiro crime de lesa património. O que dizem agora os dirigentes da Capela da Luz?

Tags:

comentar ver comentários (20)

Os limpinhos vão jogar com o Estoril e ao Sporting dá jeito que o Estoril perca o jogo na Capela da Luz. Faltam três jornadas para este pesadelo acabar e estamos quase, quase, lá: na Liga Europa. Jogar uma época inteira fora das competições europeias é uma aberração para os adeptos e um revés financeiro para o clube. É capaz de ser assim. É capaz também de ser profundamente injusto para Jesualdo Ferreira e para esta equipa de bravos. Agora é que tenho mesmo de dizer: mas puxar pelos limpinhos? Querer que os limpinhos ganhem para serem campeões? Não, não me podem pedir isso. Não me podem pedir que vá contra a minha natureza. O meu anti-benfiquismo tem décadas de solidez. É um processo de aprendizagem que demora o seu tempo. Não levem a mal, mas eu sou um orgulhoso anti-benfiquista. Isto dá trabalho, sabem. Não me peçam para desejar que estes gajos ganhem para darmos um passo em frente na classificação. Deus sabe que não me pode pedir mais isso e como Deus sabe que não me pode pedir isso: na próxima jornada não estou cá.

Tags:

comentar ver comentários (14)
Segunda-feira, 29 de Abril de 2013

Dei por mim satisfeito com a derrota do Marítimo no jogo contra o Benfica.


comentar ver comentários (16)
Limpinho
Pedro Quartin Graça

Cartoon da semana, por Carlos Laranjeira. "Limpinho"


comentar
Paixões
Zélia Parreira

A "minha" Feira do Livro está a decorrer. Não sei se já vos falei dela, mas é uma iniciativa que faço com muito carinho e, confesso, algum orgulho. É uma das maiores feiras do país em dimensão e venda de livros, acompanhada por um programa de actividades que inclui poesia, música, teatro, humor, etc... Nos dias que em que dura a Feira, mal vou a casa. Entro de manhã cedo ao serviço e só saio depois da meia noite, quando a feira fecha. Estou presente de manhã, de tarde e à noite, em espectáculos, apresentações de livros ou a receber as visitas de todas as escolas do concelho. Graças a um projecto que implementámos de há 4 anos para cá, todos os meninos do concelho têm a possibilidade de escolher e levar um livro que lhes é oferecido por uma entidade (instituição, empresa ou associação). Como podem perceber, são uns dias intensos mas muito gratificantes.

 

Ontem havia um espectáculo de poesia e música com José Fanha. Numa raríssima excepção, utilizei a minha folga e não assisti à actividade, porque a essa hora vinha a vencer os 245 quilómetros que separam Moura do Estádio de Alvalade. 

 

Quando chegou à Feira do Livro para fazer o teste de som, o José Fanha perguntou pela bibliotecária. "Hoje não está... Sabe, ela é muito sportinguista e foi com os filhos ao jogo do Sporting". "Ah!" respondeu o José Fanha, "Esta é a tal bibliotecária que deixou o espectáculo a meio da última vez que cá vim, para saber o resultado do jogo em que o Sporting ganhou o campeonato em 2002! Nunca mais me esqueci!" Espero que a minha Vereadora não lhe tenha contado que, quando o Sporting joga, eu participo em reuniões e apresento actividades com o auricular no ouvido.

 

Ainda cheguei a tempo de o cumprimentar e de lhe apresentar as minhas desculpas, mas temo ficar conhecida como a bibliotecária que já trocou duas vezes uma sessão de poesia e música por um jogo do Sporting...


comentar ver comentários (12)

Um bom pai não pode fugir às suas responsabilidades de bom educador e assim o jogo de ontem Sporting x Nacional, jogado às seis duma soalheira tarde de primavera, afigurava-se me o ideal para o baptismo de bola do meu filho minorca. Foi uma boa aposta, pois o desafio resultou numa emotiva vitória leonina, perante uma festiva e densa moldura humana - o necessário para deixar boa marca na memória de um miúdo de seis anos.
Quanto ao mais, destaco a capacidade de reacção da equipa à contrariedade que desde que o árbitro não interfira demasiado vem sendo uma marca dos últimos jogos; e o jovem Bruma que com rapidez e técnica apurada parece confirmar tratar-se de mais uma revelação da academia de Alcochete. Espera-se que com o tempo e maturidade o rendimento deste jovem talento se revele mais constante ao longo do jogo. Assim como da equipa no seu todo, que carece de mais estabilidade emocional. Mas para já o importante é que voltámos a poder sorrir em Alvalade. Eu que o diga, um pai babado.


