Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Para dar cabo do futebol em Portugal

Se bem me lembro o sr. Mário Figueiredo foi eleito Presidente da Liga de Futebol com alguma surpresa geral. Se também a memória não me falha, a sua vitória deveu-se ao facto de ter feito um trabalho de formiga, granjeando o apoio maioritário dos pequenos clubes, prometendo o alargamento da liga para 18 clubes.

Houve quem pavlovianamente rejubilasse com esta patuleia em que triunfaram os pequenos contra os grandes. Para mais o sr. Mário Figueiredo defendia os pequenos interesses contra os grandes interesses. Sucede que neste caso small is ugly, porque os grandes interesses correspondem aos interesses da maioria dos adeptos, ao passo que os pequenos e paroquiais interesses são meramente  políticos.

Na linguagem crua do negócio, dir-se-á que foram defendidos os interesses dos pequenos fornecedores contra, e lesando bastante, os interesses da maioria dos clientes. Nada de novo em Portugal, é sempre isto que costuma acontecer.

Para não dizerem que falo no ar fiz uma breve análise a partir dos dados apresentados no site da Liga. A métrica utilizada foi a do número de espectadores dos estádios de futebol desde a época 2007-2008 até à época 2010-2011, as únicas disponíveis no dito site. Comparam-se para cada época o total de espectadores com o total dos 4 clubes com maiores assistências e com os 4 clubes com menores assistências.

A disparidade entre o topo e a base é gigantesca e apostava singelo contra dobrado que não tem paralelo na Europa futebolística. Os 4 clubes com mais espectadores são frequentados em média por 74% (!!) do total de espectadores de futebol em Portugal.

No topo, além dos óbvios 3 grandes, só na época passada surge o Braga em detrimento do Vitória de Guimarães. Na base é interessantíssimo verificar que o Paços de Ferreira, o Nacional e a Naval surgem em todas as 4 épocas entre os que têm mais baixa assistência. Depois lá vêm o Estrela da Amadora enquanto não desceu e o Rio Ave depois de subir.

 

Ao aumentar de 16 para 18 o número de clubes participantes na Liga Sagres Zon a partir da parte de baixo da tabela (não consta que ele vá convidar o Real Madrid e o Barcelona a participarem no campeonato português…) o sr. Mário Figueiredo garante aumentar esta absurda disparidade. O que ganham os grandes clubes? Pouco. O que ganham 74% dos adeptos? Nada. O que ganham os interessezitos locais (presidentes de câmara, dirigentes do Desportivo, influentes da terra, empreiteiros da zona, etc…)? Peso. Um peso em nada correspondente à sua influência no negócio, perdão, no futebol.

5 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D