comentar ver comentários (3)

comentar ver comentários (4)
Mais um esforço e vamos lá
Pedro Quartin Graça


comentar ver comentários (5)
Parabéns ao Rugby!
António Figueira

O Sporting é verde e branco por causa de Alvalade, e o equipamento dito Stromp é lindíssimo (e devia ser mais utilizado, acho eu); mas o SCP é também o clube da camisola às riscas (horizontais, por supuesto) e por causa da sua secção de rugby: por inspiração do Stade Français, creio, e de uma certa digressão brasileira, em que a roupa do futebol não secou a tempo e horas, e a malta do Onze teve de usar o equipamento do Quinze (conheço esta história de a ouvir em casa, se por acaso não estiver certa, as correcções serão bem-vindas). Em qualquer caso, o futebol rugby parece estar-nos na massa do sangue (a nós, e ao Maxi Pereira, só que este enganou-se de balneário) e o regresso do SCP à divisão maior do rugby nacional não pode deixar de ser vivamente saudado por todos os sportinguistas.


comentar ver comentários (3)
Domingo, 28 de Abril de 2013

 

É bom o Sporting ter, entre os seus milhares de sócios, o melhor futebolista português de todos os tempos.

Pena é, porém, que tal não tenha acontecido há mais tempo. Pergunto-me, aliás, por que é que um Clube que foi sempre tão afoito em entregar o cartão de sócio a cada jogador que acabava de assinar contrato, nunca cuidou devidamente em promover à categoria de sócio os seus atletas mais destacados.

Claro está que o próprio Cristiano Ronaldo, sempre tão solícito em apregoar o seu carinho e gratidão ao Sporting, poderia, por sua iniciativa, fazer-se sócio do Sporting.

Mas como vale mais tarde do que nunca, em boa hora a nova direcção lembrou-se de apelar ao sportinguismo de Cristiano Ronaldo, tornando-o sócio do Sporting. E o simbolismo do acontecimento foi de tal ordem, que Cristiano foi contemplado, nada mais, nada menos, do que com o muito redondo e mítico número 100.000.

Um momento muito bonito e que terá merecido milhares de aplausos em Alvalade, mas que não passou de uma bela, oportuna e muito sugestiva estratégia de marketing. Uma estratégia que ajuda a promover a campanha de novos sócios do Sporting, mas que não garante, por si mesma,   tantas subscrições de sócios como as camisolas que seriam vendidas caso Ronaldo se apresentasse em Alvalade para assinar contrato e cumprir o desejo de terminar a carreira no Sporting. Esse sim, seria um genial golpe de marketing a que a Direcção se poderia propor. Afinal de contas, quando o mandato estiver a acabar, já Ronaldo terá 32 anos...


comentar ver comentários (2)

Gostei

 

Da vitória contra o Nacional. Foi suada, mas valeu três pontos. Que podem ser decisivos nesta dificílima campanha de qualificação para um lugar de acesso às competições europeias.

 

Da exibição de Capel. Para mim foi hoje o melhor em campo. Marcou o 1-0 na fase inicial do jogo, mandou uma bola ao poste ainda no primeiro tempo e teve movimentações incessantes pelo flanco direito, contribuindo para dinamizar a equipa mesmo nos momentos de maior apatia colectiva. Faltou-lhe apenas um pouco mais de pontaria nos cruzamentos.

 

Do golo de Rojo. Foi o seu primeiro no Sporting - o que o levou a explodir de alegria, despindo a camisola (e recebendo cartão amarelo por isso). Golo especialmente saboroso por ter garantido a vitória que todos desejávamos.

 

De Bruma. Cresce de jogo para jogo, ganhando maturidade táctica e competitiva. Partiu dele a assistência nos dois golos - o que diz muito da sua exibição nesta partida. Falta-lhe, no entanto, saber dosear melhor o esforço físico. E teve responsabilidade no golo do Nacional, que compensou de algum modo em posteriores missões de carácter defensivo.

 

De André Martins. As transições ofensivas passaram em grande parte por ele. Sem a eficácia revelada noutros jogos, mas com a entrega, o voluntarismo e a determinação de sempre.

 

De Viola. Saltou do banco aos 78' e voltou a dar boas provas. Já merece ser titular.

 

Que tivessem estado 30 mil espectadores no estádio. Excelente ideia, a de Bruno de Carvalho, ao possibilitar a entrada gratuita dos sócios neste jogo a pretexto de o clube ter ultrapassado a cifra dos 100 mil filiados.

 

 

Não gostei 

 

De ver tantos passes errados. Depois da grande exibição nos jogos contra o Braga e o Benfica, sobretudo, este jogo voltou a ser assinalado, durante períodos demasiado longos, por uma evidente displicência do colectivo sportinguista, em particular no meio-campo.

 

De Adrien. Jesualdo Ferreira voltou a dar-lhe uma oportunidade, mas ele não correspondeu. Era o pior sportinguista em campo quando foi substituído por Schaars, com vantagem para a dinâmica da equipa.

 

De Labyad. Outra oportunidade desperdiçada: o treinador mandou-o entrar para o lugar de André Martins, mas esta rendição não funcionou. Lento, apático, desconcentrado, o jovem internacional marroquino demora todo o tempo do mundo para criar uma situação de potencial perigo.

 

Dos calafrios na defesa. Tem-se notado a falta de Cédric, hoje notou-se também a falta de Eric Dier: oxalá recuperem a tempo do decisivo jogo contra o Paços de Ferreira. O banco sportinguista é curto, também no reduto defensivo.

 

Dos assobios. Entradas gratuitas para sócios não deviam constituir via verde para o público assobiar a equipa. Mas, a certa altura, até parece que foi isso que aconteceu. Não gosto de ver nem de ouvir assobiar os nossos jogadores. Nunca gostarei.


comentar ver comentários (64)

comentar ver comentários (3)

O Sporting Clube de Portugal é o novo campeão nacional de rugby da II Divisão!

 

Parabéns e obrigado

 

Saudações Leoninas


comentar ver comentários (4)
3,7 dioptrias
Rui Rocha

 

O célebre estás a precisar de óculos não se aplica ao Ferreira (o tal, o carcará, o observador). Como se comprova pela imagem (é questão de observarem bem), óculos já ele tem. E a graduação deve ser praí de 3,7 dioptrias. Temos então de concluir que a razão de uma observação com imagem tão distorcida, tão turva, tem de ser outra. O Ferreira com óculos não vê mal. Tem é o campo visual inclinado. E isso é um defeito que não há lunetas que corrijam.


comentar ver comentários (3)
Sábado, 27 de Abril de 2013

 

João Capela roubou o Sporting, estragou o espectáculo, desvirtuou a justiça desportiva. Foi premiado de duas formas: recebeu o aplauso frenético dos benfiquistas mais fanáticos, embalados com as palavras elogiosas de Jorge Jesus, e viu o "observador" ao jogo, um tal Ferreira, contemplá-lo com a classificação de "muito bom" - com nota de 3,7 em escala de um a cinco - por uma actuação que devia envergonhar toda a arbitragem portuguesa.

Nestas coisas convém não exagerar. Para que o escândalo não se torne demasiado evidente. E o referido "observador" exagerou - ao ponto de tornar legítimo que qualquer um questione se terá mesmo presenciado o jogo ou, em caso afirmativo, se terá assistido ao que se desenrolou no relvado da Luz em estado de meridiana lucidez. Pelo andar da carruagem, começo a interrogar-me se não valerá a pena instituir mecanismos de controlo antidopagem aos "observadores" presentes nos estádios...

Do mal o menos. O Conselho de Arbitragem viu-se forçado a puxar pelos galões, deixando passar hoje para os órgãos de informação a mensagem que se impunha: não só encarou de forma muito crítica a miserável prestação de Capela, afastado das nomeações para esta jornada, como deixará isolado o observador-que-parece-ceguinho nos hossanas prestados ao árbitro manifestamente incompetente.

Bem fez o Sporting em dirigir uma reclamação à secção de classificações do Conselho de Arbitragem, o que forçará uma nova avaliação do desempenho de Capela, desta vez com base nas imagens televisivas, a cargo da Comissão de Análise e Recurso. «Até o próprio Vítor Pereira, presidente do Conselho de Arbitragem, viu algumas falhas na actuação de João Capela, pelo que não concorda com a nota de 3,7», escreve o jornal O Jogo. Daqui se percebe até que ponto chegou o incómodo pela conduta em campo do homem do apito num desafio que Jesus teve a lata de classificar de "limpinho" - como se, no seu conceito, valesse tudo para ganhar jogos.

Estará a precisar tanto de uma consulta oftalmológica como o tal Ferreira, cujo critério classificativo só se explica se tiver sido escrito em Braille.


comentar ver comentários (28)

Tem sido um fartote desde que o homem do apito resolveu ter critérios largos, lá no pré-fabricado. Como é seu hábito o cobarde do presidente dos de carnide só com uma plateia favorável é que teve a primeira reacção e, também como é usual, tentando ler um discurso escrito por outrém, cheio de fraquíssimos enigmas. Há muito que este sujeito, resguardado numa suposta seriedade que só acredita quem quer, tenta ocupar o lugar do da fruta. Não há aqui qualquer tentativa de contribuir para solucionar os graves problemas que existem no futebol português. Temos apenas e só a tentativa de alguém que quer ganhar custe o que custar. O Sporting infelizmente está nesta altura a servir de arma de arremesso entre o da fruta do norte e o do sul. É contra este estado do futebol português que temos que levantar a voz. A podridão instalada, o domínio de pessoas reles e menores que se instalaram nos cadeirões do poder leva a que tenhamos hoje uma competição viciada, com resultados que não reflectem a verdade. Ao longo de anos, não só este, o nosso clube foi alvo de diversas situações externas que tiveram o seu contributo para o actual estado. Como disse e bem o nosso presidente Bruno de Carvalho, parte da dívida resulta de factores exógenos, de erros de arbitragem que sendo reconhecidos nunca tiveram a devida consequência. A nossa luta tem que se centrar nesse ponto.


comentar ver comentários (6)
Irmãos de sangue
João Paulo Palha

Segundo li hoje no Record (num café, exemplar da casa, que eu, por uma questão de sanidade mental, não compro jornais desportivos desde há longo tempo), Paulo Paraty terá declarado, por outras palavras, que era avisado não nomear J. Capela para nenhum jogo deste fim-de -semana, para, espantemo-nos, proteger o árbitro. Extraordinário! Agora é este indivíduo que precisa de ser protegido e não o futebol que precisa de se defender dele. Estamos bem.


comentar ver comentários (5)

...E eis como, de um dia para o outro, a "catedral" é despromovida...{#emotions_dlg.lol}

Tags:

comentar ver comentários (21)
Sexta-feira, 26 de Abril de 2013
Pedro Sousa
Francisco Melo

 

Quando soube que Pedro Sousa iria deixar a Rádio Renascença ("RR") para ser o novo director de comunicação do Sporting fiquei triste.

Há apresentadores de televisão, ou locutores de rádio, a quem ganhamos particular afeição, por serem o rosto e a voz que acompanham os nossos programas favoritos. Pedro Sousa era um desses casos.

Ainda me lembro bem da época 1999/2000, indelevelmente marcada na minha vida, ou não tivesse sido esse o ano em que vi, pela primeira vez, o Sporting conquistar o campeonato. Pedro Sousa era a voz dos jogos do Sporting. E assim foi nos anos seguintes.

Considerado por muitos como o melhor relatador desportivo da sua geração, Pedro Sousa, que também narrava na Sport tv, chegou, sem surpresas, a responsável pela área de desporto da RR.

A possibilidade de ser director de comunicação do Sporting até se pode ter revelado à partida como um desafio profissional único, ou uma oportunidade financeira muito interessante. No entanto, da história (quase) nada rezou sobre os directores de comunicação do Sporting. E, infelizmente, Pedro Sousa será mais um caso a confirmar a regra. Com a agravante de ter desempenhado o cargo no consulado do pior Presidente da história do clube. Pior era impossível.

Não sei se noutro contexto Pedro Sousa poderia ter dado um excelente director de comunicação. Mas, tenham sido o adverso contexto em que desempenhou o cargo, ou as limitações que foram impostas ao mesmo, a verdade é que a experiência não foi bem sucedida. O narrador confiante e crítico deu lugar ao director deslocado e titubeante.

Quando soube que Pedro Sousa iria deixar de ser director de comunicação do Sporting fiquei triste. Terminava, de forma inglória, a passagem por uma cadeira que se achava de sonho, mas que se veio a revelar um enorme pesadelo...


comentar

O camarada J. Capela levou 'bom mais' do observador? Pudera, o sistema funciona assim. O 'observador' - como denunciou o presidente Dias da Cunha - funciona na linha de favores-com-favores-se-paga. É protegido pelo sistema, classifica bem os árbitros que se 'portam bem', mantem-se na roda como recompensa, os apitadores sobem na escala, chegam a internacionais - e a roda continua. TODOS os críticos da arbitragem, ex-árbitros, comentadores, etc., viram o que toda a gente viu. TODOS. O sr. 'observador' não viu. Ou seja, fechou os olhos na altura de ver, como era suposto. E assim o sistema vermelho funciona, na herança do azul. No fim da história vão todos rezar. E não é na mesquita, que aí...


comentar ver comentários (2)

"CRITÉRIO LARGO"

Tags:

comentar ver comentários (2)
Cephalopoda
João Paulo Palha

 

No princípio, fiquei surpreendido com a nota dada a João Capela pela sua, digamos, arbitragem, no último Benfica-Sporting, atribuindo o desmando ao cérebro primevo do observador e à sua aparente incapacidade para distinguir um jogo de futebol de um filme de Steven Seagal. Pensando um pouco melhor, ocorreu-me que talvez o, digamos assim, árbitro ainda tivesse aspirado a deitar o gatázio um pouco mais longe,  disso sendo impedido pela força das circunstâncias. Quem sabe se a nota não progrediria em função dos penalties e cartões vermelhos e amarelos perdoados aos nossos adversários? Se o homenzito tivesse feito vista grossa a mais um ou dois penalties e a mais uma duas entradas à la Maxi é possível que tivesse rebentado a escala. A ser assim - e nada garante que o seja, não faço sequer a mínima ideia sobre se tão deslumbrante personagem sabe mais do que  uma ou outra regra do jogo, embora isso se me afigure altamente improvável - a nota acaba, pela sua escassez, por constituir uma injustiça. Que culpa terá o nosso indizível apitador de que o Sporting não tenha construído mais umas jogadas cortadas por faltas na área ou de que o Maxi ou o Matic não tenham prolongado os seus treinos de uma qualquer arte marcial? 


comentar ver comentários (2)

Se isto não causa escândalo, já nada escandalizará ninguém: João Capela recebeu "bom mais" pela miserável prestação no Benfica-Sporting.


comentar ver comentários (10)

«A reestruturação que o Sporting está a levar a cabo, embora motivada por razões de sobrevivência, acaba por ser exemplar e um passo que, em maior ou menor escala, terá de ser seguido por outros clubes nacionais.»

António Oliveira, hoje, no Record


comentar ver comentários (8)
Uma dor d'alma
José Navarro de Andrade

Mas o que mais me comoveu foi o ar estupefacto de Ola John ao minuto 45. Que excentricidade foi aquela de o árbitro marcar um penalty por um derrube na grande área? Ainda por cima uma coisa igualzinha ao que dias antes ninguém viu, juro que ninguém viu, contra o Wolfswinkel aos 5'. Ola John, desorientado, fazia um "eu???" com as mãos no peito, olhando em volta com quem procura ânimo nas bancadas da Luz. Mas onde está generosidade, o carinho pedagógico, dir-se-ia mesmo: a moral, de um Capela? Isto assim não é benfiquismo, não é nada, é só futebol... 


comentar ver comentários (2)
"Limpinha"...
Pedro Quartin Graça

{#emotions_dlg.lol}Retirado daqui.


comentar ver comentários (2)
Leoas às sextas
Pedro Correia

 

Sara Vilas Boas

Tags:

comentar ver comentários (25)
Quinta-feira, 25 de Abril de 2013
Oh que pena!
Jose Manuel Barroso

O Maxi levou um amarelo, levou? Oh que pena! O Ola fez um penalti, fez? Oh que pena! O Capela não arbitrou este jogo, não? Oh que pena!


comentar ver comentários (8)

Mas notou-se muito a ausência de João Capela no eixo da defesa.


comentar ver comentários (14)

«O erro grosseiro sistemático [dos árbitros] é como o hooligan ou como o dirigente corrupto: não faz falta ao futebol. Tem de ser banido.»

Bruno de Carvalho, hoje, n' A Bola


comentar ver comentários (9)

comentar ver comentários (7)
Bofetada de luva branca
Pedro Quartin Graça

 

"Jamais faria parte de uma lista de candidatura às eleições do clube em que estivessem ex-colegas que foram jogar para Benfica e FC Porto".(...)

 

"Quem sai do Sporting para jogar no Benfica e no FC Porto nunca pode ser considerado uma figura do clube" (...)


"Hoje, o futebol é diferente, os jogadores que jogam no Sporting têm vontade de representar o Real Madrid, o Chelsea ou o Bayern de Munique, mas sair para o estrangeiro é um coisa, sair para os rivais na luta pelo título é outra completamente diferente".


Manuel Fernandes, em 25 de Março de 2011, aqui.


comentar ver comentários (31)

"PÔR A CARNE TODA NO ASSADOR"

Tags:

comentar ver comentários (8)
Quarta-feira, 24 de Abril de 2013

«Ficaram por assinalar, quanto a mim, dois penáltis contra o Benfica (de Maxi Pereira sobre Capel e, bem mais tarde, sobre Viola), Matic devia ter sido expulso (entrada rude sobre Bruma) e, não apenas por aqueles dois lances, Maxi Pereira também não devia ter chegado ao fim do jogo. Quem gosta de futebol e da verdade só pode lamentar tudo isto.»

Cruz dos Santos, jornalista especializado em arbitragem, na edição de ontem d' A Bola

 

«No dérbi da capital o critério demasiadamente alargado de deixar jogar, ignorando entradas à margem das leis (rasteiras, empurrões e tackles) tiveram consequências danosas para João Capela, principalmente no aspecto técnico, já que ficaram por assinalar dois lances ocorridos na grande área dos encarnados, com Maxi Pereira como protagonista nos derrubes a Capel e Viola, para além dos cartões que ficaram por exibir, alguns deles vermelhos, como aquele que devia ter sido mostrado a Matic por entrada violenta sobre Bruma.»

Joaquim Campos, nome ilustre da arbitragem nacional, na edição de hoje do Record


comentar ver comentários (64)
O «milagre»
Jose Manuel Barroso

BVB Dortmund: formação própria, recrutamento interno e em mercados baratos, dos quais se tem total informação (Nuno Félix, no FB).


comentar ver comentários (3)

A humilhação do tão celebrado futebol espanhol (e da liga espanhola) foi o resultado de um trabalho em profundidade do futebol alemão: regras rigorosas, sustentabilidade, formação e competitividade. Algo para que alguns, em Portugal e na Europa, vinham chamando a atenção. A Bundesliga é, hoje, a melhor e mais competitiva liga europeia - e decerto mundial. O Borrússia Dortmund estava, em 2003, quase falido. Hoje foi o que se viu. Um modelo para nós, agora que é o momento de mexer na estrutura das coisas. Precisamos de inteligência, audácia e gente competente. Muito de tudo.


comentar ver comentários (11)

O Record e a Bola de hoje têm títulos idênticos para o processo de despedimentos que, segundo dizem, está em curso no Sporting. Não faço a mínima ideia sobre se tais informações correspondem à verdade e se há fundamentos para as rescisões - embora me pareça que, a corresponderem estas notícias às intenções da Direcção, o clube enfrentará, no plano jurídico, obstáculos muito mais sérios do que o mundo de facilidades a que qualquer leitor desprevenido e desconhecedor das normas mais básicas da legislação do trabalho se verá conduzido. O Record e a Bola chamam a estes despedimentos, reais ou imaginados logo veremos, arrumar a casa. Ficamos, pelo menos, a conhecer o conceito de arrumação perfilhado por estes jornais. Suponho que a expressão arrumar a casa estará presente, com o mesmo vigor, se um dia alguém com capacidade de decisão entender, de uma só vez, despedir uma dúzia de profissionais, entre eles alguns jornalistas, de uma ou das duas publicações. Talvez considerem que ficam pequenos, mas com muita arrumação.  

Tags: ,

comentar
Naquela noite...
Cristina Torrão

 

Era uma quarta-feira, tal e qual como hoje. O apito inicial soou à hora a que publico este post. O meu pai alimentava esperanças de que, passados dez anos, o seu clube repetisse a proeza: ganhar a Taça das Taças. Mas a primeira mão das meias-finais, em Alvalade, não correra bem: empate 1-1 com o Magdeburgo, da República Democrática Alemã, um dos regimes de proa da Europa de Leste.

 

O Sporting partiu desfalcado para o encontro, não contava com dois dos seus melhores jogadores, Dinis e Yazalde, ambos lesionados. Mal sabia a equipa que partia do Portugal da ditadura para regressar ao Portugal dos cravos. E não deixa de ser interessante que fosse derrotada, nessa noite de todas as noites, por um clube de um país comunista, uma ideologia que tanto agitaria o Portugal saído da revolução. Também o imperialismo soviético esteve perto de derrotar a nossa jovem e ainda frágil democracia.

 

 

Os minutos finais do encontro deram cabo dos nervos. Ao fim de 75 minutos, perdíamos por 2-0. Já nos conformávamos com a derrota, quando Marinho, a 12 minutos do fim, reduziu a desvantagem para 2-1. Renasciam as esperanças. Marcando mais um golo, o Sporting passaria à final!

Sofríamos em frente da televisão, quando Tomé, entrado perto do fim do encontro, falhou um golo que parecia certo. Ao apito final, instalou-se o desespero.

 

 

Eu tinha oito anos. E não sabia o que mais me oprimia: se a minha própria desilusão, se a do meu pai. Fomo-nos deitar com um imenso nó na garganta, sem sonhar que acordaríamos num outro país.

À equipa do Sporting, acompanhada pelo saudoso João Rocha, estava reservada uma autêntica odisseia. Deixaram a malfadada Magdeburgo de autocarro, logo aguentando os incómodos ligados à passagem da fronteira entre as duas Alemanhas. Controlos obsoletos, de quem insistia na cortina de ferro, esse muro invisível, concretizado fisicamente em Berlim. Mal sabia o plantel do clube que, no seu país, se tentavam destruir outro tipo de muros.

 

Chegados a Frankfurt, atingiu-os a perplexidade: o aeroporto de Lisboa estava cercado e fechado ao tráfego! Acabaram por arranjar um voo para Madrid, de onde partiram, de autocarro, em direção à fronteira do Caia. Mas esta revelou ser mais uma barreira intransponível, o MFA fechara todas as fronteiras. Tiveram de pernoitar em Badajoz, alguns, no autocarro, por não terem encontrado lugares nos hotéis.

 

Só a 26 de Abril a situação se desbloquearia.

E nós?

Em nós, renascera a esperança, no deslumbre da liberdade.

 

 


 

Nota: O bilhete representado está ou esteve à venda neste site. Embora não o consiga visualizar, foi para lá que o link da imagem me enviou.


comentar ver comentários (5)
Dopagem... ahah
Jose Manuel Barroso
Cris Gomes, no FB:
 
Relativo ao assunto que parece que ganhou destaque na Sapo, sobre dopagem e Fc Porto, aqui segue um auxiliar de memória. Sem ter que recuar 26 anos
Benfica e os controlos anti-doping positivos ... Sem esquecermos esta vergonha e na sequência do mediático "caso Nuno Assis". O jogador do Benfica, que acusou norandrosterona no jogo com o Marítimo e foi suspenso preventivamente Num curtíssimo espaço de tempo, foram identifcados mais dois surpreendentes casos de doping em modalidades ditas amadoras. As justificações foram estas: No caso de António Tavares, capitão de basquetebol do Benfica, o Departamento Médico alegou que autorizou o atleta a utilizar um produto para a queda de cabelo "por desconhecimento da proibição do produto" e que por isso não informou o Laboratório de Análises de Doping como devia.Também Pedro Barata acusou a presença da mesma substância de Tavares, alegadamente devido igualmente à toma de um produto para a queda de cabelo. LOOL Só para lembrar, que somos todos iguais. Não conseguirão nunca derrubar-nos com a informação tendenciosa e investigações parciais de todo um grande esquema, onde participavam todos, sem excepção. Inclusive Jorge Jesus se viu envolvido em caso de doping em Portugal, todos sabem como era praticado. Lembremos a declaração do jogador em causa que foi apanhado: Lopes da Silva: «Prejudiquei a carreira porque acreditei nele»
TÉCNICO DO BRAGANÇA E O DOPING COM JORGE JESUS EM 1995 “Estou arrependido de ter ficado calado”, foi assim que Lopes da Silva começou por abrir o jogo sobre o caso de doping que, em 1994/95, o afastou dos relvados por 6 meses. O agora treinador do Bragança jogava no Felgueiras, orientado por Jorge Jesus, seu adversário de hoje. Na hora de recordar os factos, a mágoa não foi escondida. “Prejudiquei a minha carreira por ter acreditado em Jorge Jesus e nos outros responsáveis do Felgueiras. Arranjaram-me um advogado, mas ele queria defender o clube e não a mim”, começou por desabafar Lopes da Silva, prosseguindo: “No intervalo de um jogo com o P. Ferreira deram-nos algo para tomar como sendo vitaminas. Os atletas confiaram! O Jorge Jesus tinha conhecimento do que aquilo era. Fui ao controlo e acusei positivo.Ver mais

Tags:

comentar ver comentários (3)

 

Manuel Fernandes está para o Sporting como o "Pantera Negra" está para o clube de Carnide: é um símbolo vivo do clube, o seu maior expoente. Daqueles que sente na pele as alegrias e as tristezas de uma grande instituição como é o Sporting Clube de Portugal. Menoscabá-lo, afastá-lo, levá-lo às lágrimas é não compreender aquilo que o "Manel" representa, hoje, como no passado. Ele, como muitos outros, agora impiedosamente afastados do convívio com os sportinguistas, mas a quem nós todos devemos muito do que hoje somos. Um grande abraço capitão "Manel"! E obrigado.


comentar ver comentários (11)
Autores
Pesquisar
 
Posts recentes

Duas realidades

Já agora que estou para e...

Para quem achava que o Be...

Não acerta uma

Pergunta para queijinho:

Sporting: questões em deb...

Os prognósticos passaram ...

Os nossos comentadores me...

Jesus vs.Jesus

Há razões que a razão des...

Arquivo

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Tags

sporting

comentários

memória

bruno de carvalho

selecção

leoas

prognósticos

vitórias

jorge jesus

há um ano

balanço

campeonato

slb

arbitragem

benfica

jogadores

mundial 2014

rescaldo

taça de portugal

liga europa

eleições

godinho lopes

ler os outros

clássicos

árbitros

golos

euro 2016

futebol

nós

comentadores

crise

marco silva

scp

cristiano ronaldo

análise

formação

humor

chavões

liga dos campeões

slimani

todas as tags

Mais comentados
158 comentários
155 comentários
152 comentários
136 comentários
136 comentários
132 comentários
Ligações
Créditos
Layout: SAPO/Pedro Neves
Fotografias de cabeçalho: Flickr/blvesboy e Flickr/André
blogs SAPO
subscrever feeds